domingo, 23 de setembro de 2012

FÁBRICA DE MONSTROS


"Autoridade não é conferida por ninguém, trata-se sempre de uma conquista pessoalíssima, de um patrimônio que segue como sombra o merecedor". 


Estadista é o governante que aprendeu a esquecer de si e como um bom pai atua em função dos interesses da nação, mesmo que isso signifique perdas pessoais, incompreensões, dores e sofrimentos.
Normalmente o estadista não tem muito sucesso enquanto vivo, pois é um que aprendeu a dizer não ao desperdício, ao excesso, a quem pensa apenas para si, mesmo quando representa perdas para o conjunto da nação. 
Ele age olhando para frente, e sabe que o sacrifício de hoje pode ser o sucesso de amanhã.
O estadista precisa ter coragem, assumir posições claras, dar o seu exemplo com gestos e atitudes. Ele compreende que o pedestal de sua fama irradia tendências, surge como exemplo. Influencia, dita regras de comportamento. Se ele se excede não poderá chamar atenção  de outros que sob seu comando também se excedem. Precisa ser austero para ter autoridade. 
E autoridade não é conferida por ninguém, trata-se sempre de uma conquista pessoalíssima, de um patrimônio que segue como sombra o merecedor.
A autoridade dissipa dúvidas, se transforma em confiança, inspira capacidade de superação à volta. Se for muito honesto (para ser estadista precisa ser honesto) em suas palavras e decisões não terá de lidar com desonestos. Do estadista emana uma força capaz de mudar, de corrigir, de influenciar sutil e severamente toda área a ele confiada.
Essa autoridade pessoal, é um poder de transmutação, ergue-se como força poderosa de evolução. O estadista de verdade passa de uma consideração humana, para uma outra super-humana (mahatma), chega a considerar em si um poder extraordinário que amolda e leva a evoluir. Gandhi é um dos raros exemplos desses "milagres" acontecidos no século passado. Estoico e pacifista, ganhou "guerras" extremas sem torcer um cabelo. Libertou a Índia do julgo britânico.
Para mostrar solidariedade com o seu povo, viajou de trem e de navio ocupando a terceira classe, sua alimentação era frugal e vegetariana, submetendo-se as privações e desconfortos que os mais humildes cidadãos tinham que enfrentar. Chegou a ser idolatrado pelo povo indiano e respeitado pelo mundo inteiro.
Seu exemplo transformou a forma de fazer política em seu país. Ativou processos portentosos de melhoras, fez de um país colônia, um país soberano.
Nossos governantes em geral vivem e movimentam ao contrário de Gandhi, se apropriam desrespeitosamente  das receitas dos contribuintes, comunga-se com os delinquentes, praticam nepotismo despudorado, erguem palácios no meio de barracos, são generosos aos excessos com os amigos e deixam multidões morrendo nas filas dos hospitais. 
Agem - já sem mais se aperceber movidos obcecadamente   para manter o poder, já que fora dele não saberiam viver. Esgaçam a moralidade da nação, levam o descaminho inteiras gerações  com seus exemplos devassos.
Pior, sem se constrangerem com nada. Assessores nomeados, verdadeiros delinquentes, sôfregos pilantras. Entretanto, são por eles amparados nos meandros do governo, ainda cobertos de privilégios a espera que uma curta quarentena apresente uma oportunidade de voltar ao assalto da república.
O que podemos esperar para o futuro?
Que sementes estão endo espargidas?
Submetidos ao exemplo devasso dessas tristes figuras, quantos monstros estão sendo moldados entre as novas gerações?     

***************************************************

Nesse ano de eleições municipais, vamos nos deparar com os velhos e conhecidos candidatos que só lembram que os eleitores , os problemas da cidade, da sua rua, do seu bairro existem até o dia das eleições. Prometem de tudo, chegam as nossas casas como velhos amigos, abraçam, alguns compram a dignidade do eleitor com dinheiro e materiais de construção.
Depois vão embora e, se eleitos, nunca estão em seus gabinetes para atender a população. Nunca podem visitar uma rua, uma escola, uma praça, um hospital que precise de reforma e ajuda. Muito menos lembram que o pobre existe.

O texto escrito acima mostra o quanto é difícil ser um bom político, um estadista, ou uma pessoa vocacionada à vida pública nesse país.
Vemos pelos noticiários tantas CPI's e CPMI's que nunca resolvem nada e porque isso acontece? Porque a corrupção no Brasil não atinge só os culpados mas envolve grande parcela dos políticos.
O título "Fábrica de Monstros" é uma verdade, são monstros porque engolem nossos impostos, empurram com a barriga os muitos projetos que vão a favor do povo brasileiro e muitas vezes nem sempre CPI é sinônimo de apuração+punição.

O "Caso Cachoeira" por exemplo é um deles, ninguém fala nada, ninguém sabe de nada, ninguém fez nada. Parece que só Cachoeira e o Demóstenes Torres são os únicos culpados. Mas o grau da corrupção vai muito além desses dois, envolve muito mais gente desde prefeitos até senadores e governadores. Mesmo diante das escutas telefônicas e da investigação minuciosa da Polícia Federal,  os investigados ainda se negam a dizer que "tudo é mentira, armação e calúnia".

Será que dessa vez todos nós vamos aprender a bem votar? 
Será que nossa consciência de cidadãos é capaz de discernir o bom e o mau político e essa diferença nos trará uma melhor decisão nas urnas?

Este é o momento de pensarmos em nosso papel de cidadãos, não há outro lugar que possa expressar nossa vontade e nossa decisão de mudar o rumo de nossa cidade, Estado e País senão pela Urna. É nela que cada um exerce seu poder único, legítimo e indelével.

Ao ver nossos hospitais superlotados com pessoas morrendo a míngua, ao ver nossas escolas precisando de mais professores, ao ver nossos postos de saúde com poucos médicos, ao ver nossos impostos irem pelo ralo, ao verem obras essenciais paradas. Ao verem nossos bairros, ruas e avenidas precisando de calçamento etc. Ao verem nossos filhos nas drogas, nosso povo sofrido passando fome porque são sufocados pelos impostos embutidos nos preços alimentos, o combustível, a água e a luz caros. Qual será sua atitude nas urnas?

Pense nisto... pense que muitos que estão lá no poder hoje e que causam a desgraça de tantos foi eleito por você então não só eles tem a culpa mas todos que neles votaram são culpados por esse Brasil ainda fazer sofrer tantos cidadãos.
                            





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.