sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

INDIVIDUALIDADE OU INDIVIDUALISMO?

          Todo começo de ano nos coloca diante de uma vasta possibilidade de ações, de novas experiências. O início do ano nos inspira de certa forma para a revisão de vida e o recomeço da caminhada. Para o jovem,ano novo, significa começar os estudos, o primeiro emprego, a inserção no mercado de trabalho, a possibilidade de um ralacionamento amoroso, enfim, sonhos e projetos na caçeça e no coração da juventude.
           E quando os jovens pensam nessas coisas lhes vem à mente uma palavra muito cultuada nos dias de hoje e que provoca reações inesperadas em todo mundo - COMPETIÇÃO. Isso mesmo! - se há um vocábulo do qual o mundo faz uso contínuo e que rege os relacionamentos pessoais e sociais, essa palavra é competição. E como todo substantivo, este também pode ser a causa de grandes males estendidos. Se por um lado uma sadia competição ppode melhorar a pessoa, fazê-la superar os limites e potencializar suas capacidades, uma competção que prima pela busca incenssante do poder ou do domínio sobre o outro pode ser causa de grandes misérias.
           Especialmente no caso dos jovens - ainda imaturos no que se refere aos valores fundamentais da vida   - um espírito competitivo mal direcionado pode ser razão de poutro grande mal do século, a exarcebação do invidualismo. E não há pecado mais grave do que a praga do espírito individualista. Dele nascem todas as enfermidades que destróem o coração humano, inclusive o coração dos jovens.
           Aqui há de se fazer uma ressalva: falamos do mal do individualismo e não da riqueza da individualidade. Essa última sempre foi respeitada e ensinada pela tradição bíblica e pela Igreja. Somos feitos únicos, exclusivos, amados por Deus do jeito que somos. Cada um é somente ele mesmo. Somos indivíduos, reconhecidos em nossas características pessoais. Deus nunca pensa, nem pensará em fazer seres humanos idênticos, em série, com os mesmos pensamentos e sentimentos.
            Obviamente, sendo indivíduos, somos chamados a formar uma comunidade/sociedade. reconhecendo qua na minha individualidade eu não consigo realizar todo meu potencial. É o conjunto de indivíduios com suas particularidades que formam a sociedade. Quando ma sociedade vai mal - e como vai mal ultimamente! - é porque os indivíduos não estão unindo para se ajudarem mutuamente, mas se juntam para somente sastifazer as próprias necessidades. É aqui que entra o individualismo. O individualista vive em grupo, mas não participa dele, só pensa em si. Sente-se o centro do universo, o umbigo do mundo e não quer nem saber se o outro está bem ou está mal. Fica dentro do seu mundinho construído, o que ele quer é estar melhor do que os outros.  Isolado só procura satisfazer as suas necessidades - afetivas, sexuais, pisíquicas, materiais e culturais. 
                     O outro, parao indidualista é não-ser, aquele que existe somente para ajudá-lo em realizar seus snhos e projetos. A vida do outro não lhe interessa, contanto que esteja satisfeito  no seu modo de viver! - O individualista é epicentro do egoísmo. O que podemos concluir: - que é preciso cuidar para não ser seduzidos pelos falsos atrativos e falsas oportunidades do individualismo. É preciso aprender alição do trabalho em equipe, da partilha, das conquistas, da divisão das tarefas, na escola, no trabalho, na família e na sociedade. Enfim superando a linguagem de um mundo egoísta, formal, culculista e frio. Reencotrar a palavra de Deus, tendo o amor e o respeito pelo outro, aprendendo a partilhar as coisas boas da vida. O amor pelo próximo e a humildade. Isso é o ser cristão. Você jovem aceita o desafio de seguir o Cristo? Ou prefere acompanhar a esteira do mundo que nos leva sabe lá pra onde?... 
                     Hoje em dia a internet se tornou uma ferramenta muito útil, necessária, mas tornou-se a principal causa do individualismo, cada qual quer viver fechado em seu mundinho, não há tantos relacionamentos afetivos, ois namoros virtuais tornam-se cada vez mais comum. Os jovens não estão se relacionando bem, não há diálogo na família, na escola e muitas vezes os pais não sabem o que fazer. 
                         O jovem cristão tem que buscar meios de superar essas divisões que o individualismo faz,  procurando incentivar os outros jovens a retomada dos relacionamentos. Não se trata de excluir a internet  da vida pessoal, mas de saber o ponto de usá-la sem interferir nos relacionamentos familiares e sociais. 
                           Muitas vezes o medo da frustração nos relacionamentos, a falta de interesse nas coisas, lá fora ou a falta de expectativas, faz do jovem um viciado não só na internet, mas nos games, nas drogas, etc. 
                            Para o jovem que tem fém, que tem os pés firmes no Evangelho, deve ajudar aqueles que querem buscar um modo de superação, isso se faz com: convite, análise do problema com uma boa conversa, oferecimento de novos caminhos e sobretudo a orientação sob o aspécto da palavra de Deus. Fazendo isso podemos perguntar: O que devo fazer para ajudar meus colegas a se tornarem mais participantes da comunidade? ... 
                            Para encerrar esta matéria lembro a você esta passagem do Evangelho de Lc 10, 38-42.
                          O episódio na casa de Marta, Maria e Lázaro.: Estando Jesus em viagem, entrou numa aldeia, onde uma mulher, chamada Marta, o recebeu em sua casa. Tinha ela uma irmã por nome Maria. Que se assentou aos pés do Senhor para ouví-lo falar. Marta toda preocupada na lida da casa veio até Jesus e disse: "Senhor, não te importas que minha irmã me deixe só a servir? Dize-lhe que me ajude!" - Jesus respondeu: "- Marta, Marta, andas muito inquieta e te preocupas com muitas coisas, no entanto só uma coisa é necessária e Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada." 
                           Esta passagem do Evangelho nos mostra o quanto devemos ser. Viver a palavra de  Deus, escutá-la. As preocupações da vida, a idéia de consumismo o sempre ter mais, a sede de poder. faz com que a gente se torne cada vez mais egoísta, indidualista, mesquinhos em nossa maneira de viver sem se importar com os outros ao nosso redor. Aos poucos a falta de fé, faz com que nos fechemos cada vez mais em nosso mundo de preocupações.                               

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.