terça-feira, 7 de dezembro de 2010

MARIA NA CATEQUESE

Texto de Ir. Nery, fsc.; Revista Brasil Cristão, ed.  Nov/2010.




1. MARIA MÃE E MODELO DO CATEQUISTA - "Por uma vocação singular, Maria viu o Filho de Deus "crescer em sabedoria, idade e graça". (Lc 2, 52). Ela foi mestra que o formou no conhecimento humano das Escrituras e da história do desígnio de Deus sobre seu povo, na adoração ao Pai. Ela foi também a primeira de seus discípulos. Como Santo Agostinho afirmou com audácia: "o fato de ser discípula foi para Maria mais importante que ser mãe". Pode-se dizer, com razão e alegria, que Maria é um "catecismo vivo" e "Mãe e modelo do(a) catequista". (Cardeal Tomko - Guia para os catequistas- Vaticano 1993).



2. A GRANDEZA DE MARIA - Não consiste apenas em ser Mãe de Jesus, mas no nascimento dela mesma como "filha"-mulher nova- ao se fazer primeira discípula missionária de Jesus. Maria ensinou a chamar Deus de "Senhor da História", o "Deus Libertador", e Jesus ensinou Maria a chamar a Deus, sobretudo de Pai. Mas é difícil imaginar com Maria cresceu na fé, porque estamos acostumados a não ver Maria como uma mulher simples do povo que, como as demais, teve que aprender de tudo,e aos poucos ainda, descobrir no filho de Deus, que em nada se diferenciava dos demais seres humanos, exceto por não ter pecado. O seu "sim", difícil no começo, na Anunciação, foi difícil em outros momentos da vida de Jesus, até aquele outro sim radical quando tudo se revelava perdido e somente lhe restava "ir à Jerusalém" e correr o risco de perder a vida por seu filho, condenado à morte (cf Mt16, 21-27); chegando ela mesma até a cruz de Jesus, (cf. José Luís Saborido: Para uma Catequesis de Maria hoy-0 Valladolid, Espanha).


3. A JESUS POR MARIA - Um dos pontos fundamentais da figura de Mariana catequese é de ela ser o precioso caminho pelo qual o Filho de Deus veio ao mundo e, ao mesmo tempo, um precioso caminho que nos leva a seu Filho, o próprio Filho de Deus. Parar em Maria é endeusá-la e isso é idolatria. Porém, desprezar Maria no Plano de Salvação é desprezar Jesus e tudo o que dele nos veio.

Aprendamos dela a sermos discípulos missionários com nosso sim total ao Pai, com nosso seguimento generoso de Jesus em tudo, com nossa obediência contínua à vontade do Pai. Aprendamos do canto de Maria, o "Magnificat", a estar do lado dos pobres e excluídos para libertá-los. Aprendamos de Maria nas bodas de Caná, a atitude de serviço, e a sua orientação para fazermos tudo o que Jesus nos pede. E acolhamos, com João ao pé da cruz, Maria como nossa mãe. Aprendamos com ela, na Anunciação  a escolher o Espírito santo que forma e nós o Filho de Deus e, no Cenáculo, este mesmo Espírito que pede nossa participação para formar a Igreja, como a continuadora da missão de Jesus na história. Amém!               

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.