sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Sagrada Escritura-Livro de Cabeceira do Cristão

Estamos dentro do mês da Bíblia. O Mês de setembro é convidativo para que reflitamos se temos o costume de rezar e meditar a Palavra de Deus.

Estamos falando da "Lectio Divina" isto é, a leitura orante da Palavra de Deus.

É uma prática de oração em que consiste utilizar a Palavra de Deus para rezar. ´

Consiste em: Ler, Meditar, Orar e Contemplar a Sagrada Escritura
.
A leitura da Sagrada Escritura deve ser feita devagar, com a intenção de entrar em sintonia com a mensagem que Deus tem para cada um de nós. 
Não se trata de abrir a Bíblia apenas para tirar a sorte, de qualquer maneira ou até de forma supersticiosa. Mas trata-se de obter um cuidado e um amor em abrir nosso sentidos e o entendimento para entender a mensagem que Deus tem a nos dizer.

A meditação exige que nos aprofundemos mais naquilo que o Senhor tem a nos revelar. Várias vezes lemos o mesmo texto e a mensagem de Deus se renova a cada momento de nossa vida. Pois, a Palavra de Deus nunca se desatualiza. Consiste em abrir nossos ouvidos, principalmente nosso coração para escutar o que o Senhor tem a nos dizer, como bons servos que sabem escutá-Lo.

A Oração é o momento pelo qual, de acordo com nosso contexto pessoal, damos resposta a Deus daquilo que ouvimos. Esse "ouvir" consiste em deixar o coração aberto diante do Senhor. É o momento seu com Deus, particular, é hora de se abrir, de  se deixar e sentir ser abraçado poe Ele. É também o momento de agradecer, louvar e pedir, pois estará em conversa direta com Deus Pai. É um momento de muitas graças e curas.

A contemplação é o momento em que não é preciso palavras, mas apenas o silêncio interior, do profundo do ser, que se faz sentir a entrega total de si mesmo a Deus Pai. Não é preciso palavras mas apenas uma entrega.
O silêncio também fala quando olhamos para dentro de nós mesmos, Deus está ali também presente em nosso viver.
Você entrando em contato com a Palavra de Deus, ao mesmo tempo é confortado por ela, e as palavras do coração falam por si só. 
A Palavra de Deus é vida, é ela quem nos fortalece, ilumina e guia.

Por isso todo bom Cristão deve praticar a "Lectio Divina", isto é Orar a Palavra de Deus.
A Palavra de Deus, ou seja, a Sagrada Escritura, deve ser nosso principal livro. O livro de cabeceira, onde encontramos sempre palavras de conforto e felicidade.
A Sagrada Escritura não foi feita para ser discutida e sim praticada, por isso que é importante aprender com ela, e praticá-la.

Todo cristão deve sempre buscar na Sagrada Escritura seu refúgio. Ela ilumina e nos mostra o caminho da Salvação que é Jesus.
Ela por si só não Salva ninguém, mas tem o poder de nos conduzir ao bom caminho na medida em que aprendemos a praticar, a orar e meditá-la.
Deus nos fala de muitas maneiras, mas é através da Sagrada Escritura que aprendemos como nossos antepassados, os Santos, os profetas, os patriarcas e os Apóstolos a praticaram. Então ela também nos dá exemplo, testemunha a grandeza do poder de Deus Pai, Filho e Espírito Santo nos caminhos da história. E o primordial: Ela nos revela Jesus o filho de Deus como único Caminho, verdade e vida.

**********************

O QUE É A BÍBLIA? - RESUMO

A Bíblia surgiu dentro do povo de Israel por volta do ano 1000 a.C até 100 d.C , seus escritos foram escritos em épocas diferentes de acordo com a situação de cada época. Começa com a escolha de um povo (o povo Hebreu), o povo de Israel através de uma aliança com os Patriarcas: Abraaão, Isac, Jacó e Moisés e termina com a Nova Aliança de Deus através de Jesus. 
Os escritos bíblicos foram escritos primeiro em aramaico (idioma primitivo dos hebreus), depois em hebraico e por último em grego, cujas eram as línguas mais faladas da época.

A Bíblia também é chamada de "Revelação Escrita", pois, Deus se revelou a humanidade através dos patriarcas e dos profetas ( no tempo do rei Davi) e dos apóstolos de Cristo, os quais tiveram o cuidado de registrarem os acontecimentos e as leis divinas ao longo da história. Muito antes da Revelação Escrita existia a "Revelação ou Transmissão Oral" (já que os antigos hebreus eram nômades e não possuíam a escrita) - isto significa que, os ensinamentos da Palavra de Deus, bem como seu cumprimento ou observância era passado de geração a geração oralmente.

Porém, mais tarde com a chegada da escrita sentiu-se a necessidade de registrar os fatos, acontecimentos e ensinamentos da Palavra de Deus ao povo de Israel, já no tempo do Rei Davi, por meio da escrita e continuou ao  longo de séculos e milênios. 
  
Homens sábios que sob a inspiração do Espírito Santo, tiveram a missão de não só registrar os acontecimentos históricos de uma determinada época, mas também registrar as Leis e o propósito de Deus que é o seu amor para com o seu povo. Para tal, alguns contavam com a ajuda de seus auxiliares que eram chamados de "escribas" ou "escritores". Não só eram descritos os acontecimentos históricos, mas também as Leis diretas do Senhor Javé e as indiretas através de moisés e os sumos sacerdotes, como: as leis do Templo, as leis civis, os rituais da religião judáica, as orações (salmos), pensamentos, conselhos, poesia, romance, aventura, enfim tudo que A RESPEITO povo de ISRAEL. Depois, futuramente os Apóstolos tiveram o cuidado de registrar os ensinamentos e a vida de Jesus. Bem como os ensinamentos da Igreja cristã primitiva. E é através da Revelação dos Apóstolos que a Igreja Católica basea toda sua doutrina. Não há nada inventado, tudo parte do princípio bíblico. É a Bíblia que rege toda a tradição da Igreja: normas, preceitos, catequese, doutrina, rituais, sacramentos, teologia etc... TODA A HISTÓRIA DA IGREJA ESTÁ ALICERÇADA NA TRADIÇÃO APOSTÓLICA.    

A bíblia ao contrário do que muitos pensam não é um livro para nos prender, mas é um livro de "Libertação", pois, ela sempre traz uma mensagem do amor de Deus mesmo em tempos de guerras, fome, miséria e perseguição. Mostra que Deus sempre está conosco. Aliás, ela mesma nos revela Jesus Cristo com o nome de Emanuel que quer dizer, Deus-Conosco, não é interessante? (...)

Por mais que queiramos compreender toda a Sagrada Escritura, não podemos. Pois ela sempre traz uma mensagem nova e causa diversos efeitos em nossa vida. Sua linguagem muitas vezes não é fácil de ser compreendida, por isso o melhor é estudá-la através dos estudos teológicos (livros especializados, encontros, escolas bíblicas, etc.) para que possamos melhor entendê-la. Participar  de grupos de reflexão como os círculos bíblicos, ou ainda em caso de dúvidas devemos buscar a orientação de um padre ou um professor de teologia para que possamos entender, compreender melhor o significado de cada texto. 

NOTA: A Igreja Católica Apostólica Romana é a única que dispõe e guarda o Depósito da Fé. Isto é, a Igreja guarda todo os escritos bíblicos originais e zela por eles, somente ela através dos bispos pode traduzir e ensinar as verdades da fé. Ninguém pode inventar uma Bíblia ou traduzir de qualquer forma a Sagrada Escritura. 

Algumas Bíblias, como a Bíblia Ave-Maria vêm com notas explicativas dos textos no rodapé e um dicionário bíblico no final, além de mapas que mostram como era a Palestina no tempo  dos grandes Reinos de Israel e no tempo de Jesus. Isso nos ajuda a compreender melhor os textos bíblicos, mas em caso de dúvida é bom  procurar ajuda de quem entende do assunto. 
Os escritos bíblicos possuem muitas linguagens figuradas de forma que não podemos ser radicais ao interpretar por nossa própria conta os textos sagrados, pois, o radicalismo pode muitas vezes nos desviar do verdadeiro sentido proposital dos textos. Por isso que a Igreja não aprova que qualquer pessoa traduza os textos sagrados por causa da dificuldade em entender o significado. Já que para entender e traduzir certos textos é necessário anos de estudo, dentro de vários campos, inclusive pesquisando áreas da História e a situação histórica em que os livros foram escritos.  

Tem muita gente por aí que acha que entende de Bíblia, e quer esfregar algum texto que lhe interesse na cara das pessoas. Fique ligado! Quem age assim não está interessado em anunciar a Palavra de Deus mas está forçando, empurrando goela abaixo e de forma egoísta aquilo que deveria ser um convite, com o propósito de nos chamar atenção para "suas seitas".   
A Palavra de Deus não deve nunca servir para discussão e sim, ela deve ser vivida,  para  fazer experimentar e aproximar-nos do amor de Deus. 

A primeira tradução da Sagrada Escritura foi feita por São Jerônimo que era teólogo, filósofo, gramático, escritor, apologista, sacerdote e doutor da Igreja (viveu entre 340-420 d.C.). Sua tradução ficou conhecida como "Vulgata". Mas hoje a tradução que mais aproxima dos escritos originais é a Bíblia de Jerusalém. Não que a tradução Vulgata seja errada, mas a Bíblia de Jerusalém traz uma cópia mais fiel dos originais. Ou seja, as palavras que eram de difícil compreensão, ou caíram em desuso, na tradução Vulgata foi traduzida por outras mais recentes e comuns no latim e no português para melhor compreensão, mas, sem perder o sentido do conteúdo transmitido.
Na Bíblia de Jerusalém, (traduzida do grego), vamos notar algumas diferenças de tradução, justamente por causa da linguagem e tradição da época nela conservados. Mas, tanto a Vulgata de S. Jerônimo, como a Bíblia de Jerusalém são perfeitas e válidas. 

São Jerônimo dedicou grande parte da sua vida a traduzir a Sagrada Escritura. E essa tradução feita do hebraico e grego, para o latim, língua oficial da Igreja na época. E foi dividida em seções de livros. 
Existem alguns livros que estão à parte do Novo Testamento por serem considerados mais fábulas do que verdade. São os livros apócrifos - (como o evangelho de S. Tiago por ex.), considerados não inspirados. Esses livros, foram escritos por terceiros e não foram acrescidos à Bíblia porque não continham verdades sólidas fundamentadas, e sim, algumas lendas até fabulosas demais.    

Mais tarde, para facilitar a leitura no Séc. XIII d.C. nela foi acrescentado os capítulos  pelo Cardeal Estêvão Langton. E no Séc. XVI - Sante Pegnini e Roberto Estêvão elaborou um sistema  mais fácil de ler a Bíblia, além dos capítulos, também a dividiu numericamente pequenos trechos que são os versículos. Assim, cada capítulo possuía um certo número de versículos (pequenos textos numerados) e ficava fácil encontrar a citação desejada no texto sagrado sem dificuldades.

A primeira obra de impressão moderna da Bíblia ocorreu em Gutenberg na Alemanha em 1450, considerada o trabalho mais importante da época. Mas a primeira Bíblia impressa em português foi feita em 1748 através da tradução vulgata de São Jerônimo por D. Diniz (rei de Portugal) nos anos de 1279 a 1325. 

A palavra Bíblia vem do nome grego "Biblos" - (se refere a um papiro do séc. XI a.C.) Significa: apanhado, coleção ou conjunto de livros. Ela foi dividida em dois grandes conjuntos de livros: Antes de Cristo temos o Antigo Testamento ou Antiga Aliança, e, depois de Cristo temos o Novo Testamento ou Nova Aliança. A palavra testamento, significa, legado ou tratado. 

Um Tratado Eterno de amor que Deus tem para conosco através de sua palavra.

 Quando alguém morre e tem muitos bens para repartir entre os herdeiros, deixa registrado um Testamento, escrito, com normas e um formal de partilha é feito de acordo com a vontade do testamenteiro. Jesus morreu, deixando-nos um Novo Testamento, isto é, todos nós somos herdeiros dos bens que ele nos deixou, somos herdeiros primeiramente da sua graça, depois, somos herdeiros do Céu. Jesus conquistou isso para nós, para nossa felicidade. Quando abrimos o Testamento de Jesus, vemos que as condições para merecer esse grandioso bem é viver o amor uns para com os outros. Esta é a condição se quisermos receber nossa herança. Assim a Bíblia é o Testamento que nos garante o direito a felicidade, a salvação e consequentemente, a santidade. 
 Assim como todo Testamento possui um selo para ser aberto no dia da sua leitura, Jesus Cristo selou seu Novo Testamento com seu sangue, garantindo-nos total integridade e direitos e através do Espírito Santo no-los revelou, de forma que todos nós, (batizados), possamos ter a graça de merecer e conquistá-la definitivamente um dia.    

Mas quem deu o nome de Bíblia aos escritos sagrados foram os discípulos de Jesus. (+ séc. II)   Hoje a tradução em português mais fiel da Bíblia já encontrada é a tradução grega ou a Bíblia de Jerusalém, que faz uma cópia fiel dos textos originais.  

Partindo do princípio conforme escrito por S. Paulo que: "Toda escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para argumentar, para corrigir e educar  conforme a Justiça"... 2Tm 3, 16;  - hoje poderemos dizer que devemos desconfiar de certas traduções. 

Temos que tomar muito cuidado com certas traduções que contém graves erros de tradução trocando muitas vezes os nomes dos personagens e o sentido dos textos e podem confundir ainda mais as pessoas. 

Por isso é bom e recomendável que se compre apenas Bíblias que sejam autorizadas pela Igreja Católica aonde sejam autorizadas sua impressões pelo bispo que acompanha a sua edição. Nunca podemos traduzir ao "pé da letra" mas considerar em primeiro lugar o sentido e o propósito dos textos para que e por que foi escrito, dentro de cada época. Pois pode ser que o que valia para uma época antes ganha novo sentido em outra. Por exemplo: 

No Antigo Testamento encontramos a A Lei de Talião - "Olho por olho, dente por dente" ou seja, pague o bem com o bem e o mal com o mal - consistia em pagar com a mesma moeda o mal ou o bem causado por alguém. Assim, se alguém matasse uma pessoa, alguém que matou tinha que ser morta também. Já pensou o que seria do mundo se todos agissem assim?... No Novo Testamento, vemos que Jesus corrigiu esta Lei mandando que todos seus discípulos se praticassem a caridade e não a vingança. Ou seja, devemos amar sempre e nunca odiar, pois Deus é amor. (Mt 5, 38-40) E para provar Jesus deu sua vida por nós. E por fim nos deixou um novo Mandamento: AMAR COM A MESMA INTENSIDADE QUE ELE NOS AMOU - Jo15, 12-17.  

Não podemos cair no radicalismo bíblico, pois, isto leva a heresia, isto é, pode fazer-nos afastar do verdadeiro sentido bíblico que é fazer-nos conhecer e amar a Deus.
Os escritos bíblicos possuem linguagens simbólicas. Era uma prática muito antiga de linguagem escrita que os autores tinham. De maneira que a mensagem chegasse a quem lhes interessavam diretamente (sem que houvesse perseguições) e os receptores desta mensagem lhes cabiam entender e interpretar o significado das palavras.
Nem sempre os governantes de Israel eram os judeus. Israel vem sofrendo interferências de outras nações a séculos. Muitos não seguiam a religião judaica, adoravam outros deuses, e levavam consigo a sua prática religiosa. E mandavam perseguir e matar os que seguiam a religião judaica. Muitos profetas tiveram que se exilar. Estes profetas tentando fazer com que o povo não esmorecesse na fé no único Deus escreviam suas mensagens de forma simbólica para evitar as perseguições e fazer com que a palavra do Senhor fosse levada diretamente aos judeus.
Assim a Bíblia possui textos que compreendemos e textos que não podemos compreender sem a ajuda de alguém especialista em Bíblia e escritos antigos. E para entendê-los muitas vezes os estudiosos tiveram que contar com a ajuda da Ciência e da Arqueologia.
Temos que tomar muito cuidado, pois o sentido bíblico que parece ser na verdade ganha outro significado. Para isso é necessário entender dentro daquela história, na realidade daquele povo o para quê, por quê foram escritos.

Tanto no Antigo, quanto no Novo Testamento existe esta linguagem, como no Livro de Isaías, Zacarias, Daniel, os Salmos, Os Evangelhos, e o mais famoso, o Apocalipse. 
O Apocalipse é um livro muito simples, mas muito misterioso pois envolve uma linguagem simbólica pela qual João o Evangelista descreve a vitória de Cristo e sua Igreja. 
Usa e "abusa" de vários símbolos do Antigo Testamento para transmitir uma mensagem cristã, a qual não podia ser diretamente escrita por causa da perseguição do Império Romano aos cristãos. Então, por exemplo, ele se refere a Jesus como Cordeiro, Leão da tribo de Judá, o Alfa e o Ômega, etc. Quando se refere as perseguições ele usa símbolos para destacar os perseguidores da Igreja e o mal, usa o número 666, o dragão, os cavalos, a morte, etc. Quando fala da promessa celeste, ele usa os anciãos, os anjos, os mártires, os animais, ouro, incenso, anjos, louvores, preces e música, etc. Jesus em seu evangelho, usou as parábolas (historinhas), para ensinar o povo simples, que muitas vezes caiam no radicalismo farisaico por não entender as Leis de Moisés. Isso lhes faziam cair no radicalismo religioso, e impediam-lhes de amar verdadeiramente a Deus e ao próximo. Uma das causas que levam às guerras religiosas. 

O radicalismo e o fundamentalismo religioso leva a uma cegueira espiritual e esta cegueira conduz a pessoa ao fanatismo e à perdição. Um copo cheio demais transborda e faz molhar, um copo com pouca água  não é suficiente para nos matar a sede. Ou seja, tudo na vida para dar certo, para nos fazer felizes tem que estar na medida certa.
A cegueira espiritual  dos fariseus condenou Jesus à morte. E quantos hoje estão cegos por não entenderem a Palavra de Deus? Quantos matam e morrem em nome de Deus?... A causa disto é o radicalismo, o fanatismo e o fundamentalismo religioso. 
   
Então na verdade, a linguagem simbólica é usada para confundir quem na verdade não lhe interessava (como um código) e pudesse chegar melhor e com segurança até os cristãos. Funcionou tanto que está no nosso meio até hoje.
Mas, cair no radicalismo e interpretar ao "pé da letra" a Sagrada Escritura é perigoso pois pode nos fazer cometer heresias, fugir do verdadeiro sentido bíblico, da verdadeira mensagem. É aí que surgem as seitas e a violência, intolerância e a idolatria.   
Jesus Cristo várias vezes condenou esse radicalismo, quando censurou os fariseus pelas práticas erradas da palavra de Deus. (Cf. Mt. 5, 17-48 : 23, 1-39)               

As mensagens bíblicas devem ser ser aplicadas em nós hoje?

Sim! A finalidade dela é fazer com nós conheçamos a verdade e possamos estabelecer uma relação de filhos com Deus. Ela também nos aponta para a salvação e nos conduz até lá através de Jesus Cristo, mas sobretudo é ela quem nos dá a conhecer o amor de Deus por nós e nos convida a abrir nosso tempo, nosso espaço e nosso coração para o Espírito Santo. Pois ela é sempre atual, porque Deus é sempre atual. Seus escritos são para os de ontem, os de hoje e os de amanhã. A palavra de Deus não muda, ela é sempre  a mesma, apenas se adequa à nossa realidade e por isso se faz atual.     
           
A Bíblia também serve para que aprendamos a lidar com a  nossa Justiça dentro de uma dinâmica do amor de Deus Pai.
Ela vai nos educar para que saibamos administrar nossa justiça com o amor. Pois somos filhos de Deus bons ou maus. E nossa justiça, deve ser o amor, o respeito mútuo e a caridade, estas sempre devem ser maiores que as leis do nosso País. E nenhuma outra está acima dela se quisermos entrar no Céu. (Mt 5, 20)

Ela deve ocupar um lugar de destaque, não nas estantes, esquecida e empoeirada, mas deve ocupar verdadeiramente seu lugar que é nosso coração. A Palavra de Deus nos revela o Verbo Divino que veio morar entre nós, se fez um de nós, assim, diz o escritor Cassio Abreu: "A dinâmica da Palavra de Deus é que não apenas a leitura, mas a suas mensagens podem e devem ser aplicadas em nossa vida hoje"
    


    

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

SOU CRISTÃO E CATÓLICO, E NÃO ABRO MÃO! - O cristão e as seitas.

Neste novo século em que vivemos é comum assistirmos ou lermos na imprensa cada vez mais gente preocupada com o aumento das seitas e ainda de outras denominações de crenças cristãs. Mas, se no passado a Igreja Católica Apostólica Romana se preocupava com números expressivos de fiéis e com os templos cheios de pessoas, hoje o conceito de religião passou por um filtro em que o que importa não é a quantidade, mas a qualidade no exercício da fé e da religião católica, de modo que cada um dos cristãos católicos entendam e vivam uma fé madura e chegue ao conhecimento da única verdade que é Jesus Cristo, através de uma fé madura, consciente e verdadeira  dentro da Igreja.

Quando falamos em salvação, devemos pensar que a Igreja quer e deseja que todos sejam merecedores dela, pois foi para isso que Cristo veio a este mundo. Mas ela exige de nós condições que implica que vivamos de verdade os valores do Reino que Jesus Cristo mesmo veio nos trazer. Não pode ser salvo apenas por acreditar em Jesus, por simpatizar com Ele como um líder ou como um ídolo. Mas podemos ser salvos por aceitar tudo aquilo que Jesus deixou para nós incluindo seus ensinamentos e sua Igreja. Pois é na igreja que aprendemos a vivenciar e a praticar esses valores. É para isso que serve a Igreja, para nos orientar e nos conduzir no cumprimento das leis de Deus e de Jesus Cristo que é o cabeça da Igreja.

Se a salvação é gratuita, porque  então existe condições?
Podemos tomar esse exemplo como resposta:

Imagine quando você oferece um pedaço de bolo para alguém, o bolo por mais gostoso que seja, tem gente que não gosta de bolo. Nem por isso temos o direito de fazer com que a pessoa coma aquilo que não goste.

Assim é a salvação dada por Jesus a todos nós.  Jesus a conquistou para nós se entregando na Cruz e depois ressuscitando, mas nem mesmo Jesus nos força a aceitá-la, somos livres para escolhermos nosso destino ou para o bem ou para o mal, arcando depois com as conseqüências de nossas escolhas. 

A salvação depende de cada um de nós individualmente, depende em fazer uma escolha. Escolha que parte de uma experiência profunda de Deus. Para que a salvação chegue até nós e para que mereçamos os frutos dela temos que aceitar Jesus como nosso Senhor e Salvador. Chegando a aceitá-lo temos que abandonar as práticas do paganismo para viver uma vida voltada ao cumprimento do Evangelho, pois há um elo incondicional entre o nosso batismo e nossa fé.
Isso se chama conversão, mudança de vida, de valores. Trocando nossas atitudes de pecado pelas atitudes evangélicas que nos levarão a viver esta fé em Cristo. 
E Jesus sabendo que essa não é uma tarefa fácil e que podemos cair muitas vezes é que Ele criou, fundou a Igreja para nos ajudar a viver a sua palavra. 

E essa Igreja que chamamos de Católica defende e crê numa única verdade, porque ela também enquanto de Jesus Cristo é única. Tendo Jesus a instituído e passado seu ministério aos Apóstolos, esses são administradores dos Sacramentos que são portais pelos quais chegamos a salvação. É essa Igreja, enquanto instituição divina que defende a vida sob todos os aspectos, desde a concepção até a morte natural.
O Cristão católico possui uma responsabilidade muito grande, porque, pertencendo a única Igreja fundada por Jesus, e sendo nela um membro, ou seja, um batizado se torna discípulo de Cristo, propagador da Boa-Nova de Jesus e portador da paz. 

Uma vez nela inserida nela somos responsáveis pela defesa da vida, pois nela habita o Senhor da Vida.     

Assim temos que ligar essas condições ao nosso Batismo e à nossa Crisma, sacramentos que recebemos e aos quais infundiram em nós o compromisso de seguir a Jesus Cristo dentro da vivência dos valores do Evangelho e da sua Igreja. A soma de tudo é a salvação. 
Recebemos a salvação não por nossos méritos mas por única e exclusivamente da bondade de Deus que nos ama com amor de Pai. Pertencemos a Igreja e com ela nos tornamos filhos de Deus, consequentemente somos herdeiros do céu. Exige-nos uma responsabilidade, pois, como nos afirma Jesus, embora com Ele nesse mundo  caminhamos não para o mundo mas para a Pátria definitiva, pois, não somos do mundo mas de Deus. 

Se é o Evangelho que nos conduzirá à salvação, esse Evangelho se torna eficaz quando na Igreja, compromissados em ser partícipes dela na missão de construir o Reino de Deus. Ser Igreja não é apenas confessar uma religião mas é trabalhar pelo Evangelho, ser constante na Fé que recebemos e perseverantes no amor uns pelos outros. E o maior Mandamento de Jesus é o AMOR. O amor de Deus é incondicional, ou seja, não há condições para Deus amar as pessoas, seja pobre, seja rico, santo ou pecador, o amor de Deus é o mesmo. E quando nós temos esse amor, com carisma evangélico temos que aprender a levar esse amor até mesmo aos nossos inimigos. Ser católico é isso, não é apenas "encher a boca" para dizer "sou católico", não é ir a igreja somente em determinadas cerimônias ou em épocas festivas, mas é levar sempre a Igreja consigo e nela participar como filhos de Deus que são e membros de sua família. 

Então a salvação se tornará concreta se soubermos já vivê-la nesse mundo e completá-la no Paraíso. Jesus nos deu a salvação, não para aguardá-la de braços cruzados e achar que "se creio em Jesus, então estou salvo", não é assim! Mas a salvação é uma conquista diária e nos torna servidores do Reino, a fim de trabalhar pela difusão do Reino de Deus. Ao mesmo tempo devemos levar essa salvação a todos e cabe a cada um aceitar ou não.

 Essa é a tarefa da Igreja, ou seja, nossa

Agora, imagine uma casa que você adquiriu para morar, antes de se mudar é preciso fazer uma limpeza, pois a casa está suja, precisa de uma adequação e de uma reforma para deixar o ambiente mais aconchegante e do jeito que te trará o conforto necessário. Precisa de móveis novos e de uma pintura que lhe agrade. Você terá que fazer com que sua casa se torne não só mais bonita, mas também um ambiente em que você se sinta bem, pois é ali que passará maior parte do tempo. 
Assim, você prepara seu ambiente, seu lar sagrado que será seu reduto de descanso, de lazer e onde você viverá a maior parte de momentos felizes.

Assim deve também ser preparado o nosso coração, temos que limpar as "sujeiras" que existe pois O Espírito Santo só pode entrar e morar dentro de nós, se nosso coração for essa casa que O tornará  um hóspede feliz. Nosso coração deve estar limpo e preparado para receber Jesus e a sua salvação. E para isso devemos varrê-lo, tirar toda sujeira pecaminosa que emperra as portas e não deixa a luz de Deus entrar. Deus não mora em corações sujos pelo pecado, Ele fica de fora esperando que seja limpo e arrumado o nosso ser.
Se Deus mora em nós, a salvação também faz sua morada. Mas se não abrimos nosso coração para Deus a salvação não fará morada em nós.

Então essa é a única condição que Jesus exige de nós para merecermos a salvação.
Para isso a Igreja não quer e nem se importa com o número expressivo de fiéis, mas se preocupa em dar o melhor para que todos os católicos sintam e experimentem esse mesmo Jesus  Ressuscitado que está sempre presente em nosso meio.

Fazer a vontade de Deus, buscar a salvação, implica termos uma vida de oração, amor, justiça, perdão, não se deixando idolatrar pelos falsos ídolos deste mundo, o ter o prazer, o poder.
Não se deixando idolatrar-se por falsos líderes que não seja Jesus Cristo.
Não cultuar os deuses desse mundo mas procurar viver o Evangelho tendo Jesus como único Caminho Verdade e Vida.
Para merecer a salvação não basta chamar a Jesus de Senhor, isto Ele mesmo disse:
"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor entrará no Reino de Deus, Mas o que ouve as minhas palavras e as põe em prática!"

Hoje o que nos impede de experimentar a salvação são os ídolos e as seitas. As seitas muitas vezes anunciam o ter a qualquer custo e um cristão cada vez mais descomprometido com as verdades do Evangelho.
Por outro lado, o inimigo, o diabo faz com que se pareça que a Igreja esteja "derrotada", ou ainda atentam contra sua dignidade fundadora que é Jesus, perseguem e tentam descredibilizá-la cada vez mais, com o intuito de arrastar as pessoas mais frágeis à perdição.
E uma grande colaboradora desse são vários órgãos de imprensa que pregam Deus pela manhã e o diabo pela noite.Com isso muitos abandonaram a fé e a vivência cristã, esqueceram o batismo e negam Jesus Cristo como salvador e negam a Igreja como colaboradora de Jesus no plano de Redenção.
Muitos preferem trocar a salvação por um Deus milagreiro e manipulado  aos nossos interesses e aos interesses de falsos pastores.

Outros se desviam do caminho da salvação por ambição egoísmo, pelo lucro fácil e porque a Igreja os impedem de viver uma vida escandalosa. Outros ainda voltam-se para seitas que negam as verdades sobre a Encarnação de Cristo e sua Salvação.

Desde os primórdios dos tempos a Igreja sofreu inúmeras perseguições, a heresia começou a influenciar muita gente, dentro e fora da Igreja. Depois da Reforma Protestante, surgiram as seitas e as doutrinas espíritas, induístas e orientais.
É bom lembrar que o  Estado Brasileiro permite a liberdade religiosa. Mas Deus não!
Jesus não aceita outra verdade que não seja a sua, aliás, Ele mesmo é a própria verdade e fora d'Ele não há salvação, pelo contrário sem Jesus há o caminho do inferno.

Essa liberdade religiosa trouxe para o nosso meio as falsas verdades, idéias e conceitos anti-cristãos. Mas nós cristãos, católicos ou evangélicos não podemos nunca ouvir e dar créditos aos ensinamentos dessas seitas, nem frequentar, nem ler seus livros publicados, nem ajudar financeiramente, e difundir o que elas pregam. Pois, ao fazer isso estamos indo contra Jesus e sua palavra. Então se o fizermos, tornamos anticristos e anti-cristãos. (Cf.  Rm12, 1-2; Ef 4,5 e Cl 12, 4-6).

Se lermos e estudarmos os Evangelhos, em todos eles Jesus se tornou pobre e humilde. Ele nasceu pobre, não teve onde "reclinar a cabeça", como Ele mesmo disse. Seu lar e sua missão salvadora foi uma só. Nisso compreende o Reino de Deus, que eleva os simples, pobres e humildes. Se lermos os Atos dos Apóstolos vamos ver os primeiros testemunhos dos primeiros cristãos e cujos gastaram suas fortunas para ajudar os mais pobres. Então podemos imaginar... como é que se faz o Reino de Deus? (...) 
Enquanto Jesus se fez pobre para anunciar e construir esse Reino, as seitas ficam cada vez mais ricas anunciando uma salvação que só pode ser conquistada dando altos dízimos e ofertas nos templos, milionários de um reino que se faz às custas da pobreza e da ignorância daqueles que vão atrás de promessas, bênçãos e curas miraculosas. Mas o Reino de Deus parte da conversão e acreditar no Evangelho. Sem atitudes evangélicas, sem vivência cristã e sobretudo sem os valores do reino de que adianta, se a salvação ficar em segundo plano?
Então podemos notar hoje, uns enriquecendo pelo Reino outros se doando por amor ao Reino, e qual a diferença? A diferença está quando, somos verdadeiros discípulos; o que importa não são as coisas desse mundo, mas aquilo que Jesus conquistou para nós, a salvação.
Jesus Cristo mesmo disse: "Se quiseres tudo aqui, perdê-la-á!" ou ainda: "Que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier perder a sua vida?" ou seja, a sua salvação?  
Por isso grande parcela das almas que se perdem é porque abandonam a fé da Igreja e seguem falsas doutrinas que podem até falar de Jesus, mas não estão com ele. Usam seu nome para lubridiar as pessoas, como um anúncio falso. Essas seitas sugam do cristão tudo que ele tem, a fé, e quando vazios jogam-nos no inferno, sem esperança, sem fé, sem Jesus. Por outro lado, quem confia em Jesus e na sua Igreja, não perde seu tempo!  
             

Vamos conhecer algumas dessas seitas:

Bruxaria - é um culto satânico onde as pessoas  oferecem sacrifícios a satanás por meio de palavras e fórmulas mágicas, símbolos e propagandas  que são oferecidas as pessoas. A bruxaria é reconhecida como religião nos EUA. Uma dessas fórmulas mais comuns são as simpatias e a cruz vergada (de cabeça para baixo) e o culto do Halloween. Nega Cristo e proclama o diabo como deus. Quem pratica  bruxaria é bruxo ou bruxa. Praticam a  Magia Negra - esta é um ramo da bruxaria que implica muitas vezes no sacrifício de vidas humanas, como morte de crianças em  oferenda ao diabo como forma purificação.

Racionalismo - essa seita ensina que a razão humana não deve levar Deus em conta, e o único arbítrio é o verdadeiro ou falso do bem e do mal. Todas as religiões provém da razão humana sendo a Revelação Divina, isto é a Bíblia imperfeita. O fundamento desta seita é o ateísmo, provém de raízes orientais.

Panteísmo - fundado por Buda, ensina que não existe o divino algum sapientíssimo e supremo, ou seja, Deus não existe. Deus e  o mundo são a mesma coisa, Deus e a natureza são a mesma substância. Deve-se negar a ação de Deus sobre o mundo.

A Igreja pelos Papas Pio IX e Pio XII, no ano de 1867 e 1950. Proíbe aos católicos qualquer envolvimento com essas seitas, assim como tudo que elas promovem e divulgam. Em alguns casos graves sob pena de excomunhão:
Destas doutrinas destacamos: Maçonaria, Panteísmo, Induísmo, Budistas e seus ramos diversos, Nova Era, Sheishonoiê, Hare Krishna e as seitas ocidentais: O espiritismo fundado por Alan Kardec traz consigo doutrinas condenáveis, como bruxaria, magia negra, seitas filosóficas, curandeirismo, satanismo e as seitas africanas bem como o misticismo religioso que de nada contribuem para o crescimento da fé da nossa fé. Sobre essas seitas a Bíblia diz:

Cf.  Lv19, 31: 20, 6.27 - Dt 18, 9-4 - 1Cr 10, 13-14 - Sb14, 12-13 - Mt13, 30 - 2Cr 5, 6-10 - Gl16, 7-10.

A Igreja Católica Apostólica Romana proibiu severamente no dia 24 de abril de 1917 assistência de católicos a tais seitas, bem como suas palestras e seções. 

O último documento da Igreja em 17 de fevereiro de 1981, a Santa Sé em Roma deu poder aos bispos católicos de excomungar qualquer católico leigo (ou religioso) quem fizer ou passar pela maçonaria.

Outra seita que está se espalhando rápido no Brasil é a Nova Era. É uma seita filosófica que visa destruir, tirar as pessoas o cristianismo. Misturam vários elementos de crenças pagãs cultura oriental e também do satanismo  (mais detalhes acesse:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Nova_Era). Devemos estar atentos aos símbolos que esta seita usa e que talvez alguns de nós nem saibamos que estamos fazendo propaganda do satanismo.


CRUZ SUÁSTICA - simboliza o movimento cósmico. No centro a estrela de Davi representa os processos da involução e evolução . Dentro da estrela a cruz com um laço.símbolo de perversão sexual, contra a pureza sexual criada por Deus e em volta, fazendo um círculo, uma serpente representando o próprio diabo.  


666 - O número 666, representa o no. da besta  do Apocalipse (satanás). Ele é usado como o símbolo da Nova Era.
YIN YANG - representa o equilíbrio das forças contrárias, negativo e positivo, na Nova Era, o bem e o mal são mesma coisa. Apenas vibrações altas ou baixas. Assim segundo a Nova Era, Deus e Lúcifer (diabo) se completam, pois as forças opostas fazem parte da mesma perspectiva divina. Ou seja para a Nova Era o diabo também é um deus. 

A BORBOLETA - É o símbolo da Nova Era, ou dos aquarianos. Como a lagarta entra em um casulo e depois vira borboleta, assim a humanidade passa de uma Era antiga para uma Nova Era. 

SIGNO DE LÚCIFER - este é o sinal da bandeira de Lúcifer ou do diabo. O círculo significa o reino de satanás na Terra, o ponto preto ao meio são os homens, instrumentos do diabo na Terra.  

ESTRELA DE DAVI COM CÍRCULO-  Na Nova era é usado para significar a união das forças cósmicas.

ESTRELA DE DAVI DE SEIS  PONTAS E SEM CÍRCULO - na Nova Era significa os processos de involução e evolução. O triângulo que aponta para baixo, significa a involução da energia divina que desce às formas mais boçais. O triângulo voltado para cima, representa a ascensão dos seres quer entendem a divinar-se cada vez mais.   




ESTRELA DE CINCO PONTAS - as duas pontas para cima significam o reino de Lúcifer ou satanás; as duas pontas para baixo significam o homem como Deus, no lugar de Deus. É o símbolo da adoração a satanás e já se propagou pelo mundo, inclusive os rockeiros usam para atrair sucesso. 

CHIFRE - usado em brincos, colares, pulseiras... usado para afastar mal fluidos (mal olhado, olho gordo etc.)


MÃO CIFRADA - usado em rituais satânicos, principalmente artistas ligados a música de Rock, simboliza louvor a satanás.
CRUZ VERGADA OU DE CABEÇA PARA BAIXO - usado por grupos de rock e pelos adeptos da Nova Era, simboliza zombaria da Cruz de Jesus e é  usado em rituais satânicos.

O SS - usado pelos nazistas e pelos adeptos ao nazismo,usado pelos grupos de rock, também em roupas, tatuagens,  colares, pingentes, brincos etc. Simboliza louvor e invocação a satanás. 

RAIO - é o reconhecimento do reino de satanás, e do senhor Satã e a disposição de estra na seu serviço. Nota: é o mesmo raio que representaram na testa do personagem o bruxo Harry Potter.


FITA ENTRELAÇADA, SEM FIM - onde há sempre continuidade em outras encarnações. Também representa o pacto de sangue entre os novaerinos, isto é, os que pertencem à Nova Era. Entre empresas e organizações como forma de obediência entre seus adeptos. Lembra o símbolo do Unibanco.

ARCO ÍRIS - símbolo principal da nova era, representado pela metade, simboliza a ponte entre a alma individual e a "Grande Mente Universal". Ou a "alma universal" que é Lúcifer. Também considerado como "ponte mental" entre o homem e as energias cósmicas e a cidade de Shambala, governada por Lúcifer. Na Bíblia o Arco-Íris como simboliza a aliança de Deus com o seu povo. Aqui, ele é representado pela metade porque indica a separação desta aliança e um pacto eterno do homem com Lúcifer 



CABEÇA DE BOBE - é um símbolo de zombaria ao contrário do "Cordeiro de Deus" Jesus.


MANCHA DE SANGUE - usada em automóveis é uma zombaria ao Sangue Redentor de Cristo.
Simboliza a transformação de todas as crenças. A cruz de cabeça para baixo significa também, todas as crenças serão destruídas para que reine na terra o anticristo.

SÍMBOLO DE PLUTÃO - dentro da Nova Era, significa a união planetária ou construção da "Aldeia Global". É o novo nascimento de uma nova Terra com união sem fronteiras mas acima de credos e raças. 

OLHO DE LÚCIFER - Usado em roupas, tatuagens e outros meios, significa  o olho de satanás que vê tudo e chora por aqueles que estão fora do seu alcance: judeus e cristãos, lembra do Yu-gi-oh? 

Os símbolos são utilizados para expressar  crença em alguma coisa, seja religiosa, política, comercial, social ou nesse caso no satanismo e na Nova Era. 
Os símbolos aparecem de tempos em tempos como moda e de forma ingênua, mas, sempre a intenção de quem os divulgam é, promover seu lixo material sem que haja a verdadeira percepção daqueles os usam. Por isso, não é uma brincadeira. Talvez achamos que não há nada de errado usar esses símbolos, mas ao usá-los estamos fazendo com que essas seitas  contrárias a Deus e ao cristianismo ganhem força e se espalhem pelo mundo. Pois essas seitas, principalmente a Nova Era,  quer que o reino de satanás se espalhe sobre a Terra e por isso, a principal meta é  de ataque a fé e a moral das pessoas, às religiões cristãs, e as confissões adeptas ao cristianismo.

A principal filosofia na Nova Era e  tem como meta principal motivo não deixar que o Reino de Jesus Cristo aconteça para que satanás possa reinar. Não é brincadeira não! - é uma realidade! Por isso ela se aliou a todas as filosofias que são pagãs, como: o ocultismo, o racionalismo, o panteísmo, o satanismo e a bruxaria ( que são cultos a satanás) , etc. São seitas satânicas que se fazem contrárias aos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo. E aí está bem claro! O último símbolo que expressa bem isso. 

O que orientamos aos cristãos principalmente católicos?

Tais símbolos, assim como na Igreja são consagrados para  a promover e despertar a fé em Deus, esses símbolos são consagrados a fim de promover e despertar a fé no diabo e suas forças. Recomendo que se você tiver algum desses símbolos, ou outros que nem saiba o que significa que os destrua. É preferível perder o dinheiro que gastou com a compra desses objetos, do que perder a salvação eterna. Pois um dia Deus nos pedirá conta.  
Fugir de tudo isso, não promover, nem usar seus símbolos, nem frequentar as reuniões destas seitas, pois, do contrário, estamos propagando uma fé anticristã e trabalhando contra Jesus e a sua Igreja.  
Pode parecer bobagem, mas não é. 
Esses símbolos possuem uma força muito grande, e quanta gente anda por aí seguindo o satanismo sem saber. Uma forma mais comum é a tatuagem tão conhecida e usada. As vezes vemos as pessoas idolatrarem umas as outras tatuando nomes em seus corpos, figuras, e porque não dizer, também os símbolos do satanismo. A tatuagem também é uma forma
de idolatria. E a idiolatria é um pecado grave, pois o Mandamento de Deus é claro: "Amarás a Deus e só a Ele servirás" Dt 6, 13 (...) "Não tentarás o Senhor teu Deus". Dt 6, 16

(Cf. Dt 18, 9-14 e  Dt 28, 1-68)

O cristão de verdade não pode usar tatuagem, porque Jesus disse que não devemos profanar o nosso corpo que é morada do Espírito Santo. (Cf. Mt 12, 31.36) - Quem é que chama um hóspede importante para ficar em sua casa e quando o hóspede chega encontra a casa suja e com lixo espalhado, ficar morando lá? Deus não gosta de sujeira, ele exige de nosso corpo e nossa alma pureza e santidade.

De hoje em diante, a partir deste ensinamento, possamos abrir nossos olhos para o que está acontecendo em nossa volta, se estamos realmente sendo discípulos de Cristo ou não. 
Satanás sempre quis buscar adeptos que o ajudem a levar ao inferno quantos ele puder antes que seja julgado e destruído definitivamente. Ele não tem forças para nos arrastar para si, mas usa meios aos quais possamos nos afastar de Deus e cada vez mais possamos passar para o seu lado, Para ele e seus adeptos seguidores é muito conveniente usar a ingenuidade das pessoas, porque assim é mais fácil na fragilidade (cristãos fracos na fé) conquistar para si as pessoas e as levarem à perdição eterna. Ele e seus seguidores não perdem tempo.
A Nova Era é um movimento que está arrastando muitos cristãos para o satanismo. A princípio, seus ensinamentos parecem ingênuos, mas quando as pessoas são conquistadas elas começam a receber uma espécie de "lavagem cerebral" a fim de que esqueçam Jesus e sigam Satã.              

A Igreja como MÃE E MESTRA não quer que nos percamos, que saiamos do caminho da salvação, portanto, o católico não pode aderir nem propagar, nem frequentar essas seitas, nem usar seus símbolos, nem tatuagens, nem nada que fira a dignidade da alma e do corpo, que é templo do Espírito Santo.
Pois os católicos e todos os cristãos devem culto único e exclusivamente a Deus através de Jesus. Por isso não podemos acreditar em figuinhas, patuás, pirâmides, espadas, bolas de cristal, cristais mágicos, yoga, adivinhação, horóscopos, cartomancia, previsão de futuro, tudo isso não nos pertence. Não precisamos de nada disso se realmente cremos em Deus e em seu Filho Jesus Cristo.

Também temos que exercer nossa crítica com certas emissoras de TV, rádio, revista, jornais escritos e Internet que propagam em nossos meios essas coisas dessas seitas como se fosse a verdade do ano. E fugir de programas e novelas que exponham esse tipo de coisa. Devemos ter olhar crítico se quisermos ser bons cristãos, para isso, para nosso crescimento é que a Igreja fundou vários meios de imprensa católicas como rádios, Tvs, Jornais e internet com conteúdos cristãos e uma rica programação, como a TV Século XXI, a TV e Rádio Canção Nova, a Rádio Nove de Junho, a Rádio Divinópolis AM e América de BH, a Rede Vida de Televisão,a Rádio Catedral do RJ, A TV e Rádio Aparecida, etc. Todas voltadas para a evangelização.     
Devemos arrumar a nossa casa, que é nosso coração, para permitir que Jesus entre e nossa alma para que a salvação chegue, devemos varrer TODAS as sujeiras TODOS os entraves que o mundo nos oferece e ofusca nossos olhos para enxergar a única verdade que é Jesus e seu Evangelho. Comece agora, não deixe para amanhã!

Nossa fonte de sabedoria deve ser a Bíblia, nossos exemplos devem partir de Jesus e dos santos(as) que romperam as barreiras, as injustiças e optaram por servir unicamente a Deus. Outra fonte segura e importante é o Catecismo da Igreja e os documentos da Igreja, escritos pelo Santo Padre o Papa e pelos bispos que nos ajudam a viver esta mesma fé.

Cf. Sb2, 1 : 14, 22-28: 15, 1-7.
Ex20, 3.22-20.      

Pertencer a Igreja Católica Apostólica Romana é estar inserido na verdadeira Comunidade dos batizados, a mesma comunidade que há mais de 2000 anos faz parte da história, desde os Apóstolos até os santos padres e doutores que tiveram a tarefa de difundir o cristianismo em todo mundo. Não podemos esconder atrás de máscaras, fantasias da vida e do orgulho é preciso expressar nossa fé em Jesus e sua Igreja.

Não podemos ser católicos só de fachada, ser religioso só em datas comemorativas, isto  é, mascarar nossa fé, pois, isto é acovardar-se diante de Jesus. Jesus nos convida a estar com Ele todos os dias! A Igreja, pois, é uma antecipação da verdadeira Igreja celeste que é o céu. Por isso Jesus fundou sua Igreja para começarmos experimentar desde já aqui neste mundo, enquanto peregrinos a verdadeira e definitiva graça da eternidade.  
     
Jesus não criou "as Igrejas", Ele criou uma só Igreja, a Igreja Católica Apostólica Romana, Igreja que Constantino, o Imperador de Roma já convertido ao cristianismo a elevou como oficial do Império Romano, mas que desde Jesus e os Apóstolos é a mesma. Igreja que Jesus confiou seu governo à Pedro como a rocha que a solidifica. Tal como é enquanto humana é limitada,  embora seja assistida pelo Espírito Santo, e com essa assistência ela também é divina. Igreja, cuja fé e ensinamento que S. Paulo levou não só aos judeus, mas aos pagãos e até nós hoje. Foi graças a S. Paulo que conhecemos o Evangelho e somos católicos. Igreja de muitos santos e santas é a nossa Igreja.   Defender a Igreja é defender o Evangelho e a obra de Cristo neste mundo.

Sua catolicidade está em oferecer de modo aberto o mesmo Evangelho, a mesma doutrina e o mesmo culto em todo mundo em que esteja presente.

Nós católicos não podemos abandonar a fé que recebemos, (fé esta que é repassada ao longo dos séculos desde os Apóstolos), e cuja é conservada suas leis e os seus ensinamentos.
Não se pode ser católico sendo espírita, sendo maçônico, adaptando-se em qualquer outra seita por que isso abala a nossa fé que deve ser incondicional. 
Se dissermos ter fé, crer em Jesus, na Virgem Maria e nos Santos devemos seguir e servir esta mesma fé. A condição para ser salvo é aceitar Jesus como único salvador e nenhum outro, e aceitar Jesus como seu e nosso Salvador implica que vivamos aquilo que Ele mesmo ensinou.

Muitas vezes vemos as igrejas cheias de pessoas, mas vazia de almas. 
É por isso que nesses últimos tempos os bispos do mundo inteiro, inclusive os do Brasil e da América Latina vem estudando uma melhor forma de evangelização que abrace a todos. Recentemente a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) sob a presidência do sr. Cardeal D. Raimundo Damasceno Assis reuniram-se em Aparecida-SP para tratar de elaborar diretrizes para uma nova evangelização, e criaram o Documento de Aparecida que vai guiar todo povo de Deus e seus representantes, os padres e os bispos a fim de dar um melhor sentido à evangelização.

A Igreja Católica em sua magistratura tendo à sua frente os o Papa e os bispos se compromete em nos oferecer caminhos que possamos trilhar na construção de nossa fé. É somente através de uma fé madura e sincera que se pode chegar à salvação.
Não precisamos de nenhum outro apetrecho, de nenhuma outra denominação religiosa para chegar ao Céu se não for através da Igreja, por que ela nos conclama e nos faz sentir a cada dia esse amor de Deus para conosco. Sentindo-se amado por Deus, sendo acolhido no seio da Igreja, participando assiduamente dos sacramentos, cumprindo e observando a Palavra de Deus, tendo uma vida reta e digna de verdadeiros filhos e filhas é que se poderá alcançar a plenitude da Salvação. 
É por isso que não serve a expressão: "se creio em Jesus estou salvo!"(...), crer em Cristo é atuar como Cristo,  é ser novos Cristos, é deixar tudo por Cristo, como fez Pedro, André, Tiago e João. É abandonar as práticas da idolatria, dos falsos deuses, das seitas sejam elas quais forem e abraçar uma só fé e servir um só Senhor, Jesus Cristo. Existe uma canção muito bonita que o Padre Zezinho, scj  fez que diz assim: "Amar como Jesus amou, pensar como Jesus pensou, sonhar como Jesus sonhou, sorrir como Jesus sorriu, viver como Jesus viveu"... etc. 

Significa abraçar o Evangelho, viver de verdade e com alegria tudo aquilo que Jesus viveu e deixou como única verdade a ser seguida se quisermos ser felizes. O compromisso do cristão, sobretudo do católico é sempre refazer esta pergunta: Será que eu amo como Jesus amou? ; Será que eu vivo, sonho, como Jesus fez? ; Será que meu sorriso pode ser tão contagiante e alegre como o de Jesus, mesmo em frente as dificuldades? 

Deus espera muito mais de nós do que simples ovelhas, Ele deseja que cada um de nós tenha Vida plena foi para isso que Jesus veio e praticar as virtudes do Evangelho é uma maneira de possuir essa vida, e, participar da Igreja é uma forma de não se desviar do caminho tendo Jesus Ressuscitado presente em nosso meio através da Eucaristia. 

Se desligarmos da Igreja Católica, então, estamos desligando de um dos braços de Jesus que nos protege e nos abraça, pois essa religião única por Ele criado não veio para agradar os homens mas para servir a Deus e por isso é tão criticada e menosprezada por muitos. Para se mudar a Igreja é preciso mudar Jesus Cristo, e, Ele é uníssono é único e não muda. O que ele determinou está determinado.  Jo20, 31. Ele dá a todos que crêem em seu nome a Vida!
Portanto a Salvação para de uma fé dependente e não autuista como muitos desejam. Fé é uma condição da Salvação, Cf. At2, 21: 4, 12: Mc16, 17-18; depende de cada um aceitar o não a fé que recebeu dos Apóstolos, e é somente através da Igreja que essa fé pode ser exercida, frutificada e vivida. 

Portanto, o Católico não pode achar que tudo que fale de Deus serve, mas deve crer, confiar e depender de Deus em tudo, isto éter fé. Deve caminhar na catolicidade e no ensinamento Apostólico. Não pode nunca ser como uma folha que vira com o soprar do vento, deve ser como a rocha, firme na vivência da palavra de Deus.

Católico que é católico deve sim respeitar todas as crenças, mas deve defender sua fé com "unhas e dentes" porque, é da sua da fé particular é que vai depender a sua Salvação. Deve ter obediência aos seus pastores, sabendo que eles representam o próprio Cristo na terra.
Deve ser solidário com suas causas, na assistência aos necessitados. Deve ser um novo discípulo e amigo de Cristo.
O católico deve ser crítico de si mesmo. Amar sua Igreja e servir a Jesus. 

Para nós basta as palavras da Sagrada Escritura quando nos ensina:
Vamos ler?

 Gl 5, 16-25 / Col 2, 4-7 / 2Tm 3, 14-17 /Hb 3, 12-14 : 10, 26-27 / e por fim: Pd 2, 1-22 : 3, 11-13

**************************************************************
DEVOÇÃO OU SUPERSTIÇÃO?

Texto de Pe. Francisco Shemen, scj

"Amar a Deus sobre todas as coisas".
O primeiro Mandamento proíbe honrar outros deuses, além do único Senhor que se revelou a nós. Proíbe a superstição e a irreligião. A superstição representa um excesso perverso de religião. A irreligião é um vício oposto da virtude religiosa. A superstição é um desvio do sentimento religioso e das práticas que ele impõe, e que afeta o culto que prestamos ao Deus verdadeiro. Por exemplo:

Quando atribuímos uma importância de algum modo mágica a certas práticas, aliás, legítimas ou necessárias. Atribuir a materialidade das orações ou aos sinais sacramentais a respectiva eficácia, independente das disposições interiores que exigem, é cair na superstição.

A superstição é um desvio do culto que prestamos ao verdadeiro Deus. Manifesta-se na idolatria, bem como nas diferentes formas de adivinhação e magia. (Ct. ss2138). Chama-se de superstição toda e qualquer forma de devoção contrária à doutrina da Igreja, bem como atribuir uma ação ou alguma coisa, uma virtude, um poder sobrenatural que ela não tem.

A Igreja proíbe a superstição, a "simpatia", magia e coisas semelhantes. A pessoa supersticiosa age como quem dá ordens a Deus, querendo fazê-lo obedecer à sua vontade mediante algum ato, rito, ou ação mágica: Usar ferradura na porta, usar sal grosso para espantar o azar, etc...
Isso ofende a Deus contra o primeiro Mandamento, porque é falta de fé e de confiança em Deus. Não podemos buscar o poder ou o conhecimento fora de Deus, isto é magia e superstição.

O nome de Jesus não pode ser substituído por um objeto. O uso de amuletos evidencia falta de fé. Deus não opera por meios de cordões,  cristais, pulseiras, pirâmides, velas, ou qualquer outro produto. A Bíblia não apoia tal prática. Fé é o ato de depender, crer  e  esperar, confiar no Senhor.

Depositar a fé em Deus e nos amuletos é ficar dividido. Quem recorre aos amuletos e as demais superstições está declarando que não tem confiança total no poder de Deus. O simples fato de se dar ao valor às superstições e crendices revela a falta de lógica e também a falta de confiança em si, nos outros, em Deus e em sua divina providência. Todo tipo de superstição é uma espécie de covardia consigo mesmo e medo da própria responsabilidade.

Do ponto de vista religioso, a superstição é considerada caricatura da oração. Em vez de dialogar com Deus por meio da prece, o supersticioso  procura diálogo com formas obscuras, inexistentes. O resultado é desastroso. Em lugar da paz que a oração proporciona , a superstição traz desequilíbrio e angústia.  O supersticioso obedece a ritos, atende fórmulas rigorosas traçadas pelo homem, tais como as conhecidas correntes de oração, corrente de Santo Antônio, a devoção às 13 almas benditas, as preces enroladas em um papel e conduzidas no pescoço, as novenas de hora em hora.

A superstição e o azar estão ligados à acomodação e a falta de fé, uma maneira de encontrarmos culpados para os nossos insucessos ou fracassos, muitas vezes resultantes  da nossa própria falta de esforço e dedicação. Quando as coisas não acontecem, culpamos o azar.
Entre nós cristãos há, na explicitação da fé, algo que nos consola: a comunhão dos santos. O que significa "creio na comunhão dos santos?" 
Significa que todos nós batizados, estamos unidos a Jesus Cristo. Esta união é, pois, tão forte que nem a barreira da morte é capaz de separar os laços que nos unem a Cristo e aos irmãos.

Por isso, podemos contar, na nossa condição de homem  e mulher peregrinos neste mundo, com nossos irmãos e irmãs que já percorreram a estrada da existência e que hoje se encontram junto de Deus na Eternidade: os santos e santas.
Ao ter um santo por devoção, temos diante de nossos olhos não uma superstição, mas alguém que entre as dificuldades  do mundo e os apelos da graça, conseguiu corresponder com a vida ao chamado de Deus.
O santo é, pois, alguém com quem cultivamos certa amizade e intimidade. Sabemos que podemos contar com sua ajuda, sua proteção, na nossa caminhada de fé e nos momentos mais difíceis de nossa jornada.       

   

domingo, 23 de setembro de 2012

FÁBRICA DE MONSTROS


"Autoridade não é conferida por ninguém, trata-se sempre de uma conquista pessoalíssima, de um patrimônio que segue como sombra o merecedor". 


Estadista é o governante que aprendeu a esquecer de si e como um bom pai atua em função dos interesses da nação, mesmo que isso signifique perdas pessoais, incompreensões, dores e sofrimentos.
Normalmente o estadista não tem muito sucesso enquanto vivo, pois é um que aprendeu a dizer não ao desperdício, ao excesso, a quem pensa apenas para si, mesmo quando representa perdas para o conjunto da nação. 
Ele age olhando para frente, e sabe que o sacrifício de hoje pode ser o sucesso de amanhã.
O estadista precisa ter coragem, assumir posições claras, dar o seu exemplo com gestos e atitudes. Ele compreende que o pedestal de sua fama irradia tendências, surge como exemplo. Influencia, dita regras de comportamento. Se ele se excede não poderá chamar atenção  de outros que sob seu comando também se excedem. Precisa ser austero para ter autoridade. 
E autoridade não é conferida por ninguém, trata-se sempre de uma conquista pessoalíssima, de um patrimônio que segue como sombra o merecedor.
A autoridade dissipa dúvidas, se transforma em confiança, inspira capacidade de superação à volta. Se for muito honesto (para ser estadista precisa ser honesto) em suas palavras e decisões não terá de lidar com desonestos. Do estadista emana uma força capaz de mudar, de corrigir, de influenciar sutil e severamente toda área a ele confiada.
Essa autoridade pessoal, é um poder de transmutação, ergue-se como força poderosa de evolução. O estadista de verdade passa de uma consideração humana, para uma outra super-humana (mahatma), chega a considerar em si um poder extraordinário que amolda e leva a evoluir. Gandhi é um dos raros exemplos desses "milagres" acontecidos no século passado. Estoico e pacifista, ganhou "guerras" extremas sem torcer um cabelo. Libertou a Índia do julgo britânico.
Para mostrar solidariedade com o seu povo, viajou de trem e de navio ocupando a terceira classe, sua alimentação era frugal e vegetariana, submetendo-se as privações e desconfortos que os mais humildes cidadãos tinham que enfrentar. Chegou a ser idolatrado pelo povo indiano e respeitado pelo mundo inteiro.
Seu exemplo transformou a forma de fazer política em seu país. Ativou processos portentosos de melhoras, fez de um país colônia, um país soberano.
Nossos governantes em geral vivem e movimentam ao contrário de Gandhi, se apropriam desrespeitosamente  das receitas dos contribuintes, comunga-se com os delinquentes, praticam nepotismo despudorado, erguem palácios no meio de barracos, são generosos aos excessos com os amigos e deixam multidões morrendo nas filas dos hospitais. 
Agem - já sem mais se aperceber movidos obcecadamente   para manter o poder, já que fora dele não saberiam viver. Esgaçam a moralidade da nação, levam o descaminho inteiras gerações  com seus exemplos devassos.
Pior, sem se constrangerem com nada. Assessores nomeados, verdadeiros delinquentes, sôfregos pilantras. Entretanto, são por eles amparados nos meandros do governo, ainda cobertos de privilégios a espera que uma curta quarentena apresente uma oportunidade de voltar ao assalto da república.
O que podemos esperar para o futuro?
Que sementes estão endo espargidas?
Submetidos ao exemplo devasso dessas tristes figuras, quantos monstros estão sendo moldados entre as novas gerações?     

***************************************************

Nesse ano de eleições municipais, vamos nos deparar com os velhos e conhecidos candidatos que só lembram que os eleitores , os problemas da cidade, da sua rua, do seu bairro existem até o dia das eleições. Prometem de tudo, chegam as nossas casas como velhos amigos, abraçam, alguns compram a dignidade do eleitor com dinheiro e materiais de construção.
Depois vão embora e, se eleitos, nunca estão em seus gabinetes para atender a população. Nunca podem visitar uma rua, uma escola, uma praça, um hospital que precise de reforma e ajuda. Muito menos lembram que o pobre existe.

O texto escrito acima mostra o quanto é difícil ser um bom político, um estadista, ou uma pessoa vocacionada à vida pública nesse país.
Vemos pelos noticiários tantas CPI's e CPMI's que nunca resolvem nada e porque isso acontece? Porque a corrupção no Brasil não atinge só os culpados mas envolve grande parcela dos políticos.
O título "Fábrica de Monstros" é uma verdade, são monstros porque engolem nossos impostos, empurram com a barriga os muitos projetos que vão a favor do povo brasileiro e muitas vezes nem sempre CPI é sinônimo de apuração+punição.

O "Caso Cachoeira" por exemplo é um deles, ninguém fala nada, ninguém sabe de nada, ninguém fez nada. Parece que só Cachoeira e o Demóstenes Torres são os únicos culpados. Mas o grau da corrupção vai muito além desses dois, envolve muito mais gente desde prefeitos até senadores e governadores. Mesmo diante das escutas telefônicas e da investigação minuciosa da Polícia Federal,  os investigados ainda se negam a dizer que "tudo é mentira, armação e calúnia".

Será que dessa vez todos nós vamos aprender a bem votar? 
Será que nossa consciência de cidadãos é capaz de discernir o bom e o mau político e essa diferença nos trará uma melhor decisão nas urnas?

Este é o momento de pensarmos em nosso papel de cidadãos, não há outro lugar que possa expressar nossa vontade e nossa decisão de mudar o rumo de nossa cidade, Estado e País senão pela Urna. É nela que cada um exerce seu poder único, legítimo e indelével.

Ao ver nossos hospitais superlotados com pessoas morrendo a míngua, ao ver nossas escolas precisando de mais professores, ao ver nossos postos de saúde com poucos médicos, ao ver nossos impostos irem pelo ralo, ao verem obras essenciais paradas. Ao verem nossos bairros, ruas e avenidas precisando de calçamento etc. Ao verem nossos filhos nas drogas, nosso povo sofrido passando fome porque são sufocados pelos impostos embutidos nos preços alimentos, o combustível, a água e a luz caros. Qual será sua atitude nas urnas?

Pense nisto... pense que muitos que estão lá no poder hoje e que causam a desgraça de tantos foi eleito por você então não só eles tem a culpa mas todos que neles votaram são culpados por esse Brasil ainda fazer sofrer tantos cidadãos.