quarta-feira, 12 de outubro de 2011

MISSIONÁRIOS E DISCÍPULOS - "Ide e anunciai o Evangelho a toda Criatura!" Mt28,1a

Texto de: Pe. Eduardo Doughuerty, sj - com complementação de Elmando V. de Toledo

"Deus,nosso Salvador quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade!" (1Tm 2, 3-4)

Para isso Deus nos chama, nos ajuda e nos procura de alguma forma. Ele quer ser conhecido e amado por todos nós. E no desejo de nos resgatar Deus nos fez algumas "loucuras" como, por exemplo, enviar seu filho, Jesus Cristo, para anunciá-lo, falar do seu reino e de seu amor por cada criatura humana. E, para conquistar nosso amor, não poupou seu único Filho, permitindo que ele morresse numa cruz para garantir nossa salvação, para estarmos junto d'Ele.

Para realizar sua missão, Jesus escolheu 12 apóstolos, escolhendo-os no meio do povo. Eram pessoas simples, comuns, como nós, mas que aprenderam como o Mestre dos mestres, com o Rei dos reis, a viverem como filhos de Deus.

Os Apóstolos que sucederam Jesus como líderes, tiveram a ajuda dos discípulos para anunciarem o Reino de Deus. E, a partir daí,o povo de Deus começa a se originar, como Igreja para, de geração em geração, fazer com que Cristo seja conhecido, amado e seguido, para que toda a humanidade chegue ao coração de Deus Pai.

Apóstolo e propagador de uma doutrina é aquele que evangeliza. Discípulo é aquele que recebe o ensino e segue a doutrina de alguém. Missionário é todo aquele que instrui a outros em matéria religiosa, é um propagador da fé.
Outubro é tradicionalmente, o mês das missões. Você já deve ter participado de uma ação missionária na sua cidade. Lembra? Os padres chegam, celebram missas, batizados, evangeliza o povo e, no final, com a ajuda de todos, instalam um cruzeiro para deixar a marca de sua missão.

Hoje como cristãos católicos, continuamos organizados na Igreja fundada por Jesus Cristo, seguindo uma hierarquia que não é poder e autoritarismo, mas de serviço. Assim temos o papa e os bispos, que são sucessores dos primeiros Apóstolos:
Vamos recordar?
(Simão Pedro, Paulo de Tarso, João, Mateus, Barnabé, Tiago, JudasTadeu,Tomé, Marcos, Tiago Menor, André, Bartolomeu).

Depois temos, os padres, os diáconos, religiosos e pessoas consagradas, que seriam os discípulos. E não menos importante, os leigos, que participam da vida da Igreja. Assim todos formam o Corpo Místico de Cristo, ou seja, sua Igreja viva, onde, nós somos os membros e Jesus Cristo a Cabeça deste Corpo Místico.

Enfim, todos nós somos chamados a conhecer cada vez mais, viver intensamente e a nunciar o reino de Deus neste mundo.
Como membros desta Igreja Viva, a responsabilidade de anunciar o Evangelho é de todos os batizados. Todo batizado é discípulo (a) de Jesus.

Porém Deus convidou todas as pessoas para a fundação de seu Reino, mas infelizmente, muitos ainda não conhecem Jesus Cristo e, de muitos outros recebeu uma triste recusa. Por isso os Apóstolos, discípulos e missionários e todos nós, que formamos a Igreja de Cristo, temos a missão de convidar a todos para o Reino de Deus, reino de amor e paz, de perdão e solidariedade e de compromisso com Cristo Ressuscitado.

Saiba que como batizado, você é um discípulo e missionário (a) e deve ter a consciência que Jesus te chama individualmente: "Vá e fazei todos meus discípulos!" .... Saiba que o Espírito Santo, está presente no seu coração. Ele que te fez filho (a) de Deus e membro de sua Igreja pelo Sacramento do Batismo, hoje pelo Sacramento do Crisma te envia em missão, para que toda humanidade chegue ao conhecimento da verdade que é Nosso Senhor Jesus Cristo.


A IGREJA MISSIONÁRIA

(De: Pe. Evaristo Debiasi)


 A Igreja de Cristo em sua natureza é divina é formada pelo divino e o humano, da transcendência e imanência. Ela não é iniciativa humana e nem nasceu das necessidades pastorais do tempo apostólico. É uma iniciativa exclusiva de Deus Pai em Cristo na Ação do Espírito Santo formando a Nova Aliança de Deus com os homens e dos homens com Deus pelos méritos da redenção de Cristo. Assim a oração, trabalho e espiritualidade e inserção social, mística e ação são inseparáveis do verdadeiro seguimento de Cristo.


Como comunidade de salvação e sacramento de Cristo a Igreja é chamada a encarnar, a visibilizar e a realizar em no tempo a presença real da divindade e humanidade de Jesus. Tendo Cristo por fundamento a Igreja é verdadeira quando mantém uma dupla fidelidade: fidelidade de comunhão com Deus e fidelidade de compromisso  e de comunhão com os homens. 


Não existe verdadeira vida cristã e nem uma sadia espiritualidade sem o amor a Deus e aos irmãos. A oração verdadeira gera a caridade pastoral e a caridade pastoral exige uma vida de oração. Tudo está presente na vivência do mandamento de Deus: "amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo" - Lev 18, 3.     


Esta é uma exigência da vida cristã que tem por fonte a encarnação de Jesus como verdadeiro Deus e verdadeiro homem. 
Falo isso para sermos fiéis a Cristo e a Igreja em nossa vocação missionária. 
Precisamos conhecer a verdadeira natureza da Igreja de Cristo para não nos desviarmos do seguimento do discipulado de Jesus e para vivermos como verdadeiros cristãos no mundo de hoje. Não deixa de ser verdade.


Após o Concílio Vaticano II não poucos no élan apostólico de levarem a Boa Nova de Jesus aos homens de nosso tempo priorizaram, por vezes, a inserção no mundo social acentuando a caridade pastoral em detrimento da vida espiritual, esvaziando a vida cristã de sua fidelidade maior.
E agora numa reação a este processo outros tanto estão caindo num erro não menos grave.


Cultiva-se uma vida espiritual apenas pessoal sem a caridade pastoral e social distanciando-se do compromisso com a sorte e o destino dos irmãos. É urgente recuperar a síntese e a harmonia entre o divino e humano. Entre o espiritual e a caridade pastoral. Somente assim seremos verdadeiros discípulos missionários de Jesus, como ensina o Documento de Aparecida, os ensinamentos da Igreja, particularmente os Evangelhos de Jesus a as cartas apostólicas. Não existe o amor a Deus separado do amor ao irmãos. "Se alguém disser que ama a Deus, mas não ama o irmão, engana-se, pois quem não ama o irmão que vê como pode amar a Deus que não vê?" "Este é o preceito que recebemos: quem ama a Deus também ame a seu irmão" 1Jo 4, 20-21.


Há muito de verdade na afirmação do psicólogo americano Ken Wilber quando afirma que a vida espiritual nos EUA passou por uma grande regressão narcisista sem um efeito sobre a ação social e política - (Anseln Grün). Uma verdade que também acontece entre nós.


Infelizmente não poucos cultivam a espiritualidade do bem estar, do salvar-se sem o outro, (cultura do individualismo), com social.
É bom saber que não é esta a verdade dos ensinamentos da vida de Cristo que viveu uma vida pautada de na fidelidade total à vontade do Pai  e no compromisso extremo de amor com a sorte humana. A oração do Pai Nosso, como expressão máxima do rezar e do existir cristão, na primeira parte fala do dever  de nossa relação com Deus e e na segunda fala de nosso compromisso de amor com os irmãos.  O papa Bento XVI na recente jornada mundial da juventude em Madri, ensinou que não existe vida cristã separada da comunhão com Cristo e os irmãos.


Sem uma consciência maior do verdadeiro conteúdo da vida cristã a liturgia se esvazia do espaço do silêncio da adoração, da celebração do sagrado e do mistério. Canta-se demais, fala-se e gesticula-se demais. 


OS NOVOS MOISÉS 


Texto de: D. Murilo Krieger, scj.


"De poucos personagens bíblicos temos a aprender tanto com Moisés".


A Bíblia é, ao meso tempo, o livro que nos revela os passos de Deus à procura do ser humano e o livro que apresenta as resposta do ser humano às propostas divinas. Cada pessoa ou comunidade tem muito a aprender coma queles que exerceram missões na história da salvação. Somos convidados a olhar para suas virtudes e imitá-los; a tomar conhecimento de suas fraquezas, para não repetirmos seus erros. 


De poucos personagens bíblicos temos a aprender tanto com Moisés - ele que libertou os hebreus da escravidão egípcia, que lhes deu a Lei, promulgada no monte Sinai, e que conduziu até a terra prometida.
Moisés não queria acreditar no que ouvia. Mas como não acreditar se era o próprio Senhor Javé quem lhe falava? "Vai, desce! porque  se corrompeu o teu povo que tiraste do Egito. Desviando-se do caminho que prescrevi; fizeram para si um bezerro de ouro fundido, prostraram-se diante dele e ofereceram-lhe sacrifícios..." (Ex32, 7-8). Mais difícil era acreditar que seu próprio colega, Aarão, chamado também a ser líder, tinha aceitado a proposta da multidão, para fazer um deus que marchasse à sua frente.


Mais: ele coordenara o recolhimento de brincos de ouro, fundira o bezerro e construíra um altar diante do qual era oferecido sacrifícios. Se para Moisés não era fácil ver a sua gente comendo, bebendo e fazendo festas em honra de um "deus" esculpido por mãos humanas, como, então, compreender a atitude de Aarão?


Mesmo assim, Moisés não aceitou o que o Senhor lhe propôs: "Deixa, pois, que se acenda a minha cólera contra eles e os reduzirei a nada; mas de ti farei uma grande nação". Ex 32, 10.


Moisés concordava que era uma raça de "cabeça dura"; no entanto, sentia-se responsável por ela e pediu misericórdia e perdão. O terrível gesto de idolatria teve sérias consequências para aquele povo chamado a ser "um reino de sacerdotes e uma nação consagrada" (Ex19, 6); não ocorreu contudo a rejeição que Moisés tanto temia. 


No tempo tem urgente necessidade de novos Moisés. Assim como o povo escolhido se cansou, em um dado momento, dos sacrifícios da caminhada, procurou agarrar-se a coisas mais concretas, hoje não poucos cortam de suas vidas qualquer preocupação com a vida eterna e vivem em função do imediato, do palpável, do prazer aqui e agora. Pior ainda, mais que o ateísmo intelectual é o ateísmo prático: não discute a respeito da existência de Deus ou de temas como os "novíssimos" morte, juízo, inferno e paraíso; vivem como se nada disso fosse realidade e acabam-se construindo um estilo de vida segundo a nova situação dando um novo vigor à tese do filósofo francês Blondel:


"Quem não vive como pensa, acaba pensando como  vive".  


Necessitamos de novos Moisés. Não é preciso que reajam como o primeiro que, quando se aproximou do acampamento e  e viu o bezerro de ouro e suas danças, "sua cólera se inflamou, arrojou-se de suas mãos as tábuas e quebrou-as ao pé da montanha. Em seguida, tomando o bezerro que tinham feito, queimou-o e esmagou-o até reduzir a pó, que lançou na água e fez beber os israelitas" (Ex32, 19-20).


Os Moisés de hoje tenham a capacidade de interceder pelo povo com orações e súplicas, saibam oferecer a própria vida em favor dos irmãos; sejam tão seguros do que querem que não se importem de formarem incompreendidos e ridicularizados; acreditem que é possível vencer o mal com o bem e, sobretudo sejam animados de consoladora certeza: a semente, ao ser jogada na terra, desaparece, mas depois germina, transforma-se em planta que produz frutos; a vida nasce da morte e a cruz, contudo o que significou de fracasso e humilhação, foi o passo necessário para que acontecesse a salvação.
Surjam logo os novos Moisés! E que eles não se esqueçam de levantar sua tenda de reunião, onde possam se entreter com Deus face a face, "como um homem fala a um amigo" (Ex33, 11). A presença desses novos Moisés na terra dos homens será a garantia de que Deus não cansou de seu povo, apesar dos "bezerros de ouro" que continuam a ser fabricados e adorados.         


                           






                   


sábado, 8 de outubro de 2011

OS SANTOS ANJOS DE DEUS - Eles são nossos amigos e protetores!


Ouvimos muito falar sobre os Coros dos Anjos, sobretudo por causa do misticismo religioso. Mas, dentro de nossa fé e dentro do que a Igreja ensina sobre a existência dos Santos Anjos.
Você sabe quem são eles? E porque eles existem?


Muita gente já ouviu falar a respeito dos Santos Anjos. E é verdade, eles existem. Nós não os vemos, mas eles estão aí por toda parte. Eles não são pessoas ... são espíritos... não assumem corpos... (embora, em alguns casos, podem representar-se sob forma humana), e portanto, não tem sexo. Não existe anjas, apenas anjos!

Deus os criou para que o servissem. Por isso, os Anjos são seres especiais, que O servem diretamente. Eles se manifestam nas várias situações em que Deus precisa. Por isso são servidores especiais de Deus; eles agem puramente ao comando de Deus e nunca ao nosso comando. A existência deles está fundamentada na Sagrada Escritura, que cita várias vezes a presença deles. 


A palavra anjo ou 'ânguelos' em grego, ou ainda, em latim, angelus, significa mensageiro, portadores de notícias. O nome anjo dá a ele não o que pode significar a pessoa, mas a sua missão. Quanto à natureza, eles são espíritos. Ou seja, é anjo por aquilo que eles fazem e são espíritos por aquilo que eles são. São seres dotados de vontade, inteligência, individualidade e liberdade.   
Mas, a principal função destes seres  é cantar e louvar a Deus.
Os Anjos são espíritos, por isso, não os vemos, eles existem em multidões que não podemos contar.
Não estão sujeitos ao tempo e ao espaço. Por isso não dependem da matéria para se manifestar. Eles também são comunicadores de graças especiais, pois traz para nós a graça e a proteção divina quando precisamos. 
Mas como entender a existência desses seres?
A principal maneira de entender é na Sagrada Escritura, onde várias vezes temos o testemunho das comunicações e das ações destes seres especiais em diversos momentos e situações.

a) Na criação do mundo e do homem lá estavam os anjos. (Gen 1, 26).
b) Quando Deus prova Abraão, o Anjo do Senhor intervém para que seu filho não seja sacrificado. (Gen22, 9-12.15); também aqui o Anjo lhe traz a promessa de Deus de fazer de Abraão uma nação santa para Ele.
c) Jacó, vê em sonho, os Anjos que o servia a Deus no céu. (Gen28, 10-13).
d) O Anjo Rafael se apresenta a Tobias (ou Tobit), para curar os olhos de seu pai e se manifesta como servidor do Trono e que estava cumprindo a missão de Deus. (Tob11, 7-8.14-18) - O nome Rafael significa: Deus Cura.
e) Em Sl33, 8; Sl90, 10-11;  - Os anjos de Deus são nossos guardiães e nos livra dos perigos.


f) No Novo Testamento, vemos a manifestação do Anjo Gabriel ao anunciar a encarnação de Jesus. Gabriel é mensageiro da paz. (Lc1, 26-28) em Lc2, 9-12 - Os anjos são anunciadores da Boa-Nova e cantam louvores a Deus alegraram-se pelo nascimento de Jesus.

g) Os anjos são cumpridores da justiça divina. (Mt24, 31-Mt25, 41)

h) Os anjos ajudam a Deus para que sejamos salvos. (Hb1, 14).
i) Quando estamos com Deus, quando agimos na caridade, nossa casa está hospedada pelos anjos de Deus que nos dão proteção. (Hb13,1-2).

j) Os anjos estão submissos a Cristo. (1Pd, 22)
k) O coro dos anjos louvam a Jesus Rei porque ele realizou a salvação da humanidade. "Ele é digno de receber toda honra e toda glória". (Ap5, 11-12)

l) Os anjos combatem a nosso favor, Miguel é o príncipe da milícia celeste e nos defende das forças do mal. (Ap12, 7-9).
m) Na Ressurreição de Jesus, são os anjos que deram às mulheres a notícia da ressurreição. Eles retiraram a pedra do túmulo onde Jesus tinha sido sepultado. E na Ascensão, Jesus sobe ao céu rodeado pelos anjos. E ao mesmo tempo, esses anjos anunciaram a segunda vinda de Jesus. Mt 28, 1-3.5-7; At1, 9-11.
n) Na caminhada do início da Igreja, após prenderem os Apóstolos,  Deus interviu e mandou que o Anjo os soltassem. At5, 17-19.
o) Também, no início do cristianismo, vemos o Anjo de Deus ajudando o Apóstolo Felipe, na conversão do ministro da rainha da Etiópia. At8, 26-40 - (vale apena ler). 


p) Também quando Jesus voltar (Parusia), Ele virá junto aos seus anjos para julgar os vivos e os mortos! - (Mt 25, 31.41) Separará os bons dos maus. Os maus ficarão no céu com Ele, e os santos anjos. Os maus serão levados para o inferno, para junto de satanás e de seus anjos maus.
Porque antes da Terra existir, os anjos foram divididos, quando Lúcifer ou anjo de luz, e seus anjos seguidores  revoltaram-se contra Deus e foram expulsos do céu, tornaram-se demônios (=satanás, diabo, belzebul) ou anjos maus, inimigos de Deus e fazem de tudo para atrapalhar os planos de Deus. Foi dessa forma que o pecado entrou no mundo. A palavra satanás, quer dizer anjo caído; perdido sua glória no Céu, Lúcifer, príncipe dos demônios tem grande ódio de Deus. Ele mora na terra, e Jesus no Céu.
(Cf. Gên 3, 1-19; Ap 12, 7-12;.17-18; Mt 13, 19.39-41) 
  

Também nas Aparições em Fátima-Portugal (1917), antecedendo a elas, um anjo apareceu aos videntes Lúcia, Francisco e Jacinta, e rezava com eles, várias vezes se prostrando ao chão adorando Jesus.     


Como vê vários são os exemplos da ação dos Santos Anjos. Eles agem em muitas situações em que Deus precisa intervir.
Ou nos trazem alguma comunicação de graças que Deus nos favorece.


Eles são seres puros, criados por Deus, são amigos de Deus. Quando Deus criou o mundo, ao criar o homem, lá estava os anjos. A Bíblia relata esta criação no plural, para dizer que não só a Trindade estava presente nesta obra mas toda corte celeste. "Façamos o homem a nossa imagem e semelhança!" - Gen1, 26. A palavra 'façamos' escrita no plural indica-nos que na criação do mundo, não só a Trindade estava presente mas também os Anjos de Deus.


Os Anjos seres incorpóreos, ou seja, não têm corpo material.


Se na Bíblia, algumas vezes, eles se mostram com aparência de um corpo humano, é porque para realizar a missão, eles precisam 'aparecer', precisavam serem vistos.


E como cumpriam a missão de Deus, eles precisavam serem vistos aos olhos humanos.



Os anjos por serem inteligentes, são capazes de compreender a soberania de Deus e que são criaturas divinas, criadas por amor e que devem adorar e servir a Deus, louvar  seu nome para sempre sem cessar, mas com submissão amorosa. Com sua inteligência são capazes de entender que sua grandeza e santidade foram dadas por Deus e também sabe que é nos servir e adorar que reside sua felicidade celestial. 


Os anjos são seres espirituais dotados de vontade própria. Sua vontade lhes dão a possibilidade de decisão em sua vida nos relacionamentos com Deus e nas missões dele recebidas.


Mas porque compreendem que Deus é o bem supremo e a fonte de sua felicidade celestial, os anjos tem sua vontade toda voltada para Deus. E jamais decidem algo que sejam contrário à vontade de Deus.


Os anjos possuem liberdade. Mas, a liberdade deles deve ser compreendida no seu verdadeiro significado. "livre é aquele que escolhe o bem, o verdadeiro, o justo e bom por sua própria iniciativa". Sabemos que Lúcifer e outros anjos abusaram da liberdade e foram condenados, quiseram ser deuses, e foram expulsos do Céu.
Os Santos Anjos sabem que a felicidade consiste em estar com Deus livremente e  "escolhem" servi-lo com amor.


Por isso, os anjos são "servidores" por excelência, são mensageiros de Deus, executores de sua palavra, e obedientes ao som da sua voz. Sl 103, 20.


Baseado nas citações sagradas, alguns estudiosos os dividem em 03 hierarquias.  Cada hierarquia é formada por 03 categorias, formando ao todo nove categorias ou ordem de espíritos angélicos.


A primeira é formada pelos espíritos Serafins, pelos Querubins e pelos Tronos. Esses se mantém junto ao trono de Deus,  o adoram, o contemplam e engrandecem o Senhor. Os Serafins são inflamados do amor de Deus.  Os Querubins portadores da Ciência divina. Os Tronos vivem da "fruição perpétua" da presença de Deus.


A segunda é formada pelos espíritos Dominações, pelos Virtudes e pelos Potências. Os dominações organizam, dão ordens aos outros espíritos. Os espíritos Virtudes, são executores: agem, cumprem. E os Potências exercem seu poder de remover obstáculos ao plano divino (são combatentes) e favorecem sua realização.


A terceira hierarquia é formada pelos Principados, chamados de Arcanjos e Anjos. Os Arcanjos exercem poderes em nome de Deus, para o reino de Deus em regiões maiores: países, estados. Os Arcanjos exercem domínios sobre cidades. Os Anjos exercem o cuidado de pessoas. (Cf. Legenda Áurea pg.813-824).


E bem verdade que os escritores  sacros divergem, não do nome das categorias, mas, das atribuições de serviço. Mas em verdade todos eles são criaturas de Deus e estão a seu serviço. Contribuem não só para a felicidade do Céu mas, para a nossa felicidade, quando recorremos a eles. Eles servem a vontade Deus, e não a vontade humana, mas podem servir de refúgio e abrigo na hora das tentações, do perigo, das provações e de quaisquer outra situação, basta que você peça. É!, basta pedir, eles são nossos verdadeiros amigos e não nos traem! Pelo contrário eles tem o poder de agir em nosso consciente para nos prevenir dos perigos, inclusive até de pecar. 


Jesus Cristo é o centro de todas as classes de anjos.  Lemos em Mt 25, 31: "quando o Filho do homem vier com todos os seus anjos..." Os anjos são de Jesus porque foram criados por Ele e para Ele. Lemos em Cl1, 16. "Pois foi nele que foram criadas todas as coisas, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis: Tronos, Dominações, Potestades"; tudo foi criado por Ele e para Ele. 
Os anjos são de Jesus porque Ele os fez mensageiros de seu projeto de salvação. 
Em Hb1, 14: "por ventura não são eles todos espíritos servidores enviados a serviço dos que devem herdar a salvação?"
Desde a encarnação até a Ascensão de Jesus é cercada pela adoração e serviço dos Anjos. 
No nascimento de Jesus um coro celestial cantou o "glória a Deus nas alturas..." (Lc 2, 14) - Protegem a infância de Jesus avisando José para fugir da perseguição de Herodes. (Mt1, 20. 2, 13-19). Servem a Jesus no deserto, (Mc1, 12). O conforta na hora da Agonia, no Horto das Oliveiras, (Lc22, 43).



Cada um recebe desde a sua concepção um anjo pastor, esse anjo é o Anjo da Guarda. A quem devemos sempre recorrer. Eles receberam de Deus a missão de nos acompanhar por toda nossa vida, a fim de nos auxiliar no cumprimento da vontade de Deus, até o fim de nossos dias. Nos ajudam a vencer as opressões, que são feitas pelos anjos maus, e os afasta de nós. Ele nos dá inspirações, noções a fim de distinguir o certo e o errado, evitar o mal e fazer o bem.


Ele nos adverte, por meio da consciência, se estamos fazendo as escolhas certas. Também é nosso intercessor valioso diante de Deus, porque conhece as nossas limitações, nossas necessidades e intenções. É por meio dos anjos que nossas orações são levadas a Deus. Eles as apresentam com a fumaça do incenso, diz o Apocalipse. 
É muito importante que saibamos estabelecer laços de amizade com nosso anjo da guarda, acreditar na sua presença, sermos dóceis e obedientes às suas inspirações. E, por meio da Oração recorrer sempre a sua intercessão. LEMBRE-SE DE QUE:


1) Os anjos são espíritos criados por Deus em particular e não almas de  pessoas que morreram. São espíritos puros, mas com total obediência e servidão a Deus.
2) Temos que ter o cuidado para não pensar que os anjos são nossos "empregados", ou que estão a nossa disposição para fazer tudo aquilo que queremos à força ou guiados pela superstição ou pelo exoterismo.
3) Lembrar sempre que: os anjos cumprem em especial a vontade de Deus e nunca a nossa vontade. Mas eles podem nos ajudar, estão aí para isso, sempre que precisarmos algo de bom. São eles que apresentam nossas orações diante de Deus!
4) Os anjos apresentam diante de Deus as nossas Orações: louvores, súplicas e agradecimentos. 
5) Por determinação divina os anjos são nossos guardiães e estão ao nosso lado sempre.
6) Os anjos por estarem diretamente ligados à Deus, podem se quiserem manifestar-se em qualquer tempo  e espaço, assumir formas, mas nunca encarnar em um corpo.
7) Nunca podemos deixar de rezar e agradecer o amparo que eles sempre nos dão de forma silenciosa e tão amiga.
8) Os Anjos da Guarda depois de Jesus são nossos maiores amigos.   

QUANTO A QUEDA DOS ANJOS - TAMBÉM CHAMADOS DE DEMÔNIOS PE. PAULO RICARDO NOS ENSINA COMO ENTENDER À LUZ DA DOUTRINA DA IGREJA SOBRE ELES. VAMOS ASSISTIR ESTE VÍDEO:
 
video


Depois de ler e aprender biblicamente o correto sobre a existência dos anjos e o que eles representam, além do valor de sua existência, temos que nos libertar das correntes maléficas do ocultismo, isto é, de seitas e de pessoas supersticiosas que os colocam como deuses.
Quanto aos nomes próprios dos anjos, a Bíblia nos revelou apenas três: Miguel, Rafael e Gabriel.

Esses Anjos agiram e contribuíram com a História da Salvação. Os demais sabemos o nome das hierarquias, mas não seus nomes. Por que digo isto? porque é comum os ocultistas dizrem por aí vários nomes de anjos, isto é uma mentira! Todos esses nomes foram inventados, fantasiados, por essas seitas pagãs. A Bíblia nunca nos revelou a mais do que precisams saber. Bom seria se soubéssemos o  nome de nosso anjo da guarda, por exemplo, mas isso não nos foi revelado por Deus. 

No ocultismo, e no exoterismo, eles ensinam que há anjo pra tudo, isso não é verdade, agora sabemos que existe uma hierarquia, que os anjos também são submissos a Deus e nunca a nossa vontade e que a principal função deles é cumprir a vontade de Deus; eles não podem interferir em nada se não for por ordem expressa de Deus. E que anjo, não tem sexo, pois é espírito!  

Os ocultistas e os gnósticos pensam que eles são capazes de resolver tudo, não é verdade. É anjo pra lá, anjo pra cá, tudo ligado às superstições.

A devoção aos santos Anjos deve ser incentivada, mas, sobretudo, deve ser observado de que eles, assim como  todos nós, somos criaturas de Deus, e como tais, somos servos de Deus. Os Anjos não são deuses, não podem fazer por nós daquilo que não for da vontade de Deus.

Os Anjos, assim como os santos (as) podem sim, interceder por nós e se for da vontade de Deus podem nos ajudar. A única coisa que os anjos podem fazer sempre por nós por missão direta é a nossa guarda, isto é nossa proteção. Eles nos guarda e nos guia. Mas para isso temos que pedir, pois eles respeitam nossas decisões. Você tem costume de pedir proteção ao seu anjo da guarda? ... Você pede proteção para ti e sua família, amigos, etc? Pois é, é preciso, pois, mesmo eles tendo ordem de Deus para nos proteger, não vão agir se não quisermos.

Agora, as demais coisas, como: bênção e cura,etc. Eles nos trazem na medida em que Deus os autoriza fazê-los.            


Por isso, rezai comigo esta Oração:






SANTO ANJO DO SENHOR, MEU ZELOSO PROTETOR. SE A TI, DEUS TE CONFIOU A MISSÃO DE CUIDAR DE MIM. EU VOS PEÇO: DEFENDEI-ME EM TODAS AS MINHAS NECESSIDADES E NÃO PERMITAIS QUE EU SEJA ENVOLVIDO PELO PECADO. LIVRAI-ME DAS CILADAS DO INIMIGO. AGRADEÇO-VOS DE TODO CORAÇÃO A VOSSA INTERCESSÃO E VOSSA PROTEÇÃO.
AJUDAI-ME, MEU SANTO ANJO, A FAZER COM QUE EU POSSA AMAR, LOUVAR E SERVIR AO SENHOR DEUS, OBEDECER SEMPRE AS PALAVRAS DE JESUS E SER DÓCIL AO ESPÍRITO SANTO.
SANTOS ARCANJOS DE DEUS: MIGUEL, RAFAEL E GABRIEL, VINDE EM MEU AUXÍLIO!
GLÓRIA AO PAI, AO FILHO E AO ESPÍRITO SANTO. COMO ERA NO PRINCÍPIO AGORA E SEMPRE. AMÉM!             

  
    
  


           

   
               
                   

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

VOTO, A ARMA DA DEMOCRACIA

Estamos mais uma vez nos preparando para as próximas eleições em 2012. 
Desde que a democracia foi inventada na Grécia antiga, não há nada melhor do que ela se for usada corretamente.
O direito à cidadania só acontece porque existe a democracia. E o que significa esta palavra tão comunicativa? - significa que todos nós temos o direito de expressar o que sentimos, cobrar nossos direitos e ajudar a melhorar o País, o Estado, a cidade e o bairro em que vivemos. A democracia se faz com a participação de todos. Também nos dá o direito de elegermos nossos representantes, homens e mulheres que após eleitos, trabalharão para o povo e pelo povo. A democracia também nos dá o direito à justiça e ao exercício da cidadania, como: cobrar nossos direitos, protestar e dar opiniões públicas.
Mas, temos que tomar o cuidado para não fazer uso da democracia para tirar certas "vantagens" que pode ajudar você mas, pode prejudicar outras pessoas. 
É assim que chegamos ao ponto principal, o voto. O direito de votar é muito importante na democracia, pois é através dele que é estabelecido o elo entre nossos direitos e os direitos dos outros, entre nossos deveres e o deveres dos outros.


É pelo voto que decidimos quem irá nos representar legalmente frente a uma organização social, religiosa ou política. O voto é direito de todo cidadão e deve ser bem exercido.
O voto é uma arma poderosa porque, com ele podemos mudar as coisas para melhor ou para pior.
A propósito... você já parou pra pensar como deve ser o seu voto no dia das eleições? Não?!
Pois é, está aí o maior perigo que um cidadão pode correr quando não exerce bem o seu direito de votar. 
Vamos pensar....
O salário que você recebe... quem é que decide? - quem decide são os políticos aos quais nós escolhemos e votamos.
E as leis absurdas que não servem pra nada? - quem as fazem são aqueles aos quais nós escolhemos.
E os desvios de dinheiro, os lobistas, os que tem paraísos fiscais? ... também fomos nós que escolhemos.
Poderia citar muito mais, mas, acredito que você já entendeu do que falo agora.
O voto é uma arma, a arma da democracia. Ele pode tanto ajudar o País a viver, como pode matá-lo. Por exemplo: 

Os noticiários dos jornais ultimamente estão falando muito sobre o caus que se instalou na Saúde pública, na segurança e no transporte coletivo. Você já parou pra pensar porque isso acontece? De quem é a culpa?
Será que a culpa é só dos políticos? - Não!, a culpa não é só dos políticos, ela é em grande parcela daqueles que votaram mal. Isto é não exerceram verdadeiramente e conscientemente seu direito nas urnas.
Se vota neste ou naquele sujeito, (que as vezes nem se conhece), porque ele deu uns trocados para você pagar um exame, fazer um churrasco, comprar um material de construção ou uma cesta básica, ou quem sabe uma caixa de remédio... etc - mas para onde foi o direito do voto? - pelo ralo - pois o voto vale muito mais que isso, ele é indispensável e muito caro para desperdiçar. Aliás a venda de voto é crime.
Quando vemos as obras que custaram milhões, inacabadas, fome, miséria, falta de leitos nos hospitais, falta de remédio no SUS, falta de médicos, salário baixo dos professores, mensalões, desvios de verbas, aposentadoria sem reajuste justo, falta de segurança, a corrupção, ficamos indignados, não é assim? - no meio dos indignados estão aqueles que no da eleição ao invés de eleger um bom candidato, vendeu o seu voto, ou só votou porque é obrigado pela Justiça Eleitoral. Ou seja um voto sem compromisso com o país e com você mesmo. A consciência deixada de lado pelo egoísmo. A culpa é nossa por tudo de ruim pelo que acontece com o nosso País. 
Além do mais, o cristão que não põe a mão na consciência e vota mal, comete um pecado contra Deus, o País e contra sua própria família. Porque vemos tanta gente envolvida em corrupção sendo eleita?, porque na maioria das vezes votamos nas mesmas pessoas. E não damos o direito de mudar a cara do Brasil.
Você já parou pra pensar quantos acusados de corrupção foram julgados e condenados pelo STF? - alguns ... no meio de muitos ... muitos se safam... ah! mas preferimos dizer que a culpa é do Código Civil e que a Lei brasileira é fraca, não pune... sabe por quê? porque há muito mais conchavos políticos do que senso de justiça. Sabe quem deve mudar isso? ... seu voto.
    
Recentemente o fato mais comentado é a lei da pena de fiança em troca da prisão em flagrante... o fracasso da aplicação da Lei Maria da Penha... o fracasso da Lei Seca... - as pessoas ficam indignadas - mas foi o candidato que votamos que criou essa lei. 

Claro que não podemos achar que tudo irá resolver o problema do País, (que aliás já começou com corrupção), mas devemos estar atentos, pois quem vende seu voto, como pode exigir depois seus direitos se já recebeu tão pouco por ele?
Depois que os candidatos foram eleitos, será que todos ajudam a fiscalizar os gastos públicos?... o brasileiro ainda não está acostumado a cobrar seus direitos. Por exemplo: quando acontece uma reunião para a escolha do líder de bairro, quem vai, quem se interessa? - muitas vezes a falta de orçamento, de verba para o saneamento básico, para a construção de escola, para o calçamento, para a construção daquela passarela tão necessária, etc. não chega ao bairro, sabe por quê? - porque não existe a participação da comunidade, dos eleitores. Muitos nem sabem que o líder de bairro possui o dever de apresentar à Câmara de Vereadores as propostas das comunidades, e, por isso não votam no líder, nem se interessam em saber quem é. Como haver melhorias? como cobrar das autoridades se você nem conhece o representante do bairro? - pois é! a democracia não é importante só para os políticos, mas, ela só acontece, só se faz com a participação de todos, pois, a sociedade é feita sob a democracia, e esta, deve ser vivida.     

Então vamos mudar nossa forma de pensar, se quisermos um Brasil melhor. Use sua arma o voto, mas não se esqueça que um bom governo, uma boa liderança depende das escolhas que fazemos. Não jogue no lixo este sagrado direito. Vamos mudar nosso jeito de agir e pensar; vamos fazer pra valer acontecer a democracia no Brasil.


Você já parou para pensar como é viver em um país sem democracia? pois, saiba que ainda existem países que não tem esse direito. Nós temos e não valorizamos. Demoramos muito a conseguir esse direito, quem viveu o período da ditadura militar sabe do que falo, sentiu, viveu isso na carne. Agora que temos esse direito não podemos desperdiçá-lo com nossa falta de consciência. Política não é só para quem é eleito, mas é muito mais para quem elege. Conhecer bem seu candidato, o que ele fez, sua vida, sua moral, seus princípios, sobretudo cristão, faz parte de uma boa escolha na hora de votar.
O Brasil já teve grandes nomes, por aqui passaram grandes homens e mulheres, mas é preciso mais. Devemos aos bons homens e mulheres o que já conseguimos. Mas devemos nunca esquecer que os caminhos da Justiça só se constrói na democracia; e uma boa democracia se faz pelo exercício legal e consciente do seu voto.


 SEJA RESPONSÁVEL E TERÁ UMA JUSTIÇA RESPONSÁVEL.