sábado, 13 de novembro de 2010

OS OLHARES DA IGREJA SOBRE O HOMOSSEXUALISMO

(de: Elmando V. de Toledo)

O homossexualismo e as práticas homossexuais são conhecidas desde a Grécia antiga.

Há estudos históricos que comprovam isto. Recentemente é um assunto muito comentado e estudado às práticas homossexuais.

A princípio entende-se que o homosexualismo parte de uma disfunção genética onde os hormônios alteram o gene masculino ou feminino, por isso é comum que se destaca mais mulheres com feições e aptidões masculinas e homens com feições e aptidões femininas. Também percebemos a disfunção hormonal de um  gene predominante, quando há uma inversão da sexualidade, o indivíduo nasce com um corpo feminino mas recebe órgãos genitais masculinos e vice-versa. A ciência trata esses casos como disfunção genética. 


Até aí o homossexualismo pode ser entendido como uma causa natural.



A Igreja entende a pessoa do homossexual e carinhosamente o respeita como filhos do mesmo Pai. Afinal de contas ele (a) não teve culpa de nascer assim.  E deve ser respeitado como todo ser humano.
É mentirosa a idéia que tentam passar, (principalmente a mídia) de que a Igreja Católica Apostólica Romana, o Santo Padre o Papa e demais instituições cristãs discriminam os homossexuais. Não é bem assim. 
A Igreja tem recebido inúmeras críticas, pelo mundo afora, dizendo que ela, o o Santo Padre são preconceituosos. Não! o que a Igreja pensa sobre o homossexualismo?
Ela entende em si todas as causas que levam uma pessoa a ser homossexual e respeita cada uma; o que a Igreja não pode aceitar é a prática do homossexualismo, ou seja a prática do relacionamento entre pessoas do mesmo sexo e a união religiosa do Sacramento, isto é o Matrimônio religioso. A Igreja não é contra o pecador e sim contra o pecado.

A Igreja sempre esteve de portas abertas para os homossexuais, dentro de minha paróquia existem homossexuais que trabalham nos diversos serviços de pastorais.

O que a igreja defende como contrárias à Lei de Deus e da Igreja são as práticas do homossexualismo porque não foi a Igreja que quis assim foi Deus. Deus desde o princípio criou a união matrimonial entre homem e mulher para fins de gerar os filhos, isto é a procriação. Este é o princípio do casamento. E os dois formarão um só corpo. Gên2, 21-24; 1Cr7, 1-14; Ef5, 21-33. 

Se existe por aí alguma instituição que se diz cristã e celebra o casamento entre homossexuais, logicamente, essas instituições estão enganando seus fiéis. Pois perante as leis de Deus não pode haver casamento entre pessoas do mesmo sexo, não por preconceito, mas porque o casamento só é válido entre o homem e a mulher para constiuição de família e geração da espécie humana. Por isso mesmo que quisesse, esse Sacramento seria nulo.

Querendo ou não, a lei natural, isto é da natureza, fez sexos opostos os quais devem  gerar vidas, logo, não é uma lei natural a união entre pessoas do mesmo sexo, ainda que  haja um grande sentimento entre ambos, não pertence à lei natural das coisas. É preciso o sexo entre um homem e uma mulher para haver a procriação da espécie.  

Então você poderá nperguntar: e o casamento civil de homossexuais? - bem o casamento civil é um contrato uma celebração de direitos e deveres e nada tem ligação com o Sacramento do Matrimônio dado pela Igreja.  

Portanto, a Igreja caminha sob as leis de Jesus Cristo, nós como seus filhos devemos cumprir o Madamento de Jesus, "amar uns aos outros", com o mesmo amor que Ele nos amou até a Cruz. Mas não podemos mudar aquilo que foi determinado por Deus. Para concluir esse pensamento convido você leitor a ler: Gl1, 11-12; Gl2,17.

São Paulo deixa claro que: as leis que recebemos de Cristo e o Evangelho não foi obra humana, mas foi Jesus quem as fez. "Portanto irmãos todas as leis da Igreja e sua doutrina não provém de desejos humanos". Se viessem causariam muitos estragos, como já causaram algumas decisões humanas da Igreja no passado. 

A Igreja olha atenta e amorosamente a todos nós pecadores, pois como parte dela somos todos pecadores, não há distinção. Mas o que temos que nos esforçar é para alcançar a santidade. Se entendermos isto deixaremos de criticar o santo Padre quando nos exorta e nos adverte sobre a todas as práticas de pecado. Pois Ela é sinal de presença do amor de Deus. 

Mas a Igreja não tem poder de mudar o Evangelho, nem as Leis de Nosso Senhor Jesus Cristo. 
A Igreja olha com carinho esses nossos irmãos e os mesmos não estão proibidos de frequentar as celebrações e participar das pastorais. O que se recomenda é uma vida coerente com os valores do Evangelho. Deus não faz distinção de pessoas, raças ou línguas. 


O Santo Padre o Papa Bento XVI e tantos outros cumprindo o dever de anunciar o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, não discrimina nem condena os homossexuais, e pessoas de outra opção sexual sem si, apenas é contrário à prática da homossexualidade como algo que dentro da Lei de Cristo é pecado. E tudo que é pecado ofende a Deus nosso Senhor, não interessa qual é o tamanho ou proporção.


O mandamento de Deus é claro, "não pecar contra a castidade!", isto quer dizer muitas coisas inclusive às práticas do homossexualismo.  
Assim como o Santo Padre insiste na defesa da vida, contra o aborto, não quer ser preconceituoso com as mulheres, mas é porque há uma lei que não devemos transpor, tudo que causa o morte de inocentes é pecado grave contra Deus, eis o mandamento "não matarás!". O casamento cristão, isto é a união conjugal, a bênção matrimonial só tem sentido se for entre homem e mulher. Porque? - porque essa união deve servir primordialmente para gerar os filhos. Isso não é invenção da nossa cabeça  nem da Igreja, mas é uma lei natural.  Não tem sentido uma união matrimonial entre pessoas do mesmo sexo onde não possa haver a geração, ou a fecundação da espécie humana. Então é por isso que a Igreja não aceita como "casamento religioso" a união de pessoas do mesmo sexo, porque um dos principais objetivos do casamento é esse, a procriação. 


Você sabia que: Um casamento religioso pode ser anulado se o casal não teve frutos desse casamento, o amor entre os dois e os filhos? - salvo se por razões de doenças, ou a idade impedir que eles gerem, por exemplo no caso de pessoas mais velhas, e quem se casa e depois descobre que um dos parceiros possui problemas que impedem a fecundação.        


O que é mais fácil de fazer: não praticar o mal e merecer o céu ou praticar o mal e sem se arrepender ir para o inferno? Obedecer a leis de Deus, (e é difícil), ou seguir as leis do mundo? Jesus disse que não podemos servir a dois senhores... 
Entre uma coisa e outra Jesus nunca disse que seria fácil, e todos aqueles que quisessem algo mais dEle deveria passar pela "porta estreita", essa porta pode ser considerada a nossa opção por resistir à toda espécie de mal. Deixar-se revestir pelo Espírito Santo, ou não, e deixar-nos seduzir pelo mal. Isso inclui a tentação de muitas vezes criticar aquilo que é certo, que Deus nos propõe como valores para se chegar ao propósito final, o Céu.


Por isso se você é homossexual, ou possui outra forma de vida, não se aliene achando que a Igreja condena você. Não é verdade! mas devemos estar atentos a prática do pecado. Jesus disse uma frase interessante guarde-a: "Que adianta o homem querer ganhar o mundo inteiro se vier a perder a coisa mais preciosa que é a alma", quer dizer, podemos ganhar tudo neste mundo, mas se perdermos a salvação tudo estará perdido. E Deus não quer isso pra ninguém porque a nossa vida lhe custou muito caro, o preço foi a morte de Jesus na Cruz. Jogando fora a salvação, estamos jogando fora o sangue precioso de Nosso Senhor que foi derramado por nós!


É por isso que a Igreja não pode mudar suas leis sua forma de agir e de pensar. A responsabilidade da Igreja é muito grande porque se trata da formação da fé e nos conduzir à eternidade, ou seja tratar a nossa alma para o merecimento da salvação. Isso só a Igreja pode fazer, quem desperdiçar essa chance ficará sem Deus e consequentemente sem a salvação.  


As coisas, o mundo, o pecado, os maus desejos não nos deixam ver que é preciso amar e seguir a Jesus. Isso implica que cumpramos nossa parte. E é tão simples, basta esforçarmos para vivermos longe do pecado. A santidade é para todos, mas ela não nos é imposta é conquistada dia a dia.


Jesus disse uma vez nos ensinou que: "Não ajunteis tesouros na terra...ajuntai para vós tesouros no céu!" ... "O olho é a luz do corpo". (Mt6, 19-23) "O homem de bem tira coisas boas do seu tesouro, o homem mal tira coisas mas, ... é por tuas palavras que sereis absolvido ou condenado" (Mt12, 35-37)       


Devemos como cristãos que somos entender que a misericórdia de Deus é para nós. Deus nos ama. Mas é preciso que cada um deixe de lado as práticas do pecado. Você que é homossexual que talvez possa ler este artigo, não se sinta envergonhado, não! a Igreja nunca deixará de ajudá-los apenas quer que você caminhe à luz do Evangelho de Cristo. Sinta-se abraçado por Ele. E viva uma vida santa diante dEle.  


Nós temos que aprender que tudo em nós passa pela Igreja e sob a autoridade  dela: quando nascemos batizamos nela, crismamos nela, casamos nela, levamos nossos filhos para serem batizados nela e quando morremos, somos por ela preparados para deixar este mundo. Então não podemos de tudo achar que a Igreja, o Santo Padre nos quer mal. Não! sendo ele representante de Cristo e sucessor de São Pedro na Terra, ele quer apenas que vivamos o que Jesus pediu para que vivêssemos "se" quisermos ser de Jesus. 


Talvez você não saiba, mas quem se revolta contra o Santo Padre se revolta contra Jesus, pois ele tem o poder de ligar e desligar-nos na Terra e no Céu, é! está nos evangelhos não é mentira não. Leia: Mt13, 17-19. E mandou que ensinassem a observar isto é, praticar o que Ele nos ensinou, (Mt28, 18-20)


Então meu amigo, não importa sua opção sexual, se você quiser poderá ser muito feliz, a Igreja não condena ninguém, ela nos ama com o jeito de Jesus, condena apenas o pecado que faz mal ao pecador. Também não julga nossos erros, quem faz isso é Deus que é juiz de todos, dos vivos e dos mortos.  


A missão do Papa é governar a Igreja, promover a paz, denunciar as injustiças e anunciar a boa-Nova. Isto significa "apascentar" o rebanho de Cristo.
Portanto, hoje se vê tantos protestos contra a Igreja e o Santo Padre, devemos não criticá-lo mas orar por ele para que suas decisões e sua meta seja alcançada para honra e glória de Nosso Senhor Jesus Cristo. O caso que muitos acham que são "donos" da verdade. Querem uma liberdade a todo custo. Deus nos criou livres sim. Mas existe uma diferença muito grande entre liberdade e libertinagem. Ele nos  deixou duas opções e não outras: ou amar a Deus, seguir suas Leis serão  e merecer o Céu, ou então não resta dúvida, fazer o contrário e não entrar no Céu.

Eu prefiro escolher a primeira opção, pois Jesus pagou muito caro pela minha e a sua salvação, você morreria assim como Ele?  


Todos nós somos filhos de Deus, e herdeiros do Céu e não há outro caminho para os batizados senão passar pelo crivo do Evangelho.


Deus abençoe você!
                  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.