sábado, 9 de julho de 2011

CORPUS CHRISTI - Pão dos Homens, Pão dos Anjos

A solenidade de Corpus Christi, ou Corpo de Cristo, nasceu da necessidade de mostrar à todos os cristãos a presença real de Jesus Cristo no Sacramento da Eucaristia. Isto é, Jesus que se faz presente nas espécies de pão e de vinho conforme Ele mesmo quis que fosse realizado, durante a Santa Ceia celebrou com seus Apóstolos e instituiu  Eucaristia e o Sacerdócio Ministerial como forma de perpetuar esse Sacramento até que Jesus volte.
Mas nem sempre foi assim, a Eucaristia foi de muitas maneiras celebrada. Mas com um só propósito, a presença de Jesus Real. Jesus se dá em alimento, se faz nosso sustento. Ou seja alimenta nossa alma e nosso espírito para que tenhamos verdadeira comunhão com Ele.
Ao acompanharmos a História da Igreja, podemos ver a Eucaristia sendo celebrada de várias formas.

Primeiramente o Livro dos Atos dos Apóstolos descreve a celebração da Eucaristia como "Fração do Pão". Pão repartido. Jesus Ressuscitado celebrou com eles a Eucaristia várias vezes. Com os discípulos de Emaús, à beira da praia, etc. (Lc24, 30-31) (Jo21, 9-13).
Jesus é o Pão da Vida. Essa "profissão eucarística" de Jesus já fora feita quando Jesus disse "Eu sou o Pão da vida". Vamos recordar: Jo6, 22-58.

Aqui Jesus ensina claramente o que é a Eucaristia. 
O povo procurava Jesus, porque Ele tinha realizado o milagre dos pães e saciado muita gente. Estavam mais preocupados em encher a barriga do que buscar o alimento espititual que é Jesus. E Jesus não perde tempo dá um "puxão de orelha" naqueles discípulos. 
"Ora!" Disse Jesus:-"vocês vieram a mim porque comestes pães, mas o que vocês devem procurar é buscar a verdadeira comida que dá a vida eterna". "Eu sou o pão da vida!" "Quem come deste pão terá a vida eterna!" E Jesus continuou seu discurso...
Os discípulos não entenderam nada. Como pode Ele, filho de José, dizer que desceu do Céu?, como pode se dar de comer? Eles não aceitavam, isso é muito duro. Porque eles achavam que iam comer carne de um cadáver. Mas Jesus estava anunciando o que faria antes de sua morte. Deus não quer escandalizar ninguém, por isso Jesus se entregou na Cruz, mas para que entremos diariamente em comunhão com Ele, instituiu a Eucaristia.
Na última ceia Ele pega o pão abençoou e disse: "Comei pois isto É o meu Corpo, que será entregue por vós!" ; depois pegou o cálice de vinho abençoou e disse: "Tomai pois isto É o meu Sangue, da Nova e Eterna aliança que será derramado por vós!" "Não beberei mais deste cálice até que venha o Reino de Deus!" (Mc14,22-25). Este "É" significa que Jesus é a Eucaristia, Ele quis ficar presente em nosso meio presente nas espécies do pão e do vinho.

Chamamos a Eucaristia de: Sacrifício Incruento, isto é, sem crueldade. Pois, na Cruz Jesus sofreu o sacrifício cruento, morreu de forma cruel, derramou seu sangue por nossos pecados. Assim devemos comer e beber do seu Corpo e Sangue. 
Mas voltemos lá no Novo Testamento, os discípulos não entenderam como Jesus se daria de comer ele mesmo. Se escandalizaram, não aceitaram aquele ensinamento. Agora fica fácil explicar. Jesus se dá em alimento no pão e no vinho. Sua presença se faz real: Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Significa que Jesus está presente neste Sacramento que Ele mesmo instituiu. O pão e o vinho continuam lá, mas pela Ação do Espírito Santo se torna na Eucaristia isto é na Presença Viva de Jesus Ressuscitado. Por isso dizemos que a Eucaristia É Jesus, não importa se cremos ou não, nEla está Jesus, é Jesus. Pois Jesus disse: "Isto É!"  
Ao mesmo tempo, no momento em celebramos a Eucaristia, Jesus se torna, Sacerdote, Altar e Cordeiro. Pela Eucaristia se renova o mesmo ato da paixão até que Ele venha!  Jesus se  entrega por nós na Eucaristia e se faz nosso alimento.


No início a Eucaristia era celebrada dentro da Ceia Judaica tradicional, com outros elementos culinários da época como o azeite, ovos, peixes etc. Mas depois houve uma purificação no ritual eucarístico entendendo-se que a celebração da Eucaristia não deveria ser uma ceia comum onde todos se fartariam. Mas a celebração deveria se concentrar na celebração do Corpo e Sangue do Senhor. Era necessário haver um aprimoramento na celebração Eucarística, onde o foco central seria dar valor à presença real de Jesus no seu Corpo e Sangue, algo que não estava acontecendo. E São Paulo é bem objetivo no que descreve. 
São Paulo descreve bem esta situação. Vamos conferir: 1Cor11, 22

Com o passar dos séculos, já que não havia ainda uma estruturação litúrgica com referência na Eucaristia, a Igreja através dos santos padres, depois de vários estudos determinou que a Eucaristia fosse celebrada dentro de um rito próprio dando maior êfase a presença real de Jesus. Então surgiu a forma de celebração, que hoje, conhecemos como "Santa Missa". Isto porque os cristãos recebiam a Eucaristia e partiam em missão para seus lares, seus trabalhos, etc. levando consigo Jesus recebido na Eucaristia. Por isso o nome "Missa". 
A missa é o maior ápice da vida da Igreja, pois, nela se concentra o ouvir a Palavra de Deus, comungar e viver, (praticar) esta Palavra a nós revelada. Depois celebrar a Eucaristia, é viver a Eucaristia partir para a missão que nos é designada. O Senhor Jesus Cristo caminha conosco. Esta comunhão íntima se dá na Eucaristia. Daí o Mandamento da Igreja: "participar da Missa aos domingos e dias santos de guarda".          


ESTAR DÍGINO PARA RECEBER O SACRAMENTO DA EUCARISTIA

"Portanto quem comer o pão e beber do cálice do Senhor indignamente será culpável do corpo e sangue do Senhor!" 1Cr11, 27
Comungar do Corpo e Sangue de Cristo é estar em comunhão com a Igreja. Isto é, participar da vida sacramental que ela nos oferece. Nós somos filhos de Deus, Jesus é nosso irmão. E, como nosso irmão, nos fez templos vivos do Espírito Santo. Mas sem uma vida sacramental, sem uma participação ativa como verdadeiros discípulos não podemos estar em comunhão com ele. 
Por isso não se pode dizer que se comunga da vida de Cristo, se não vivemos uma vida sacramental. É preciso que saibamos  que Jesus não é um intruso, ele quer morar em nosso coração, em nossas vidas, quer entrar em nós pelo seu Espírito Santo e fazer de nós pessoas santas, e como tal sua única função na Eucaristia é já aqui na terra fazer-nos experimentar um pouco desta alegria que é o Céu. Mas para isso quer que vivamos de acordo com ele para sermos dígnos de tal honra. Nosso coração, nosso ser deve ser um sacrário vivo por onde a Eucaristia deve permanecer. Ela é o alimento da alma.
São Paulo em 1Cor11, 29; nos pede que possamos estar atentos para que preparemos nosso coração e nossa vida para o recebermos bem na Eucaristia. Do contrário, com o coração cheio de mazelas, de feridas, de erraizado de plantas daninhas  que o malígno nos plantou, não podemos estar em comunhão com ele. É como ir em uma festa comer e beber sem conhecer o dono da festa. Nos tornamos indígnos daquele lugar e da presença do festeiro. 
Assim Jesus pede que estejamos prontos abertos e que vivamos uma vida dígna para o recebermos sacramentalmente.
Quando estamos indígnos de receber a Eucaristia é bom se lembrar que sem Jesus nos tornamos frágeis, doentes pelo pecado. Sem Jesus a morte eterna é um risco. Por isso São Paulo Insiste que saibamos participar do banquete da Eucaristia como pessoas conscientes e necessitadas do amor de Deus. E como fazer issso? abrindo nosso coração para Deus, vivendo no amor de Deus, buscando viver uma vida dígna de filhos de Deus. Buscando Jesus na Eucaristia mas, vivendo-O nos irmãos mais necessitados. Procurando dentro de nossa Comunidade Igreja ser sinal desta presença real do Senhor.      

PORQUE CELEBRAR O CORPO E SANGUE DE CRISTO?

Já na Idade Média, +ou- pelo séc. XI a celebração da Eucaristia sofreu algumas modificações importantes. No início era introduzida à Ceia elementos da Ceia Judáica, como o peixe. Mas depois em um melhor entendimento e procurando dar destaque à Eucaristia esses elementos foram retirados ficando somente o essencial: o pão e o vinho, que seriam transformado em seu Corpo e Sangue. Esta celebração ganhou ritos próprios criando assim a Santa Missa. Mas nunca perdendo o sentido essencial que é a Eucaristia. 

Mas em meados da Idade Média começou a surgir heresias, e algumas pessoas começaram a duvidar da presença real de Jesus na Eucaristia. Outros queriam pegar a Eucaristia e levar para casa para dar aos doentes. Então surgiu a necessidade de se guardar a Eucaristia. Mais tarde se criou o Sacrário onde guardava a Eucaristia. Mas não era exposta ao povo. Somente depois que se adquiriu o hábito de venerar e adorar o Santíssimo Sacramento que ele foi exposto para o povo.
Com a heresia os santos Padres criaram a Procissão Litúrgica do Santíssimo que tinha como missão sustentar a verdade da presença real de Jesus na Eucaristia. Presença esta que foi claramente mostrada no famoso milagre de Lanciano, onde em uma determinada celebração Jesus se manisfestou, transformando ao vivo a hóstia em Carne e Sangue vivos. Então a partir daí contribuiu e muito para que a certeza da presença Eucarística Real de Jesus fosse declarada como verdadeira e não tivesse mais dúvidas.


Ainda hoje, até mesmo entre os cristãos católicos surgem dúvidas sobre a presença real de Jesus na Eucaristia... o fato se deve porque não vemos Jesus fisicamente. Mas a sua presença real está ali crendo ou não. E Jesus já provou em sinais esta presença. Como recordamos o acontecimento em Lanciano. É um fato real que até hoje permanece. Os testes científicos realizados comprovam que a carne e o sangue em Lanciano é humana. 
Seria um escândalo para todos se comêssemos a carne e bebêssemos o sangue, ninguém conseguiria. Jesus Cristo não quer isso, a sua presença está ali a partir do momento que você aceita e crê nesta verdade.


As espécies físicas do vinho e do pão continuam. Assim você pode conscientemente comungar do Corpo de Sangue de Jesus. Essa comunhão se faz a partir do momento que temos comunhão com a sua Igreja. Isto é, quando fomos batizados fomos inseridos na Igreja, Corpo Místico de Cristo. E assim, fazemos parte desta Igreja. Una , Santa e pecadora. Enquanto neste mundo, somos pecadores, frágeis na fé e precisamos da Eucaristia, que é o alimento da alma. Por isso Jesus se faz nosso alimento. Quando comungamos as espécies físicas vão desaparecer, mas Jesus se faz presente em nossa vida. E comungando Jesus estamos fortalecendo e direcionando nossa alma para Deus ao mesmo tempo que estamos comungando a vida da Igreja. 
A Eucaristia é a confirmação da promessa que Jesus fez  na Ceia Pascal: "Não vos deixarei órfãos!" em outra passagem ele diz:
"Eu sou o Pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, quem crê em mim jamais terá sede..." ..."Quem come minha carne e bebe meu sangue, permanece em mim e eu nele." "Este é o pão que desceu do céu. Não como o maná que vossos pais comeram no deserto e morreram; Quem come deste Pão viverá eternamente!" Jo6, 35.56-58 - E a promessa: "Eu o ressuscitarei no último dia!" v.44 - Podemos chamar esta promessa de Jesus de PROMESSA DE VIDA EUCARÍSTICA


Mais do que o gesto de comer, fisicamente, Jesus fala da comunhão que devemos ter com Ele. Comer por comer não tem sentido algum, vamos morrer... mas, quem participa da vida de Jesus de sua presença, este jamais morrerá.


Por isso, a necessidade da Eucaristia. E qual foi a forma de Jesus representá-lo que está conosco até o fim dos tempos, como ele mesmo disse.
Nas espécies de pão e vinho que, depois de consagrados se tornam seu Corpo e Sangue. Quando celebramos a Eucaristia estamos refazendo todo o mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus, cumprindo o que ele nos mandou até a sua segunda vinda. Até Jesus vier em sua Glória a Eucaristia permanecerá. 


A Eucaristia é a "Árvore da Vida" - quando nossos primeiros pais pecaram foram-lhes tirado a árvore da vida. Pelo pecado todos morreram estavam privados da glória de Deus Pai. Mas Jesus na Árvore da Cruz restituiu dando-nos o poder de comer da "Árvore da Vida" que é a Eucaristia. Ele mesmo se faz presente e nos dá em alimento para nossa salvação. Como Ele mesmo disse: "Eu sou a ressurreição e a vida..." Jo11, 25      


A EUCARISTIA E O SACERDÓCIO MINISTERIAL


Jesus deu a ORDEM aos Apóstolos para celebrarem a Eucaristia. Esse sacramento de sacerdócio, é o mesmo de Jesus. Celebrar a Eucaristia, a primeira vez Jesus o realizou na Santa Ceia Pascal. Anulando a Páscoa Antiga, para iniciar uma NOVA PÁSCOA. 
O ministério sacerdotal que foi dado aos Apóstolos continua através de seus sucessores. Somente Igreja Católica Apostólica Romana com os sucessores legítimos doa Apóstolos possui este ministério. E a nenhuma outra. Por mais que queiram...
As "Igrejas" separadas, apenas podem celebrar um memorial, (lembrança) da Ceia de Cristo, mas não tem poder algum de consagrar e celebrar a Eucaristia. Apenas distribuem pão e vinho sem a presença eucarística de Jesus porque não possuem a ORDEM Apostólica.  
Nós não celebramos a Santa Ceia Memorial simplesmente, mas a Eucaristia. 
Há uma diferença muito grande entre a Ceia Memorial e a Eucaristia. Na Ceia Memorial se celebra uma lembrança apenas da última ceia de Jesus sem a sua presença Eucarística. Na Missa se celebra a Eucaristia, isto é  a atualização do sacrifício da Cruz de Jesus, sua morte e ressurreição e sua presença em nosso meio no Sacramento de seu Corpo e seu Sangue, a Eucaristia. Isso faz toda diferença, porque sem a Eucaristia também não há cristianismo. Engana-se quem achar que fora da Igreja Católica Apostólica Romana está vivendo um cristianismo sério, porque está enganando a si próprio. Pois o cristianismo passa pela presença Eucarística de Jesus. Assim Ele o quis e assim será até que Ele volte!     


O padre ou sacerdote é por excelência o Ministro Ordinário da Eucaristia. Isto é, possui a missão consagrar, celebrar e distribuir a Eucaristia, Jesus Sacramentado no pão e no vinho, seu Corpo e Sangue. Sem o sacerdote é impossível haver a Eucaristia porque Jesus se faz presente no Sacramento da Eucaristia pelas mãos do sacerdote. Essa foi a ordem de Jesus ao partir o pão e dar de beber o cálice: "Isto É o meu corpo..." ..."Isto É o meu Sangue..."  "Todas as vezes em que fizerdes isto, fazei-o em minha memória!"  - foi dado aos Apóstolos na última Ceia. E é isso que a Igreja o faz perpetuamente como Ele mesmo ordenou aos seus Apóstolos.
A Eucaristia, é em suma, a celebração da Ceia Pascal do Senhor. E como tal conserva os elementos  da Ceia da Páscoa Antiga, apenas mudando o sentido simbólico.
Para compreender temos que recordar como era a Ceia da Páscoa Judaica, Páscoa Antiga que era um "memorial" instituído pelo Senhor Javé para recordar a libertação do povo de Israel ou o povo hebreu da libertação da escravidão egípcia. Vamos ler Deut12, 1-20.25-28.
Esse memorial é sagrado e foi passado de geração em geração e faz parte da tradição judaica.  Quando o povo hebreu conquistou a palestina e se estabeleceu às margens do rio Jordão, construiram a cidade de Jerusalém e o Templo e estabeleceu-se normas e preceitos para s realização desta Páscoa, havia no templo um altar dos sacrifícios onde os cordeiros eram sacrificados conforme a Lei judaica. Havia também um outro lugar, onde ficava a Arca da Aliança com os dez Mandamentos, ali se  manifestava a presença de Deus. Deus ali se manifestava aos sacerdotes. Era chamado de Santo dos Santos.   
Jesus muitas vezes foi à Jerusalém celebrar esta Páscoa, como todo judeu. Pois Jesus era judeu. Praticava toda a Lei judaica. 
A ceia consistia em comer pão sem fermento, ou pão ázimo, (hoje o pão ázimo é semelhante às bolachas de água e sal que conhecemos, porém é feito de trigo sem fermento, veja a foto acima); o comiam com vinhos e ervas amargas e carne de cordeiro. Como vamos observar na foto abaixo, da Ceia Pascal judáica:
   
O sabor dos alimentos associados ao amargor das ervas, lembraria ao povo judeu que embora eles tivessem alimento farto eram escravos no egito e passaram muitos sofrimentos e provações no Egito. Para nunca se esquecerem o que sofream lá pela desobediência ao Senhor Javé (Deus); e que Ele por amor os tinha libertado desta *escravidão, (*física). Essa era a Páscoa da Primeira Alliança de Deus com seu povo. 
Na Santa Ceia de Jesus, ele vai celebrar a mesma ceia dos judeus. Mas com um diferencial, Jesus instituiu a Eucaristia, isto é: 
  1. Não comemos mais a carne de cordeiro (animal), pois Ele mesmo, Jesus seria o próprio cordeiro. "Isto é meu corpo, isto é meu sangue, sacrificado por vós!"; nem comemos ervas amargas pois esse amargor está substituído pelo doce sabor da presença de Jesus Ressuscitado.
  2. Jesus usa o pão sem fermento mas Ele mesmo se dá em alimento, a carne do santo Cordeiro está agora presente no pão, se tornando a Eucaristia.
  3. Já não é o sacerdote do Templo a instituir a nova  Páscoa, e sim o sumo sacerdote eterno, Jesus Cristo que inaugura uma nova lei e uma Nova Aliança no seu Sangue.
  4. O altar de sacrifício do Santo Cordeiro é o Altar da Cruz.
  5. O Sangue precioso de Jesus, o "santo Cordeiro de Deus que se imolou por nós, substitui o sangue do cordeiro animal que no passado servia para avisar da passagem do anjo exterminador. O Sangue de Cristo traz a vida e não a morte, foi derramado para nos salvar do pecado. Se no Antigo Testamento o sangue do cordeiro marcava os umbrais das portas dos hebreus; o Sangue de Cristo imolado por nós, marca a nossa alma a nos dá a salvação. No Sangue de Cristo somos lavados e resvestidos do Espírito Santo.   
  6. Cumpre-se portanto a profecia de João Batista, quando aponta Jesus: "Eis o Cordeiro de Deus!"  Cf. Jo 1, 36   
  7. Essa Páscoa, e o sacrifício do Santo Cordeiro não seria para libertar-nos de uma escravidão física simplesmente, mas, Jesus  libertaria da escravidão do pecado todo aquele que se convertesse e cresse no seu Santo Nome e na sua doutrina.
  8. Jesus instituiu a Eucaristia e uma nova Lei, não substituindo a Lei antiga, mas aperfeiçoando-A. A nova Lei é única e universal, O AMOR A DEUS E AO PRÓXIMO. Como ele memo ordenou: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei!"  Cf. Jo15, 9-17. 
  9. A salvação dada por Jesus é destinada à TODOS OS HOMENS, e não somente ao grupo dos judeus. E para isso dá aos seus Apóstolos a missão de celebrar a Eucaristia, sobre o Apóstolo Pedro firma a sua Igreja. Nesta Igreja, Jesus está presente sempre até o fim dos tempos. A Igreja de Jesus em primeiro lugar somos nós, e somos nós que fomos batizados em seu nome, que devememos amar e celebrar a Eucaristia: Jesus: sacerdote, Altar e Cordeiro, Ressuscitado presente no Santíssimo Sacramento, a Eucaristia.    
Então na Ceia Pascal de Jesus, usamos a Hóstia, que também é um pão ázimo, porém que, ao invés de ser quadrada como é o pão ázimo tradicional, ela é redonda para significar a divindade de Jesus, o arco, arredondado não tem início, meio e fim. Assim é Jesus, O Eterno Deus presente na Eucaristia. A brancura da hóstia, diferente do pão ázimo tradicional que era mais tostadinho; significa a pureza da manifestação divina de Jesus Ressuscitado. 
Na Santa Ceia Pascal de Cristo celebramos a páscoa da "libertação dos pecados" e não comemos cordeiro, porque o Cordeiro é Jesus imolado por nós que se faz presente no momento da Consagração.   
O vinho que bebemos é o mesmo, sem álcool, chamado de vinho puro canônico que consagrado se torna o sangue de Jesus. Mas agora uma diferença:
Enquanto na páscoa antiga se comia só a carne do cordeiro e não se bebia o sangue. Jesus quer que  bebamos do seu Sangue, pois é,... por Ele e nEle, foi derramado seu sangue no altar da Cruz apagaria nossos pecados, nos lavaria da culpa original e nos conduziria de volta ao Paraíso. Pelo sangue de Jesus fomos lavados de novoe por isso podemos beber de seu Sangue se de coração O aceitamos como nosso Senhor e Salvador. Por isso que quando celebramos a Eucaristia, não estamos apenas fazendo um simples memrial, mas atualizando o mesmo sacrifício que Jesus fez por nós. Ali está Jesus presente.    

Por isso, é muito importante o Sacramento da Eucaristia, Jesus o filho de Deus que se faz presente. A nenhuma outra religião foi dado este poder senão à verdadeira Igreja de Jesus Cristo, governada por Pedro e por seu sucessor, que é a Igreja Católica Apostólica Romana. Por isso a Igreja sente no dever de destacar uma solenidade especial em Honra de Jesus Cristo Sacramentado. Esse dia é o dia de Corpus Christi.
Por isso que é dia santo de guarda e não feriado. Um dia especial onde a Igreja celebra este mistério insondável de Jesus na Eucaristia. 
A procissão de Corpus Christi é Litúrgica isto significa que é obrigatória existir na Igreja, e devemos participar dela com muito respeito.
Há somente duas procissões litúrgicas obrigatórias da Igreja e são: 1) Procissão de Corpus Christi 2) Procissão de Ramos.

Sem o sacerdote não pode haver Eucaristia, pois, Jesus a quis instituir em um serviço ministerial para que sua presença real acontecesse. Deu a Ordem de celebrar  a Eucaristia aos Apóstolos, os Apóstolos aos seus sucessores: os bispos e os santos padres por fazerem parte do sacerdócio ministerial ordenado, receberam esta mesma missão. É pelas mãos sacerdotais Jesus se torna presente em Corpo, Sangue, alma e divindade. É na santa missa que isso acontece, e depois, Jesus permanece presente nos sacrários das igrejas. É por isso que ninguém em plena saúde e em sã consciência pode receber a Eucaristia sem participar da Santa Missa, com exeção dos doentes. A esses a Eucaristia é levada aos seus lares para que possam recebê-la. 
Agora, é importante saber que não é o sacerdote que transforma o pão e o vinho na Eucaristia, o sacerdote é um instrumento e é consagrado para isto, quem o faz é Jesus,  pois Ele é Deus. É Jesus que usa o sacerdote para estar presente em nosso meio no Sacramento da Eucaristia. Esse é o maior milagre da Igreja. Quem é o autor deste milagre? - O ESPÍRITO SANTO. Quando o sacerdote pronuncia as palavras da Consagração: "...por isso peço que envieis o Espírito Santo sobre estas oferendas para que se torne o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo..."  (Oração Eucarística).           

 PARA VOCÊ APRENDER


As outras demais procissões são extras litúrgicas, são reconhecidas pela Igreja, mas não necessariamente uma obrigatoriedade para participarmos delas. Elas são exercícios de piedade cristã, que ajuda-nos na reflexão e nas devoções populares. Mas a procissão de Corpus Christi e a de Ramos são obrigatórias exige nossa participação. Isso é muito importante, porque as vezes, damos mais importância a procissões como: a do "enterro de Jesus" na sexta-feira santa, dos "passos", do "encontro de Maria e Jesus" e de outros santos. Mas esquecemos de dar importância a Jesus Sacramentado, o Santo dos Santos, o Senhor da Igreja, Deus Filho que está vivo e Ressuscitado na Eucaristia. Devemos entender na Igreja está Jesus Vivo e presente no Santíssimo Sacramento. Ou do contrário, estamos contradizendo a nossa fé e praticando a idolatria, porque não temos Jesus como nosso Senhor e Salvador. E cometemos apostasia porque não vivemos a fé que prosessamos ter diante da Igreja e da Santíssima Eucaristia. E o caminho para a heresia começa á partir do momento que eu deixo de dar importância para a minha vida sacramental.    

O MILAGRE EUCARÍSTICO DE LANCIANO
JESUS MANIFESTA SUA PRESENÇA REAL NA EUCARISTIA


JESUS SE MANIFESTOU EM LANCIANO (ITÁLIA) HÁ 12 SÉCULOS PARA NOS PROVAR A AUTENTICIDADE DA EUCARISTIA.

Aprendendo sobre este magnífico milagre:
O Dr. Orlando Linoli da Universidade de Sena,com sua equipe retirou pedaços para pesquisa, o que realizou, e após realizados os exames foram constatados e atestados o seguinte:  

Aumentando 200x  o corte analizado mostra que é tecido humano do coração.


Em outra ampliação, agora em 250x é possível analizar uma artéria.


Em outra ampliação agora em 400x fica claro que o tecido é do miocárdio;  a carne e o sangue é do mesmo tipo sanguíneo (AB).







             
   O traçado de um cardiógrafo, da amostra recolhida,atesta que é igual a da carne e do sangue de uma pessoa viva.








O milagre de Lanciano, na Itália,  aconteceu a mais de 12 séculos e está até hoje lá para comprovar a todo mundo a veracidade e a presença real Jesus na Eucaristia.
Na Idade Média, em Lanciano, na Itália, um padre ao celebrar a Missa, no momento da Consagração, teve dúvida sobre a presença real de Jesus na Eucaristia. Então para provar que Jesus estava lá, presente, nas espécies de pão e vinho, Jesus manifestou este milagre, misteriosamente, seu Corpo e seu Sangue real, quando ao levantar a Hóstia, o padre e os fiéis assistiram, vendo que a Hóstia tinha se transformado em carne, (carne humana). 
Depois de vários estudos, os médicos pesquisadores realizaram diversos testes e concluíram que: a Carne era um pedaço de tecido do miocárdio; e  a carne o sangue era humano do tipo AB. Isto é, carne de humano e sangue humano.
Realmente é um grande milagre. Jesus provou sua presença real no Sacramento da Eucaristia.

O Papa Paulo VI na Encíclica: "Misterium Fidei" vem nos dizer da presença real de Jesus na Eucaristia. Jesus está ali presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade
Isso para derrubar a falsa propagação das seitas e dos crentes que afirmavam que a Eucaristia era só um memorial. Não! A Igreja afirma e Jesus nos comprovou que ele mesmo está ali vivo, Ressuscitado. O coração de Jesus bate, presente na Eucaristia. Ele nos mostrou que se fez Pão para o sustento de nossa alma. 
E para que não tenhamos nenhuma dúvida a Ciência pode comprovar que a divindade e a humanidade de Jesus está na Eucaristia. Lanciano  prova viva desta presença Real  de Jesus no Santíssimo Sacramento do Altar.
Por isso sempre que puder, ou se possível uma vez por semana por 5 mim. visite Jesus no Santíssimo Sacramento. Ele espera por você. Tenha uma vida sacramental, participe da Eucaristia. Um presente de Jesus por nós é a prova de amor maior que Ele nos deixou: seu Cor e seu Sangue!    

(fonte das imagens do milagre Eucarístico de Lanciano, postadas neste site: www.catequisar.com.br)



 "O DESEJO DE VER-TE ADORADO, TANTO INVADE O MEU CORAÇÃO."
"EU QUISERA ESTAR NOITE E DIA, AOS TEUS PÉS EM HUMILDE ORAÇÃO!" 
      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.