sábado, 22 de janeiro de 2011

"ROUPA SUJA SE LAVA EM CASA!"

O episódio entre Jesus e a pecadora adúltera, nos mostra bem o ditado: "roupa suja se lava em casa."

Conta o Evangelho de João:

Jesus dirigiu para o Monte das Oliveiras, era de manhã, quando os fariseus e os escribas apresentaram-lhe uma mulher que tinha cometido adultério. O costume e a lei de Moisés decretava que: se uma mulher cometesse adultério, a pena era de morte. (Lev20, 10); (apedrejada). Eles sabendo que Jesus compreendia toda lei, e querendo armar uma estratégia para pô-lo em contradição, foram perguntar a Jesus o que deviam fazer. À princípio Jesus aparenta ser desinteressado, espera a conclusão dos fariseus. Perguntam sua opinião. Jesus escreve alguma coisa na terra... logo vem a conclusão em forma de resposta: "aquele que não tiver pecado, seja o primeiro a atira-lhe a pedra!" ...... Uma surpresa para os fariseus, ninguém podia fazer isso, pois, sabiam que eram mais pecadores do que ela. E sabiam que Jesus os tinha censurado, e, certa ocasião, os chamou de sepulcros caiados. Cheios de beleza por fora, mas podres por dentro. E foram embora, deixando a mulher a sós com Jesus. Ele porém, não condenou a mulher porque também ela não tinha sido condenada. Mas com uma condição: não voltar a pecar. E aquela mulher, com certeza, jamais esqueceu as palavras e o carinho de Jesus...  Jo8, 1-11

Essa passagem envolve nosso dia a dia, quando nos colocamos no lugar desta mulher. A palavra adultério no sentido bíblico, não significa apenas o relacionamento de um casado (a) com outro parceiro, mas significa nosso afastamento das coisas de Deus e das práticas de sua lei. Nossa deslealdade com o projeto de Jesus e seu Evangelho. O que é a prostituição hoje senão esse mundo dilacerado por discórdia, medo, violência, desrespeito à vida, corrupção, ganância e miséria, sobretudo do intelecto humano?...

É muito mais fácil a gente criticar, apontar os erros e defeito das pessoas do que corrigir os nossos próprios defeitos. Nos colocamos na mesma situação dos fariseus. Embora sejamos capazes de entender que Jesus jamais concorda com essa atitude.
Estamos de olho no vizinho para ver o que ele faz de errado, falamos mal do professor, do patrão dos nossos colegas de escola e trabalho, etc. Sem nos darmos conta de que isso provoca um mal muito maior, a difamação, a calúnia. Isso quando atinge diretamente a (as) pessoa(s) envolvida(s), provoca depressão, baixo-estima e até em alguns casos o suicídio. 

Podemos colocar em situação de "juízes" das pessoas pelo que elas fizeram de errado?! Mas e quanto a nós? Como anda nossa consciência? ... A todo momento estamos com pedras na mão para matar alguém. Colocamos pedras nas mãos de outras pessoas para matar. E a nossa consciência será que está limpa? Afinal, somos todos pecadores!


Mas uma coisa é certa, temos que nos colocar diante de nossos próprios erros e julgá-los. Rever "as pedras" que temos nas mãos e procurar não matar o inocente, não achar culpados para nossas culpas, mas mortificar os erros que estão dentro de nós. A começar do orgulho de achar que somos melhores do que os outros, ou por esta ou aquela condição social. Pecadores ou não somos todos filhos de Deus e Jesus é nosso irmão!

Jesus continua ouvindo nossas interrogações, somos fariseus de nosso próprio tempo. Sem nos darmos o direito de que só Deus pode julgar as pessoas. 
E nossa falta de responsabilidade, nosso egoísmo e mesquinhez continua provocando inúmeras conseqüências.
Jesus podia ter agido diferente, como judeu, ele podia dizer: "A lei de Moisés manda matar então matem-na!" - mas não! - Ele age com o coração de Filho de Deus, porque vê o nosso coração,  já tinha enxergado o pensamento daqueles homens.

Quando deixamos de lado a experiência do amor de Deus, ou melhor, quando nos falta esta experiência, nossas atitudes são as mesmas, farisaicas e arbitrárias. Dizemos: "cometeu erro, que pague!"  sem sequer dar  uma chance de arrependimento e ressocialização da pessoa. Somos todos fariseus, pobres pecadores e temos que tomar cuidado com nossas atitudes para não apedrejarmos as pessoas pois somos tanto quanto iguais ou piores do que elas.

Somos adúlteros das nossas próprias decisões impensáveis.

Outro exemplo de Jesus:

No final de todo aquele episódio, uma pergunta à mulher: "- Onde esta teus acusadores? Ninguém te condenou? - ela disse: "Ninguém, Senhor!" - Jesus disse: -"Eu também não te condeno, vai e não peques mais!"

Eis a oportunidade, que Jesus dá ao pecador. O arrependimento é mais importante que a morte. Para Deus o amor é mais importante. Deus não está interessado em aplicar o castigo, mas a misericórdia. Essa era a missão de Jesus e deve ser a nossa. Não temos direito de ser juízes dos outros quando não somos nem de nós mesmos.
Assim esse "vai" que Jesus disse é para nós o "vai" do nosso compromisso. Quando vamos obter o sacramento da Confissão, é primordial, o arrependimento e o propósito, ai sair dali absolvido pelo sacerdote em nome de Jesus Cristo, esse "vai" que Jesus nos profere é de compromisso com Ele. Para que possamos sermos fiéis e deixemos muitas vezes de apontar o dedo para os erros, e procurar soluções para corrigir nossa própria vida e ajudar aos que querem a superar seus erros.

Essa lição deixada por Jesus e documentada pelo Apóstolo, João evangelista, nos ecoa e nos chama ao compromisso. E nos mostra que para Deus, não há um pecador que seja, por maior que seja seu erro, que não mereça perdão. E que as pedras que temos nas mãos:
As pedras da inconseqüência, dos vícios, da nossa língua afiada, do nosso preconceito e da nossa falta de amor deve ser jogada fora. Se quisermos ser felizes ao lado do Mestre Jesus!                

sábado, 8 de janeiro de 2011

PLANETA CATÁSTROFE






O assunto mais discutido pelos países em desenvolvimento e pelos desenvolvidos é sobre o controle da redução de gases nocivos à atmosfera e como reduzir o efeito estufa do Planeta.

Grande parte desses gases poluentes vem de indústrias e queimadas. Os países desenvolvidos como os Estados Unidos e a China em constante expansão de consumo não aceitam a redução dos gases que poluem o Planeta. A ONU tem se esforçado com os líderes dos países favoráveis à meta de redução dos gases poluentes, mas não se chega a um acordo há anos.  

Enquanto isso os demais países desenvolvidos em suas prepotências, preferem por a culpa nos menos desenvolvidos, sem se dar conta de que eles são a chaga do Planeta. Consomem maior parte dos produtos industrializados e requerem a retirada de matéria prima dos países em demasia, sugam o que tem dos mais empobrecidos. Há muito mais desperdício em nome de um "progresso" consumista e não olham para trás nem se importam com a escassez dos recursos naturais.

Por outro lado nossa parcela de culpa está em não darmos valores ao meio ambiente. Produzindo ainda mais estragos ambientais. Recentemente vimos o estrago causado pela vazão de milhões de litros de óleo nos EUA, um crime ambiental incalculável  que levará mais de 500 anos para ser recuperado pela natureza. Atualmente estima-se que fora o maior desastre da história contra a natureza. Tudo isso é culpa da irresponsabilidade do homem.

Para não falarmos muito, o Brasil enfrenta uma situação de desordem climática que há cem anos atrás não se via. Seca prolongada no Nordeste, chuva em demasia no Sudeste, seca prolongada no Pantanal, tufões na região sul. 
Os especialistas dizem que em 50 anos grande parte do Nordeste será desertificado. Como vemos nos noticiários a escassez de água no Nordeste já é um fato constatado. 

O resultado disso é a migração de pessoas para outras localidades, aumento da fome e miséria. Pois  agricultura e a pecuária dependem de condições adequadas do clima para uma boa produção. 
Como conseqüência do desmatamento da Amazônia todo o clima no Brasil está sofrendo mudanças bruscas e o mais grave, os especialistas afirmam que  num futuro não muito longe o Brasil passará por uma mudança séria no clima, vítima da  nossa insensatez. Haverá uma mudança na fauna, seca no Norte e no Sul, fortes vendavais serão cada vez mais Freqüentes causando diversos danos. 

Não está longe de se perceber. 
Qual nossa parcela de responsabilidade? - Toda parcela de responsabilidade é nossa. Nosso comportamento, nossa educação precisa ser revista todos os dias. Precisamos ter a consciência de que não somos donos do Planeta, somos parte dele. Ele é nossa casa, nosso sustento. A natureza precisa de nós, assim como precisamos dela para sobreviver. 
Sabe-se que grande parte das enchentes nos grandes centros são causados pelo acúmulo de lixo, pela ocupação das margens dos rios e dos córregos, pela assoriação dos ribeirões e pela destruição das matas.               

Você já parou pra pensar que tudo que jogamos fora, vai de certa parar dentro dos rios? Depois dos rios irá para os oceanos. 
O fato é que, o Planeta está à beira de um colapso e se não mudarmos nossas atitudes, se não respeitarmos o meio ambiente e se quisermos que nossos filhos sejam felizes devemos mudar nossa consciência quanto à preservação ambiental. Não podemos mais ficar de braços cruzados esperando que os nossos líderes vão tomar providência por nós porque não vão.  A responsabilidade pelo Planeta é de cada um de nós. É o comportamento de cada um, por mais simples que seja que vai fazer a diferença. 
Comece dentro de sua casa. Onde você joga o papel de bala? Onde você joga aquela sacola plástica que vai demorar mais de 100 anos para acabar na natureza. Por que jogar tantos produtos químicos de limpeza no esgoto? 
Porque não apoiar a reciclagem de objetos?... Onde você joga os pneus velhos?........ tudo isso é tarefa nossa. Não é preciso ninguém para dizer ou não o que devemos fazer, basta termos amor e respeito pela vida e pela natureza. Recentemente uma Lei aprovada em São Paulo proibiu o uso de sacolas plásticas e outras embalagens plásticas de lixo no comércio. 
Os fabricantes das sacolas plásticas dizem que elas são biodegradáveis, mas quando elas são descartadas na natureza elas se despedaçam contaminando ainda mais o solo e demoram anos para se decompor. Se a moda pegar, em breve todos os Estados brasileiros tomarão a mesma atitude. Mas cada um de nós pode e deve fazer sua parte. Porque não levar a velha sacola, ou a velha cesta até o supermercado para evitar assim que se traga tantas sacolas plásticas para casa? Porque não exigir dos comerciantes que certos produtos que você compra sejam colocado ou embrulhados com papel ao invés das sacolas plásticas?   


O grande desafio do futuro será água potável. Grande parte da população em todo mundo está sofrendo com a falta de água potável. Em algumas regiões brasileiras já não se encontra água limpa. Fazendo encarecer os recursos para tornar a água potável. Já existem casos em que é preciso até se fazer a dessalinização da água para torná-la doce.
Recentemente estamos vendo as populações do chamado "Chifre da África", ou seja, países do Norte da África, estão  morrendo de sede após décadas sem água. A causa da seca na África é resultado das guerras, das queimadas, da falta de política de saneamento básico, mas, o principal, a   grande poluição  que os países ricos produzem, os gases nocivos, e principalmente a grande quantidade de Dióxido de Carbono que está sendo lançado na atmosfera. O aquecimento global altera sistematicamente a vida em todo planeta.O Planeta não está suportando mais está agonizando aos poucos.    


A água é o bem mais precioso do mundo, pois, não existe nenhum outro substituto para o ser humano. Assim como a Terra é 70% de água, nosso corpo também é 70% de água e precisa dela. Sem ela os órgãos vitais param de funcionar. Por isso, nossa tarefa é se cosncientizar de que não não podemos mais continuar poluindo os rios. É nosso dever proteger as nascentes de água doce e evitar a contaminação delas. 


Assim como o ar, somos dependentes de outro bem, o Oxigênio. Ele é que nos mantém vivos. A poluição causa a destruição da camada de ozônio do Planeta. A camada de ozônio é nosso manto protetor contra a radiação solar. Sem ela a luz do sol entra direto no Planeta e o resultado são as doenças de pele. Além do aquecimento do Planeta, causando o derretimento das geleiras, influenciando e causando o descontrole do clima. Causando as catástrofes. Pois com o derretimento das geleiras aumentam o nível dos oceanos e o resultado é o avanço das águas sobre os Continentes e ilhas.
Estudos recentes constataram que as árvores estão absorvendo muito mais Dióxido de Carbono do que antes, hoje se sabe que o "pulmão do mundo", ou seja, a floresta amazônica absorve grande parte do Dióxido de Carbono do mundo mas o que deveria ser uma solução se tornou um problema, pois, absorvendo grandes quantidades elas queimam mais Gás Carbônico do que deveria para realizar esse processo. Com isso a floresta produz mais nitrogênio do que oxigênio.


Também já se sabe que o petróleo é conseqüência das queimas desses gases, isso é um processo que levou bilhões de anos para acontecer. Com a retirada do petróleo pelo homem  destrói-se e escassa uma coisa que não está abaixo do solo simplesmente  por estar, e sim, porque é necessário, para que haja menos atrito nas placas tectônicas. As plantas são obrigadas a repor o que o homem tira acelerando esse processo e esgotando às forças das florestas. O resultado é a inversão natural do processo. para a produção de Oxigênio, as árvores absorvem mais dióxido de carbono,  liberam-se Hidrogênio em excesso, contribuindo para as doenças respiratórias e o aquecimento do planeta. Destruindo ainda mais a Camada de Ozônio, provocando assim o que denominamos como "efeito estufa".  O efeito estufa causa o derretimento das geleiras, evapora os rios, e provoca aquecimento das correntes oceânicas causando a morte dos peixes e mudando o curso de reprodução das espécies marinhas. Além de contribuir na alteração do clima e aumentar o nível dos oceanos, o mar avança para dentro dos continentes,  fazendo desaparecer as ilhas, etc.     


Os cientistas já afirmam que em poucos anos algumas cidades a beira-mar em vários lugares do mundo vão desaparecer com o avanço das águas.


No Brasil estuda-se a transposição do Rio São Francisco para atender partes do Nordeste que sofre com a seca. Mas se por um lado o governo visa melhorar a situação dos nordestinos, por outro não leva em conta o impacto ambiental que isso causará. Pois o Rio São Francisco, ou Velho Chico, não é mais o mesmo nos últimos 60 anos. A pesca diminuiu muito, existem trechos que eram navegáveis que hoje estão assoreados. As matas de proteção ao longo do contorno do Velho Chico estão acabando, tomadas pelas populações ribeirinhas. Já existem lugares em que não é possível navegar por causa do assoreamento os enormes bancos de areia impedem a navegação. Esse enorme Rio brasileiro antes tão rico, por causa da ganância de muitos está morrendo à míngua.


Recentemente os noticiários da imprensa falam e mostram imagens das catástrofes causadas pelas o chuvas, onde as cidades como: Petrópolis, Tersópolis e Nova Friburgo, (Rio de Janeiro), além de outras como Atibaia, (São Paulo), vivem uma situação de calamidade pública.
As vítimas das enchentes ultrapassam a marca do que aconteceu em Niterói, (Rio de Janeiro) no ano passado.


As conseqüências destes desastres pode se ver claramente que são: uso inapropriado do solo, construções em áreas de riscos e à beira de rios, falta de política de prevenção, destruição das matas ciliares, e muito lixo jogado dentro dos córregos.


Não podemos ficar só esperando ajuda do governo, pois já se sabe que a miséria traz votos. Com a miséria se pode prometer mais, fazer menos e ganhar votos. A tarefa é nossa se quisermos mudar alguma coisa pra melhor.


Não é só a chuva a causadora das catástrofes que ultimamente assistimos. Elas são apenas conseqüência de uma série de fatores do desrespeito à natureza.
É uma resposta da mãe natureza a tudo aquilo de ruim que o homem vem causando a ela. O resultado não pode ser menos do que assistimos com muitas perdas de casas, bens de consumo e vidas. O homem precisa aprender a proteger a natureza para estar protegido por ela, se não proteger, não cuidar da natureza, se não pararmos de poluir e de ocupar espaços que não podem ser ocupados, certamente as catástrofes serão maiores.


Por causa do aquecimento global, os cientistas já afirmam que haverá diminuição de chuvas em alguns Estados brasileiros e haverá  sistematicamente um aumento no volume das chuvas em outras, principalmente o Sudeste. E isto já está acontecendo!           
Os recentes terremotos e os Tsunamis, o último que arrasou boa parte do Japão, prova que a natureza está passando por várias transformações. Estas transformações ao longo dos milênios já aconteciam, mas nunca de forma tão acelerada. A natureza passa por um rápido processo de mudança, e estas mudanças afetam diretamente a vida no Planeta inteiro, agindo de forma drástica na humanidade. 


Uma das conseqüências dos terremotos é acomodação das placas tectônicas da Terra. O atrito entre elas causam a elevação do nível das ondas no meio do oceano. Estas ondas sobem demais e atingem terra adentro, arrastando tudo que vem pela frente. Mas porque isto está acontecendo freqüentemente?
Eu li em um livro, não me recordo o autor, porque era adolescente que uma das causas é a extração sem controle do petróleo, principalmente o óleo cru. Segundo as explicações, o cientista compara as placas tectônicas com uma coluna vertebral. O que faz com que não sentimos dores na nossa coluna é um óleo especial que temos entre as cartilagens que diminui o atrito. Pois se não houvesse essa proteção natural os ossos entravam em atrito e com o tempo a coluna não funcionaria mais. Por isso, as pessoas que têm problemas na coluna, a maioria têm o secamento desse líquido, inflamando e destruindo as cartilagens que protegem a coluna vertebral. Muitas vão para a cadeira de roda e não podem mais andar. Outras em tempo, fazem cirurgia paleativa, mas que resolve por um certo tempo.
Assim, a Terra também possui este líquido que, além de proteger, diminui o atrito entre as placas tectônicas. Secando esse líquido, o óleo cru, o que ocorre é um buraco debaixo das placas. Por resultado, essas placas descem com maior rapidez causando um enorme e violento atrito. Causando fortes terremotos e violentos Tsunamis. Os terremotos são causas naturais, sempre existiram e existirão. As placas tectônicas sempre estão em movimento. Mas a ação do homem, a gula por lucro, a falta de consciência e a falta de uma política contra a extração de petróleo indiscriminada facilita esse tipo de tragédia. Países que nunca tiveram terremotos poderão ter. Insensatos cientistas dizem: "Ah! no Japão aconteceu porque o País está em uma zona chamada "Zona de Fogo" onde são  freqüentes os terremotos, no Brasil isso não vai acontecer, estamos seguros..." Será? você acredita nisso?... estão mexendo no Presal, daqui uns anos, séculos, sei lá, uma hora vai acontecer tal como aconteceu lá no Japão.  
O cientistas já alertam que o nível das águas dos oceanos subirá 6 metros, isso vai assolar populações inteiras. Por causa do aumento das chuvas em determinados lugares e o derretimento das geleiras. Além de seca, fome, miséria e várias doenças. Tudo isso poderá ser evitado se o homem diminuir sua ambição e agir com amor pelo Planeta. Muitas dessas conseqüências já não poderão ser evitadas, mas ajudarão muito a diminuir os sofrimentos.  A TERRA É A NOSSA CASA, QUEM VIVE, E TEM DIGNIDADE SEM CASA?   


Este último terremoto que aconteceu no Japão, causou o deslocamento do eixo do Planeta em 0, 25 cm, pode não significar nada, mas, isso interfere no fuso horário mundial e também eleva  a temperatura terrestre causando alterações graves no clima do Planeta. O desolcamento também interfere na rota em que o Planeta faz em torno de si e do sol, interferindo diretamente nas estações do ano. 


Outro agente, não poluidor, mas altamente tóxico e perigoso são as usinas nucleares. Ninguém pode calcular os malefícios da radiação, se acaso um reator de uma usina nuclear explodir. O vasamento da radiação, a exposição dos raios, beta e gama, (que são invisíveis), atingem a pele, entra no ser humano, causando deformações e mutações genéticas, o câncer, feridas horríveis. Contaminação do ar, do solo, dos alimentos e muitas coisas. O japão já está assolado com o terremoto e o Tsunami, mas a maior ameaça que aquele país está enfrentando é a ameaça nuclear. Vazamentos já foram constatados nas usinas nucleares. Em graus pequenos, mas, cada vez que se expõe à radiação o perigo aumenta. Embora os cientistas afirmam que o risco para nós brasileiros é quase nulo, não é verdade. A radiação, associadas às condições climáticas podem causar vítimas em todo mundo, não só no Japão, pois o ar que respiramos circula pelo o mundo inteiro. O lixo que você joga no bueiro vai parar do outro lado do mundo. A contaminação minha gente é perigosa, real e o pior, invisível.
Até hoje os japoneses sentem as conseqüências da bomba atômica que lançaram sobre Iroschima e Nagazaki.


Nós, precisamos frear a exploração nuclear, impedir os governos de construirem essas usinas que trazem mais malefícios do que benefícios. É preciso usar a ciência, a pesquisa para buscar novas formas de energia que causam menos impacto no meio ambiente e não sejam prejudiciais. A energia atômica além de ser altamente perigosa, ninguém pode imaginar o tamanho do mal causado por ela. Principalmente, os governos de países radicalistas, que tentam a todo custo desenvolver armas nucleares. Começam dizendo ao mundo o desejo de optar pela exploração da energia nuclear para produção de energia e bens pacíficos, mas, no fundo, o que querem é desenvolver armas poderosas nucleares, inclusive a bomba atômica. Por isso mesmo, o mundo precisa dizer, não!, não queremos este tipo de coisa em nosso País. Embora se digam que as estruturas das usinas sejam fortes, resistentes, e que no Brasil não tem fortes terremotos. Ninguém pode ser tão tolo de achar que um dia não possa acontecer. E que em um país pobre e cheio corrupção como o nosso e muitos por aí, onde o pobre não tem vez, quem vai arcar com as conseqüências de um acidente nuclear?  O Japão dizia estar preparado, seguro contra os terremotos, e o que aconteceu? ... mais de um milhão de pessoas mortas, milhares desabrigados. E suas usinas nucleares atingidas e fortemente comprometidas vazando radioatividade.                       


O fato é que, precisamos ser conscientes, o Planeta vive uma catástrofe, não é o início, nem o fim dela. Estamos bem no meio de uma crise e precisamos fazer algo pelo nosso Planeta, ou estamos entregando veneno para nossos filhos e netos comerem e beberem.
Só os insensatos não vêem que o Planeta dia após dia grita por socorro. Não devemos esperar pelos governantes. Cada um deve fazer a sua parte. Assim senão resolver o problema podemos, com certeza, fazer com que nosso Planeta respire melhor e sobreviva à nossa falta de amor. 


A Igreja Católica no Brasil, através da CNBB, "Conferência Nacional dos Bispos do Brasil", traz para este ano de 2011, como tema de reflexão quaresmal, isto é, para ser refletida durante a quaresma, o Tema da Campanha da fraternidade que é: "FRATERNIDADE E A VIDA DO PLANETA", com o lema: "A CRIAÇÃO GERA EM DORES DE PARTO".


É um tema muito propício em que durante esses quarenta dias em que a Igreja se prepara para celebrar a Páscoa de Jesus, nos dá a oportunidade de conhecer e viver melhor esse tema, para nos instigar e conscientizar sobre nossa responsabilidade em mudar nossos pensamentos e nossas atitudes quanto a vida no Planeta. E uma forma de abrirmos nosso coração para perceber que cada gesto nosso de amor, bem pensado, nossa mudança em relação ao respeito pela vida. Isto inclui que sejamos mais eficientes, mais atuantes e coerentes na preservação do Planeta. A começar do ambiente em que estamos vivendo, nos conscientizando e ensinando as outras pessoas a serem mais responsáveis pela nossa Terra-mãe que é o nosso Planeta. 


Se cada um de nós fizermos a nossa parte o Planeta vai agradecer e vamos ter uma vida melhor. Comece por você mesmo. Não fique esperando os outros. Vamos trabalhar de modo que você, depois seus amigos,  seus vizinhos, o bairro, a cidade inteira adquira o hábito de consciência ecológica. Comece reciclando, não jogando papel no chão, não desperdiçando água, não desmatando, não poluindo os rios e principalmente não comprando animais silvestres que são capturados na natureza. Por quê? - Porque quando compramos esses animais, além de estarmos retirando esses seres do seu habitat natural, esses animais podem transmitir certos vírus e doenças para os humanos, como a gripe aviária, dentre outros. Além de causar um desequilíbrio biológico e extinguir as espécies silvestres. 
Para meditarmos vou colocar finalizando este artigo a letra o Hino da Campanha da Fraternidade-CNBB/2011, que possa ser lido e meditado.


HINO DA CF-2011-CNBB
"Fraternidade e a vida No Planeta"


Olha meu povo este planeta Terra, das criaturas todas as mais linda! / Eu a plasmei com meu amor materno, pra ser um berço de aconchego e vida.


Nossa Mãe Terra, Senhor, geme de dor noite e dia. Será de parto esta dor? Ou de tristeza e agonia? / Vai depender só de nós! Vai depender só de nós!


- A terra é mãe, é criatura viva, também respira, se alimenta e sofre. / É de respeito que ela mais precisa, / sem teu cuidado agoniza e morre.
- Vê nesta terra, os teus irmãos são muitos, que a fome mata e a miséria humilha. / Eu sonho ver um mundo mais humano, sem tanto lucro e muito mais partilha.
- Olha as florestas: pulmão verde e forte, sem este ar que te gerei tão puro... / Agora gases disseminam morte, o aquecimento queima o futuro.
- Contemplam os rios que agonizam tristes, não te incomodas poluir assim? / Vê: tanta espécie já não mais existe. / Por mais cuidado implora este jardim!
- A humanidade anseia nova terra, de dores geme toda criação. / Transforma em páscoa as dores desta espera, / quero esta terra em plena gestação!    


  DEUS E A NATUREZA ABENÇOARÁ A TODOS E OS RETRIBUIRÁ PELOS CUIDADOS COM O PLANETA!