segunda-feira, 17 de julho de 2017

JOÃO CALVINO E A FALSA DOUTRINA DA PREDESTINAÇÃO

João Calvino segue na linha dos "falsos reformadores", como Lutero. Calvino foi responsável pela falsa doutrina da predestinação ou Calvinismo.  

Breve resumo de sua biografia:

João Calvino (1509-1564) nasceu em Noyon, na região da Picardia, no Norte da França, no dia 10 de julho de 1509. Ficou órfão de mãe aos seis anos de idade, sendo confiado aos cuidados de um aristocrata amigo da família. Ainda adolescente foi enviado para a Universidade de Paris para estudar Teologia. Em Paris, tomou contato com as ideias de Martinho Lutero.
Em 1529, em obediência ao pai, trocou Paris por Orléans, e a Teologia pelo Direito. Depois de formado voltou à Paris e à Teologia. Começou uma fase de intensa colaboração com o reitor da Universidade de Paris, Nicolas Cop. Ao inserir trechos inteiros de Lutero em um discuro de reitor, foi acusado de herege.

João Calvino foi um importante professor e teólogo cristão de nacionalidade francesa. Nasceu na cidade de Noyon em 10 de julho de 1509 e faleceu na cidade de Genebra (Suíça) em 27 de maio de 1564. Calvino teve um papel histórico fundamental no processo da Reforma Protestante. Foi o iniciador do movimento religioso protestante conhecido por Calvinismo. 

Até os 24 anos de idade, Calvino era católico. Em 1533 converteu-se ao protestantismo. Foi perseguido na França e, no ano de 1536 fugiu para Genebra (Suíça). Principais ideias (concepções religiosas) defendidas por Calvino: -  Salvação só é atingida através da fé; - Predestinação: a salvação é concedida por Deus somente para algumas pessoas eleitas; - Todo homem é pecador por natureza; - A realização de culto religioso deve ser feito em local simples e sem imagens. O culto deve ser composto apenas por comentários bíblicos, sem cerimônias; - Realização da eucaristia e do batismo.

[É importante observar que a maioria desses reformadores da Idade Média, como Calvino e Lutero; todos estes se ingressaram na Igreja Católica não porque amavam a Igreja ou por vocação, mas por NN motivos: a) Ou porque os pais exigiam ao jovem ser padre, pois, o clero naquela época era muito respeitado. Ser alguém do clero significava ocupar uma grande posição na sociedade medieval, uma vez que o poder do Estado e da Igreja estavam interligados, o padre era uma autoridade. b) Ou porque por algum motivo em especial os obrigava a se abrigar nos mosteiros e conventos, como foi o caso de Lutero que se asilou no convento para não ser preso, pois tinha cometido homicídio em um duelo contra um colega.]

Emfim, nenhum desses reformadores tinha vocação religiosa ou qualquer compromisso sério com a Igreja Católica Apostólica Romana. Eram pessoas rebeldes que se opunham à Sã Doutrina porque tal estava em desacordo com suas filosofias e seu modo de viver. Como não podiam mudar a Doutrina da Igreja o jeito era se separar-se dela para fundar uma igreja que se moldasse ao seu modo de viver. É o caso de Henrique VIII que depois vamos ter a chance de falar sobre ele.

Dentre as doutrinas pregadas por Calvino, vamos nos ater somente à falsa doutrina da predestinação.

Segundo Calvino o ser humano já nasce predestinado por Deus a ser salvo, e como tal nenhuma atitude humana ou esforço pode evitar isso, pois, Deus já predestinou quem vai ser salvo ou não. 

Essa heresia do calvinismo foi muito combatida por grandes santos, dentre eles São Francisco de Sales. São Francisco de Sales teve seu ministério voltado à converter os protestantes dentre eles muitos calvinistas, chegando a converter comunidades inteiras de volta ao catolicismo.

Por que a doutrina da predestinação é falsa?

A doutrina da predestinação é falsa porque entra em contradição com o que ensina  a Igreja e também a Sagrada Escritura. 
Vamos ver o que a Igreja diz e vamos ver na Sagrada Escritura que essa doutrina é totalmente falha e herética. 

A Igreja Católica fala da predestinação sim, mas não da forma como ensina Calvino. Porém, além da perspectiva de Deus de predestinar, existe a perspectiva do livre arbítrio do ser humano. 
O homem foi criado livre para decidir se quer ou não ser salvo. O ser humano tanto pode aceitar, como pode rejeitar a graça da Salvação.  A Bíblia deixa isso bem claro.  Caso contrário não existiria o pecado contra o Espírito Santo que, segundo a maioria dos teólogos, tanto católicos, como protestantes consiste no ser humano rejeitar a Salvação dada por Nosso Senhor Jesus Cristo; e segundo a Bíblia este pecado contra o Espírito Santo é imperdoável. Claro, pois se o ser humano rejeitar Jesus Cristo e a Salvação Deus nada poderá fazer em seu favor.

O que João Calvino usou para fundamentar sua falsa doutrina?
Geralmente, meus caros, quando surge uma falsa doutrina ela é tirada do interpretamento individual da Bíblia. Eles pegam um versículo e constroem em cima de um versículo, sem contexto bíblico e montam várias doutrinas em cima deste versículo. Várias divisões protestantes se basearam em algum versículo sem contexto e ali vão arrastando pessoas para seu seguimento.

João Calvino pegou o texto de Romanos,   capítulo VIII, versículo 29  para a base da sua doutrina da predestinação. Assim diz o texto:

 "Os que ele distinguiu de antemão, também os predestinou para serem conformes à imagem do seu filho, afim de que este seja o primogênito entre uma multidão de irmãos".  (Rm8, 29)

Ele pegou este versículo isolado e fundou toda a doutrina. Mas notemos que Deus nos predestinou para sermos a imagem do seu filho. Então, segundo Romanos, a pessoa tem que imitar Jesus (no sentido de seguir, crer na sua palavra, etc).
Se o predestinado não quiser imitar Jesus Cristo, isto é, sem possuir uma identidade cristã baseada nos valores do Evangelho não poderá ser salvo. Vimos que o próprio versículo usado por Calvino para solidificar sua doutrina o desmente.

A Igreja Católica é totalmente contra essa doutrina calvinista e a Bíblia também é. Pois, o ser humano mesmo sendo escolhido pode perder ou não a Salvação estando livre para decidir seque ser salvo ou não. 

Veja que o autor de Hebreus diz: Hb6, 11-12:

"Desejamos, apenas, que ponhais empenho em guardar inata a vossa esperança até o fim, e que longe de vos tornardes negligentes, sejais imitadores daqueles que pela fé e paciência se tornaram herdeiros das promessas".   

O calvinismo diz que o eleito já está salvo. Mas, acima lemos que a salvação depende de que tenhamos empenho para ter a certeza da esperança, isto é, da Salvação. E que para sermos salvos devemos ser imitadores de Cristo, e com fé e paciência receber tudo aquilo que nos foi prometido por Jesus. Se o homem não seguir a Jesus, não se tornar seu imitador e não tiver a fé e esperança não poderá ser salvo.
Essa falsa doutrina calvinista pode levar a pessoa a uma queda muito grave.

Nosso Senhor Jesus é mais direto, ele com uma frase só desmente toda a doutrina de Calvino.
Em Mt24, 11-13 está escrito:

"Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. E, ante o progresso crescente da iniquidade a caridade de muitos se esfriará. Entretanto, aquele que perseverá até o fim será salvo".

Em outra passagem do Evangelho Jesus diz:  Mc8, 36:

"O que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro , se vier a perder a sua alma". 

Nosso Senhor destruiu toda a base calvinista. Calvino disse que o escolhido já está salvo; Jesus disse que somente quem perseverá até o fim (na fé) será salvo. Encaixando direitinho no que diz em Heb6, 11-12.  

A Sagrada Escritura existe para a Igreja Católica e está totalmente de acordo com a Tradição da Igreja. Pois, a Tradição apostólica é que compôs os Cânons da Sagrada Escritura. Jamais ela vai ensinar uma doutrina em desacordo com ela. 
Outra coisa necessária para a Salvação é a unidade. Jesus Cristo derramou seu sangue pela Igreja que ele fundou. 

Daí onde a Igreja diz que não existe salvação fora dela. Existe os eleitos, mas, os eleitos segundo a aspersão do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Só que o Sangue de Cristo é aspergido sob a unidade. Em nenhum momento a Bíblia diz que Jesus Cristo derramou seu sangue por todos. Jesus derramou seu sangue para os que são da sua Igreja.
Em Ef 5, 25 diz que Jesus amou sua Igreja e se entregou por ela

A Salvação foi dada por Jesus àqueles que estão unidos com ele no seu Corpo Místico que é a Igreja. Fora dela não existe Salvação. Se você quiser ser salvo é bom pensar que tipo de cristão você está sendo, pois, não há salvação fora da Igreja. 
É muito comum a gente escutar hoje pessoas falando que não precisam da Igreja e que não segue nenhuma religião. 
As pessoas que falam isso são pessoas egoístas com o próprio Evangelho. São pessoas rebeldes, muitas seguidas de um espírito satânico, que querem viver sua vida longe daquilo que a Igreja e Jesus quer ensinar. Mas, a palavra de Deus é clara só há salvação dentro da Igreja; claro, pois, Jesus fundou a Igreja para nos ajudar a ser salvos. É ela que contém os meios pelos quais vamos perseverar na nossa fé.  
Jesus é muito claro. Somente quem estiver ligado ao seu Corpo Místico que é a Igreja será salvo. Foi para isso que Jesus fundou a sua Igreja. Não adianta ser somente batizado tem que viver a vida de batizados, de discípulos de Jesus imitando-o e seguindo seu Evangelho. Dentro da Igreja, da comunidade de Jesus, mesmo sendo pecadores, pela Igreja estamos guardados por Jesus, o único Pastor do seu aprisco. 
Jesus é muito claro a respeito disso. Comparando-se à videira ele diz que Ele é a videira e nós somos os ramos.  No evangelho de São João está escrito: Jo15, 1-2.5 


"Eu sou a videira, meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto ele corta; e todo aquele que dá fruto ele poda para que dê mais fruto ainda"... "Eu sou a videira, vós sois os ramos, se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois, sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim, será como o ramo que jogado fora seca. Tais ramos são apanhados, lançados ao fogo e queimados".  

Jesus outra vez desmente a doutrina de Calvino. Deus nos predestinou para seremos salvos, com uma condição, que estejamos ligados a ele na sua Igreja. Não existe predestinação direta como ensina a doutrina calvinista. Ela depende desses fatores que o ser humano só pode ser salvo se ele viver realmente na graça de acordo com o que pede Nosso Senhor Jesus. 
Fora da Igreja Católica não há Salvação.

Atos dos Apóstolos 20, 28 diz: "A Igreja de Deus que ele adquiriu com seu próprio sangue" - ou seja, os eleitos devem estar em unidade como a Igreja para receber essa aspersão salvífica do Sangue de Cristo. A Igreja além de nos proteger contra as ciladas do demônio nos conduz ao caminho da salvação.  Além da perseverança é necessário a unidade. Por isso que lá em Jo17, na Oração que Jesus fez ao ao Pai antes de se entregar por nós ele disse: "Ó Pai para que todos sejam um como eu e tu somos um"     

É necessário um só corpo e uma só Igreja.
Em 1Pd1, 2 São Pedro diz: "Eleitos segundo a presciência de Deus Pai e santificados pelo Espírito para obedecer a Jesus Cristo e receber a sua parte da aspersão de seu Sangue". Veja o que São Pedro diz. Que é necessário ter obediência até o fim para poder ser eleito. Esse Sangue derramado por Jesus, pela sua Igreja que ele adquiriu como seu próprio Sangue.

Ah! mas poderiam alguns dizer: "Mas bíblia falou daqueles que estão predestinados, os eleitos desde o início dos tempos e que hão de se salvar". Tudo bem. Mas, é necessário estarem inseridos no Corpo de Cristo que é a Igreja. E não é qualquer Igreja, é a Igreja Católica, a verdadeira Igreja, aquela que sucede dos Apóstolos desde o início. Se não for dentro da Igreja Católica não há possibilidade de salvação, por um único motivo, porque a Igreja Católica Apostólica Romana foi a única que Jesus fundou. A única que veio da era apostólica e seus sucessores guardam todo o Depósito da Fé e da verdadeira doutrina.

Em Atos2, 47 diz que esses eleitos que vão se salvar terão que se ajuntar à Igreja:

"Louvando a Deus e cativando a simpatia de todo povo. E o Senhor cada dia ajuntava outros que estavam à caminho da Salvação".

Nós também vemos em At2 fala da descida do Espírito Santo, onde a Palavra de Deus foi pregada de forma que os presentes de vários lugares e idiomas diferentes entendiam o que os Apóstolos estavam pregando. Veja, que ali se mostrou a Unidade da Igreja. Começou a Igreja em unidade para que houvesse um só corpo, o Corpo Místico de Cristo.
Mas e os outros escolhidos de Deus que estão em outros rebanhos, em outras igrejas fundadas por homens?... Sim, eles existem, são ovelhas de Cristo, estão dispersos por divisões. Mas o próprio Senhor Jesus diz que é necessário que eles sejam reconduzidos à verdadeira Igreja para haver um só rebanho e um só Pastor.

Em  Jo10, 16 Jesus diz: 


"Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco, preciso conduzi-las também e ouvirão a minha voz. E haverá um só rebanho e um só pastor"

São ovelhas de Jesus, mas, não estão no aprisco de Jesus. Estão no aprisco de homens. Então mesmo aqueles que estão fora  precisam que estejam dentro da Igreja para que se salve.

Veja que a doutrina de Calvino  contradiz o Evangelho em vários aspectos. 
Vamos recordar no início do Evangelho de São Lucas a partir do Capítulo I, versos 26 a seg. onde está narrado a Anunciação da concepção do Verbo. 
São Lucas descreve que o anjo Gabriel foi visitar Maria e disse que ela seria a Mãe de Jesus. 
Pois bem. A Igreja Católica ensina que Maria foi predestinada desde o início dos tempos por Deus para ser a Mãe do Salvador. Muito embora esta predestinação não seja para a salvação especificamente, mas para uma missão, Maria era livre para escolher se aceitaria ou não. No entanto, ela aceitou por livre vontade. Javé Deus a respeitaria se ela dissesse não. 

Creio eu, embora seja um pensamento em particular que no momento da conversa com o anjo, Maria deve ter pedido explicações, como de fato lemos: "Como vai ser isto, pois não conheço nenhum homem?" (V. 34) Claro, Maria estava prometida em casamento, mas não estava casada. Essa notícia do anjo iria mudar toda sua vida, todos os seus planos.

Creio que São Lucas não entrou na intimidade de Maria, relatando apenas o necessário, mas a conversa dos dois deve ter sido mais longa. O anjo Gabriel deve ter explicado a ela tudo o que aconteceria, pelo menos os pontos principais em que ela deveria saber referente ao plano de Deus para a Salvação. 
Se fosse como passou na cabeça de Calvino que Deus predestina as pessoas sem respeitar o livre arbítrio, bastava o anjo dizer que ela conceberia Jesus e pronto e isso era ordem de Deus e que ele só veio cumprir a ordem de avisar e ela tinha que conformar, pois, estava decidido por Deus e pronto. No entanto, depois da promessa do anjo que ela seria assistida do Alto por Deus, foi Maria quem disse de livre vontade: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim, segundo a vossa palavra". (V. 38).  
Conosco também é a mesma coisa. Deus nos predestinou para sermos santos, para sermos salvos. Mas não como pensava Calvino. Deus até o último momento respeita nossa vontade. Ele nos oferece até o ultimo momento de nossa vida as condições necessárias se quisermos ser salvos, sua Palavra, a Igreja, os Sacramentos, mas, cabe a cada um em particular querer ou não aceitar a salvação. Jesus mesmo disse: "Aquele que crê será salvo, quem não crê será condenado". (Jo3, 18)  E para crer é necessário crer em Jesus e na sua Igreja.     

Continuando... Outro santo que combateu muito o protestantismo foi Santo Padre Pio de Pietrelcina. Inclusive, ele combatia o protestantismo com frases muito duras. Para que o povo abrisse os olhos para as heresias dos protestantes.

EXPLICANDO UM POUCO SOBRE A IGREJA CATÓLICA...

É importante explicar um pouco sobre a origem da Igreja Católica, fundada por Jesus Cristo para que possa desmentir às acusações dos protestantes de que ela não é a Igreja verdadeira e que ela surgiu em Roma e tantas outras calúnias que a Santa Igreja recebe.

Vamos ver que ela é a única verdadeira Igreja fundada por Jesus e governada pelos apóstolos e seus sucessores:
   
Não desmerecendo as outras igrejas, mas, sabemos que somente Jesus fundou uma única Igreja que é a Igreja Católica. Por quê? 

Igreja Católica (o termo "católico", derivado da palavra grega: καθολικός (katholikos), significa "universal", "geral" ou "referente à totalidade"), chamada também de Igreja Católica Romana. 

Tendo-a entregado seu governo a São Pedro (Mt16, 17-19); Jesus é a Pedra Angular ele, Pedro como Bispo e Pastor é a pedra, a coluna que sustenta a Igreja. 
O primeiro que levou a Igreja para Roma e lá morreu; e como Pedro é o chefe dos Apóstolos a ele a Igreja o chama de primeiro Pai ou Papa; depois vieram seus sucessores, que os teólogos chamam  de "os primeiros pais" da Igreja (papa=pai), então, lá  tornou-se a Sede da Igreja porque foi lá que S. Pedro se instalou pela última vez e lá morreu martirizado (ano 67 d.C) por ordem do Imperador Nero. Nessa época, Constantino não era imperador de Roma.
Tanto que, lá de Roma, São Pedro escreveu suas cartas às outras igrejas:

“Por Silvano, irmão fiel, como entendo, vos escrevi em poucas palavras, exortando-vos e testificando que esta é a verdadeira graça de DEUS, na qual deveis permanecer firmes. A (Igreja) que está em Babilônia (Roma), eleita como vós, vos saúda, como também Marcos (o Evangelista), o meu filho. Saudai-vos uns aos outros com o ósculo da caridade. A paz esteja com todos vós os que estais em CRISTO JESUS! Amém.” (1 Pd 5,12-14)

São Pedro diz: "A igreja que está em Babilônia(Roma), eleita como vós, vos saúda..." (Roma era também conhecida como Babilônia, talvez pelas iniquidades que ali fazia os pagãos; e pela adoração que os romanos faziam aos seus deuses, comparada à Babilônia antiga). Eleita. São Pedro escrevendo a São Marcos diz que ela é a eleita assim como todas as igrejas, atestando sua legitimidade. Como pode os protestantes a acusarem de ser uma religião falsa?

Somente séculos mais tarde que ele quando Constantino se tornou imperador publicou o Edito de Milão cessando as perseguições aos cristãos que a Igreja começou a se organizar. O Papa da época de Constantino era Melcíades. 
Anos depois o Imperador Teodósio, com o Edito de Niceia fez da Igreja Católica a Religião Oficial do Império Romano. 

Constantino foi uma peça importante, mas, não foi o fundador da Igreja e nem tampouco foi papa como quererem afirmar alguns protestantes. Constantino nem era católico, era pagão, pois, só se converteu de verdade no dia sua morte. 

Ele (por interesses próprios) para cessar as revoltas no seu Império apoiou o cristianismo no Ocidente e decretou o fim das perseguições aos cristãos e permitiu que seus filhos fossem educados nos ensinamentos cristãos. Mas, no Império Romano do Oriente os cristãos continuaram sendo perseguidos.

Até aqui os protestantes se confundem achando que é uma abominação a Igreja possuir sua sede em Roma. Não, o lugar da sede da Igreja não é importante, poderia ser em qualquer outro lugar. Porém quis os desígnios e estratégia de Deus que fosse ali em Roma a ser a sede da Igreja Mãe.

Estava nos planos de Deus que o Império Romano devia se curvar à Igreja de Cristo (conforme profetizou o Apocalipse) e foi isso que aconteceu.

Mas, a Igreja já estava em todo mundo civilizado daquela época não só em Roma.

O próprio livro (ou carta) aos Romanos foi escrito para a Igreja que estava em Roma e os demais romanos convertidos nos outros lugares.

Os protestantes acusam a Igreja de Roma dizendo que ela passou a existir depois de Constantino. Mentira! Porque quem lê a bíblia e a história da Igreja sabe que a Igreja de Roma foi uma das tantas comunidades fundadas pelos Apóstolos fora dos muros de Jerusalém. 
Quando foi que Roma passou a ser a sede Oficial da Igreja? Foi quando a Constantino mudou a capital do Império Romano para Istambul ( na Turquia), e a partir daí a cidade foi reformada e recebeu o nome de Constantinopla, em homenagem a Constantino. Então o Papa da época declarou Roma como a sede Oficial da Igreja.       

Outra explicação sobre o motivo de São Pedro ter se restabelecido em Roma é porque a Igreja se desvinculou do judaísmo e suas práticas. Se tivesse ficado lá a Igreja não teria uma identidade cem por cento cristã. As comunidades cristãs de Jerusalém tiveram que se submeter ao governo da Igreja Romana assim como as outras.   

São Paulo junto com outros Apóstolos tinha levado a Igreja à diversas regiões, às principais cidades. O livro de Atos diz que a cada dia mais aumentava o número de cristãos por toda parte. Roma foi só uma dessas cidades. Porém, quis o Apóstolo Pedro que ali se instalasse a sede da Igreja e por isso depois de certo tempo acrescentou à Igreja católica de Roma o título "Romana" para distingui-la das demais Igrejas nos diversos lugares. Assim como a Igreja Cristã Ortodoxa no Oriente.
  
Nem mesmo os santos os Apóstolos e os santos padres discutiram sobre fato de a Igreja ser romana ou não. Nem mesmo Lutero rejeitava que São Pedro foi o primeiro papa de Roma porque é verdade e ele não podia fugir dessa verdade tão clara e única.
       
A verdadeira Igreja de Jesus é uma só em todo mundo. Um só batismo, uma só doutrina, um só culto. Para quê? Para que qualquer cristão em todo lugar, aceitando Jesus seja salvo através dela. 
Por isso eu nome Igreja Católica Apostólica Romana. Católica porque é universal é uma só em todo lugar. Apostólica porque descendeu dos Apóstolos e Romana porque sua sede está em Roma.

As outras igrejas foram fundadas por homens e mesmo que sejam de boas intenções não é a verdeira Igreja fundada por Jesus. Não possui o magistério da Igreja, ou seja, autoridade apostólica que é dada somente aos bispos da Igreja Católica a única Igreja de Jesus.

Essa explicação que escrevi sobre a Igreja é para que você católico, para que você creia mais na sua Igreja, e para aqueles que estão esmorecidos na fé tenha a certeza que não é fora da Igreja que as coisas vão se consertar. A Igreja de Jesus é a única que pode te levar ao caminho da Salvação; sem ela o cristão fica como que um barco em alto mar sem leme, vai sem rumo, sem destino até vir a tempestade para afundá-lo. Quem não está com a Igreja está contra Jesus. Quem não obedece a Igreja também não obedece a Jesus. 
  
----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Santo Padre pio diz assim:

"Não sabeis que o protestantismo possui um fundador sobrenatural? Sabeis agora. Trata-se de um anjo e seu nome é Lúcifer."

O demônio desde o princípio é divisor. Em Apoc12 está escrito que o dragão, a grande serpente arrastava com a cauda 1/3 dos anjos do céu, ou seja, o demônio causou a divisão. Do jeito que ele causou a divisão no céu ele causou também na terra onde foi precipitado. Ele não quer a Unidade da Igreja, ele quer que haja divisão porque assim é mais fácil as almas se perderem. Quer que haja várias denominações que é para não haver salvação. Não tem como haver salvação quem está dividido. Jesus diz: "Todo reino internamente dividido ficará destruído". Jesus é bem claro. 

Essa frase de Santo Pe. Pio é muito forte, mas, é verdade; o inimigo é que coloca coisas no ouvido das pessoas para que haja divisão. Veja que se esses que se disseram ser reformadores tivessem se unido lutariam dentro da Igreja para fazer com que ela se unisse cada vez mais. Mas, não. Eles provocaram desunião dentro da Igreja e até mesmo dentre eles cada um com suas heresias. Inventando doutrinas humanas que nada tem a ver com a realidade do evangelho. E as pessoas simples caem porque são ludibriadas pelas falsas doutrinas.

Vamos ver também o que são Paulo ensina, para vermos como é falsa e perigosa doutrina calvinista:

Lembrando que Calvino ensinava que o homem já estava predestinado a ser salvo e nada podia fazer para mudar isso. 
Só que vejamos... Satanás não é burro. Se fosse assim, de acordo com a doutrina de Calvino, para que satanás tentaria seduzir os eleitos para a perdição, sabendo-se que nada podia fazer, pois os mesmos já estariam salvos? Satanás tentou o próprio Cristo.  Até disso Calvino se esqueceu quando criou sua doutrina. No entanto, satanás tenta as pessoas de modo a levá-las para a perdição eterna impedindo-as de serem salvas. 

São Paulo assim nos diz em 2Ts2, 8,9-10


"A manifestação do ímpio será acompanhado, graças ao poder de satanás, de toda sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará todas as seduções do mal com aqueles que se perdem , por não terem cultivados o amor à  verdade que os teria podido salvar".    

Ora, sem palavras não é mesmo? Se satanás usam de seus poderes para seduzir e enganar é porque logo ele sabe que somente por uma capacidade do ser humano perder a Salvação é que isso pode acontecer. Então onde a doutrina de Calvino se encaixa com a Bíblia? Em nenhum lugar. É uma heresia, mentirosa e enganadora vindo do próprio diabo como diz o Santo Pe. Pio.

Hoje em dia está na moda portentos e sinais em público. Mas lembre-se que Jesus quando ressuscitou aquela menina e disse: "Talita Cumi!" ou "Menina Levanta-se!" - ele mandou todos sair do quarto e fez o milagre em segredo. Em outras passagens Jesus mesmo pedia que não contassem a ninguém sobre alguns milagres que ele fazia. Certas coisas escandalizam as pessoas e nem mesmo Jesus aceitava isso porque o escândalo destrói a fé das pessoas.
Então temos que ter cuidado com certos milagres, porque está escrito que satanás também fará muitos milagres para seduzir as pessoas conforme Ap13.

E para terminar Nosso Senhor Jesus disse que o inimigo pode seduzir até os eleitos:

 Mc13, 32:
"Ficai de sobreaviso, vigiai; pois não sabeis quanto será o tempo." - Se os eleitos já estivessem salvos como diz a falsa doutrina da predestinação, Jesus manda vigiar para quê?  
Mc13, 22 - "Porque levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão sinais e portentos para seduzir, se possível for, até os escolhidos".  - Jesus mais uma vez destrói todo a doutrina da predestinação calvinista.  Segundo Jesus, nem mesmos os escolhidos podem se salvar se não estiverem atentos. A Salvação é somente para quem a aceita e persevera até o fim na fé da Igreja.
  
Entenderam meus irmãos? Não é que a predestinação não exista. Ela existe. Mas não da forma que a doutrina calvinista quer e ensina. Deus nos predestinou para sermos seus eleitos, mas cabe a cada um de nós decidir se queremos ou não, se aceitamos ou não a Salvação.    


**
De qualquer forma, Calvino sustentou que um verdadeiro crente nunca pode perder sua salvação. Sua doutrina defende que, embora os indivíduos sejam livres e responsáveis, não podem escolher a salvação por vontade própria. Pelo contrário, Deus escolheu certos indivíduos antes do inicio  do mundo, a quem Lhe aprouve chamar à fé. Segundo o calvinismo, uma vez que a fé não é algo que escolhemos ter, mas sim um trabalho que Deus realiza em no homem, ela não pode jamais ser abandonada. Note-se assim que esta noção calvinista também nega o dom do livre arbítrio.
Muitos protestantes evangélicos, principalmente os ditos ‘nascidos de novo’, gostam de citar versículos como Romanos 10, 9, que diz que se você confessar com sua boca que Jesus é Senhor e em seu coração crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Eles mencionam outras passagens, onde a certeza da salvação parece ser dada àqueles que crêem em Cristo, a fim de defenderem seu ponto de vista:
Eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. (João 10,28)
Há dois problemas principais com esta abordagem. A maioria dos protestantes calvinistas  parece pensar  na salvação como um evento único, e não um processo contínuo. Também é extremamente comum que os evangélicos analisem passagens isoladas, sem o pano de fundo de todo o contexto da Bíblia. No caso de João 10,28, que tem uma linguagem similar a Romanos 8,39, Jesus está nos dizendo que ninguém pode tirar a salvação de uma pessoa, mas Ele não está dizendo que um indivíduo não pode recusar o dom gratuito da salvação oferecido por Deus, através de sua própria rejeição ou recusa a levar uma vida agradável a Deus. Em outras palavras, a salvação não pode ser arrancada de ninguém, mas pode ser livremente rejeitada pelo próprio indivíduo. Tudo se resume ao livre-arbítrio, que Calvino parece ignorar em sua formulação doutrinária.Novo Testamento:
Mateus 7, 21-23Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus, mas aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome, e em teu nome não expulsamos demônios e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, eu vou confessar a eles, eu nunca vos conheci. Afastai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.
Fl. 2,12- “Portanto, meus amados, como sempre obedecestes, não como na minha presença somente, mas muito mais agora na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor;”
Mateus 24,13 – Mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo.
1Pd 4, 8Se o justo dificilmente se salva, onde será o ímpio e o pecador?”
Hb 6, 4-6;Porque aqueles que foram uma vez iluminados saborearam o dom celestial, participaram dos dons do Espírito Santo, experimentaram a doçura da palavra de Deus e as maravilhas do mundo vindouro e, apesar disso, caíram na apostasia, é impossível que se renovem outra vez para a penitência, visto que, da sua parte, crucificaram de novo o Filho de Deus e publicamente o escarneceram.
Tg 5,19-20 Irmãos, se alguém dentre vós se desviar da verdade, e alguém virá-lo de volta, que ele saiba que aquele que fizer converter um pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados .
Antigo Testamento:
Números 14,11-12 Então disse o Senhor a Moisés: “Quanto tempo essas pessoas rejeitam a mim? E por quanto tempo não crêem em mim, com todos os sinais que fiz no meio deles? Vou atacá-los com a peste e deserdá-los … “
1Sm15,23 Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, Ele também te rejeita como rei. “
1Sm 28,6 -7 E quando Saul consultou o Senhor, o Senhor não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas. Então, disse Saul aos seus servos: “Encontre-me uma necromante para que eu possa ir até ela perguntá-la..."
Pro 2,13 … Daqueles que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas …
Aqueles que acreditam na doutrina da segurança eterna muitas vezes se perguntam por que os Católicos não ficam desesperados com a possibilidade perderem sua salvação, já que rejeitam a doutrina da garantia da salvação. Gostaria de explicar-lhes que os Católicos nem presumem a graça de Deus ou se desesperam dela. Os Católicos aprendem que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, e que a maior demonstração que podemos ter  da realidade do livre-arbítrio em nossa existência é a certeza que se Deus possui o livre-arbítrio, nós também possuímos esse atributo como filhos de Deus.” **
(**do Site: Eclesia Militans)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.