quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Uma amizade verdadeira e produnda com DEUS

Texto de Pe. Alírio José Pedrini, scj Revista Brasil Cristão nov/2010

Todos os seres humanos são criados à imagem e semelhança de Deus, para viver uma verdadeira e profunda amizade com Ele. Amizade essa cultivada, aprofundada e perenizada por meio  de um relacionamento amigável, diário, concreto e profundo. Esse é o sonho de Deus a respeito de toda humanidade. Porém é preciso dar atenção a duas palavras escritas acima: "amizade" e "relacionamento".  

Amizade. O Deus-Trindade quer ser o maior, o mais importante e o mais significativo amigo do ser humano. Aliás, Ele o é de fato! Nessa amizade, Ele quer estar tão perto, tão presente e tão comuncativo ao ser humano, a ponto de  este sentir-se muito amado e atraído por Ele, e desejoso de viver esta amizade com Deus. A descrição do Paraíso Terrestre é um símbolo daquilo que Deus quer com o ser humano: conviver de tal forma que a pessoa se sinta profundamente feliz pela amizade e comunicação com Deus.

A felicidade do Paraíso, na verdade é a felicidade do coração que encontrou Deus, criou uma amizade com Ele, e com Ele se comunica diariamente. O sonho de Deus é fazer o ser humano realmente feliz. Como o não consegue pelenamente aqui na terra, por causa do pecado, Ele mantém o sonho de dar-lhe o Céu. E o que é o céu, senão a felicidade plena, imperdível, perpétua, causada pela amizade e pela presença definitiva com Deus?

Relacionamento. Uma amizade é criada por uma primeiro encontro e relacionamento. Ela cresce, se aprofunda, mantém-se viva e se desenvolve sempre mais, por meio do relacionamento, ou seja, das costantes comunicações de toda sorte entre os amigos. Os amigos gostam de se relacionar. Aliás, precisam. Caso contrário a amizade tende a enfraquecer. Até mesmo entre marido e mulher, é o relacionamento muito bem conduzido que mantém acesso vivo, agradável e operante, o amor matrimonial.

O relacionamento com Deus acontece toda vez que o ser humano realiza algum ato ou culto religioso: uma oração escrita, uma oração espontânea, um culto  celebrado, uma comtemplação, uma meditação da Palavra de Deus, uma celebração de um sacramento, uma Santa Missa bem participada. Aliás essa  é a forma de culto mais perfeita, completa e rica que existe na fé católica. Portanto o relacionamento constante e criativo com Deus é imprescindível para que a amizade entre ambos se fortaleça sempre mais, e Deus possa fazer o ser humano mais feliz.

AMIZADE E SANTIDADE

Por meio da amizade e do relacionamento com o Deus vivo, o ser humano descobre progressivamente quão drande é o amor d'Ele, quão operante é esse amor e como sempre esteve presente em sua vida, desde a concepção. Por esta descoberta e constatação o ser humano se sente amado,motiva-se ára amá-lo, sente-se amado por Deus, e neste jogo de amor com Ele, cresce a amizade e se dinamiza o relacionamento.

O ser humano vai descobrindo as belezas de Deus; encanta-se sempre mais com Ele. Descobre e vivencia atributos, as  qualidades e as virtudes divinas. E o coração humano canta com alegria indivisível: quão grande és tu, meu Deus! Quão amoroso! Quão poderoso! Quão misericordioso! Quão surpreendente és tu, meu Deus!
O coração humano descobre que Deus só quer o seu bem. E o bem mais perfeito. Por isso descobre progressivamente que a sua palavra bíblica, seus mandamentos, seus conselhos, suas orientações, suas chamadas de atenção são todas unicamente para o bem dele. Então o coração humano, cativado por Deus, adere sempre mais a Ele, acolhe a vivencia  com sinceridade  e profundidade crescente as orientações divinas, e passa a vivê-las  no dia a dia em sua vida. Vive-as com amor e por amor. Vive-as como melhor caminho  em sua vida pessoal, familiar, profissional e social. Esse coração passa  amoldar-se  voluntaria e empenhativamente aos ensinamentos divinos. E Deus, com sua presença e suas graças, auxilia-o a conseguir amoldar-se a eles. Assim, vai se formando o Santo...           

"O SANTO TRABALHA SEM CANSAÇOS PARA PURIFICAR SEMPRE MAIS SEU CORAÇÃO DE TODO PECADO, PARA TORNÁ-LO SEMPRE MAIS SENSÍVEL AO AMOR DE DEUS."

SANTIDADE

Santo é todo aquele qie mantém uma profunda amizade com Deus, alimentada por constantes relacionamentos de amor., cuja vida é vivida porofundamente conforme os ensinamentos divinos, tanto na vida pessoal, como matrimonial, familiar, profissional, eclesial e social.
Por ser vivida segundo os ensinamentos divinos, a vida do santo afasta-se sempre mais  de todo pecado, sente horror a ele, pois ofende o Deus amado , quabra a amizade com Ele e faz desaparecer a paz interior gerada pela presença divina. O santo trabalha sem cansaços  para purificar sempre mais o seu coração de todo pecado, para torná-lo sempre mais sensível ao amor de Deus.  Ao mesmo tempo, o santo se empenha com o mesmo afinco para embelezar seu coração com as virtudes teológicas, cristãs e humanas.

Enquanto o santo se empenha por erradicar todo pecado e revestir-se das virtudes, Deus pela ação do Espírito Santo, o auxilia poderosamente nessas tarefas, e mais do que isto, desenvolve nele os sete dons infusos (Is11,2,) desabrocha nele os frutos da santidade (Gl5,22) e lçhe concede os carismas para realizar suas obras em favor dos irmãos.   

A santidade deveria ser um estado de vida normal a todo batizado na Trindade, ou seja, a todo aquele que é mergulhado pelo sacramento do Batismo no amor criador do Pai, no amor salvador do Filho e no amor santificador do Espírito Santo. Viver em "estado de graça divina", isto é, viver uma natural amizade com a Trindade, deveria ser comum e natural a todo batizado. Tenho usado o verbo no tempo "condicional": deveria... Pois infelizmente grande parte dos batizados não vive em santidade, não vive em estado de graça com o divino. Volto a dizer: viver em estado de graça deveria ser normal a todo batizado.
São Paulo, em suas cartas dirigidas às comunidades cristãs, cha muitíssimas vezes os cristãos batizados de "santos". Basta conferir.

CHAMADOS À SANTIDADE


Todos os seres humanos são criados à imagem e semelhança de Deus. Somos todos chamados ao Batismo para sermos adotados como filhos de Deus. Somos todos chamdos à salvação na vida presente para a vida eterna.
Pela participação na paixão, morte e ressurreição de Jesus. Somos todos chamados à santidade para vivermos santamente nesta vida, e depois da morte participarmos da glória de Deus no Céu. Esse é o "caminho normal" indicado por Deus Pai, mediante Jesus Cristo, na ação do Espírito Santo. Para todos aqueles que não chegam a conhecer esse "caminho" de salvação e santidade, por certo Deus tem outros "atalhos" para salvar e santificar multidões.

A vida de santidade é um chamado para todos, em quelquer estado de vida. Os bispos, os padres, os religiosos, os consagrados e nós, somos todos chamados a viver em santidade em seu estado de vida e na sua missão. Os casados são chamados a viver em santidade no matrimônio e na vida familiar. Os viúvos os separados, os divorciados, são todos chamados a viver em santidade nessa sua realidade de vida.

Os noivos e namorados, também são chamados a viver este estado de vida de forma santa e impecável, para poderem formar uma família santa. Os jovens e adolescentes são igualmente chamados a viver uma vida santa, quer pessoal, quer familiar, quer nos estudos, no trabalho e na vida social.
Todos esses apontados acima são chamados a viver e testemunhar sua vida de santidade em sua profissão, em seus negócios, em sua vida social, em todo lugar.

Uma profunda amizade com Deus, cultivada por relacionamentos religiosos diários, pautuando o modo de viver, de pensar, de querer e de agir, segundo os ensinamentosdivinos, leva a erradicar todo pecado e a buscar a beleza das virtudes. Eis o "estado de graça santificante"! eis a santidade!           

       

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

A SADIA CONVIVÊNCIA EM FAMÍLIA



Texto de: Pe. Evaristo DeBiasi-Revista Brasil Cristão ed. Out/2010  
Foto de: Maurício Âmbar



A vida, a harmonia e a felicidade sempre acontecem numa família quando se busca levar a sério o único conselho que Maria nos deu: "Fazei tudo o que Ele vos disser!" (Jo2, fidelidade5). Aliás foi o próprio Cristo quem nos prometeu que, se buscarmos permanecer na Palavra e aos mandamentos do Pai, como Ele permaneceu, e se convidarmos para fazer parte de nossa vida, a nossa alegria será completa. "Disse-vos essas coisas para que minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa!" (Jo15, 11).

A revelação cristã nos indica que todo segredo de nossa vida, da vida de Cristo, a p´ropria salvação e redenção acontecem no cumprimento e na realização de quatro "faça-se":

O primeiro "faça-se" foi proferido e continua acontecer da parte de Deus Pai, como nos descreve o Livro de Gênesis: "Disse Deus: faça-se  a luz, o firmamento, os astros, a terra, os mares, os vegetais, os animais e, por fim, o homem e a mulher" Gn1, 1ss; e toda diversidade da riqueza da criação aconteceu e continua a acontecer. A Providência criativa de Deus está na origem de toda criação, a sustenta e continua a criá-la de modo continuado e permanente. 
O segundo "faça-se" foi proferido por uma mulher, a Virgem Maria de Nazaré, e o Deus criador dos céus e da terra se tornou um de nós e veio morar no meio dos homens. "Eis que uma viregem conceberá e dará a luz a um filho e ele chamará Emanuel". (Is 7, 14; Mt1, 23).

O terceiro "faça-se" foi proferida na dor extrema do horto das oliveiras e da paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nossa salvação, nossa redenção aconteceram e continua a acontecer: "Pai, se é do teu agrado afasta de mim este cálice! não se faça a minha vontade, mas sim a tua Pai." (Lc22, 42)

Resta entretanto o quarto "faça-se", para que todo projeto de amor de Deus Pai, a Boa-Nova de Jesus e o Reino de Deus aconteçam; isto é, o meu "faça-se", o teu, o nosso, o de cada família e da p´ropria humanidade.

O cristianismo, em sua essência, é a experiência viva de um encontro pessoal entre Deus e o homem, na pessoa de Jesus. Entre a vontade do Pai e a adesão livre do coração humano. A vida, a harmonia e a felicidade na relação homem e mulher, esposo e esposa, pais e filhos; entgre os irmãos e com toda comunidade humana acontecem quando a vontade  de Deus e a vontade do homem se encontram  num compromisso de amor e de missão.

No encontro com a vontade de Deus Pai e a pessoa de Jesus, Maria se apresenta como modelo e figura viva da Igreja, do existirmos como Igreja, do vivermos em família e na família cristã. Nela, o encontro da vontade do Pai com a sa vontade se tornou norma de vida e para a vida. Em Maria a Palavra de Deus deixou de ser apenas Palavra, tornando-se vida, carne, na pessoa de seu Filho Jesus.

A ciência nos diz que a pessoa humana, sem um projeto de vida, se frustra na existência. No dizer do Dr. Victor Frankl, autor do logoterapia,"sem um sentido maior a vida humana se torna frágil, sem futuro e pode terminar na frusttração". 
Bay Berry também nos diz: "Quem não tem uma razão de ser, já possui uma razão suficiente para morrer"
Caruso, psicanalista atual, fala que: "a falta de um sentido e de um significado para a existência humana transforma a vida em tragédia existencial a nível pessoal, de família e de sociedade".

Sem uma fé no Criador (para nós cristãos, na pessoa de Jesus), a vida humana fica sem horizontes, a família se  debilita como vocação e imagem de Deus., a relação entre pais e filhos empobrece, a vida entre irmãos se torna tensa e a convivência social adoece em profundidade.         

   

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

EVANGELIZAÇÃO ...... KERIGMA APOSTÓLICO


É PRECISO EVANGELIZAR



escrito por: Elmando V. de Toledo

EVANGELIZAÇÃO PARA O NOVO MILÊNIO

A evangelização não está vivida hoje por falta de base. Os cristãos não têm uma base, e por isso, ocorre a mudança de fiéis para outras religiões, porque não entendem, ou porque não estudam a própria religião. A religião é uma ponte sólida que nos faz chegar até Deus, sem ela também pode se chegar até Deus, mas de uma maneira muito mais difícil. Porque ela aponta caminhos que levam o cristão a discernir e a viver esta comunhão de amor entre o homem e Deus. 



A nossa atitude como católicos praticantes é conhecer e se evangelizar, é solidificar os alicerces de nossa  Igreja, Católica Apostólica Romana para alcançar em plenitude os frutos que esta mesma religião, única e fundada por Jesus Cristo nos promete.
Partimos aqui do desejo de S. Francisco Xavier, (a 500 anos atrás), de estender a evangelização aos povos latinoamericanos. Para isso foi elaborado uma plano de evangelização que começou na Itália com um único objetivo: Temos que evangelizar todos os batizados, temos que saber levá-los para Cristo. Os esforços agora são maiores que antes, tendo em vista o aumento das seitas, da propagação do ateísmo, dos atentados contra a fé e a moral da Igreja Católica Apostólica Romana. E também saber o que é a Igreja, a fé que recebemos diretamente dos Apóstolos, deixar de lado o misticismo religioso e passar a ter uma fé alicersada  na Doutrina da Igreja e na palavra de Jesus Cristo. Sem isso é impossível viver um catolicismo coerente e verdadeiro. 

Há muitas pessoas batizadas na fé católica mas que não conhecem ainda a fé (da Igreja), e cujas, receberam de seus pais. Ou por desinteresse e falta de compromisso, ou mesmo por falta de oportunidade, ou ainda, por uma catequese mal formada, ou então ainda o mais grave, por pura ignorância.

Já no século XX o Papa Paulo VI escreveu um documento sobre a evangelização dos povos, é a Encíclica : "Evangelho Anunciante" que fala da necessidade urgente de evangelizar os povos, com um maior ardor missionário. A Igreja permaneceu fria nestes últimos tempos. Agora chegou a hora!  Não se pode esperar mais.  

Segundo Paulo VI, esse ardor, nasce da ação do Espírito Santo, impelida em Pentecostes à Igreja. É preciso levar Cristo e a Igreja à todos os povos. Não esperar mais que os fiéis venham à Igreja mas levá-la até eles como uma proposta de amor e e de vida. Este documento de Paulo VI foi escrito baseado nas palavras de Jesus Cristo: "Foi para isso que vim, devo anunciar!" para nos mostrar que é preciso fazer o que Cristo e os Apóstolos fizeram, anunciar a Palavra de Cristo a todos os povos sem exceção. Isso vale principalmente para os povos da América Latina, pois muitos ainda não conhecem o evangelho e nem a verdadeira Igreja de Cristo. É nossa função e dever, fazer que que as pessoas conheçam a Igreja e o Evangelho, que realmente convertam e vivam uma fé madura libertas de qualquer escravidão que possibilitam essas pessoas atar nós com as seitas que cada dia se alastram. 


É preciso buscar as pessoas, trazê-las até a Igreja, é preciso que haja acolhimento e que, essas pessoas, sintam-se abraçadas pelo amor de Jesus, que veio para todos. A salvação dada por Cristo é destinada a todos sem exceção. 

Para isso é necessário, (segundo Paulo VI), que se reviva a mesma experiência que os Apóstolos tiveram no dia de Pentecostes, e que revigorados pelo Espírito Santo e pelo ardor missionário, busquem evangelizar todos os povos.

Cada cristão batizado em particular é um missionário, um evangelizador e um discípulo de Jesus conferido e autorizado pelo próprio Cristo através do Sacramento do Batismo. Para ser um evangelizador é necessário: primeiro ser batizado, depois aprender sobre a fé que recebeu para depois levar esta mesma fé aos seus irmãos. Uma dessas maneiras é o KERIGMA, palavra grega que significa ANÚNCIO.


O kerigma é uma forma prática de conhecer e falar de Deus e Jesus, o seu plano de amor, sem delongas, é evangelizar as pessoas sem a necessidade de muito estudo, como se fosse uma cartilha evangelizadora. Foi usada a muitos anos pelos Apóstolos, pelos primeiros santos padres da Igreja e agora se tornou-se uma proposta para que, você e eu, possamos evangelizar. 

A partir deste Kerigma que você vai estudar comigo meste artigo do blog, seja você também um evangelizador, sim!, você batizado que lê esta matéria, é um evangelizador. Lembremos das palavras de São Paulo que disse: "Ai de mim se não evangelizar!". Eu estou fazendo isso, agora, quando você, caro amigo(a), lê este artigo.



KERIGMA - ANÚNCIO APOSTÓLICO



TENHA EM MÃOS A SUA BÍBLIA - e lembre-se: use ou adquira somente Bíblias Católicas pois elas contém notas e explicações dos exegetas da Igreja para lhe auxiliarem na compreensão dos textos. Além de trazer uma tradução mais confiável.

A salvação necessita de duas pontes: A FÉ E A CONVERSÃO.

Conversão é: mudança de vida, adesão a valores, aqui no caso aos valores do Evangelho de Jesus. é TROCAR A MINHA VIDA PELA VIDA DE JESUS. (At2, 27)

A Fé, consiste em: 

a) Crer - crer que existe um ser superior a nós, Deus que tudo criou e nós somos seus filhos. (Rm10, 9-10) 
b) Confiar - Deus é nosso Pai e por isso devemos confiar sempre em sua misericórdia.  Quem diz ter fé, mas não acredita em Deus, não confia em sua bondade e misericórdia e não cumpre o que Jesus ensinou, está mentindo pra si mesmo. 
c) Depender - não somos, nem podemos fazer nada sem Deus.Pois criaturas que somos não temos poder nenhum. Deus, sim, pode tudo, Ele é tudo. Ele age em cima do tempo, no espaço, na matéria e na história. Pois Ele é o Deus do impossível.   Ele deve ser tudo em nossa vida, tudo que temos e precisamos vem de Deus. Precisamos OBEDECER  a Deus, suas leis e seus madamentos.

A partir daí é que inicia o processo de conversão em nossa vida. Quando nos colocamos na condição de criatura, entendemos que somos instrumentos da obra de Deus. Nossa Senhora traduz bem essa afirmação quando diz: "Eis aqui a serva, (traduções antigas se diz: escrava), do Senhor, faça-se em mim, segundo a vossa palavra!" (Lc2, 38).
A fé é um COMPROMISSO que assumimos no dia do nosso Batismo. Ela é como uma luz que precisa iluminar toda escuridão. É pela fé que enchergamos o caminho para Deus e consequentemente para a salvação. Sem ela não é possível seguir adiante. 
Mas ao mesmo tempo quando a temos e a recebemos de Deus é preciso não deixar que ela se apague em nós. E somente há uma maneira, levá-la também aos outros. A fé exige de nós que a compartilhemos que não a guardemos só para nós, pois, quando damos testemunho desta mesma fé, provoca a necessidade de conversão. Através de nossas atitudes, ou seja de nossos exemplos podemos concerter as pessoas. E fazendo isso estamos aumentando também a nossa fé.
Vejamos: - Se Pedro não tivesse confessado que Jesus era o Filho de Deus talvez não ouvesse tanto impacto na fé dos outros discípulos. (Mt16, 16) 

É claro que ali no meio estavam gente que acreditava em Jesus, outros tinham dúvidas, outros esperavam um testemunho para crer. E foi esse testemunho da fé de Pedro que fez a diferença: "Tu és o Cristo o filho do Deus Vivo!" 

  1. Jesus pergunta: lá fora quem dizem que eu sou? - a resposta: uns dizem que é João Batista, outros que é Elias, outros, Jeremias ou alguns dos profetas". 
  2. E pra vocês quem sou eu? - a resposta de Pedro: "Tu és o Cristo, filho de Deus vivo!" 
  3. Esta fé de Pedro deve ser a mesma fé dos cristãos, sobretudo nós católicos que estamos sob a guarda do Chefe sucessor dos Apóstolos e de Pedro o Santo Padre Bento XVI. Ele no seu ministério papal e episcopal disse para Jesus essas mesmas palavras de Pedro e nós católicos devemos crer, aceitar e viver esta mesma fé que a Igreja de Jesus sob o governo de Pedro nos ensina: "Cremos que Tu és o Cristo o filho do Deus Vivo!"  
  4. Pedro tinha a consciência desta manifestação divina de Jesus. O Deus de Pedro é um Deus vivo. O nosso também deve ser. Devemos levar esta mesma fé em Jesus Cristo, filho de Deus, que veio para nos salvar, que nos deu a salvação. Devemos levar a fé da sua Igreja, onde expressamos no "Creio": Creio em Deus Pai Todo Poderoso crisdor do Céu e da Terra, e em seu Filho Jesus Cristo..." /// Se cremos, se temos esta mesma fé congremagamos esta mesma unidade e por isso devemos transmitir esta mesma fé como verdade que assumimos em nossa vida.

A evangelização deve atingir os diversos aspéctos:
  1. DIMENSÃO SOCIAL - porque a fé e os valores do reino de Deus é destinado a todos, inclusive a salvação.
  2. DIMENSÃO COMUNITÁRIA - porque para ter uma fé, viver uma conversão sincera e trabalhar para que o projeto de Deus cumpra-se aqui, no agora e no futuro, precisamos uns dos outros, que vivamos em comunidade. Que acolhamos e sintamos acolhidos dentro da Comunidade Cristã. A fé em Jesus e na Santa Igreja não é para mim somente, mas para ser levada aos outros.
  3. DIMENSÃO SOCIAL-COMUNITÁRIA - aqui deve abranger o ponto máximo para que haja conversão. É nas boas obras que está o segredo para viver a fé e a conversão. Pois o testemunho cristão é manifestação da Fé.
  4. MANIFESTAÇÃO DA FÉ EM JESUS - isto é, devemos vivê-lo e dar testemunho. É preciso dar testemunho de Jesus Cristo; quer por gestos, quer  por comportamento. No meio em que você vive, você deve ter atitudes de cristão na sua vida e na Comunidade. Devemos não apenas falar de Cristo, mas passar Cristo às pessoas com nossos próprios exemplos. O cristão deve ser sinal, deve fazer a diferença e como tal deve viver primeiramente os valores do Evangelho. Jesus disse que temos que ser fermento, sal e luz para o mundo! ///  Por isso esses valores devem ser transmitidos pelo exemplo do Evangelho vivido, pelo carater cristológico. Se você não vive a sua fé como é que poderá fazer com que as pessoas acreditem em você?
  5. Com isso, o cristão passará a ter um senso crítico sobre quem na verdade está  seguindo. Se é a verdadeira Igreja de Cristo, onde se vive está fé. Ou se está aliado à outras "verdades" e outros valores que podem aparecer cristológicos mas que estão fora dos parâmetros da nossa fé, que recebemos no batismo e cujo somos responsáveis por ela. Tendo este senso crítico de viver a sua fé, de e estar inserido e participando da socidedade católica, onde quer que esteja, compartilhando-a com os outros, também evita-se que a católico possa querer frequentar as seitas e outras coisas que o mundo inventou. A fé é algo que congrega a todos numa só unidade. Isso é a Igreja é o católica. Essa unidade passa por Jesus, pelos Apóstolos, e seus sucessores,ou seja, Igreja Institucional, por isso é Apostólica. Ou seja, cada um de nós batizados nela. Por isso a fé é algo de compromisso de vida cristã. Na sociedade devemos ser homens e mulheres de fé, seguir e anunciar este mesmo Cristo Filho de Deus Vivo que Pedro anunciou.(At2, 14-36); Manifestando este Deus que acreditamos. Esse Jesus que segumos e é o Filho de Deus e O Espírito Santo nosso santificador. A carteira de identidade do cristão é a FÉ em Jesus e na Igreja.  Esta fé na implica que tenhamos um Igreja una, de um só fundador: "JESUS CRISTO" E UM SÓ PASTOR E GOVERNANTE: O SUCESSOR DE PEDRO, o SANTO PADRE O PAPA, UMA SÓ FÉ: A QUE RECEBEMOS NO BATISMO PELA IGREJA. (Mt16, 18-19).  

   
O KERIGMA CONSISTE EM 5 TEMAS:
  1. DEUS AMA VOCÊ - Rm9, 10; Jo3,5 - Deus nos ama incondicionalmente, isto é Ele não impõe condições para nos amar. Nós é que construímos barreiras com o pecado impedindo que este amor se manifeste em nossa vida. Deus não sabe odiar, só amar. Ele ama o pecador, ou seja, cada um de nós pelo que nós somos particularmente, porém detesta o pecado que nos afasta deste amor. Foi por causa desse amor que, Deus, mandou seu Filho Jesus para nossa salvação, para resgatar nossa condição de filhos de Deus. Portanto a salvação é dada a todo aquele que crê em Jesus e se faça cumprir o que ele ensinou!
  2. SOMOS PECADORES - todos nós pecamos. Fomos gerados pelo pecado. Mas pela filiação divina dada por Jesus pelo batismo nos tornamos filhos de Deus.
  3. JESUS É NOSSO SALVADOR - Jesus é aquele que veio nos libertar do pecado e da morte eterna. Ele é o messias, sua missão é salvar a todos quantos queiram crer em seu nome.
  4. JESUS SOLUÇÃO DE DEUS - por isso Ele é a solução para nossa vida de pecador, ele é o remédio que nos cura de nossas enfermidades espirituais e nos faz filhos de Deus. Por isso Jesus também é nosso irmão.
  5. FÉ E CONVERSÃO -  a libertação do pecado passa pela Fé em Jesus e a conversão, isto é mudança de vida. Somente poderemos alcançar a salvação e sermos verdadeiramente santos se fomos limpos de nossos pecados. Por isso Jesus insiste em crer no Evangelho e que abandonemos a prática do pecado que nos afasta de Deus e do seu caminho. A conversão é um processo de mudança de vida, em aderir ao projeto de Jesus e viver de acordo com que Ele e a sua Igreja ensina. Essa prática deve ser vivida no dia a dia, é uma busca constante que exige esforço e tempo para Deus.    
Deus nos ama, devemos experimentar esse amor. Fomos criados a sua imagem e semelhança de Deus, por isso para experimentar esse amor devemos viver a vida de filhos de Deus. Sem exclusão, sem violência.


Este mundo é para todos, assim como Reino de Deus. Para isso devemos aceitar Jesus como Nosso Senhor e salvador. Viver os valores do evangelho e ser inseridos de uma vez por todas na Comunhão dos batizados isto é na Comunidade cristã. Essa comunidade ou Igreja de Jesus que é a Igreja Católica. Apostólica Romana. E nela aprendermos a viver os ensinamentos e a prática da fé que ela nos propõe através de seus representgantes legais, os bispos e os sacerdotes.
Não existe salvação para o batizado se não for através de Cristo que morreu por nós, pela nossa salvação. Pois ele mesmo disse: "Eu sou o caminho a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim!" - em outras palavras, afirma João evangelista que: "O homem jamais viu Deus, pois Deus é espírito, mas nos deu seu Filho e no-lo revelou", sendo assim, quem conhece o Filho conhece o Pai.  (Jo1, 1.17-18). Deus se dá a conhecer pelo seu Filho Jesus. Por isso aquele que nega ou rejeita Cristo, também rejeita o Pai do Céu e vice-versa.


POR QUE IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? - Igreja - porque é uma única instituição  religiosa fundada por Cristo.  Católica - porque é uma só em todo mundo, a mesma fé, um só culto, um só Senhor, uma só doutrina em todo mundo. Romana - porque a sede da Igreja de Cristo, ou Cátedra de São Pedro está em Roma, Lugar onde São Pedro viveu seus últimos dias e foi martirizado. Chamadado de Vaticano,  Estado dentro da Itália, onde reside o sucessor de São Pedro, o Papa (=Pai), representante de Cristo na Terra. O Papa, também é chamado de Pontífice, isto é, aquele que é ponte, nos liga, conduz à Cristo. Hoje nosso atual Pontífice é o Santo Padre o Papa Bento XVI. O Papa também é chamado "Vicarius Filli Dei" , isto é, Vigário do Filho de Deus. Embora ele prefira a expressão, em gesto de humildade: "servo dos servos de Deus"              

AS FALSAS DOUTRINAS

Se quisermos ter uma fé pura e sólida devemos antes abandonar as falsas doutrinas. O que mais ofendedia a Deus desde Antigo Testamento são as falsas doutrinas. Elas além de desviar os homens da santa religião, provoca no cristão a idolatria, as crendices populares e o ateísmo.  
Os principais causadores e propagadores das falsas doutrinas, são as seitas, criadas por pessoas, muitas vezes inescrupulosas que agem ou por ganância e poder. Por negarem a doutrina da Igreja,por não aceitá-la ou ainda, por não acreditarem em Jesus Cristo. Elas são as principais responsáveis pelo afastamento dos cristãos do caminho da salvação. As seitas são formadas por pessoas que se desviaram da religião cristã, ou ainda por crendices e filosofias não cristãs, as quais fundaram outras instituições, "casca de Jesus e miolo de satanás. 

As seitas geram: a) Crendices populares b) Idolatria; c) Ateísmo; d) Morte e destruição; e) Falsa idéia de curas milagrosas; d) espiritismo; f) miséria e fome; g) ganância pelo poder; h) lendas i) apostasia e heresias, isto é, desviar as pessoas da fé colocando nelas outros falsos valores que não são os do Evangelho; j) misticismo e sincretismo religioso. h) e por fim, a pior de todas, a supertição.

O que é o misticismo religioso? - chamamos de  misticismo religioso as crendices pupulres associadas à religião. Isto é, uma chaga que atinge muitos católicos e provoca a idolatria, as crendices populares, os mitos, os folclores e até mesmo o fanatismo religioso.
São práticas pagãs que herdamos, muitas vezes, dos nossos antepassados, direta ou indiretamente.  
O animismo ou (culto aos deuses), por exemplo, ele existe desde a época pagã. Por exemplo, os deuses gregos, os deuses egípicios, dos filisteus, dos babilônicos, etc.

No início do cristianismo, a Igreja adotou as festas religiosas para combater o culto aos deuses falsos. Isto é ao demônio.


A mistura de religião e folclore é muito bem percebida na América latina onde houve a escravidão de negros trazidos da África. Onde por uma falta de ensinamento e verdadeira catequese os costumes e a religião africana se misturaram com o cristianismo.


Os negros sem entender bem a religião católica, associavam os santos da igreja à figura dos seus deuses africanos: oxalá, oxossis, iemanjá, etc. O mesmo aconteceu com os ameríndios, ou seja os nativos do continente americano. Eles não tinham acesso à língua que se falava na Igreja, o latim, nem ao português, também não conheciam a Bíblia e tampouco conheciam a doutrina da Igreja. Muitas vezes eram forçados à prática da religião católica sem entender o que se tratava.
Por isso aconteceu o misticismo religioso. Em alguns Estados onde a escravidão era mais forte vemos mais claramente esse lado do misticismo religioso, como Minas Gerais e a Bahia. E assim não só no Brasil, mas em todo mundo existe o misticismo religioso. A Igreja respeita a cultura desses povos, acolhe e os aceita. Mas não pode misturar elementos pagãos na doutrina da fé.  


Mas é hora de nós discernirmos o que é e o que não é. Já é hora de construirmos uma fé sólida e deixar de lado o misticismo religioso, pois hoje  já somos bem esclarecidos  podemos discernir bem nossa fé e banir de nossas vidas o misticismo que de nada vale para nossa fé senão para ofender a Nosso Senhor Jesus Cristo. Os negros e índios não sabiam o que estavam fazendo, e portanto, não tiveram culpa. Mas nós sim. Sabemos bem, sabemos ler e escrever. Estamos em tempos modernos e a língua dominante na Igreja é o português. 

O que a Bíblia fala sobre as crendices e a idolatria? vamos pegar a Bíbilia e ler? Pesquise e leia na sua Bíblia:

Dt 18, 9-14
1Jo 4,1-3
2Jo 1, 7-8
Ef 4, 17-32
2Ts 5,3 

Os Apóstolos e os santos padres no início do cristianismo tiveram muita dificuldade em combater as falsas doutrinas. As nossas supertições são frutos de uma educação errada  dada pelos nossos pais. As crendices o animismo nos influenciaram. Vamos ler na Bíblia: Jo16, 5-14; At1, 4-8; At2, 1-4; At2, 37-19; Mt5,6,7.


Muita gente criticará esse estudo, porque aqui trato dos ensinamentos corretos, segundo a sagrada escritura, e dentro do Catecismo da Igreja Católica Apostólica Romana. Aqui se esclarece aos leigos o que significa o "ser católico". Como devemos obedecer e seguir a doutrina que a Sagrada Escritura nos alimenta e nos orienta. Também explico aqui dentro da doutrina que recebi e da qual evangelizo, o que dá para separar de, seitas, misticismo religioso, sincretismo religioso e crendices populares, não se trata aqui de ofender nem discriminar qualquer pessoa ou crença religiosa, mas, dizer que o católico deve ser firme naquilo que lhe foi ensinado pela Santa Madre Igreja. Como qualquer religião o Catolicismo tem as suas normas e leis não dadas por qualquer um, mas por Jesus Cristo.


Segundo a Bíblia, é nosso dever de evangelizadores, corrigir, aconselhar, repreender e insistir para que a Palavra de Deus seja pregada de maneira correta e limpa. Embora seja Ela a palavra de Deus, ela não veio só agradar mas contradizer as "falsas verdades" que o mundo oferece. Como pode ser cristão se não seguir os ensinamentos de Jesus? E São Paulo diz muito bem isso. Leia: 2Tim 3, 14-17; Heb3,7-19. O que está fora dos ensinamentos bíblicos e da Igreja está contrário ao que Deus diz.
Se antes não conhecíamos a verdade e agora conhecemos, renovados pelo Espírito Santo e com amor devemos abandonar as práticas pagãs. Tit3, 1-9. Aqui não se trata de criar contendas, nem discriminar ninguém mas ensinar a verdade. A verdade é Jesus Cristo e sua Lei. Cada religião tem sua maneira própria de viver aquilo que é ensinado, isso não deve ser interferido. Mas dentro da doutrina que praticamos e da verdade que anunciamos; verdade esta que não é minha, mas do Senhor Jesus e sua Igreja; devemos como católicos que somos praticar e viver esta verdade. Pois o objetivo deste curso é reviver  e praticar a experiência que os Apóstolos, juntamente com a Igreja primitiva tiveram no início quando lhes foi conferido o Espírito Santo para que anunciassem o Evangelho de Jesus, com amor e ao mesmo tempo com firmeza. 


Para pessoas de outros credos, ou que não pertencem à Igreja, é necessário antes que eles aceitem a Jesus e sua palavra, juntamente com a doutrina da Igreja. Do contrário não entenderão do que aqui se trata. Não é nosso papel fazer mudar a crença e a religião das pessoas. Essa decisão é livre de cada um. Cada um segue o que acredita. O nosso papel é evangelizar, falar de Jesus, do que acreditamos. Levar a fé e reanimar os católicos que por algum motivo estão afastados da Igreja. Dar a eles o apoio necessário para que experimentem o amor de Deus. 

 DEIXAR O FANATISMO RELIGIOSO FORA DE NOSSA FÉ   - nós cristãos católicos, devemos entender que para se adquirir uma fé madura, é preciso ao mesmo tempo amadurecer esta mesma fé. A fé nos move e nos sustenta, mas, assim como comer exageradamente faz mal ao corpo, a fé indisciplinada, com muitos exageros fas mal a alma.
O fanatismo começa com uma má interpretação, da religião, do catequese, da Bíblia. E dá lugar às superstições.
O fanatismo religioso surge em nós a partir do momento em que achamos que somente nossas convicções é que estão certas, ou que, achamos ser os "donos da verdade". Não podemos confundir a verdade do Evangelho com as nossas "falsas verdades". Cristo é o caminho, a verdade e a vida. Mas isto está além de nossas forças meramente humanas de compreensão, pois a verdade de Cristo supera a verdade física humana. Cristo é o caminho porque ele nos conduz ao Pai, mas esse caminho é uma estrada reta, sem curvas e sem limitações. Ao passo que, nesse caminho "muitas verdades e inverdades surgirão em nossa vida!" - É fanatismo religioso quando minha verdade for maior do que daquela que p Evangelho e a Igreja me ensinou, ou quando quero ouvir apenas o que agrada a minha fé, ou meus ouvidos. 
É fanatismo religioso querer que os outros tenham o mesmo credo religioso que o nosso. Não podemos nem devemos querer que as pessoas se convertam da noite para o dia. O Evangelho não pode ser forçado, mas, convidativo. 
Quem se deixa levar pelo fanatismo, comete muitas coisas em nome de Deus, mas nada tem a ver com Deus. Por exemplo: matar em nome de Deus, mutilamento, auto-flagelação em nome de Deus, mutilação física, auto-sacrifícios, tudo isso em nome de uma fé superticiosa que nada tem a ver com as verdades do Evangelho e da Igreja Católica Apostólica Romana.
Penitenciar-se com exagero, isso é muito perigoso, porque nem mesmo a penitência pode servir de mutilação e sofrimento. O Jejum, a caminhada, a abstinência, a Oração etc. em exagero também pode se tornar um fanatismo religiso; se for entendida como algo que levará ao castigo pelo que fizemos. Isto é mutilar a fé. 
Pelo fanatismo até já se fizeram guerras em nome de Deus; Deus não quer isso. Jesus mesmo disse: "... quero misericórdia e não sacrifício!".
Quando vemos por sí pessoas fanáticas, verdadeiras "baratas de sacristia" isso não é bom. 
Uma coisa é  viver o Evangelho, isto é, praticar as virtudes e o que Jesus e a santa madre Igreja ensina. Outra coisa é não aceitar, não dialogar e impor uma verdade que só uma pessoa entende como certa. Nem mesmo a Igreja tem esta verdade nas mãos. Quando se fala de fé, os bispos se reunem em concílio para ver se "pode ser aceito ou não" aquilo que a Igreja porá como verdade suprema. Portanto quando somos fanáticos, quando não aceitamos o diálogo, ou quando caímos nas superstições não estamos sendo verdadeiros cristãos, mas estamos poluindo nossa mente, nossa casa, nossa igreja e nossas famílias.
Tem pessoas tão fanáticas que moram dentro da igreja, mas não praticam a misericórdia, dentro da família, lá fora são tão piores do que os ateus. São fanáticos. E quando o fanatismo se torna incomodação para os outros é porque o fanatismo passou a ser uma doença, uma ferida que precisa ser tratada. 
Assim de nada serve o fanatismo religioso para  nós. E devemos conscoentizar as pessoas o quanto ele faz mal para nós e à Comunidade.                                  


COMO DISCERNIR AS FALSAS DOUTRINAS E O SATANISMO?

  1. Falam muito bem de Deuse de Jesus, mas negam a Santíma Trindade, pregam a reencarnação e não a ressurreição. Acreditam em adivinhações, magias, cultuam o demônio, acreditam na comunicação com os mortos através da evocação dos mesmos. Usam símbolos não cristãos como: patuás, estrela de salomão, cruz vergada, símbolos do zodíaco, dentes  de cadáveres, chocalhos, guizos, cartas de tarô, etc.
  2. O mesmo se aplica a tudo que estas seitas promovem, camisetas, livros, CDS/ DVDS, internet, programas, propagandas eróticas, promoção, templos e cultos satânicos.
Indo e agindo ao contrário da Palavra de Deus estas seitas negam a Deus, cultuando e adorando outras divindades, buscando o curandeirismo. Acreditando e cultuando o demônio. Os homens se afastam de Deus criando leis humanas, podendo até mesmo matar inocentes, em nome de Deus ou de outras divindades. Como é o caso do nazismo. Até mesmo a Igreja usou essa vergonhosa, a inquisição, até se restabelecer foi muito vergonhosa. Isso trouxe muitas consequências negativas sobre a Igreja Católica. Mas alicerçada em  Jesus Cristo, seu Mestre e fundador e sob a promessa de Cristo, que prometeu que ela nunca seria vencida por satanás, pode assim vencer todas essas provações.    


O evangelizador pelo contrário deve anunciar Jesus e sua palavra e abandonar essas práticas e esclarecer os católicos a se afastarem destas idolatrias que ofendem muito a Nosso Senhor.    




As seitas surgiram a partir do momento em que o homem se deixou levar pelo ambicionismo, isto é pela idolatria, (o ter e o poder); ou em alguns casos por fazer parte de uma outra cultura,  e tantos outros que a História nos esclarece...  

As crenças culturais são crenças religiosas à parte, mas não deixam de ser perigosas quando muitas vezes usam até com sacrifícios humanos, como era o caso dos povos antigos, dos bruxos, feiticeiros e idólatras. Assististindo os noticiários da TVs, rádios e jornais, vemos várias seitas que sacrificam pessoas, animais e crianças, as torturam, como é o caso da magia negra, (culto satânico). 


Nas mãos de poucos, maus intencionados, que com suas idéias, principalmente do enriquecimento ilícito ou a qualquer custo, e o escravismo psicológico, aproveitando-se da fraqueza espiritual de muitos sem credo ou fé, arrancam o que puder dos fiéis em nome de uma "certa falsa religião"

Nada mais é do que uma lavagem cerebral.  Nisto consiste os ensinamentos apostólicos sobre o anticristo. Tudo que age fora do Evangelho, todas as doutrinas que meramente são inventadas fora dos ensinamentos de Jesus Cristo e sua Igreja é obra do anticristo, sem exceção. Vamos ler na Bíblia:

2Ped 2, 1-3.
2Ped 3,11.14-18.
1Jo2, 18-26.

E qual é a principal característica do anticristo, isto é daquele que é contrário a Jesus Cristo? e o que ele faz? 


Primeiro é negar fé que recebeu e não acreditar em Deus,  não acreditar em Jesus como Senhor e Salvador e negar a sua doutrina e sua Igreja.  Espalhar o fanatismo religiso, o terror e promover a intolerância religiosa. Guerrear em nome de Deus. Explorar a fé das pessoas com crendices e falsos cultos. Promover ações que geram violência na sociedade e na família. Promover o terrorismo, apoiar leis que vão contra a vida. Destruir a natureza. Incentivar Leis que vão contra o direito à vida: eutanásia, aborto, etc. Promover o preconceito, ir contra a paz. Usar do poder político para causar a miséria. Fundar outras seitas ainda que em nome de Deus e Jesus. Esses são algumas das características do anticristo.   

Por consequência, esses produzem leis que geram a violência, sede de vingança e não de justiça, fome, miséria, escravidão, morte, drogas, pervessidades, ambição, luxúria e mais ainda o fanatismo religioso que levam as pessoas a matarem e guerrearem contra seus próprios irmãos pátrios em nome de Deus. 


Desde os primórdios dos tempos até os dias de hoje existem pessoas que se acham superiores a Deus e ignoram suas leis e as leis da Igreja. Muitos usaram e usam o nome Jesus Cristo para confundirem os cristãos católicos, a fim de  que eles abandonem a religião de Jesus. Isso mesmo! já alertava os Apóstolos sobre isso. Muitos falarão em nome de Cristo, e até afirmam sê-lo o tal, mas tudo isso é obra do malígno para desviar-nos da santa religião. Veja: Mc13, 5. ; 2Pd1, 1-4; e depois temos este conselho para que saibamos discernir qual é a verdadeira fé em Cristo: 1Pd1, 13-15.22; 2Pd 2, 1-4 e por fim: Tiag 1,12-18. De fato somente a Igreja através dos bispos tem autoridade para ensinar a doutrina e celebrar o santo culto, porque só aos Apóstolos e a verdadeira Igreja de Cristo foi dado esse poder. (2Pd1, 16-21). (Mt16, 15-19). É a Igreja Católica e seus ensinamentos a quem devemos seguir, fora dela não há outra igreja, fora dela existem as seitas que foram criadas pelo malígno. Jesus criou a Igreja alicerssada em uma pedra viva: Simão Pedro,: "Eis que tu és Pedro, disse Jesus: e sobre esta pedra firmarei a minha Igreja e as portas do inferno nunca poderão rompê-la!" "O que ligares na Terra será liago no Céu, e o que desligares na Terra será desligado no Céu!" ; Jesus criou sua Igreja para ser o caminho mais seguro para chegarmos ao Céu. Quem está contra ela, está contra Jesus Cristo seu fundador e está do lado de satanás. Quer ver uma característica do anticristo? - certos pregadores para escaparem da consciência de que não têm autoridade para falar de Jesus dizem: "eu não prego religião eu prego o evangelho..." Ora, o Evangelho passa pela religião, logo se não tiver a religião não há prática do evangelho. Foi por isso que Jesus fundou  a Igreja que conhecemos como Igreja Católica Apostólica Romana; não é simplesmente uma religião humana. Com seus erros e acertos, porque somos humanos, mas o cabeça é Jesus e seu representante legal é Pedro e seus sucessores, não se pode mudar isso. Quem não aceita esta verdade então não é cristão católico. Quem se revolta contra a Igreja e seu representante o Santo padre o Papa, se revolta contra Cristo e logo, é um anticristo. 




Bem como disse São Pedro, as seitas usam várias maneiras para arrastar pessoas para elas. (Principalmente prometendo riquezas, vida fácil e próspera, ligados à teologia da prosperidade, (condenada pela Igreja.) Essa não foi a atitude do diabo quando tentou Jesus? Não lhe prometeu tudo se o adorasse? Leia: (Mt4, 8-9;) Muitas vezes tentam a Deus como o diabo fez ensinando que devemos deterninar a cura de uma doença, ou de uma "certa prosperidade", como se Deus estivesse a nossa mercê ou fosse objeto de manipulação, ou ainda, se fosse nosso empregado. Mas Jesus na oração do Pai-Nosso nos diz diferente, que devemos esperar a vontade de Deus. "Seja feita a vossa vontade..." ; não a minha, não o que eu quero. Seria muito fácil se Deus pudesse ser manipulado como "certas pessoas ensinam seus fiéis"... O que Jesus ensina é o contrário: Jesus é contra a exploração, a miséria, contra aqueles que usam as leis de Deus e da Igreja para causar opressão. Jesus ensina que o sofrimento faz parte da vida humana e serve para nos amadurecer, o sofrimento não vem de Deus, mas de nós mesmos, de nossas inconseqüências, mas ele serve para nos educar espiritualmente. O discípulo de Jesus deve tomar a cruz do dia a dia. (Mat16, 24-25). Etc.    


Portanto, o cuidado do evangelizador deve ser grande para não pregar uma coisa e fazer outra, o que Jesus mais repreendeu nos fariseus.


EXISTEM MUITOS MATERIAIS DE SATANISMO SENDO DIVULGADOS


Existem músicas e propagandas, também muitas camisas com símbolos e emblemas das seitas como por exemplo: as satânicas, (camisas com caveiras, espadas, armas de fogo); com  palavras em inglês e outras línguas que  evocam os espíritos malígnos. Ou de símbolos Zodíacos, e faz apologia ao uso de drogas. Nada disso serve para o cristão.
A advinhação por qualquer meio e a cartomancia também é proibida por Deus.
Algumas camisetas usam slogans invocando satã, ou incentivando o uso de drogas. Muitas vezes palavras em outras línguas para que as pessoas que não conhecem idiomas estrangeiros façam propaganda dessas seitas, sem perceber e sem querer, pregam por o satanismo até mesmo detro da Igreja.


E também seitas orientais, iluminismo, maxismo, zodíacos, vudus, induismo, etc. Outras ainda com seguimentos espíritas.
Nós evangelizadores não podemos usar essas coisas. Como: figuinhas, patuás, ferraduras, pés-de-coelhos, coisas de crendices populares, supertições, etc. Pois nossa missão é pregar Jesus.
Nossa fé implica em nossas ações! Fujamos, pois, dessas coisas. Sabemos, que são coisas do demônio. Além do mais é idolatria. Se conhecemos o Deus Único e verdadeiro e seu Filho Jesus Cristo e temos a força do Espírito Santo,  é a Deus quem devemos seguir.


O símbolo que o cristão deve trazer em primeiro lugar é a Cruz, não como objeto de amuleto, nem como adorno ou enfeite, mas como símbolo de nossa salvação. Nós temos nossos símbolos que nos remetem a viver nossa fé. E temos a palavra de Deus e o Catecismo da Igreja Católica para nos guiar. Fora disso  e dos preceitos da Igreja tudo é idolatria e superstição.     


De fato não basta ir muito longe, as seitas se alastram por aí, cada uma falando muito bem de Jesus, pregando o que se diz "verdade evangélica", curas milagrosas que se diz em nome de Jesus. Até satanás pode fazer milagre, isso não é novidade. Hoje o que se vê  são falsas verdades tentando encobrir o que a Igreja Prega, pois a Igreja Católica Apostólica Romana não prega segundo a Lei a a vontade dos homens para agradar uma minoria. Ela segue a Jesus seu fundador. 


Por outro lado vemos as seitas explorarem economicamente seus fiéis. Ora, o que o católico deve saber é que, Jesus jamais cobrou alguma coisa pelas curas e o bem que que fez , a não ser uma exigência pela mudança de vida vida ou a conversão e o fez para mostrar que era o Messias. Leia o que Jesus diz em sua oração no episódio da ressurreição de Lázaro: (Jo11, 41-43). Agora compare e veja o que Jesus exige após a conversão leia: Jo 8, 10-11 - libertar-se do pecado exige que optemos pela graça do perdão de Jesus e pela mudança de vida..."Não peques mais" ... foi o que Jesus exigiu como condição para o perdão.


Por outro lado, diabo sabe muito bem das Escrituras Sagradas, pois ele mesmo tentou Jesus usando as palavras nela contida. O nosso povo católico precisa se libertar dessas seitas. Como fazer isso? - com uma catequese madura bem alicersada, se adquire uma fé sólida. Isso é papel do catequista e do evangelizador! - O diabo fica irado quando convertemos uma alma para Deus. É por isso que imediatamente há uma chuva de ataques contra a Igreja e o Papa, porque ao diabo não interessa a salvação dos homens e sim a perdição deles. E essas seitas, são uma forma que o diabo encontrou para fazer perder os cristãos católicos.


Estas seitas prometem de tudo, conduzem a tudo, mas na hora da morte, elas não têm o poder de te salvar, porque não possui o os Sacramentos. São os Sacramentos que cunduz a ação do Espírito Santo. É a autoridade sacerdotal quem vai fazer a diferença. O cristão que morre sem receber em vida os Sacramentos dificilmente chegará ao Céu!    


Todo aquele que não crê na pregação Igreja Católica e na sua doutrina não é católico, nem tampouco cristão, pois não adianta sair da Igreja para frequentar as seitas porque, quem abandonou a fé da Igreja se desligou do Corpo Místico de Cristo e, portanto, mesmo que passe frequentar as seitas não é mais cristão.        



Devemos nos colocar a serviço de Deus e dos irmãos com o mesmo amor, profundo desinteressado; enchergado no próximo a pessoa de Jesus e a presença do Espírito Santo que nele também mora. Todo ser humano por mais errado que seja, deve ser respeitado como filho de Deus. Devemos buscar a recompensa pelo bem que fazemos não nas coisas materiais mas em Deus.


Devemos ter um coração de pobre, isto é desprovido de qualquer sentimento de ódio e vingança. Ter fome e sede de justiça como Jesus teve. A fome de Deus, não é simplesmente buscar a justiça social, mas é praticar a caridade. A fé por si só, sem a caridade, sem as boas obras, que levam à busca da dignidade humana para todos, não vale nada. (Tiag2, 14-19). Como diz o ditado: "de boas intenções o inferno está cheio". Nossa caridade deve ir além deve trazer frutos para a Comunidade. (1Pd1, 3-11). 

Precisamos da misericórdia e sermos também misericordiosos, devemos ser transparentes em nossos atos.  Você sabe o que é misericórdia?

Ela é uma palavra grega que quer dizer amor de Mãe. Ou seja: miseri=miséria e cordia=coração, significa que nosso coração é miserável, quando assciamos as duas palavras temos misericórdia. E quando imploramos a misericórdia estamos suplicando que Deus olhe as misérias do nosso coração. E quando temos misericórdia para com alguém significa que nós estamos olhando para nossas próprias misérias espirituais e perdoando as misérias espirituais do outro isto é o pecado. Essa é a mais significante ação da Oração do Pai-Nosso.

O nosso maior problema é não aceitar e carregar o irmão nas costas como o bom samaritano. Mas este é o Mandamento de Jesus, que amemos uns aos outros como Jesus nos amou!


A JANELA DE JORAHI

Uma das maneiras de evangelizar é levar Cristo aos outros através das obras em grupos sociais. 
Para isso é necessário a pessoa com suas limitações, aceitá-lo como ele é. Para depois passar o conhecimento de Cristo. Somente atrvés do diálogo e dos bons exemplos é que podemos resgatar e dar dignidade ao nosso irmão. Para isso um inglês denominado JOHARI inventou uma janela que nos ajuda a antender as àreas intelectuais do ser humano assim recebeu o nome de JANELA DE JOHARI em homenagem a este inglês:

Segundo  janela de Johari existem em nosso intelécto as seguintes áreas:

  1. As conhecidas por mim: a) Área Livre;  da qual todos nós compartilhamos nossos sentimentos e pela qual entendemos uns com os outros. b) Área ceda, da qual só eu conheço, mas posso fazer com que os otros a conheçam através da expressão física os outros podem entender também os meus pensamentos ou sentimentos. (diz o ditado: Os olhos não mentem).
  2. As desconhecidas pelos outros: c) Área cculta; e  d) Área Obscura, estas são desconhecidas por mim e pelos outros e são partes do nosso inconsciente. (diz o ditado: Coração dos outros é terra que ninguém vai), a não ser Deus é claro. 


Essa janela nos ajuda  a compreender como age o nosso intelécto e como ele pode mudar de pessoa pra pessoa. E a entendermos mais o ser humano dentro das nossas capacidades intelectuais que precisam ser desenvolvidas. Nem sempre nossas atitudes estão ligadas à uma só área do pensamento, às vezes agimos por impulso, isso está ligado ao nosso inconsciente.

COMO EVANGELIZAR OS BATIZADOS? - é dentro desta janela explicada por Johari que está a fórmula de entender o problema que existe hoje na nossa Comunidade:

Existem muitos batizados que embora saibam que são batizados mas não têm consciência do batismo e por isso não assumem o compromisso de cristãos, é para essas pessoas que devemos voltar com amor a fim de ensiná-los a ter consciência de filhos de Deus e de batizados que são. Ir ao encontro deles. Entendendo suas limitações e capacidades. Pois alguns mesmo pasando pela Crisma não adquiriram maturidade sobre o sacramento que receberam. A nossa missão não é uma cobrança em cima da falha de cada um mas é despertar naqueles que não fazem parte da Igreja, ou que estão por algum motivo afastados dela compreender e aceitar Jesus. Depois haver o chmado para uma maior participação dentro da Comunidade dentro daquilo

A MISSÃO DE JESUS CRISTO TAMBÉM É NOSSA - A missão de Jesus Cristo e também a nossa é fazer a vontade do Pai. Anunciar o reino de Deus. (Mt28, 1ss). Jesus conta conosco para isso chamou homens para lhe ajudar, criou a Igreja alicersada em Pedro, porque ele podia fazer tudo sozinho, mas quer que sejamos seus colaboradores.  é Jewsus mesmo quem convida: "Segue-me!" - É preciso urgente que se diga ao mundo é tempo de conversão, é preciso que o mundo aprenda a aceitar Jesus, isto significa também respeitar e amar sua Lei. 
o método de Jesus é simples, ir a todo mundo, não ter um só lugar, mas ir a todos que precisam de sua palavra. Segundo o Documento da CNBB no. 955, a Igreja se preocupa com dois grandes problemas:

1) Com os não batizados.
2) Com os que são batizados mas não são praticantes, não participam da Comunidade. Essas pessoas são rebanhos degarrados da Comunidade, ou estão dentro dela mas não fazem nada. Temos que buscar métodos para fazer despertar nessas pessoas o sentido missionário. Nossa Igreja têm cinteúdo o suficiente falta trabalho, falta evangelização.      
     
    CONDIÇÕES PARA SERMOS BONS EVANGELIZADORES





    1) Experiência da Salvação - eu tenho acesso a salvação, porque Jesus morreu por mim. Devo assumir com responsabilidade essa salvação.
    2)  Zelo pelo Evangelho - vermos o que está no Evangelhos e viver aquilo que nele contém. Ter como primeiro lugar Deus. Zelar pelas coisas de Deus. (Apoc2, 3-4). Não podemos deixar a empolgação por Cristo. Até na hora da morte devemos carregar o tema: "DEVO ANUNCIAR".
    3) Testemunho de Vida - tudo que está escrito acima é vivida aqui são interdependentes. O testemunho de vida é excencial em nossa vida. Ser espelho, a exemplo dos santos e santas. Devemos ter INTERLOCUÇÃO COM AS CULTURAS.  Não querer mudar as culturas mas colocá-las a serviço de Jesus Cristo. Como posso ser um bom evangelizador se não dou exemplo de fé, se não vivo uma vida realmente alicersada em Jesus? (Doc. 568 da CNBB).
    4) Ter a Unção do Espírito Santo - um evangelizador, (missionário), sem o Espírito Santo, sem  unção do Espírito não é evangelizador é um mercenário. Todos temos o Espírito Santo, mas temos que ser ungidos por Ele, deixar guiar por Ele. Confiar em Jesus que disse: "falareis em meu nome não por vocês mas o Espírito Santo falará por vós..." ..."sereis minhas testemunhas  até os confins da Terra!"...
    É Ele quem nos diz como falar e agir, o Espírito Santo nos põe em contato direto com Deus Pai. Toda obra de Jesus foi inspirada pelo Espírito Santo. Tudo o que fizermos deverá ser sob a assistência do Espírito Santo.


    A EVANGELIZAÇÃO


    Esta se divide em três partes:


    1) Profética - o anúncio profético do Evangelho, ou Querigma.
    2) Etimológica - aclamar, gritar.
    3) Coteúdo - Jesus morto e ressuscitado.
    Tendo como método, anunciar Jesus como a Boa-Nova.


    O QUE FAZ O AGENTE EVANGELIZADOR? - ele deve proclamar Jesus ressuscitado.
    QUAL A SUA META? - a experiência do amor de Deus e de nosso ser pecador. Encontro pessoal com Jesus através da conversão; proclamação de Jesus como único salvador; receber os dons do Espírito Santo. E integra-se à comunidade, Diocese, Paróquia, Forania etc.
    Tendo como resposta para sua vida e dando testemunho de Jesus como seu Senhor e Salvador.


    Não há tempo, o tempo é hoje agora. Amanhã poderá ser tarde demais.






    CATEQUESE


    A catequese consiste em: 1) A doutrina da fé; 2) Dirigir ao entedimento; 3) O catequista é mestre, cheio do Espírito Santo; 4) Igreja, encontro com Cristo no Sacramento da Eucaristia; 5) Vida Eucarística; 6) Acolhimento; 7) Prática real e frequente dos Sacramentos; 9) Vivência e prática dos mandamentos; 10) Oração excencial na vida do evangelizador.


    É PRECISO BUSCAR A SANTIDADE


    A santidade deve ser buscada dia a dia dentro das seguintes etapas:
    1) Moral
    2) A leitura diária da palavra de Deus e a Oração diária
    3) A vivência contínua da caridade
    4) O pastoreio, ou seja, evangelizar sempre com a vida e com as palavras.
    5) Compromisso social com a Igreja, no ambiente em que estiver, em casa, no trabalho, na escola, no lazer etc.


       
     TEXTOS PARA REFLEXÃO


    Mc8, 27-30;
    Jo20, 24-28;
    Jo3, 1-8;
    Jo 4, 41-42;
    Jo20, 31;
    Jo3, 18;
    Lc6, 27-31;
    Mt5, 1-11;
    Mt5, 21-26;
    Lc6, 20-23.24-26;
    Mt15, 10-20;
    Mt4, 23;
    Lc10, 17-20;
    Lc11, 27-28; 
    Jo15, 16;     
    Jo21, 17-18


    Deus no início queria um povo que fosse santo diante dele, mas estes não  O aceitaram. Deus quer que façamos a sua vontade e não ir contra as suas forças.
    O povo hoje está dominado pelo pecado, Deus quer que sejamos santos. Devemos ver o pecado como um câncer que corroe a humanidade.


    Ele é plantado pelo diabo nos corações homanos, fazendo com que percamos o amor de Deus. E como toda doença deve ser combatida se possível com a prevenção, a forma de se afastar do pecado é a Fé vivida, no dia a dia, ter uma vida de Oração. O pecado causa dor e sofrimento e nos escraviza. Ele chega devagarinho e quando percebemos não damos conta do mal que ele nos causa e, o mal maior é se afastar de Deus e da Igreja, colocando diversos obstáculos e falsos exemplos  a fim de nos levar para o inferno.
    Jesus é a única solução. Não há outra, Ele mesmo é nosso remédio. E esta solução deve ser anunciada por nós a todos. 


    Jesus veio libertar os oprimidos, todos temos algum tipo de opressão.


    Existem milhares de pessoas precisando de eu e você agora.


    Há pessoas que já não saem de suas casas, porque estão doentes pelo pecado.
    Somente Jesus pode salvá-las e nada mais. Temos que levar o conhecimento de Jesus a elas, fazê-las perceber que não estão sozinhas, que existe um Deus que nos ama através de seu filho Jesus Cristo. A doença do pecado leva à morte eterna da alma, e o que  isto significa?, significa, ausência eterna de  de Deus. Não porque Deus quer, mas porque aceitamos ser assim. Isso pode ser mudado com a conversão, em aceitar Jesus e viver seu plano de amor.
    Uma das maneiras de viver mais intensamente a fé é espelhar na vida dos santos.


    Os santos foram pessoas como eu e você que, tiveram suas dificuldades e limitações mas, na fé em Jesus e por Jesus, venceram as tentações e entregaram suas vidas no testemunho do Evangelho.


    Os santos não são deuses, são modelos a seguir pelo modo particular em que cada um viveu suas virtudes.   


    O KERIGMA DE JESUS

    Jesus ao mesmo tempo é o Evangelho e o evangelizador. O estilo de vida do evagelizador é o mesmo de Jesus. O conteúdo do kerigma de Jesus é: a) sua mensagem central é o Reino de Deus. b) anunciar o mistério deste Reino e que este começa aqui na Terra. c) mostrar que a salvação é gratuíta pois Ele mesmo pagou por nós na Cruz. d) mostrar que Deus é Pai amoroso. e) mostrar que ele está no meio de nós inclusive seu reino de amor e justiça. Ele cresce a vada diacomo uma semente. É um tesouro precisoso encontrado que nada pode pagar.


    AS DIMENSÕES DO KERIGMA DE JESUS - Jesus nos mostra o valor da pessoa humana. Devemos levar em conta as condições do ser humano. O amor de Jesus é independente. O ser humano deve estar no centro, Jesus mostrou que não há tempo quando a necessidade é cumprir o reino de Deus quando curou no sábado. Jesus perdoava os considerados maiores pecadores: perdoou a madalena, perdoou o ladrão na cruz. Jesus mostrou que a prática das leis judáicas nunca saíram do papel. Jesus tinha predileção pelas crianças porque elas não tinham dignidade. Mostrou que nossos corações devem ser de crianças se quisermos entrar no céu.


    O evangelizador deve ser puro de coração, deve procurar ser puro, achar meios para isso. É o que dá valor ao que fazemos e pelo qual nós fazemos.  Jesus vê os corações dos homens e os corrige. Foi contra a hipocrisia dos fariseus. O excencial é a intenção com que fazemos as nossas obras sem recompensa, sem tirar proveito próprio.


    Por isso o estilo de vida do evangelizador deve ser o mesmo de Jesus. O estilo de vida é a prática do amor. Ele  veio para servir. Veio para nos ajudar e cabe a nós ajudarmos nossos irmãos. Amou até seus inimigos, os algozes, amou de maneira sublime seus Apóstolos e discípulos. Nos deu Maria como Mãe.  Devemos seguir o estilo de vida de Jesus.


    Pureza de coração: o evangelizador deve ser puro de coração, o que dá valor ao que nós fazemos é pelo qual nós fazemos!


    Jesus vê nossos corações e os corrige. Foi contra a hipocrisia dos fariseus. O excencial é a intenção com que nós fazemos as nossas obras sem contar com elogios e recompensas. O estilo de vida do evangelizador, e discípulo é o mesmo que o de Jesus. Existe uma lei a ser cumprida. Mas estas existem para aqueles que seguem Jesus Cristo. O estilo de Jesus é essa prática. Jesus não falava de amor da boca pra fora, mas amou até o fim, amor integral, total pata com todos. Perdoou até mesmo seus algozes. Renunciou a realeza, Ele mesmo se fez servo. Preferiu a pobreza, morreu nu, sem nada, "não tinha onde reclinar a cabeça". É isso que Jesus chama a atenção de Nicodemos, é preciso renovar-se, nascer de novo, estar cheio do Espírito Santo.  É preciso estar pronto, sempre pronto, atento às necessidades do mundo. Jesus quer que transformemos nossas vidas e que sejamos realmente luz para as pessoas. O amor deve estar acima de tudo!  


    Jesus incomodou, balançou a religiosidade judáica e é isso que precisamos, criticou a prática religiosa dos fariseus que gostavam de ser elogiados em públicos, mas o que eles davam com uma mão tiravam com a outra. (Mc12, 38-40); é o retrato da sociedade de hoje, muitos fazem as coisas esperando um bem maior, nunca fezem por amor, porque é preciso fazer, é lei servir. Mas porque há troca interesses obscuros adiante . Um desses exemplos são os nossos políticos. Dá-se em troca, (de voto) e depois que ganham exploram o povo com altos impostos. O mesmo se aplica a religião. A religião que não se baseia no amor, no compromisso de servir e só pensa em angariar fundos para grandes templos não é religião é comércio-religioso é uso trapaceado da fé dos humildes. A palavra de Deus ensina que o Evangelho nunca deve ser imposto, mas um, convite. E todo cristão deve cumprir com seu dever de cidadão perante Deus e seu país.


    O distintivo de Jesus era o amor, tudo que ele fazia era por amor. E nós, seus discípulos e missionários devemos fazer assim. "Não levar a oferta ao Altar do Senhor, sem antes fazer a reconciliação com o próximo que é templo de Deus!"


    Os valores, sociais, econômicos e políticos devem estar repletos do amor de Deus para não causar exclusão social.


    O único obstáculo que nos impede de amar e pertencer a Deus é a prepotência, a hipocrisia. 


    Achar que somos superiores aos demais só porque sabemos um pouco mais da religião, ou temos um bom emprego, ou uma posição social privilegiada. Nada disso interessa para o evangelizador. (Mt10, 9.32.-33) Nossa responsabilidade é maior que a de Jesus porque nós somos continuadores de sua obra.  O Reino de Deus não se define em conceitos, a cada dia encontraremos caminhos diferentes, não percorridos para se chegar ao Reino. Para isso cabe cumprirmos com nossos deveres.






    MÉTODO DO EVANGELIZADOR




    É o mesmo método de Jesus, com palavras, ações e ética moral.


    Jesus vivia o que pregava,  nós também devemos viver o que pregamos senão cairemos em contradição e ficaremos sem moral com Deus e com as pessoas. 


    GUARDE BEM ISSO! - Uma das maneiras mais usadas por Jesus era a retidão de pensamentos. Ele nunca voltava atrás no que dizia mesmo que isso custasse-lhe a vida.


    É necessário ter a firmeza de Jesus. Jesus é o Mestre Internerante, isto é tinha autoridade, fazia milagres e libertações. Tinha autoridade sobre os demônios e sobre as forças da natureza.


    Jesus anunciava o Reino, usava parábolas para explicar o amor de Deus e seu projeto de amor para com os homens. Jesus quis fundar uma equipe de trabalho, ao mesmo que tempo que cumpria a obra da redenção, educava e preparava seus colaboradores, os Apóstolos e discípulos, para que dessem continuidade ao seu projeto. Daí a necessidade de Jesus criar uma nova comunidade, com uma nova Lei, (ou Aliança), Ele mesmo faria presente na Eucaristia, ele mesmo assistiria sua Igreja.


    Para isso há um chamado constante de Jesus: "Vem e segue-me!   
    Mc7, 29
    Mc16, 17
    Hb3, 7
    Sl94, 8


    O que devemos anunciar? - devemos anunciar Jesus como nosso único Senhor e Salvador, Jesus morto e ressucitado, Jesus glorificado, Jesus nosso Deus e o Messias.
    A porta do Reino é a Cruz, todos que querem chegar até o reino de Deus devem passar pela Cruz de Cristo.


    O que combatemos? - combatemos todas as formal do mal, todo tipo de violência contra a vida humana e a natureza, a vida em primeiro lugar. Adignidade humana em primeiro lugar. A vida respeitada do berço ao leito de morte. Combater contra todo tipo de escravidão, de opressão, de racismo e tudo que causa violência e atenta contra a vida.


    Qual é a nossa arma? - a nossa arma é a palavra de Deus. Ela é nossa luz e guia, nosso estatuto e nosso escudo. Com ela não há argumento.  






    MÉTODO DE PREGAÇÃO APOSTÓLICA DO QUERIGMA OU ANÚNCIO


    1 - A pregação primitiva.
    Jesus____________evangelizador e Evangelho.
    Vamos tomar Jesus como nosso ponto de partida. Como um Reino que está se estabelecendo entre nós.


    A "Boa-Nova" - a Palavra de Deus, Jesus é a única Salvação. Sem Jesus não há salvação.
    Os apóstolos eram aprendizes  simples. Somente após a chegada do espírito santo é que eles se tornaram fortes e entenderam o propósito de Jesus e a realidade dos seus ensinamentos. Eles foram enviados por Jesus para serem seus sucessores e missionários.


    2 - Conteúdo do Anúncio de Jesus - Kerigma
    O conteúdo foi dado pelo próprio Cristo, os Apóstolos foram os primeiros evangelizadores. O Reino de Deus fica expresso na pessoa de Jesus. Esse Jesus deve ser anunciado como único Salvador até os confins da Terra. Os apóstolos apresentam Jesus como "Boa-Nova"; essa "Boa-Nova" recai sobre nós!


    O Evangelho vai se modificando para se consolidar nas comunidades tornando-se Evangelho vivo, presente em nosso meio como Jesus.


    O método querigmático de Jesus foi: fazer o que pregava e pregar o que fazia.
    Esse tembém é o método do evangelizador, do catequista: ser sal, luz no mundo, fazer acontecer o reino de Deus na vida das pessoas, e mais...fazer a diferença balançar as estruturas


    3 - A Pregação Apostólica - os Apóstolos anunciavam Jesus, com coragem, com Unção do espírito Santo. Através de discursos kerigmáticos, eram corajosos em denunciar as injustiças. devemos lembrar que a Igreja nunca segue aos homens e suas leis, mas segue a Cristo e sua Lei. Ela está presa por um laço incorruptível o respeito pela vida humana. Tudo que vai contra avida vai contra Deus e seu Filho Jesus.
    Isso se completam neses capítulos que vamos ler:


    Sl 44, 15
    At 2, 14-39
    At 3, 12-26
    At 4, 9-12
    At 5, 29-32
    At 10, 34-43
    At 13, 16-41
    1Cor15
    Lc 24, 13-48
    Rm 6, 1-8


    OS APÓSTOLOS ANUNCIARAM JESUS O MESSIAS



    Assim o Reino vai ficando expresso. Pedro e os Apóstolos davam testemunho de Jesus. A Igreja ia crescendo se organizando, surgia a necessidade de organizar pessoas que dedicassem às obras de caridade, à assistência aos pobres para que os Apóstolos pudessem cuidar do anúncio da Palavra.


    Surgiam os primeiros díáconos, (como Estêvão), para ajudar no serviço da Comunidade. Também mulheres que cuiadavam da acolhida e da assistência social da comunidade.


    Eles tinham um relacionamento direto com Jesus Ressuscitado, estavam sempre cheios do Espírito Santo e realizavam grandes milagres. Anunciavam Jesus como a Pedra angular que os construtores rejeitaram.  (1Pd 2, 710) comparar com: (Sl117, 22); - Isto quer dizer que Jesus é comparado uma pequena pedra, a princípio sem importância, (humildade de Jesus), cujo pedreiro deixou de lado, mas por um motivo ela foi colocada calçando outras maiores e no entanto firmando todo o alicerse, (a Igreja); então passou a ser importante porque se retirá-la todo alicerse, (isto é, a vida espiritual e santidade da Igreja), poderá cair. Sem Jesus Cristo não há salvação, e toda nossa fé está alicersada em Jesus Cristo.
     
    Eles anunciavam Cristo encarnado sujeitando-se à nossa pobreza. Somente Jesus poderia exercer essa missão, pois o homem pecador, não pode salvar a si mesmo. Eles apresentam Jesus por completo. At 13, 23. Apresenta-O de forma específica na História da Salvação, devemos fazer aquilo que falamos, senão não estamos proclamando Jesus como salvador é sim, alguém importante para a História.   


    A Igreja Católica Apostólica Romana é de Jesus Cristo, nós somos parte desta Igreja. Essa Igreja que deve pregar Jesus morto e ressuscitado. Jesus que não foi tomado às forças, mas se entregou por nós.


    Jesus despoja-de de tudo, assume a vergonha de morrer em um madeiro, pregado por amor a nós. A vergonha para os judeus é salvação para nós. São Paulo afirma que: "A cruz que era escândalo para os judeus, se tornou símbolo de salvação para nós cristãos". Desse  modo os Apóstolos anunciavam Jesus padecente que fez tudo por amor. Também anunciavam Jesus sepultado. vamos buscar no sepulcro os enterrados em comum. Mas Jesus não permaneceu ali, Ele ressuscitou e vive em nosso meio. Assim morreu por nossos pecados...


    Na sua morte aconteceram quatro fenômenos:


    1) As Trevas - que significa falta de Deus; 2) Rasga-se o véu do Templo - significa que nós estamos libertos do pecado. Essa cortina separava os  dois pavimentos que guardavam a Arca da Aliança, o primeiro chamava-se Santo, onde o povo ficava, e o segundo chamava-se Santo dos Santos, onde estava a Arca da Aliança, (onde estava o poder de Deus e os Dez Mandamentos); mas somente os sacerdotes podiam entrar. Cristo  faz Nova Aliança; agora o povo pode chegar por Ele até Deus e à salvação, por isso a cortina é rasgada, pois desvendou-se toda barreira entre os homens e Deus. Jesus liga tudo. Ele é Deus, Emanuel, Deus no nosso meio e seu Sangue derramado na Cruz concretiza a obra da Salvação. 3) Os mortos  ressuscitam - significa que agora somos libertos temos um novo Juiz, Jesus. A morte física agora é só uma etapa para nossa Salvação.  4) Tremeu a terra - A terra significa que devemos ter firmeza. Jesus é terra firme. Quando estamos sem Jesus essa terra se separa, desmorona tudo em nossa vida. Mas quando temos Jesus nada pode nos abalar. Também significa que com a morte de Jesus, com o poder de seu sangue precioso, as forças do inferno foram abaladas, foram destruídas, e quem aceita Jesus como seu senhor e salvador, nunca o demônio poderá vencer. Jesus é a terra firme que nos sustenta, o nosso rochedo.  


    OS APÓSTOLOS ANUNCIAVAM JESUS RESSUSCITADO


    Os Apóstolos mostram a ação do Espírito Santo sobre Jesus. Jesus apartece no primeiro dia da semana, aos discípulos de Emaús, faz com eles um econtro pessoal. Jesus o Senhor glorificado. Acima de todos os homens. E nessa ressurreição acontece uma nova esperança e a alegria volta aos corações dos discípulos. Isso deve acontecer com todos os que tem fé. Os discípulos de Emaús apredem uma lição de Jesus, são surpreendidos com sua presença gloriosa, se saem bem, acolhem-no mesmo não reconhecendo à princípio quem ela era. Depois de reconhecê-lo vão e dão testemunho aos outros. (Lc24, 13-35).


    A LIÇÃO QUE APRENDEMOS - devemos dar as  costas ao pecado, devemos nos entregar no Coração de Jesus, viver a vida de filhos de Deus. O que acontece muitas vezes é que nós não aceitamos a paternidade de Deus. Mas se nós reconhecermos que somos filhos de Deus, devemos aceitá-lo e amá-lo. Ele é o senhor de nossa vida. Ele traçou um plano de salvação para nós, por nos amar.


    A SALVAÇÃO TEM TRÊS DIMENSÕES 


    1) Ser batizado - batizado significa: "nascido de novo".


    Nas palavras do Padre Jonas Abib, é pegar uma roupa suja e lavá-la até ficar limpa. Ou seja, é tirar nossa sujeira do pecado e ficar limpos na graça santificante de Deus. O batismo nos faz filhos de Deus e herdeiros do Céu. Ao mesmo tempo nos insere no amor de Deus e na vida de filhos de Deus somos participantes do sacerdócio real de Cristo e nos tornamos membros da Igreja. Ou seja, da comunidade de Jesus, com todos os direitos e deveres. Pelo batismo nos tornamos discípulos de Cristo e chamados a anunciar a salvação, Jesus Cristo às pessoas.


    2) Aspécto Social - (At 44, 44); todos os fiéis viviam em comunhão, repartiam seus bens entre si, de modo que ninguém passasse fome. Como isto está sem usar hoje em dia, não é mesmo? - essa é nossa missão, ajudar os mais pobres. Somente os pobres ajudam os pobres.


    3) Trabalho em Comunidade - se somos partes da comunidade de Jesus isto é, da sua Igreja. Devemos participar como membros atuantes desta comunidade, cada qual ao seu modo, orientados pelo seu representante legal o padre e o bispo, afim de que nossos trabalhos possam ser organizados. 


    Há muito o que fazer. Jesus precisa de todos. Todos são importantes, cada um com suas qualidades específicas vão construindo o reino de Deus. 


    Jesus não exclui ninguém, todos são chamados, todos são importantes. O que acontece é que ás vezes por egoísmo nós nos excluimos e deixamos a Igreja mais pobre.


    O Padre não é um patrão é um servidor como nós. Quem manda é Jesus, o padre apenas coordena a Comunidade em nome do bispo que legalmente é sucessor dos Apóstolos. Nosso trabalho dentro da Comunidade de Jesus se torna um louvor e ação  de graças. Quando um cristão se afasta, muitas vezes fica só achando defeito nos outros irmãos, mas não reconhece que imperfeitos que somos tabém temnos que reconhecer nossos defeitos.


    OS DONS DO ESPÍRITO SANTO




    Os Apóstolos tinham uma preocupação de como fazer para que o povo cresse neles. Mas eles tinham o Espírito Santo e os ensinamentos de Jesus. Quando formos evangelizar não devemos ter uma grande vontade de mudar as coisas com nossas próprias forças. Mas com a s palavras do  nosso coração coração, é preciso que deixar-se guiar pelo Espírito Santo, pois Ele é quem mudará os corações das pessoas.


    Depois não é só evangelizar, é preciso que se forme comunidades, levá-las a conhecer e ter experiência do Espírito Santo em suas vidas.


    O cristão não pode viver sozinho. Devemos conscientizar as pessoas que elas precisam viver em comunidade, precisam da Igreja. 


    Precisamos da Igreja todos os momentos da vida e, não de vez em quando como muitos pensam. É preciso perseverar com Jesus na Comunidade a serviço de Jesus no irmão. Ao mesmo tempo o evangelizador deve incentivar para que essas pessoas possam fazer parte de algum movimento na comunidade para que se sintam acolhidas. Jesus precisa de todos há lugar para todos cada qual ao seu modo de ser. A Comunidade Igreja tem o dever de anunciar o evangelho guiados pela Oração constante e pela prática dos sacramentos.


    É preciso agir no Espírito Santo - saber repartir com simplicidade ao serviço do Reino de Deus.


    O PLANO DE SALVAÇÃO

    Muitos afastaram-se da Igreja e vivem uma vida de pecado porque desconhecem a fonte e o princípio do pecado. Achão que pecar é normal e rotineiro quanto que não é. O pecado ofende a Deus principalmente aquele pecado que atentacontra a vida e a dignidade humana. É muito importante localizar a raiz do pecado, ter  consciência do que é o pecado original e porque somos pecadores. Pois o pecado está no mundo e agraça está em Deus. Deus quer que todos se salvem, Jesus já nos resgatou com seu sangue, mas nós podemos perder esta graça se continuarmos no pecado.


    A cinzânea do pecado - Por satanás a cinzânea do pecado foi lançada no mundo, a condenação atingiu a todos. (Is59,2); Não confiamos no plano de Deus, (Rm6, 23). O salário do pecado é a morte eterna escreveu São Paulo. Por séculos o homem buscava o retorno do paraíso. (Gên 3, 15).


    O Proto Evangelho - Deus nos prometeu um Salvador, esse salvador é Jesus que veio vencer o demônio. (Jo 5, 39); A fim de cumprir a promessa de Deus escolhe Abraão e o povo de Israel para instituir uma família; e dessa família nasceria Jesus Cristo. A promessa do salvador foi dada por Deus e anunciada pelos profetas.


    O acusador - de várias formas satanás vivia acusando fazendo os homens viver uma vida sem sentido e escravos do pecado. 


    O Advogado - (Hb10, 7); Deus precisava usar a Lei para ser justo. Deus não queria que fôssemos condenados à morte eterna por isso mandou Jesus seu Filho unigênito. Jesus veio para ser nosso advogado contra as acusações do diabo. (Fl 2,6) Deus se faz homem, um de nós. Teve nossas fraquezas em tudo pareceu conosco exceto no pecado porque como Deus não podia pecar. Jesus veio avaliar nossa sentença. Mas Jesus enquanto estava neste mundo era nosso advogado, não fazia papel de Juiz. Embora ele fosse Juiz de todas as coisas.


    Jesus é o mediador de uma nova aliança - (1Tm 2,5); Jesus é a única fonte de vida, na salvação Ele é nosso Único mediador entre om  Deus e o homem.


    O Juízo - (Jo 12, 31); Alcança a todos os homens, Deus deve ditar a sentença. Citados pelo acusador, o diabo. Nós fomos condenados, o acusador pede a todso instante o rigor da justiça divina. A morte. Um justo teria que morrer para reter a morte eterna. Mas o homem não pode salvar-se a si mesmo, nem possui toda justiça divina. Então Jesus, (o Verbo de Deus), assume essa missão. Era eternamente preciso que Jesus fosse o Redentor. Com a vinda de Jesus acabou a Lei de Moisés. Com a morte de Jesus, nasce uma nova vida em nós. E a sentença de Deus para nossos crimes é a absolvição de todos os quantos aceitarem Jesus como Senhor e Salvador. Nos tornamos por Jesus, herdeiros do Reino. Estamos salvos por Jesus.


    Era extremamente preciso que Jesus fosse nosso Redentor.
    Jesus éstá ressuscitado, isto significa que: a) Segurança e prova a vitória de Cristo sobre o pecado; b) Jesus justifica o pecado; c) Da ferida do corpo de Jesus, do seu peito, sai sangue e água, sinal de vida eterna para nós, sinal do Espírito Santo.


    Jesus está glorificado, a Jesus confere três títulos: 1) Nosso Senhor, 2) Nosso Libertador, 3) Nosso Messias. Cheio do Espírito Santo, e aí "Pentecostes". (Rm 8, 26-27) (Rm12, 1-3. 12-14)


    A vida nova que recebemos na conversão deve ser assim - somos novas criaturas gerados pelo batismo e renascidos pelo Espírito Santo. Nossa vida não pode ser a mesma de antes. Nossa vida deve ser cheia do amor de Deus e cheia, recoberta pela palavra de Jesus. (Rom8, 1-17)


    A boa nova e a conversão depende que reconheçamos que somos pecadores e aceitar a proposta de vida nova dada por Jesus. 


    A Comunidade, (Igreja), serve para que possamos perseverar na unidade de filhos de Deus. Fazer parte da Igreja além de ser uma obrigação para todo cristão é necessidade de se consolidar a fé e exercer a caridade. (Tudo isso se resume em Rm 12 a 5)


    A PARUSIA 






    Parusia significa a segunda vinda de Jesus Cristo - Jesus virá para entregar o Reino a Deus Pai. Ele virá  não comno salvador, como antes veio a este mundo. Mas virá como Juiz supremo de todo Universo. Todas as criaturas serão julgadas. Por isso nosso trabalho neste mundo deve produzir muitos frutos, pois aqueles que não assumirem sua vocação perante Jesus como cristão, não farão parte deste reino. Serão lançados ao fogo eterno, isto é estarão apartados do reino de Deus.(Mt 25, 14-30) e (Mt25, 31-46).


    Recebemos a salvação pela Fé, herdeiros das bênçãos de Deus, quando permanecemos nele. Nossa devisão é deixar tudo por Cristo, isto implica também que tenhamos zelo e dedicação pelas coisas de Deus e da Igreja. Viver porLei e tomar possse da herança dada por Deus.


    O KERÍGMA  PARA NÓS HOJE 

    a) Vamos primeiro pregar o amor a nós mesmos antes de levar aos outros, o perdão de si mesmo aflui no irmão. Você tem o direito à salvação mas temos que encontro direto com Cristo. Como fazer isso? através da vivência do evangelho, da prática sacramental, e a da adesão total e radical a Jesus Cristo. Sua escolha deve ser única e definitiva. Ser homem e mulher de fé. Todos nós precisamos da salvação, pois do contrário nosso caminho é o inferno. Nossos gestos devem ser concretos, nossas vidas devem ser regradas e moldadas a exemplo de Jesus. O processo de conversão para você não é uma vez só mas se renova a cada dia. Jesus oferece a salvação através dos sacramentos. O cristão que não vive uma vida sacramental, dificilmente alcançará a salvação. Pois não temos força nem poder para alcançar a salvação senão através de Jesus. O encontro de Jesus se dá pela oração, pela fé e pela prática (ou vivência) do Evangelho.


    b) Não há outra Igreja a não ser a Igreja Católica Apostólica Romana, que foi fundada por Jesus e alicersada pelos Apóstolos. Por mais que falem bem de Jesus e sejam boas outras demais foram criadas por homens, não passam de seitas. A Igreja de Cristo está ligada ao Papa, isto é, aos bispos e essa está ligada em um vínculo eterno com Cristo. 


    O verdadeiro cristão é chamado não para fazer milagres, mas para converter corações para Deus através de Cristo. Por isso todos nós somos chamados a fazer uma renovação interior de nossos pensamentos e atitudes. Nossa maneira de viver deve ser a mesma de Cristo. E nada mais...


    c) Quem anuncia testemunha, como testemunhar Jesus se não viver a fé se não  conhecer Jesus ?  - Por isso é necessário ao evangelizador, ao catequista, sempre testemunhar com a vida. Não é facil convencer, mas a conversão passa pelo convencimento das verdades divinas. Também é preciso escutar, ningué é dono da verdade.;às vezes é melhor escutar que falar o que não se deve.


    d) Renúncia de si mesmo - é preciso tomar a cruz de cada dia, suportar com paciência os problemas particulares e comunitários. Isso se faz com oração. Ter zelo Aposólico isto é ter consciênmcia daquilo que ensina para não causar escãndalos às pessoas. Não querer ser o dono da verdade. Todo ensinamento precisa de aprendizado, como se faz isso? através da meditação da Palavra de Deus, através de bons livros católicos , (exemplo: as Cartas Pontifícias), e do Catecismo da Igreja Católica. 

    e) Conhecer a religião que a que pertence - muitos não aceitam as verdades e a catequese da Igreja porque não acreditam na Igreja e não conhece seus fundamentos. A Igreja nunca sastifará em primeiro lugar aos caprichos humanos, e nunca abolirá as leis criadas por Cristo; o que os papas decidirem estão escritos também no Céu conforme Jesus autorizou e confirmou a S. Pedro. "Tudo quanto ligares na Terra, será ligado no Céu!" Ler: Mt16, 18-19. 18, 1-3; Lc6, 43-44.46. 8, 21. 9, 23-26; Rom11, 1      


    COMO VOCÊ DEVE  EVANGELIZAR?


    O objetivo deste curso é fazer você se tornar um catequista ou um evangelizador.
    Primeiramente procure o padre da sua paróquia, converse com ele sobre o desejo que você tem de ser um evangelizador. Peça-lhe orientação do que fazer, em que atuar, e a bênção do envio.
    O evangelizador deve visitar os doentes e os necessitados. Rezar com eles, ajudá-los a reencontrar o caminho da santidade. Dar a eles apoio, socorrer os necessitados, formar jovens dando-lhes apoio necessário para que regressem à vida da Igreja. Promover a campanha de formação do namoro, do noivado e do matrimônio. Dar apoio às grávidas. Apoiar e valorizar a vida. Ajudar as crianças e adultos a receberem o sacramento do batismo.
    O evangelizador não pode esperar que as pessoas venham à Igreja, mas deve ir ao encontro delas, acolhê-las, convidá-las,  dar suporte e trazê-las para a Igreja.


    COMO CHEGAR NAS CASAS E COMO AGIR?

    Tenha sempre a Biblia e o terço em mãos!
     
    a) Orar e pedir a efusão do Espírito Santo. O Espírito Santo deve falar por você.
    b) Anuncie o Querigma de Jesus nos seus 5 temas que você aprendeu no decorrer deste curso.
    1 - O amor de Deus, 2- o Pecado, 3 - Fé e conversão, 4 - Jesus Salvação, 5 - O Espírito Santo, 6 - A Comunidade. 
    c) Testemunhe- os evangelizadores testemunha seu trabalho, divulga.
    c) Oram pelo local, para que Deus proteja o local contra todos os males.
    d) Peçam a intercessão de Nossa Senhora e a força do Espírito Santo para aquela pessoa ou família que está sendo evangelizada.
    e) Ore pela (s) pessoas as quais você está evangelizado para que possam sentir a experiência da salvação e para que ele seja iluminado e aceite a conversão. Peça paz de Jesus para a casa e seus moradores.
    f) Convide-o(s) a se integrar na Comunidade Paroquial, marque um dia, leve-o(s) à Igreja, não espere que  que vá tomar a decisão sozinho. Apresente-o(s) ao padre. Leve com você o dia e os horários das missas,  terços novenas das atividades paroquiais e convide-o a participar de qualquer atividade na qual se sinta bem. (por exemplo, grupo de cato, vicentinos, pastoral da criança, pastoral do dizimo, catequese, grupo de cursilhos, grupo de jovens etc). Ou ainda a participar dos grupos de atos externos como a reza do terço, as vias-sacras, as procissões. Deixem que escolha o movimento a seguir. Não faça críticas.
    g) Anote problemas que há na casa, por exemplo falta batismo? crisma? outros serviços paroquiais que precisam ser resolvidos, doente precisando de assistência do padre? Falta Eucaristia ao doente?  Crianças doentes? situação de miséria, etc. E ajude a resolvê-los. Faça um relatório, leve um fichário ou um caderno e anote. E leve depois à Paróquia.
    h) Nas visitas às casas é recomendável que você leve mais um com você, pos enquanto o evengelizador prega o outro ora pelo evangelizando e pelo evangelizador.
    i) Pergunte ao visitado se ele deseja a sua volta, deixe seu endero, telefone, e-mail para que ele(s) possa(m) manter contato com você, isso é muito importante porque cabe ao evangelizador dar apoio necssário para que este(s) voltem a Igreja.


    IMPORTANTE!Não espere tudo do seu Pároco encaminhe os relatórios aos movimentos de apoio da Paróquia. Por exemplo, criança desnutrida, encaminhe à Pastoral da Criança; Doente precisando de assistência, à pastoral da saúde, falta de Eucaristia aos doentes, ao ministro extraordinário da Comunhão eucarística, etc.   


    DE HOJE EM DIANTE SEREIS PESCADORES DE HOMENS, disse Jesus!




    Lembremos que: Muitos são chamados, mas poucos são os escolhidos. Não porque Deus faz distinção entre as pessoas, mas porque Deus respeita a decisão de cada um. A opção por Jesus é pessoal e única. 




    A MISSÃO DE MARIA  NA OBRA DA EVANGELIZAÇÃO


    Maria sempre caminha com a Igreja e com todos que pertencem a ela. Ela é Mãe e mestra. É a estrela da evangelização. O evangelizador deve se espelhar em Nossa Senhora, ela em tudo se espelhou em Deus e fez cumprir nela toda palavra. O seu sim, disponível e aberto possibilitou que encarnasse o Filho de Deus. Nosso sim deve ser o de Maria, que se fez a escrava, isto é, a mais pequena de todas as mulheres, se sujeitou à humildade por amor a Deus. Ela é nossa intercessora. E também é Mãe da Igreja, porque esta Igreja, nascida em Pentecostes pode contar com a presença de Nossa Senhora.


    É Maria que nos auxilia e nos dá o exemplo de como devemos amar e servir a Jesus. Guardando o que de há mais nobre em nossa vida como ela fez, a generosidade, abrindo o coração para a vontade de Deus. Maria não só cumpriu seu papel de mãe, mas cumpriu seu papel de mestra de guia.


    Por isso o evangelizador não pode nunca deixar de lado a devoção a Maria, e onde levar a palavra de seu Filho Jesus, há de levar o amor da Mãe. Pois é esse amor de Nossa Senhora, quem conduz e gera muitos cristãos fiéis.


    O concílio Vaticano II ressalta a santidade imitante de Maria que refulge para a toda a comunidade dos eleitos por exemplo, as virtudes, (doc. Lumem Gentium n. 65). Porém nós podemos nos perguntar: qual a maior virtude de Maria? se nela brilham de maneira fulgurante todas as virtudes em especial a fé, a esperança e a caridade, que são virtudes  teologais, qual seria a maior? - A maior virtude de Maria foi realmente o despreendimento e a total disponibilidade a Deus. (Uma virtude que todo evangelizador a exemplo de Maria deve cultivar); "eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a vossa palavra!" - Lc1, 38 - e ainda quando agradece o Senhor voltando a exclamar: "e olhou para sua escrava..." - Lc1, 48- ; este despreendimento e total disponibilidade a que Maria chama de "humilhação" e que, em muitos lugares vem traduzido como humildade, e é expressão de quem está como a terra, (humus), em total disponibilidade para que sobre ela, tudo se faça.


    Através do seu gesto de entrega total, de esvaziamento de si mesma, confiando de maneira absoluta no  amor e na palavra do seu Senhor, Deus Pai. Maria se converte em receptáculo dos dons do Espírito Santo. Sem este esvaziamento, este abaixar-se e colocar-se totalmente disponível a Deus, nada teria sido feito. Na medida em saímos de todas as coisas, nesta medida Deus entra em nós, com tudo o que Ele tem. A oração de Maria foi e a a nossa sempre será esta: "Senhor, não me dês nada a não ser o que tu queres, faze, Senhor, em minha vida, em cada momentoo que Tu queres e como tu queres."


    A maior virtude de Maria foi esta perfeita simplicidade, este despreendimento total e esta disponibilidade  perfeita à graça de Deus. Podemos nos perguntar: como Maria pode permanecer nesta virtude tão elevada, que constitui a busca dos maiores místicos, tanto do Ocidente, quanto do Oriente? E como Maria atingiu tão grande virtude? - Foi sem dúvida a graça de Deus que a dotou especialmente para que pudesse cumprir a vocação singular. Deus lhe deu a draça especial.  Sua Imaculada Conceição, a nós todos o pecado torna difícil nossa entrega total a Deus, ficamos presos no egoísmo.Maria, ao invés, teve a força necessária para estar totalmente disponível a Deus em um grau elevadíssimo, total.


    Nisto devemos imitar Maria, ela é o sinal da fidelidade e da disponbilidade total a Deus. Nesta mimitação de Maria, em nossa caminhada para Deus, podemos estar unidos , todos, protestantes, ortodoxos, e católicos. Ela é um grgande sinal (Apoc12), que Deus nos dá, para mostrar o seu poder de fazer grandes coisas nos pequenos e humildes. Quem se humilha será exaltado dirá Jesus. Quem se esvazia será planificado. Deus está totalmente diusponível por toda eternidade aos que foram disponíveis a Ele durante a curta peregrinação terrena.


    Que Maria repleta do Espírito Santo, mulher de todas as virtudes nos ajude a obtermos esta que a fonte de todas as virtudes: a humildade, despreendimento e total disponibilidade a Deus. Nós sabemos o quanto o materialismo tomou conta dos corações. A pessoa hoje é tomada pelo desejo. A sede de prazer embota corações e mentes. A inquietação, a agitação compõe a música de fundo de nossa sociedade, compettiva e violenta. Pois bem, a força do Espírito Santo, que envolveu Maria conferiu-lhe todas as virtudes. E isso foi possível porque ela primeiro esavaziou-se de si mesmo, se fez serva, a mais pequena de todas, vivenciando a grande virtude do despreendimento. Ou seja, a sua dispnibilidade para com Deus. Assim ela pode, convidada pelo anjo a se alegrar, (Lc1,28).                       
        




      Maria, Estrela da Evangelização, Rogai por nós!   






    PARTICIPE DA CAMPANHA DOS DEVOTOS DO SANTUÁRIO NACIONAL DE NOSSA SENHORA APARECIDA, SEJA UM EVANGELIZADOR, CONTRIBUINDO PARA AS OBRAS DE EVANGELIZAÇÃO DO SANTUÁRIO, LIGUE: 0300 2 10 1210 E CADASTRE-SE - RECEBA GRATUITAMENTE E SEM NENHUM CUSTO, A REVISTA DE APARECIDA - A MÃE APARECIDA LHE AGRADECE!