sábado, 7 de julho de 2018

ÁLCOOL BEBIDA QUE MATA E TIRA A DIGNIDADE HUMANA







USE A CABEÇA E NÃO A GARRAFA!


Antigamente o álcool não era considerado um entorpecente e sim um estimulante.
Atualmente à luz da ciência moderna, sabemos que as gerações passadas estavam completamente enganadas pelo álcool. Os vários estudos em laboratório, bem como a psicologia e vários estudos científicos relacionados ao uso do álcool provam sem nenhuma dúvida que o álcool é uma droga terrível e poderosa, muito perigosa. 

O uso das outras drogas como a cocaína, o crack, a heroína e a maconha atinge um certo número de pessoas. Mas o álcool em cada dez pessoas, oito fazem o seu uso de certa forma. 
O oposto do estimulante é o entorpecente ou um narcótico. O álcool é um entorpecente. E nem sempre as pessoas se dão conta dos males que ele pode causar. Pouco importa se é ingerido em pequenas ou grandes quantidades ele age como um entorpecente muito potente e cruel que aos poucos torna o indivíduo um viciado incontrolável. Provocando diversas reações no sistema nervoso: euforia, violência, distorção na fala, andar descontrolado, tontura, dores de cabeça, irritação, fadiga, e por fim à morte por atacar os órgãos vitais como o coração, rins, fígado e o cérebro.

Ora, essa natureza narcótica do álcool não é resultado de uma opinião, nem qualquer suposição e propaganda. É fato cientificamente comprovado pela medicina moderna que longe de ser um estimulante o álcool é um entorpecente . Ele é primo em primeiro grau do éter e do clorofórmio e esses, são entorpecentes usados em anestésicos para fazer dormir. Antes da descoberta do éter e do clorofórmio o álcool já era usado como anestesiante.

O álcool é um dos mais perigosos derivados dos hidrocarbonetos, dos quais outros derivados contém muitos venenos e entorpecentes além de ser altamente inflamável. Na família dos hidrocarbonetos estão: 1) álcool metílico, ou álcool de madeira; 2) álcool etílico, também chamado de etanol ou hidreto de etílico; 3) álcool propílico; 4) álcool butílico; 5) álcool amílico, geralmente conhecido como óleo combustível. Todos esses produtos são venenos e variáveis de álcool. Ataca as vistas fazendo o indivíduo no passar do tempo fique totalmente cego. O álcool etílico é usado em produtos como o vinho, a cerveja e o whisk, atinge diretamente o sistema nervoso e o indivíduo fica adormecido porque ele é anestésico.

Bem, qual é a ação do álcool no cérebro e no organismo?

Quando o álcool é absorvido rapidamente pelo organismo. Dentro de cinco minutos depois que a bebida é tomada, o álcool sem ser modificado pela digestão, pode ser encontrado no sangue e rapidamente dentro de pouco tempo começa a embriaguez. O álcool é absorvido pelos intestinos e pelo estômago que absorve 20 a 30% e o restante absorvem o resto. De fácil absorção pelas veias distribui-se rapidamente em todas as partes do corpo, nos órgãos e nos tecidos passando em cada um deles a cada 37 segundos. Pode ser encontrado em todos os órgãos, glândulas linfáticas, biles, saliva, nos testículos, no fluído seminal, no líquido amniótico,e no sangue fetal. Também é encontrado no fluído cérebro-espinhal. 

Uma das doenças mais comuns causadas pelo uso frequente do álcool, e que leva à morte é a falência renal e a destruição do fígado, ou a cirrose. Veja as imagens:

Porém,  o álcool faz sua destruição maior no sistema nervoso central, o cérebro e a espinha dorsal. O cérebro humano é suscetível ao álcool e seus efeitos limitam o sistema nervoso. Além de atacar os nervos. 

O álcool produz danos cruéis: dissolve as gorduras, desidrata os tecidos ou seja, tira-lhes a água, precipita as proteínas. O coração dos nervos é a célula, por si mesma. A substância da célula ou protoplasma é quase fluida por água. E no interior da célula existe o corpo esférico, ou o núcleo que contém as proteínas e outros compostos. Na superfície das células estão as substâncias gordurosas ou os lipóides que desempenham um papel importante. Quando o álcool é ingerido, logo vai parar no cérebro, nos nervos e nas células. Como é uma das mais solúveis gorduras, a superfície da célula se rompe. Rompendo-a o álcool penetra no interior da célula secando a água, faz a coagulação da proteína afetando o protoplasma. Quanto maior a propriedade do álcool, mais será a capacidade destrutiva que ele possuirá. O seu uso prolongado levará o indivíduo a sérios problemas como a falência dos órgãos e à morte.



Outro efeito do álcool visivelmente é a perda da capacidade motora, visão distorcida, lentidão dos movimentos, alteração na fala e na visão, fazendo com que o organismo fique mais lento, causado pela diminuição do reflexo nervoso, levando a causa de muitos acidentes, principalmente os acidentes de trânsito, dentre eles muitos são fatais. 

De maneira que o álcool é um veneno. Ele é um entorpecente, prolonga a reação do tempo  e ainda paralisa partes do organismo. Não se pode andar direito, falar direito, a pessoa fica cambaleante até ficar deitado, muitos ficam até em estado de coma alcoólico. 

O fim que leva ao viciado é sempre aumentar a dose ao ponto de querer sempre mais e mais e nunca parar. Na mulher os efeitos são ainda mais devastadores pois, os cientistas atestam que o vício do alcoolismo pode passar para os filhos já na gestação. 

A mãe que faz uso de bebidas alcoólicas na gravidez passa as altas concentrações do veneno para a criança através do cordão umbilical que é por onde o bebê se alimenta durante todo o período até o nascimento.

 As mulheres ainda estão sujeitas a outros males como aumento da gordura no sangue, câncer, perda de memória, cirrose hepática e outros tipos de doenças relacionadas ao uso de bebidas alcoólicas. Além do mais, a mulher se embriaga muito mais rápido. Podemos ver na figura acima a ilustração sobre o assunto.    
A consequência do alcoolismo é a morte, seja ela por razões físicas, seja por diversos fatores que são gerados através do alcoolismo como as doenças hereditárias, acidentes, violência e os crimes.

O alcoolismo causa não só a doença física e psíquica na pessoa que faz o uso dele, como também adoece toda a família do dependente causando males irreparáveis como os homicídios e suicídios.   

Outra consequência do álcool é a depressão; e em alguns casos a mudança de comportamento do indivíduo faz com que tenha reação violenta acima do normal, causando o total descontrole de suas ações. É normal nesses casos depois da embriaguez o indivíduo não se lembrar do que fez. Isso acontece porque o álcool ataca os neurônios e a parte do cérebro responsável pela memória fazendo um bloqueio ou retardando o pensamento; por isso que ao longo prazo a pessoa vai perdendo a capacidade de memorizar as coisas. O sinal visível é a perda do raciocínio e irritação pois, o álcool é capaz de destruir as células nervosas e como  toda droga vai matando o indivíduo aos poucos.

Nas pessoas com problemas de diabetes e hipertensão os efeitos são ainda mais devastadores pois, o álcool além de bloquear os efeitos dos medicamentos causa o aumento da pressão arterial e eleva muito a taxa da glicose. O resultado disso é o acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio e a morte por falência múltipla dos órgãos.
  
Nos pacientes com diabetes os resultados são cruéis pois, essas pessoas por causa da doença são propensas aos problemas renais, à insuficiência do pâncreas e problemas oftalmológicos diversos. O uso das bebidas alcoólicas acelerara ainda mais esses problemas podendo levar o indivíduo à morte. 

Aos poucos também o uso do álcool leva a destruição dos neurônios que são as células do cérebro. E seus efeitos são devastadores pois, os neurônios são células que não se regeneram.














Os cientistas atestam que os lóbulos frontais do cérebro possuem um centro controlador que  limita, restringe e freia nossas ações; são freios de conduta que a natureza humana possui. O álcool é capaz de retardar e tornar lento demais esse centro controlador fazendo com que a pessoa diminua a percepção,alterando a visão, os movimentos motores, a fala, e a concentração, etc. Por isso que acontece tantos acidentes de trânsito com pessoas alcoolizadas muitas vezes com vítimas fatais. Muito mais que dizer que a pessoa foi vítima do trânsito cabe dizer que, ela foi vítima do álcool.

Muitos cientistas também atestam que é na parte inferior do cérebro que se encontra o centro da vida humana, que lá são determinadas as normas de moral, assim sendo é possível compreender a gravidade do fato, já que é a parte cerebral que mais sofre os efeitos do álcool. O alcoólatra com o passar do tempo destrói sua máquina psíquica, destrói a sua capacidade de raciocínio e logo, sua intelectualidade. Daí o ditado popular diz que: "a bebida tira do homem a vergonha e a moral". Ou seja, "o alcoolismo leva a pessoa a um nível mais baixo, mais do que os animais irracionais", diz Sinclair. 


É o desenvolvimento das faculdades mentais, da razão e da inteligência que nos difere dos outros animais. Perdendo essas faculdades somos iguais ou piores que os outros animais, nos pondo até no mesmo nível das feras pois, muitas vezes o alcoolismo faz com que as pessoas fiquem agressivas, sem controle emocional.


Quem usa bebida alcoólica, passa de uma dose para uma garrafa em muito pouco tempo, sem se dar conta que já está viciado. É a pior das drogas, porque enquanto um cigarro de maconha custa em média de 5 a dez reais, 2 doses de cachaça por exemplo, custa em média 3 reais e é o suficiente para embriagar uma pessoa. Já que a cachaça possui um nível de teor alcoólico que varia entre 10 e 30 graus. Por isso se vê tantos embriagados. Uma droga barata e muito perigosa, que pode ser comprada facilmente e legalizada.


O álcool na maior parte é responsável pela violência sexual, pelos homicídios, pelas agressões em família. Ele faz aumentar a delinquência moral. Muitas pessoas que nunca imaginaram se envolver em brigas, em ofensas morais e outros crimes, ao se tornarem alcoólatras cometem os mais absurdos delitos sem se dar conta depois que o fizeram. Pois o álcool afeta o uso da razão e em determinados casos faz com que o ser adquire espírito violento. Em outros casos, sem fazer uso da razão, contraem doenças sexualmente transmissíveis após uma noite de promiscuidade sem o uso de preservativos.

Isso demonstra a influência da bebida sobre o domínio próprio. O alcoolismo é uma doença que pode ser tão fatal como o câncer e a aids. O resultado dessa doença é: assalto, doenças psíquicas, crimes,  contra a honra, homicídio, abusos sexuais, doenças sexualmente transmissíveis, pedofilia e a morte.

Infelizmente nem todas as pessoas encaram o alcoolismo como uma doença que precisa ser combatida, cada vez mais nossos governantes fecham os olhos e as casas de apoio às vítimas do álcool estão cheias de pessoas cada vez mais jovens em busca de tratamento. Que nem todos podem pagar, pois é muito caro e pouco resolve.


O que é preciso fazer é os pais conversarem com seus filhos e explicarem quais são os riscos do álcool. Hoje em dia cada festa, que os jovens chamam de balada, são regradas à bebidas alcoólicas e outras drogas. Portanto o diálogo é sempre importante. A proibição não leva a nada, pois o jovem gosta de aventuras e desafios, mas o que importa é que eles tenham uma consciência de que o caminho do vício é o cemitério ou a cadeia.

Por que então se toma bebidas alcoólicas? - não se toma bebida alcoólica por prazer em sentir o gosto, claro que não, pois, sabe-se que muitas bebidas possuem gostos tão horríveis que um usuário ao tomar certa dose de cachaça, por exemplo, logo sente a necessidade de comer ou beber outra coisa que disfarça o gosto ruim. Mas,  elas são usadas em conseqüência de um efeito psicológico. Outros ainda para serem levados à pratica de valentia. Ou seja, a bebida causa um falso sentido de divertimento e é isso que atraem tantos jovens a ela. Sem se dar conta que a bebida é um veneno que mata aos poucos como o cigarro. No caso das mulheres grávidas que bebem as conseqüências são ainda maiores, afetando o feto. O resultado são crianças que já nascem com problemas mentais e hoje, os recentes estudos afirmam que a genética influem o bebê a ponto de se tornarem mais rebeldes e mais acessíveis à diversas doenças.




O álcool também destrói as defesas naturais do organismo, como os glóbulos brancos ou anticorpos. Por isso que se explica, quando um viciado se machuca demora muito mais tempo para cicatrizar uma ferida, estão sempre sujeitos a graves infecções. Ele também reduz a força das antitoxinas, isto é, desequilibra as células vermelhas e nos casos de epidemias como febre amarela, febre tifoide, cólera etc. Os que bebem têm muito mais possibilidade de morrer. 

O álcool também causa aceleração das pulsações do coração fazendo com que a pessoa tenha um infarto, arteriosclerose, e o Mal de Brigt. 
Além de causar o envelhecimento dos vasos sanguíneos. Levando o indivíduo à apoplexia. Causa também ressecamento da pele e também calvice precoce.
Leva também a gastrite da mucosa do estômago e outras complicações. O catarro crônico faz com que ao invés das substâncias venenosas  serem eliminadas, elas são absorvidas pelo organismo. O resultado é a úlcera e o câncer de estômago e esôfago.  



 
O álcool pode no início provocar no usuário sentido de prazer, ou euforia, mas, depois ele provoca o pior de todos os males psíquicos, a depressão profunda.


A razão pois, do uso de bebidas alcoólicas é portanto psicológica, na verdade quem bebe nunca está satisfeito consigo mesmo, e para escapar da realidade usa o álcool para buscar o mundo de fantasias. Para escapar da realidade o usuário vai aumentando a dose passa de um copo para um garrafa, e não para mais até a situação se tornar incontrolável. Com quadros de depressão aguda e uma profunda necessidade de se embriagar cada vez mais. É o vício.

Mas, o dano físico que o álcool provoca no organismo é devastador. O alcoólatra não só adoece a si mesmo como adoece a própria família. Muitos sem entender essa doença acabam por abandonar a pessoa fazendo com que ele viva no submundo do abandono. Sem o apoio a vida do viciado se torna um inferno, pois, o vício leva a pessoa ao ponto de entregar-se totalmente à bebida impedindo-o da realidade e até de suas funções mais básicas como por exemplo o trabalho e a higiene pessoal. Em situação de abandono se torna escravo da bebida. O mundo fecha-se ao seu redor. Para o viciado existe apenas o seu mundo que está entre entre ele e a garrafa. 

Na verdade a família tem que entender que o alcoolismo é uma doença e o viciado como qualquer outro usuário de entorpecente ilegal é uma vítima.       



O alcoolismo é refúgio dos covardes e egoístas. Todos que fogem da realidade da vida se abrigam nas bebidas alcoólicas como justificativa para o seu erro. Achando que com isso irá resolver seus problemas pessoais ou familiares a pessoa se afunda cada vez mais e se não tomar consciência e que precisa se libertar se joga num poço sem fundo.


O problema é que em muitos casos o alcoólatra não se dá conta do problema e não aceita ajuda para sair do vício. Em casos extremos é preciso interdição judicial ou internação compulsória, pois, a pessoa não está mais fazendo uso de sua razões normais.

    
Outras ainda já não acham forças para largar o vício porque não terem consciência do problema  e dos males causados por ele.
O mais assustador é que: como as bebidas alcoólicas são liberadas para vendas, em muitos casos por falta de fiscalização menores têm cada vez mais acesso a elas, embora o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) proíba a venda de bebida alcoólica a menores de 18 anos, elas têm acesso às bebidas alcoólicas dentro de suas próprias casas.    


Atualmente os recentes estudos pôde comprovar que o álcool produz muito mais morte do que as armas. Seja pelas doenças graves que ele provoca, seja pelos diversos acidentes causados pelo seu uso. 
A maior causa de mortes e acidentes, além dos crimes brutais entre as famílias estão relacionados ao vício do álcool. 

As bebidas alcoólicas não possuem nenhum valor científico e não serve como alimento e remédio. Ele traz muitas desgraças, arruinando famílias inteiras e enriquecendo somente os fabricantes.    


O QUE FAZER?

Deixar o vício do álcool é muito difícil mas, não é impossível. Depende de força de vontade de cada um e do apoio dos amigos e familiares.   

➧RECONHECER QUE PRECISA DE AJUDA. É de suma importância o auto reconhecimento, pois, o indivíduo deve saber que o alcoolismo é uma doença, um vício que senão levar a morte pode tornar a pessoa inválida pro resto da vida. Ela também tira a moral e a dignidade humana. 
➧APOIO MORAL. Os familiares devem apoiar o viciado a buscar ajuda. O alcoólatra não tem "culpa" e muitas vezes é abandonado até pela família. Desprezado ele se acua e não consegue se libertar. Deixado às margens sozinho caminha para a morte. É nessa hora que a família e os amigos devem lhe estender a mão, mas, sem cobranças e questionamentos. Nessa fase amor, carinho e compreensão é muito importante; é o que mais lhe faz falta. O viciado se sente incapaz e sozinho.
➧PROCURAR AJUDA. PROCURAR AUXÍLIO MÉDICO ESPECIALIZADO. Após o indivíduo querer se libertar do vício deve ser encaminhado aos centros especializados de tratamento aos viciados. Hoje a rede pública de saúde (SUS) e as diversas instituições filantrópicas como: O A.A - (Alcoólicos Anônimos) e os CAPS - (Centro de Assistência Psicossocial) oferecem diversos recursos para ajudar os viciados. Até mesmo a Igreja Católica e outras demais instituições religiosas oferecem diversos tipos de tratamento e terapias. 

Em casos mais graves é necessário a reabilitação em clínicas que oferecem terapias adequadas e acompanhamento psicológico. Muitas vezes o alcoolismo é desencadeado por diversos fatores, um deles é o fator psicológico onde o indivíduo se refugia no álcool e se torna um viciado. Outra é o fator genético, pois já se sabe cientificamente que pessoas que tem ou tiveram casos de parentes ou pais alcoólatras podem predispor seus descendentes ao vício hereditário. 
➧BONS EXEMPLOS - Para tratar um viciado a primeira coisa a fazer começa pelo exemplo; a família deve abster-se te usar e ter em casa qualquer tipo de substância a base de álcool, também as bebidas alcoólicas. Evitar dar exemplo, é muito importante, pois, as crises de abstinências é uma fase de vulnerabilidade onde a pessoa pode recair, nesses casos o viciado procura qualquer coisa à base de álcool que lhe satisfaça. É nesse momento que parte a vigilância e os cuidados necessários, não de cobrança mas de apoio, carinho e atenção para com a pessoa.   
➧APOIO ESPIRITUAL TAMBÉM É FUNDAMENTAL - com a ajuda da Palavra de Deus, a Oração, a participação em grupo. A Igreja é muito importante pois é dentro dela que à luz da palavra de Deus a pessoa vai se sentindo amada e acolhida. A Palavra de Deus liberta e salva! Não force mas ofereça oportunidades seja na Igreja Católica ou outra denominação em que a pessoa se sinta bem. É válido, é bom e necessário.     
           
                             



             

terça-feira, 26 de junho de 2018

O PODER DA BENÇÃO - PORQUE É IMPORTANTE PEDIR A BENÇÃO?

Vi uma postagem no Facebook que me chamou atenção, por isso, resolvi escrever uma reflexão sobre o tema. A postagem mostrava um cartaz onde aparecia duas crianças pedindo a bênção aos pais.

Este bonito gesto cristão  era um costume muito comum e hoje os pais esqueceram de ensinar seus filhos a pedir a bênção. 
Ainda no interior a gente vê em algumas famílias, as mais tradicionais ainda conservam este costume. 
Mas você sabia que ele é muito importante?

 * Disciplina a criança a ter respeito pelos mais velhos. Este gesto ensina a criança a submeter-se desde cedo à autoridade dos pais, ficam mais dóceis e mais obedientes. Mas, você perguntaria: Isso acontece por quê? 
Isso acontece porque a bênção que é dada à criança é dada não em nome de si mesmo mas, em nome de Deus. Quando se a bênção recebe-se a resposta "Deus te abençoe", não é assim?
Logo, essa bênção é dada com autoridade, ela é real e Deus age no abençoando por meio de quem dá a bênção.

*A família é a primeira Igreja que uma criança frequenta. Dentro da família os pais são os sacerdotes. Por isso assim como Jesus o verdadeiro e sumo sacerdote os pais tem o dever de abençoar os filhos e devem incentivar os filhos a pedir  a bênção.
Deus não tira a autoridade dos pais e substitui pela sua mas, as duas se completam. Não fosse assim o Senhor Jesus não teria se submetido à autoridade de seus pais terrenos Maria e José, seus tios e avós.

*O gesto de tomar bênção e beijar a mão tem um significado. Quando pedimos a bênção dos nossos pais ou dos mais velhos eles nos abençoam não em nome deles, mas em nome de Deus. Quando se beija a mão você está com esse gesto demonstrando que você reconhece na pessoa do mais velho a imagem e a autoridade de Deus neles pra te abençoar. É um gesto de humildade assim como fez Jesus que lavou os pés dos seus apóstolos. Pois quem não ama e não reconhece a autoridade dos pais e dos mais velhos como amará a Deus? Pois o quarto mandamento é honrar pai é mãe.

Assim também acontecia quando se beijava a mão do sacerdote ou o anel do Bispo. Nesse gesto a pessoa reconhece a  pessoa de Jesus na pessoa do sacerdote e do Bispo e a autoridade que cada um tem dada por Jesus à sua Igreja. Gesto de humildade. Pois Jesus disse: "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração". (Mt 11, 28) Ou: - "...quem quiser ser o primeiro, seja o servo e último de todos". (Mc 9, 35).

Assim,  nós adultos também devemos abençoar e pedir a bênção uns dos outros.
Esse gesto tão lindo até hoje é feito nas comunidades judias. Também os primeiros cristãos oravam uns pelos outros e lhes impunham as mãos. 
Era nesse momento que acontecia a ação do Espírito Santo. Não havia as "igrejas", os templos e os cristãos reuniam nas casas para fazer as orações. Dentro das famílias acontecia a celebração da palavra e da Eucaristia e dentro das famílias muitos eram batizados na água e no Espírito Santo.

PODEMOS AMALDIÇOAR AS PESSOAS?    

Nós podemos e devemos, como cristãos, desejar o bem ás pessoas e até mesmo abençoá-las, mas NUNCA amaldiçoá-las. Se o próprio Jesus nos ensinou a amar os nossos inimigos, falar bem de quem fala mal, orar por quem até nos deseja mal (Mateus 5), quem somos nós para contrariar? Deixa isso nas mãos de Deus. 

Quando abençoamos nós oferecemos por meio da bênção a graça necessária para que Deus lhe conceda uma vida feliz. 
Devemos abençoar não uma vez, mas, quantas vezes necessário for.  
Embora no Antigo Testamento Deus havia dado o poder de bênção e maldição, Jesus Cristo retificando as Escrituras disse que devemos abençoar e amar-nos uns aos outros com o mesmo amor que ele nos amou.

O gesto de pedir a bênção é justamente reconhecer que na figura dos mais velhos está a figura do amor de Deus. Que somos uma só família.
Assim como chamamos os mais velhos de senhor ou senhora estamos reconhecendo na pessoa a figura do único e verdadeiro Senhor Jesus Cristo. Também reconhecemos as palavras do Senhor Jesus que disse: "Onde está o próximo aí está teu irmão!"   



sábado, 9 de junho de 2018

O QUE É A DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS? - Onde e como surgiu?





No mês de junho a Igreja dedica este mês ao Sagrado Coração de Jesus.  
A devoção ao coração ferido de Jesus tem suas origens no século XI, quando os cristãos piedosos meditavam nas cinco chagas de Jesus.
Entretanto, somente em 1670 o sacerdote francês João Eudes celebrou a primeira festa do Sagrado Coração de Jesus.


Naquela época, cresceram entre os fiéis as orações ao Sagrado Coração, à chaga do ombro de Jesus e às devoções privadas. Todas ajudaram os cristãos a se concentrarem em sua Paixão e Morte, de tal maneira que conseguiram crescer no amor a Jesus.
Os santos Padres da Igreja já falavam dela; tudo brota daquele Coração “manso e humilde” que por nós foi transpassado pela lança do soldado, na Cruz do Calvário. Dele saiu sangue e água, símbolos do Batismo e da Eucaristia, e também da Igreja, Esposa de Cristo, que nasceu do lado aberto do novo Adão, como Eva nasceu do lado aberto do primeiro.

Parte também dos Ensinamentos de Jesus que diz: "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração". (Mt11, 6).
O Coração de Jesus manso e humilde deseja que nós também seus discípulos, membros de sua Igreja possamos também ser mansos e humildes.     

Todas as formas de devoções que a Igreja ensina e nos propõe possui um sentido teológico. Nada é inconsistente e difere das verdades do Evangelho. Pelo contrário, elas são fundamentadas dentro do ensinamento bíblico e da catequese da Igreja. 

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é com certeza muito rica. Parte daquele momento da crucificação onde o lado de Jesus é transpassado pela lança do soldado romano e da ferida aberta jorrou sangue e água.

Para entender vamos ao trecho do Evangelho:  Jo19, 31-37


Os judeus temendo que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, (pois era véspera da Páscoa), pediram a Pilatos que quebrassem as pernas e fossem retirados. Vieram os soldados e quebraram as pernas do primeiro e do outro que foram crucificados. Chegando, porém, a Jesus e vendo que estava morto não lhe quebraram as pernas, mas, o soldado abriu-lhe o lado com uma lança e imediatamente saiu sangue e água. 
O que foi testemunha deste fato o atesta (e o seu testemunho é verdadeiro), a fim de que vós creiais. Assim se cumpriu a Escritura que diz: "Nenhum de seus ossos será quebrado" (Êx12, 46). E em outra parte da Escritura diz: "Olharão para aquele que o transpassaram" (Zac12, 10).   

São João descreve este fato dizendo que seu testemunho é verdadeiro. Um fato que poderia passar despercebido aos olhos humanos se tal não tivesse um sentido maior e o sentido é que a Igreja à luz do Espírito Santo entendeu que essa ferida aberta do lado de Nosso Senhor possui um grande ensinamento: Jesus morreu por amor a todos os pecadores. Ele veio para nos salvar de nossos pecados. 
O seu lado aberto pelo soldado nos mostra que o seu Coração transpassado pela lança é canal aberto da graça e da Salvação. O Senhor Jesus possui seu coração inflamado de amor por nós. 

Ele veio unicamente para nos salvar e cabe a cada um de nós buscarmos seu amor. 
Quando é que o homem podia salvar-se a si mesmo? Nos diz a Sagrada Escritura: "Porque todos percaram e estão privados da glória de Deus" (Rom3, 23)
Essa foi a missão salvadora do Filho de Deus. Ele veio ao nosso encontro para que pudéssemos ser restituídos dessa glória. 
É pela graça que somos libertos.

"Sendo justificados gratuitamente por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus". (Rom3, 24) 

"Éramos como os outros, por natureza verdadeiros objetos da ira (divina). Mas Deus, que é rico em misericórdia, impulsionado pelo grande amor com que nos amou, quando éramos mortos em consequência dos nossos pecados, deu-nos a vida juntamente com Cristo - é por graça que fostes salvos!" (Ef 2, 3-5)

O Coração misericordioso de Jesus trouxe-nos a graça da Salvação. Cabe a cada um de nós merecer esta graça. É por isso que ele não se cansa de nos oferecer os meios pelos quais damos continuidade aos efeitos dessa graça santificante e ao mesmo tempo salvadora. Esses meios que a Igreja chama de Sacramentos, os quais partem do coração misericordioso de Jesus.

Pelos Sacramentos recebemos a força necessária pela ação do Espírito Santo para sermos verdadeiros cristãos. 
Além disso Jesus nos oferece outros meios pelos quais possamos estar intimamente ligados ao seu Sagrado Coração que são as virtudes teologais: a Fé, a Esperança e a Caridade. Ou seja, vida de Oração. O jejum e praticar o Evangelho. Abandonar-se, confiando no amor misericordioso de Jesus. Renuncia de si mesmo em prol do irmão necessitado. Ser e agir com caridade tendo em nossos corações a mesma mansidão do Coração de Jesus.

"Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração" (Mt11, 29)      

Do lado aberto de Nosso Senhor Jesus Cristo, ensina a Igreja brotou os  Sacramentos que são os canais que nos conduzem à Deus.

O Coração de Jesus é porta aberta, está cheio de amor por nós. É uma chaga que inflama de amor por todos os pecadores. 
Por isso a devoção ao Sagrado Coração de Jesus foi estabelecida pela Igreja para que possamos meditar e viver esse amor como Ele um dia nos disse: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei!" (Jo15, 12).
Dentro do Coração misericordioso de Jesus está o amor por todos os pecadores que queiram buscá-lo e segui-lo tornando-se  seu verdadeiro e autêntico discípulo.
Nosso Senhor com seu lado aberto nos ensina que também também devemos ter o nosso coração voltado para a misericórdia e o perdão como Ele nos perdoou no alto da Cruz.

"Porque se não perdoardes uns aos outros como o Pai vos perdoará?" (Mt6, 15) 
"Sede misericordiosos como vosso Pai do Céu é misericordioso!" (Lc6, 36).

 Buscar a misericórdia de Deus e ao mesmo tempo sermos misericordiosos.  

A devoção ao Sagrado coração de Jesus ganhou mais foco através de Santa Margarida Maria de Alocoque lá pelos anos 1647-1690; e foi difundida pelo seu confessor São Cláude de la Colombiére. (1567-1622). 

Santa Joana de Chantal (1572-1641), morrendo antes de completar 45 anos, em 17 de outubro de 1690, sendo canonizada em 1920, pelo papa Bento XV. Recolhida, em profunda oração, pela porta do tabernáculo saiu uma espécie de vapor que foi se transformando na figura de homem que se encaminhou até ela e ali na sua presença abriu a túnica que lhe cobria o peito, lhe mostrando o coração em chamas inextinguível e lhe disse:

“Eis aqui o coração que tanto amou os homens e pelos quais e tão mal correspondido pelo menos tu, filha minha, chora pelos que me ofendem, geme pelos que não querem orar, imola-te pelos que renegam e blasfemam contra o meu santo nome. Prometo-te na grandeza do meu amor que abençoarei os lares que neles me hospedem, que os que comungarem durante nove primeiras sextas-feiras seguidas, não morrerão sem receber os sacramentos da penitência e da Eucaristia.”
Depois de 150 anos de enormes dificuldades impostas especialmente pelos jansenistas e o terror da Revolução Francesa, em 1856, o papa Pio IX instituiu a festa litúrgica do Sagrado Coração de Jesus, propondo, segundo a recomendação dos santos, a consagração do mundo ao Coração de Jesus. 
Duzentos anos depois que Santa Margarida pediu ao Rei Luís XIV a consagração da França ao Coração de Jesus, o grande presidente do Equador, Gabriel Garcia Moreno, consagrou seu país em 1873, ao Coração de Jesus.
Vários Papas incentivarem esta devoção através de encíclicas. Atualmente a festa do Sagrado Coração na sexta-feira após a festa de Corpus Cristi. Leão XIII na “Annum Sacrum” (1899), deixou-nos a Oração para consagração ao Sagrado Coração. Pio XI na “Miserentissimus Redemptor” (1928); Pio XII na “Haurietis aquas” (1956); João Paulo II na “Redemptor Hominis” (1979) e Bento XVI em carta ao Pe. Kolvenbach Geral da Comapanhia de Jesus, falaram da importância dessa devoção. Em 1872, Pio IX concedeu indulgências especiais aos que portassem o escapulário com a imagem do Sagrado Coração.
A piedade ligada ao Coração de Jesus está em união com a devoção ao Imaculado Coração de Maria. 
Muitos santos recomendaram esta devoção: São João Eudes, Santa Margarida Maria Alacoque, São Luís Grignion de Montfort, Santa Catarina Labouré e São Maximiliano Kolbe.
Numerosas foram às promessas do Sagrado Coração de Jesus sendo as mais admiráveis as seguintes:
1. Eu lhes darei todas as graças necessárias ao seu estado de vida.
2. Eu farei reinar a paz em suas famílias.
3. Eu os consolarei em todas as suas aflições.
4. Serei seu refúgio seguro durante a vida e sobretudo na morte.
5. Derramarei muitíssimas bênçãos sobre todas as suas empresas.
6. Os pecadores encontrão em meu Coração a fonte e o mar infinito da misericórdia.
7. As almas tíbias se tornarão fervorosas.
8. As almas fervorosas elevar-se-ão rapidamente a grande perfeição.
9. Abençoarei Eu mesmo as casas onde a imagem do meu Coração estiver exposta e venerada.
10. Darei aos sacerdotes o dom de abrandar os corações mais endurecidos.
11. As pessoas que propagarem esta devoção terão os seus nomes escritos no meu Coração e dele nunca serão apagados.
12. No excesso da misericórdia do meu amor todo poderoso darei a graça da perseverança final aos que comungarem na primeira sexta feira de nove meses seguidos.
Qual é o alcance das promessas ligadas ao culto da imagem do Sagrado Coração?
O culto da imagem do Sagrado Coração é tão importante na prática da devoção a este divino Coração, e tão vivo o desejo que tem Nosso Senhor de ver o seu amor para conosco manifestado por meio desta imagem e exaltado nela, que o moveu a fazer as mais extraordinárias promessas às nações, às famílias, às comunidades e às pessoas, que honrarem este emblema do seu amor.
Já conhecemos minuciosamente as promessas feitas às nações, que colocarem esta imagem nos estandartes.


Quais são as bênçãos prometidas às famílias e às casas, em que esta imagem for venerada?
1. Nosso Senhor certificou-me, diz Santa Margarida Maria, que tem o maior prazer em ser honrado sob o emblema deste Coração de carne, cuja imagem deseja ver publicamente exposta, para assim comover o coração insensível dos homens;
2. Que, sendo o seu Coração a fonte de todas as bênçãos, as derramará copiosamente em todos os lugares, em que estiver exposta a imagem deste amável Coração, para ser amado;
3. Que ela atrairá toda a espécie de bênçãos sobre os lugares, em que for exposta para receber singulares homenagens.
Quais são as bênçãos prometidas às comunidades, que honrarem esta imagem?
“Nosso Senhor derramará a suava unção da sua ardente caridade em todas as comunidades, em que for honrada com amor esta divina imagem, e desviará delas os golpes da justa ira de Deus”.
Quais são as bênçãos prometidas às pessoas, que honrarem esta imagem?
“Nosso Senhor derramará com abundância no coração de todos aqueles que honrarem a imagem do seu Sagrado Coração todos os dons de que está cheio”.


“Imprimirá o seu amor nos corações daqueles que trouxerem esta imagem, destruirá neles todos os movimentos desregrados”.
Quais foram os primeiros frutos destas promessas?
Os efeitos das divinas promessas relativas as imagem do Coração de Jesus manifestaram-se no próprio dia, em que o culto desta santa imagem foi inaugurado em Paray. As Irmãs contemporâneas, depois de descreverem a primeira festa celebrada em honra da imagem do Sagrado Coração a 20 de julho de 1685 acrescentam:
“Apenas esta devoção se estabeleceu no noviciado de Paray, o Senhor mostrou claramente, quanto ela lhe era agradável, derramando dum modo particular as suas bênçãos sobre a comunidade. Viu-se desde logo perfeita renovação na fidelidade às observâncias religiosas e o fervor aumentava sem cessar”.
Santa Margarida Maria especialmente teve a maior parte nestas divinas promessas. No meio dos extraordinários sofrimentos ela ia procurar força ora diante do tabernáculo, ora diante duma imagem do Sagrado Coração.
No mês de agosto de 1688, pouco depois de conhecer que Roma tinha negado autorização, para se celebrar a festa do Sagrado Coração, a serva de Deus escrevia à Madre de Saumaise: “Ao receber esta notícia, fui prostra-me diante da imagem do Coração de Jesus, para lhe fazer as minhas queixas. Mas obtive esta resposta: Para que te afliges com o que há de ser para a minha maior glória? Fica, pois em paz”.
À remessa, que a Madre Greyfié lhe tinha mandado de várias imagens e dum pequeno quadro do divino Coração, respondia a Santa: “Não posso dizer-vos a consolação que me destes, enviando-me a amável representação do único objetivo do meu amor e certificando-me que desejais auxiliar-nos honrando-O com a vossa comunidade. Sinto com isto uma alegria mil vezes maior do que se me fizésseis possuidora de todos os tesouros da terra. Quando vi a representação deste divino Coração, pareceu-me recuperar uma vida nova. A minha alma estava submergida num mar de amargura e de sofrimento, que se transformou em grande paz completa submissão a todas as disposições da Providência, e desde então parece-me, que não há nada que seja capaz de me perturbar”.
Os mesmos frutos de graça então reservados para aqueles, que derem a Nosso Senhor a consolação, que Ele deseja, de ser honrado no emblema de um coração de carne.


Retirado do livro: “O Coração de Jesus”.
Fonte: www.cleofas.com.br.
______________________________________________

O que mais importa para nós cristãos é a simbologia e o real significado do Coração de Jesus

A devoção deve ser encarada como uma extensão da vontade e do propósito humano. 

É através dele que se expressa a santidade humana, sua vontade, alma e seus pensamentos.
O coração é o símbolo que melhor demonstra a união de todos os sentimentos de uma pessoa. O coração expressa o que está no íntimo de nosso ser e de nossa alma. Quando o primeiro Mandamento diz "amar a Deus sobre todas as coisas", Deus quer que o amemos de todo coração ou com todo nosso entendimento. Isso significa que devemos amá-lo no profundo do nosso ser.


Quando dizemos que "fizemos isto ou aquilo de coração" queremos dizer que o fizemos com amor e muito carinho. Isto remete ao mais íntimo de nós. Quem mais que Jesus mais amou e sacrificou-se mais por nós? Quem, senão em Jesus depositamos toda nossa confiança? Pois, sabemos bem que somente ele possui um coração misericordioso, todo cheio de amor pelos homens. Ele nos ama e nos perdoa.        

É nele que guardamos nossas vontades mais sinceras e é através dele que mostramos nossos sentimentos.
É por isso que adoramos Jesus, é por ele que celebramos e pedimos com todas as forças e pensamentos e é nele que colocamos todo o nosso foco: no amor de Cristo. O coração é um dos modos para falar do infinito amor de Deus, do amor que chega a seu ponto alto com a vinda de Jesus.



O APOSTOLADO DA ORAÇÃO E A DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS



O que é o Apostolado da Oração  ?

O Apostolado da Oração (AO) é um movimento leigo dentro da Igreja Católica e está intimamente ligado à ordem dos jesuítas, a Companhia de Jesus. Começou em 1884 em um Colégio dessa ordem na França, onde estudantes de filosofia e teologia estavam ansiosos para fazer algum apostolado. 


Seu orientador lhes fez ver que enquanto eram estudantes não tinham condições para fazer pregação e outros trabalhos de apostolado direto. O que poderiam fazer era oferecer seus estudos, os sacrifícios voluntários e outros atos de piedade. Dois anos depois, este mesmo padre orientador espiritual publicou um livro chamado O Apostolado da Oração. O livro e a devoção obtiveram a aprovação do superior geral da ordem dos jesuítas, e o próprio papa Pio IX aprovou-os em 1849.


Um bom teólogo, padre Gautrelet, SJ, deu o embasamento teológico à devoção ao Sagrado Coração, bem como ao AO, e daí por diante a devoção se propagou rapidamente.


Em 1861 começou a circular o Mensageiro do Coração de Jesus, como órgão oficial do AO. Passou a ser publicado em várias línguas, e a associação recebeu estatutos próprios e a aprovação oficial do papa.
A sede da associação está em Roma e o superior geral dos jesuítas é também o superior geral do AO. Ele os dirige por intermédio de um delegado e um secretário-geral.

A ideia central, da qual nasceu o AO, é esta: todos os batizados são chamados a cooperar na edificação do Corpo da Igreja e da comunidade de fé. Nem todos o fazem da mesma maneira (Ef 4,16). Nem todos podem trabalhar diretamente como apóstolos e missionários. Mas todos podem e devem fazê-lo por meio da oração e do sacrifício. São Paulo diz (Cl 1,24) que o cristão deve completar em sua pessoa o que falta à Paixão de Cristo, em favor do Corpo de Cristo, a Igreja. Assim, nossa vida torna-se um sacrifício, uma oblação oferecida com Cristo, em Cristo, para a Glória de Deus e a salvação do próximo.

O Apostolado da Oração no Brasil

O AO começou no Brasil em Itu, São Paulo, em 1871, por iniciativa do padre Bartolomeu Taddei, SJ, considerado o fundador e propagador do AO no Brasil. Antes disto houve um pequeno centro isolado em Pernambuco, em 1867, mas que não teve projeção nacional. Em 1888 havia cerca de trezentos centros de AO pelo Brasil inteiro, com mais de 400 mil membros. Com a difusão do AO houve um despertar intenso para a Sagrada Eucaristia e a vida de fé. Atualmente, o AO continua a crescer em fervor espiritual e apostólico, em todo o território nacional. (Trechos extraídos do livro de Pe. Otmar Jacob Schwengber, SJ, Apostolado da Oraçãoe MEJ em perguntas e respostas, Edições Loyola, 2011).



TRABALHOS E DEVOÇÕES

Os membros praticam e difundem especialmente as devoções ao Espírito Santo, ao Sagrado Coração de Jesus (por meio da Festa do Sagrado Coração de Jesus nas Primeiras Sextas-Feiras do mês, fazem as Horas Santas (adoração ao Santíssimo Sacramento), Entronizam o Sagrado Coração de Jesus nos lares e a Consagração das famílias ao Sagrado Coração de Jesus), à Nossa Senhora e aos Santos Padroeiros (São Francisco Xavier e Santa Teresa do Menino Jesus e da Santa Face) e aos chamados Santos Promotores do culto ao Sagrado Coração de Jesus, com destaque Santa Margarida Maria Alacoque e a São Cláudio de La Colombiére.

O o objetivo do Apostolado da Oração,  conseguir nossa santificação pessoal e a salvação do mundo mediante a evangelização e a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. 


Já em 1917  contava com 20 milhões de associados. E em 1960 chegava ao dobro em todo o mundo, passando de um milhão na Espanha; suas 200 revistas tinham 15 milhões de inscrições. A maior instituição de todo o mundo.






Seus membros usam uma fita vermelha com uma medalha onde está cunhada um ícone do Sagrado Coração e as insígnias do Apostolado da Oração. 


O seu Estatuto assim define:


 "O Apostolado da Oração constitui a união dos fiéis que, por meio do oferecimento cotidiano de si mesmos, se juntam ao Sacrifício Eucarístico, no qual se exerce continuamente a obra de nossa redenção, e desta forma, pela união vital com Cristo, da qual depende a fecundidade apostólica, colaboram na salvação do mundo.”

O Apostolado da Oração é a união de pessoas que procuram consagrar suas vidas a Deus pela oração e pelo testemunho. É um serviço à igreja. A principal devoção é o culto ao Sagrado Coração de Jesus. Os membros do Apostolado encontram na oração e na vida sacramental, a força e a vitalidade. 
O Apostolado da Oração é uma associação de âmbito universal da Igreja Católica. A espiritualidade do Apostolado se baseia no oferecimento do dia, na vivência da Eucaristia, na devoção especial a Nossa Senhora, rezando diariamente o terço, e na invocação do Divino Espírito Santo, fonte de paz e de sabedoria eterna. O Apostolado está sempre em sintonia com o Papa.
Podem participar do Apostolado, pessoas de ambos os sexos, inscrevendo-se como associados, inicialmente, e depois de um determinado prazo de vivência, passarão a Zeladores. A dimensão espiritual, a animação religiosa e a formação das lideranças do Apostolado da Oração cabem ao diretor espiritual.
O Papa João Paulo II assim se expressou:



 “O testemunho do Coração do Papa e do Coração de Cristo é o Apostolado da Oração.”