domingo, 13 de julho de 2014

ÁLCOOL BEBIDA QUE MATA E TIRA A DIGNIDADE HUMANA





USE A CABEÇA E NÃO A GARRAFA!


Antigamente, o álcool não era considerado um entorpecente e sim um estimulante.
Atualmente à luz da ciência moderna, sabemos que as gerações passadas estavam completamente enganadas pelo álcool. Os vários estudos em laboratório, bem como a psicologia e vários estudos científicos relacionados ao uso do álcool provam sem nenhuma dúvida que o álcool é uma droga terrível e poderosa, muito perigosa. 

O uso das outras drogas como a cocaína, o crack, a heroína e a maconha atinge um certo número de pessoas. Mas o álcool em cada dez pessoas, oito fazem o seu uso de certa forma. 
O oposto do estimulante é o entorpecente ou um narcótico. O álcool é um entorpecente. E nem sempre as pessoas se dão conta dos males que ele pode causar.Pouco importa se é ingerido em pequenas ou grandes quantidades ele age como um entorpecente muito pontente e cruel que aos poucos torna o indivíduo um viciado incontrolável. Provocando diversas reações no sistema nervoso: euforia, violência, distorção na fala, andar descontrolado, tontura, dores de cabeça, irritação, fadiga, e por fim à morte por atacar os órgãos vitais como o coração, rins, fígado e o cérebro.

Ora, essa natureza narcótica do álcool não é resultado de uma opinião, nem qualquer suposição e propaganda. É fato cientificamente comprovado pela medicina moderna que longe de ser um estimulante o álcool é um entorpecente . Ele é primo em primeiro grau do éter e do clorofórmio e esses, são entorpecentes usados em anestésicos para fazer dormir. Antes da descoberta do éter e do clorofórmio o álcool já era usado como anestesiante.

O álcool é um dos mais perigosos derivados dos hidrocarbonetos, dos quais outros derivados contém muitos venenos e entorpecentes além de ser altamente inflamável. Na família dos hidrocarbonetos estão: 1) álcool metílico, ou álcool de madeira; 2) álcool etílico, também chamado de etanol ou hidreto de etílico; 3) álcool propílico; 4) álcool butílico; 5) álcool amílico, geralmente conhecido como óleo combustível. Todos esses produtos são venenos e variáveis de álcool. Ataca as vistas fazendo o indivíduo no passar do tempo fique totalmente cego. O álcool etílico é usado em produtos como o vinho, a cerveja e o whisk, atinge diretamente o sistema nervoso e o indivíduo fica adormecido porque ele é anestésico.

Bem, qual é a ação do álcool no cérebro e no organismo?

Quando o álcool é absorvido rapidamente pelo organismo. Dentro de 5 minutos depois que a bebida é tomada, o álcool sem ser modificado pela digestão, pode ser encontrado no sangue e rapidamente dentro de pouco tempo começa a embriaguez. O álcool é absorvido pelos intestinos e pelo estômago que absorve 20 a 30% e o restante absorvem o resto. De fácil absorção pelas veias distribui-se rapidamente em todas as partes do corpo, nos órgãos e nos tecidos passando em cada um deles a cada 37 segundos. Pode ser encontrado em todos os órgãos, glândulas linfáticas, biles, saliva, nos testículos, no fluído seminal, no líquido amniótico,e no sangue fetal. Também é encontrado no fluído cérebro-espinhal. E uma das doenças mais comuns causadas pelo uso frequente do álcool, e que leva à morte é a falência renal e a destruição do fígado, ou a cirrose. Veja as imagens:

Porém o álcool faz sua destruição maior no sistema nervoso central, o cérebro e a espinha dorsal. O cérebro humano é suscetível ao álcool e seus efeitos limitam o sistema nervoso. Além de atacar os nervos. 

O álcool produz danos cruéis: dissolve as gorduras, desidrata os tecidos ou seja, tira-lhes a água, precipita as proteínas. O coração dos nervos é a célula, por si mesma. A substância da célula ou protoplasma é quase fluida por água. E no interior da célula existe o corpo esférico, ou o núcleo que contém as proteínas e outros compostos. Na superfície das células estão as substâncias gordurosas ou os lipóides que desempenham um papel importante. Quando o álcool é ingerido, logo vai parar no cérebro, nos nervos e nas células. Como é uma das mais solúveis gorduras, a superfície da célula se rompe. Rompendo-a o álcool penetra no interior da célula secando a água, faz a coagulação da proteína afetando o protoplasma. Quanto maior a propriedade do álcool, mais será a capacidade destrutiva que ele possuirá. O seu uso prolongado levará o indivíduo a sérios problemas como a falência dos órgãos e à morte.

Outro efeito do álcool visivelmente é a perda da capacidade motora, visão distorcida, lentidão dos movimentos, alteração na fala e na visão, fazendo com que o organismo fique mais lento, causado pela diminuição do reflexo nervoso. O que causa muitos acidentes, principalmente os de trânsito dentre eles muitos são fatais. De maneira que o álcool como um entorpecente prolonga a reação do tempo  e ainda paralisa partes do organismo. 
Não se pode andar direito, falar direito, fica cambaleante até ficar deitado, muitos até em estado de coma alcoólico. O fim que leva ao viciado é sempre aumentar a dose cada vez mais ao ponto de querer sempre mais e mais e nunca parar. Na mulher os efeitos são ainda mais devastadores pois os cientistas atestam que o vício do alcoolismo pode passar para os filhos no período da gestação. A mãe que faz uso de bebidas a base álcool na gravidez passa altas concentrações do veneno para a criança através do cordão umbilical que é por onde ele se alimenta durante todo o período até o nascimento. As mulheres ainda estão sujeitas a outros males como aumento da gordura no sangue, câncer, perda de memória, cirrose e outros tipos de doenças relacionadas ao uso de bebidas alcoólicas, além do mais a mulher se embriaga muito mais rápido. Podemos ver na figura acima a ilustração sobre o assunto.    
A consequência do alcoolismo é a morte seja ela por razões físicas ou por diversos fatores que são gerados através do alcoolismo como as doenças hereditárias e os crimes.
Como consequência do álcool está a depressão; e em alguns casos a mudança de comportamento do indivíduo fazendo com que o mesmo tenha reação violenta acima do normal, causando o total descontrole de suas ações. É normal nesses casos depois da embriaguez o indivíduo não se lembrar do que fez. 

Aos poucos também o uso do álcool leva a destruição dos neurônios que são as células do cérebro. E seus efeitos são devastadores.


Os cientistas atestam que os lóbulos frontais do cérebro possuem um centro controlador que  limita, restringe e freia nossas ações; são freios de conduta que a natureza humana possui. O álcool é capaz de retardar e tornar lento demais esse centro controlador fazendo com que a pessoa diminua a percepção,alterando a visão, os movimentos motores, a fala, e a concentração, etc. Por isso que acontece tantos acidentes de trânsito com pessoas alcoolizadas muitas vezes com vítimas fatais. Muito mais que dizer que a pessoa foi vítima do trânsito cabe dizer que, ela foi vítima do álcool.

Muitos cientistas também atestam que é na parte inferior do cérebro que se encontra o centro da vida humana, que lá são determinadas as normas de moral, assim sendo é possível compreender a gravidade do fato, já que é a parte cerebral que mais sofre os efeitos do álcool. O alcoólatra com o passar do tempo destrói sua máquina psíquica, destrói a sua capacidade de raciocínio e logo, sua intelectualidade. Daí o ditado popular diz que: "a bebida tira do homem a vergonha e a moral". Ou seja, "o alcoolismo leva a pessoa a um nível mais baixo, mais do que os animais irracionais", diz Sinclair. É o desenvolvimento das faculdades mentais, da razão e da inteligência que nos difere dos outros animais. Perdendo essas faculdades somos iguais ou piores que os outros animais, nos pondo até no mesmo nível das feras. Pois muitas vezes o alcoolismo faz com que as pessoas fiquem agressivas, sem controle emocional.

Quem usa bebida alcoólica, passa de uma dose para uma garrafa em muito pouco tempo, sem se dar conta que já está viciado. É a pior das drogas, porque enquanto um cigarro de maconha custa em média de 5 a dez reais, 2 doses de cachaça por exemplo, custa em média 3 reais e é o suficiente para embriagar uma pessoa. Já que a cachaça possui um nível de teor alcoólico que varia entre 10 e 30 graus. Por isso se vê tantos embriagados. Uma droga barata e perigosa, que pode ser comprada facilmente longe  e legalizada.

O álcool na maior parte é responsável pela violência sexual, pelos homicídios, pelas agressões em família. Ele faz aumentar a delinqüência moral. Muitas pessoas que nunca imaginaram se envolver em brigas, em ofensas morais e outros crimes, ao se tornarem alcoólatras cometem os mais absurdos delitos sem se dar conta depois que o fizeram. Pois o álcool afeta o uso da razão e em determinados casos faz com que o ser adquire espírito violento. Em outros casos, sem fazer uso da razão, contraem doenças sexualmente transmissíveis após uma noite de promiscuidade sem o uso de preservativos.
Isso demonstra a influência da bebida sobre o domínio próprio. O alcoolismo é uma doença que pode ser tão fatal como o câncer e a aids. O resultado dessa doença é: assalto, doenças psíquicas, crimes,  contra a honra, homicídio, abusos sexuais, doenças sexualmente transmissíveis, pedofilia e a morte.

Infelizmente nem todas as pessoas encaram o alcoolismo como uma doença que precisa ser combatida, cada vez mais nossos governantes fecham os olhos e as casas de apoio às vítimas do álcool estão cheias de pessoas cada vez mais jovens em busca de tratamento. Que nem todos podem pagar, pois é muito caro e pouco resolve.
O que é preciso fazer é os pais conversarem com seus filhos e explicarem quais são os riscos do álcool. Hoje em dia cada festa, que os jovens chamam de balada, são regradas à bebidas alcoólicas e outras drogas. Portanto o diálogo é sempre importante. A proibição não leva a nada, pois o jovem gosta de aventuras e desafios, mas o que importa é que eles tenham uma consciência de que o caminho do vício é o cemitério ou a cadeia.

Por que então se toma bebidas alcoólicas? - não se toma bebida alcoólica por prazer em sentir o gosto, claro que não, pois se sabe que muitas bebidas possuem gostos tão horríveis que um usuário ao tomar certa dose de cachaça, por exemplo, logo sente a necessidade de comer ou beber outra coisa que disfarça o gosto ruim. Mas elas são usadas em conseqüência de um efeito psicológico. Outros ainda para serem levados à pratica de valentia. Ou seja a bebida causa um falso sentido de divertimento e é isso que atraem tantos jovens a ela. Sem se dar conta que a bebida é um veneno que mata aos poucos como o cigarro. No caso das mulheres grávidas que bebem as conseqüências são ainda maiores, afetando o feto. O resultado são crianças que já nascem com problemas mentais e hoje, os recentes estudos afirmam que a genética influem o bebê a ponto de se tornarem mais rebeldes e mais acessíveis à diversas doenças.


O álcool também destrói as defesas naturais do organismo, como os glóbulos brancos ou anticorpos. Por isso que se explica, quando um viciado se machuca demora muito mais tempo para cicatrizar uma ferida, estão sempre sujeitos a graves infecções. Ele também reduz a força das antitoxinas, isto é, desequilibra as células vermelhas e nos casos de epidemias como febre amarela, febre tifóide, cólera etc. Os que bebem têm muito mais possibilidade de morrer. O álcool também causa aceleração das pulsações do coração fazendo com que a pessoa tenha um infarto, arteriosclerose, e o Mal de Brigt. Além de causar o envelhecimento dos vasos sanguíneos. Levando o indivíduo à apoplexia. Leva também a gastrite da mucosa do estômago e outras complicações. O catarro crônico faz com que ao invez das substâncias venenosas  serem eliminas, são absorvidas pelo organismo. O resultado é a úlcera e o câncer de estômago e esôfago.  


 
O álcool pode no início provocar no usuário sentido de prazer, ou euforia, mas depois ele provoca o pior de todos os males psíquicos, a depressão profunda. A razão pois, do uso de bebidas alcoólicas é portanto psicológica, na verdade quem bebe nunca está satisfeito consigo mesmo, e para escapar da realidade usam o álcool para buscar o mundo de fantasias. Para escapar da realidade o usuário vai aumentando a dose passa de um copo para um garrafa, e não para mais até a situação se tornar incontrolável. Com quadros de depressão aguda e uma profunda necessidade de se embriagar cada vez mais. É o vício.

Mas o dano físico que o álcool provoca no organismo é devastador. E não só adoece a si mesmo como adoece a própria família. Muitos sem entender essa doença acabam por abandonar o alcoólatra fazendo com que ele viva no submundo do abandono.



O alcoolismo é refúgio dos covardes e egoístas. Todos que fogem da realidade da vida se abrigam nas bebidas alcoólicas. Recusando-se até mesmo ajuda para sair do vício. Ou porque já não acham forças para largar o vício, ou porque não tem consciência do problema  e dos males causados por ele.


Atualmente com os recentes estudos pode se comprovar que o álcool produz muito mais morte do que as armas. seja pelas doenças que ele provoca, seja pelos diversos acidentes causados pelo seu uso. A maior causa de mortes e acidentes, além dos crimes brutais entre as famílias estão relacionados ao vício do álcool. 

As bebidas alcoólicas não possuem nenhum valor científico e não serve como alimento e remédio. Ele traz muitas desgraças, arruinando famílias inteiras e enriquecendo somente os fabricantes.    

O QUE FAZER?

  1. RECONHECER QUE PRECISA DE AJUDA. É de suma importância o auto reconhecimento, pois, o indivíduo deve saber que o alcoolismo é uma doença, um vício que senão levar a morte pode tornar a pessoa inválida pro resto da vida. Ela também tira a moral e a dignidade humana. 
  2. APOIO MORAL. Os familiares devem apoiar o viciado a buscar ajuda. O alcoólatra não tem "culpa" e muitas vezes é abandonado até pela família. Desprezado ele se acua e não consegue se libertar. Deixado às margens sozinho caminha para a morte. É nessa hora que a família e os amigos devem lhe estender a mão, mas, sem cobranças e questionamentos. Nessa fase amor, carinho e compreensão é muito importante; é o que mais lhe faz falta. O viciado se sente incapaz e sozinho.
  3. PROCURAR AJUDA. PROCURAR AUXÍLIO MÉDICO ESPECIALIZADO. Após o indivíduo querer se libertar do vício deve ser encaminhado aos centros especializados de tratamento aos viciados. Hoje a rede pública de saúde (SUS) e as diversas instituições filantrópicas (como o AA e os CAPS) oferecem diversos recursos para ajudar os viciados. Até mesmo a Igreja Católica e outras demais instituições religiosas oferecem diversos tipos de tratamento e terapias. Em casos mais graves é necessário a reabilitação em clínicas que oferecem terapias adequadas e acompanhamento psicológico. Muitas vezes o alcoolismo é desencadeado por diversos fatores, um deles é o fator psicológico onde o indivíduo se refugia no álcool e se torna um viciado. Outra é o fator genético, pois já se sabe cientificamente que pessoas que tem ou tiveram casos de parentes ou pais alcoólatras podem predispor seus descendentes ao vício hereditário. 
  4. BONS EXEMPLOS - Para tratar um viciado a primeira coisa a fazer começa pelo exemplo; a família deve abster-se te usar e ter em casa qualquer tipo de substância a base de álcool, também as bebidas alcoólicas. Evitar dar exemplo, é muito importante, pois, as crises de abstinências é uma fase de vulnerabilidade onde a pessoa pode recair, nesses casos o viciado procura qualquer coisa à base de álcool que lhe satisfaça. É nesse momento que parte a vigilância e os cuidados necessários, não de cobrança mas de apoio, carinho e atenção para com a pessoa.   
  5. APOIO ESPIRITUAL TAMBÉM É FUNDAMENTAL - com a ajuda da Palavra de Deus, a Oração, a participação em grupo. A Igreja é muito importante pois é dentro dela que à luz da palavra de Deus a pessoa vai se sentindo amada e acolhida. A Palavra de Deus liberta e salva! Não force mas ofereça oportunidades seja na Igreja Católica ou outra denominação em que a pessoa se sinta bem. É válido, é bom e necessário.     



               
                             


             

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.