quinta-feira, 13 de março de 2014

A SANTÍSSIMA TRINDADE

A base do cristianismo é a Santíssima Trindade, todo cristão ter por lei que acreditar na existência dela. Mas o que é a Santíssima Trindade?
Sabemos que nossa religião professa que Deus é um só. Deus Pai que tudo criou, também nos fez. E nos fez à sua imagem e semelhança. Mas esse mesmo Deus não quis ficar escondido, embora sendo Deus por amor a sua obra se revelou aos homens. Deus Pai não é fruto de nossa imaginação. Acreditar em sua existência vai além de nossa compreensão, pois, se olharmos bem ao nosso redor, para as coisas criadas, até mesmo a própria vida que temos e tudo que nos rodeia, podemos perceber que alguém muito diferente e superior a tudo as criou. Esse alguém é Deus Pai. O mundo ensina-nos  a existência de vários deuses, mas para os cristãos Deus é uníssono. E já existia antes do nada, isto é antes de tudo existir como vemos, Deus já existia. Ele é um Espírito perfeito. A Ele tudo pertence, seu início, meio e fim.  
Mas se Deus é um só como pode ser dividido? esta é a pergunta que muitos fazem. E sabemos que não é fácil entender a existência de Deus, muito menos ao que se refere a Santíssima Trindade.
Pois bem, Deus não está dividido. Ele simplesmente se revelou a nós de forma que possamos compreender e aceitar o seu amor por nós na medida das nossas necessidades e fraquezas. E a isso chamamos de "revelação divina". Deus se manifestou aos homens de forma que eles possam estabelecer um vínculo de amor e de reconhecimento da sua existência e possa assim prestar-lhe culto, adoração e serviço. Também por amor a nós se revelou como aquele que está sempre junto de nós. 
Dentro deste amor está a obra da criação, quando assim falamos, falamos não só da existência do ser humano mas de toda a vida do Universo incluindo os seres Terra. E foi esse amor que provocou a necessidade da revelação divina. Isto é, Deus quis ser conhecido por todos. Por isso a manifestação de Deus dentro da História humana é completa, separada na forma de agir, mas, única na forma de nos amar.
A esta primeira revelação, Deus se manifestou em Espírito aos homens através de Abraão ele constituiu um povo, o seu povo. Que deveria servi-lo, amá-lo e honrá-lo, bem como sua descendência. Neste povo, o povo judeu  quis ser conhecido e adorado. Estabeleceu uma lei. Essa lei serviria para levar o povo ao conhecimento pleno de seu amor e de sua existência. E como tal guiar esse povo até a sua presença. Deus então se revelou na palavra dos profetas e dos patriarcas, aqueles pelos quais deveriam organizar e dirigir seu povo na fé, no serviço e no culto. 
Por que Deus agiu desta forma. Porque o homem havia caído no pecado. Embora Deus o amasse queria que o homem tivesse-lhe um prova de amor e isso não aconteceu. Veio o pecado e estragou tudo. Até mesmo Deus tinha um inimigo: satanás, que contaminou o homem com seus maus pensamentos e o fez provar da infidelidade. É o pecado. É por isso que o Livro do Gêneses, (Gen2, 1a.), nos diz que Adão e Eva, o primeiro homem e a primeira mulher, comeram do fruto da árvore. Podemos considerar o pecado como uma fruta venenosa, doce. Saboroso, tão cheiroso que aguça o nosso paladar. Mas se ingerido pode provocar vômitos, náuseas e levar à morte. A morte da alma.
E é isso que o pecado faz, ele entra saboroso no homem e depois causa-lhe a morte. O pecado é uma força poderosa que o homem não é capaz de se libertar por suas próprias forças sem a ajuda de Deus. Sem o amor de Deus não é possível se libertar. Foi para isso que Deus enviou seu filho, Jesus Cristo, para que com seu sangue puro e santo nos libertasse do pecado.Isso parece estranho aos olhos dos incrédulos, como pode um pai sacrificar avida do próprio Filho, mas no fundo Deus enviou seu Filho não por pressão mas por amor à humanidade que Jesus se sujeitou livremente e com profunda obediência ao seu Pai  morreu na Cruz por nós, não por cumprir uma ordem de seu Pai simplesmente, mas como Deus também quis vir a este mundo, nascer, crescer, ser igual a nós em tudo, menos no pecado, porque sendo Deus não peca. Então, Jesus é a segunda pessoa da Trindade e ele é a revelação de Deus Pai que é Espírito. JESUS nos revela a face do Pai.

Ele é a imagem visível do Pai, pois foi ele mesmo que disse: "Quem me vê, vê o Pai!"  ..... E EM OUTRA DIZ: "Ninguém chega ao Pai senão por mim!"
Quer dizer que para chegar até Deus não existe outro meio senão através de Jesus, ele veio unicamente para isso, para que tivéssemos acesso mais rápido a graça da salvação. O homem por si só não pode salvar-se de seus pecados, por isso Jesus contribuiu para que tivéssemos acesso a salvação. Por Jesus e através dele participamos da graça de (não mais criaturas) mas sermos filhos de Deus. Então por causa de Jesus,nós somos participantes do reino de  Deus Pai, fomos lavados pelo SANGUE de Jesus a fim de que todos os que crêem em seu nome sejam salvos e se tornem filhos de Deus.

Esta é foi principal objetivo de Jesus ter vindo ao mundo, ele veio revelar a face do amor de Deus através de si mesmo e ao mesmo tempo trazer os meios pelos quais se chegam a este amor: Uma Nova Lei, uma Nova Aliança, uma nova Igreja,um povo novo de corações e almas renovados. 

JESUS CRISTO, FILHO UNIGÊNITO DE DEUS é a segunda pessoa da Trindade, o Filho de Deus Unigênito, nascido de Deus, gerado não criado, consubstancial ao Pai. Isto é, Jesus é Deus, da mesma origem e substância, não há separação de divindade entre Deus e Jesus,pois,os dois são iguais. É o que professamos no Credo, e é uma verdade de fé revelada por Jesus. Jesus é Deus, por isso, possui igual adoração ao Pai e vice-versa. São MATEUS em seu Evangelho, no Capítulo 3, 17 .... narra o batismo de Jesus Cristo, onde o Pai revela que Jesus é o seu Filho amado. Importante observar que o Espírito Santo também ali estava presente, pairando como uma pomba sobre Jesus. Isso significa que o Espírito Santo em comunhão com o Pai e o Filho estava ali presente com toda suavidade para confirmar o batismo de Jesus. Ele como Filho de Deus e como Deus-feito homem não precisava do batismo de João, mas, como Jesus veio para cumprir as Escrituras, sendo obediente, então, quis se sujeitar à Lei dos profetas. Por isso ele diz: "Deixa por agora que se cumpra toda a Lei" (Mt3, 15).
Jesus Cristo veio para estabelecer uma eterna ligação entre nós e o Pai, e Ele é o único caminho que nos leva ao Pai e é por meio de Jesus que alcançamos todas as graças, (Jo16, 23-24). Se amamos Jesus, amamos o Pai e se estamos com Jesus, estamos com o Pai. Jesus é Deus, o Filho de Deus como Ele mesmo disse: "Eu não vim por mim mesmo, mas é verdadeiro aquele que me enviou, vós não o conheceis. Eu o conheço porque venho dele e ele me enviou". (Jo7, 28-29)    

O ESPÍRITO SANTO - é a Terceira pessoa da Trindade, o Espírito de Jesus, ao qual santifica todas as coisas. Ele é a alma da Igreja, como nos afirma São Paulo: "Cristo é a cabeça da Igreja, nós somos os membros, o Espírito Santo é a alma desse corpo". ELE nos santifica, por Ele fomos criados, nada respira no universo inteiro sem a sua permissão. Ele é a força,o consolador que nos faz viver e nos dá coragem. É o Espírito Santo que nos faz conhecedores da Sagrada Escritura, isto é da palavra de Deus e nos faz compreendê-la. ELE é Deus, também consubstancial ao Pai e os três assim apresentados, não são três deuses distintos, separados, mas em comunhão eterna é um só e único Deus, porém, apresentado a nós em três pessoas diferentes: O Pai, o Filho Jesus, e o Espírito Santo.
Ele também assim como o Pai e o Filho participam da mesma glória, estava   na criação do mundo, antes de tudo, e continua por toda eternidade.
São João nos diz: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus"... (Jo1, 1ss) 

São João explica de maneira clara que o ESPÍRITO SANTO já existia desde antes de todos os séculos, participou da Obra da Criação e quis fazer parte da Obra da Salvação, dada por Jesus. Ele esteve com Jesus a todo momento enquanto esteve no mundo e junto com Jesus consumou a obra da salvação, quando Jesus se entregou na Cruz, morreu e ressuscitou. Ele também é responsável pela ação da Igreja desde Pentecostes, (Cf. At2), até os dias de hoje. Ele, sendo a alma da Igreja, não divide as Igrejas, mas está indivisível em uma só Igreja, a Igreja de  Jesus Cristo. 
Embora nem todos que dizem ser de Jesus agem por obra o Espírito Santo, mas as vezes por interesses econômicos, fundam seitas, onde seus líderes dizem ser "ungidos pelo Espírito" mas não são. 
O Espírito Santo que nos move, habita no cristão pelo Batismo, onde pela Ação do Espírito Santo nos torna filhos de Deus e herdeiros do céu. Isso significa que pelo Espírito Santo participamos da graça de estar no céu, algo que estávamos privados. Jesus pelo seu poder, e o Espírito Santo, dado a nós por Jesus, nos faz participantes da glória de Deus. 
Já não somos mais carne, apenas, mas somos pelo Espírito Santo, formados para uma nova vida no Céu junto de Deus. 
Esta comunhão perfeita e indivisível, chamamos Santíssima Trindade. Então quando você cristão disser: "Creio em Deus" você deve saber que você crê no no Pai, no Filho Jesus Cristo, e no Espírito Santo. E quando disser: "A quem você adora" ... você sabe que adora a Deus que é o Pai,o Filho e o Espírito Santo. Um só Deus em três pessoas. 

O Espírito Santo é a força que impulsiona a Igreja, ou seja, cada um de nós, a vivermos uma vida santa,coerente com os valores do Evangelho. Ele também é o grande fortalecedor e encorajador que nos põe em missão para anunciar a palavra de Deus, é Ele também que nos inspira, nos fortalece,nos consola e nos move. É através dele que somos enviados a pregar a Palavra, e é Ele mesmo que nos inspira e nos diz o que fazer.

A vida que temos também é obra do Espírito Santo, que como é Deus, seu sopro Divino habita em nós. Nosso ser nossa alma estão repletos pelo Espírito Santo, isto é de Deus.
A Bíblia nos dá "exemplos simbolicamente" de como é o Espírito Santo. Ao lermos o livro dos Atos dos Apóstolos, no Cap. 2; encontramos sinais visíveis da ação do Espírito Santo: 
a) FOGO - O Espírito de Deus é como fogo abrasador. Queima sem consumir, significa que Deus é eterno sem princípio nem fim. Ao mesmo tempo, nos queima de seu amor infinito e nos move e nos faz seus filhos. Já desde o início Deus se manifestou a Moisés no deserto, pelo sinal de um fogo em uma salsa que não se consumia.
b) VENTO e BARULHO - Quando em Gênese (Gen2), Deus cria o homem, ele sopra o vento da vida nas narinas do homem ainda uma estátua de barro e lhe dá a vida. Em Pentecostes quando dá vida à nova Igreja de Jesus que ali nascia, Ele se manifesta com um Vento, o vento que desde o início impulsiona a humanidade. Esse vento é Deus. Pois Deus é o ar que respiramos, sem o Espírito de Deus não há vida. 

Este também é um símbolo, sinal do Espírito Santo. Quando Deus se manifesta no BARULHO DE  UM VENTO OU DE UM RESSOAR DE UM TROVÃO. Não para causar medo ou pavor as pessoas, mas como forma de expressar e manifestar seu poder. Pois pode ser o contrário, Deus se manifesta com carinho e suavidade, (aliás o Espírito Santo não é algo invasor); Em Gên1, 1 ss. e 2, 1ss.) nos mostra que Adão e Eva sentiam a presença de Deus no Paraíso (antes do pecado original) como que uma brisa suave que lhes passava. Também nos revela que o Espírito de Deus pairava sobre as águas. 
Jesus nos revelou e nos deu o Espírito Santo, o Paráclito, Ele que nos faz entender a Palavra de Deus, é Ele também que inspirou os profetas e os santos e nos inspira e nos conduz à santidade. Negá-lo é negar o próprio Deus. Por isso Jesus afirma que não tem perdão aquele que fala contra o Espírito Santo, porque negá-lo é negar o próprio Deus. (Mt12, 31-32). Se toda boa obra que fazemos é inspiração de Deus, ou seja, do Espírito Santo. Ele que nos inspira a fazer as boas obras, e é Ele que fala ao nosso coração para pregar o Evangelho e dizer palavras santas.        

Podemos explicar de maneira uma tanto meio simples como é a Santíssima Trindade, em sua comunhão total e indivisível quando olhamos um triângulo perfeito. Em suas três pontas que não se separam e para qualquer lado que o gire, continuará sendo um triângulo. Podemos imaginar na primeira ponta o PAI (primeira pessoa da Trindade), do lado direito do triângulo o FILHO (segunda pessoa da Trindade) e do lado esquerdo o ESPÍRITO SANTO (terceira pessoa da Trindade). 

Imaginemos inverter esse triângulo.
Não importa o lado pelo qual você gire ele sempre vai estar unido em suas pontas. Assim é o único Deus, manifestado a nós em três pessoas distintas, mas é um só Deus, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO. Quando falamos da Ssma. Trindade ao distinguirmos as suas Três Pessoas não usamos o termo "são" no plural, pois não podemos confundir três deuses, mas Deus é um só. Se você falar de Deus Pai, de Jesus ou do Espírito Santo, qualquer uma dessas pessoas estamos falando do mesmo Deus e não de três deuses.



                
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.