domingo, 14 de agosto de 2011

AFINAL GUARDAR O SÁBADO OU GUARDAR O DOMINGO?...

Se quisermos uma explicação razoável desta polêmica entre o que deve ser guardado como "O dia do Senhor", devemos econtrar respostas não entre os diversos grupos de cristãos que escolhem o sábado ou o domingo para o dia consagrado ao Senhor. Isto é, um dia especial dedicado unicamente ao Senhor. Reservado para a Oração principalmente. 

Está nas Escrituras determinado no Antigo Testamento que: Deus criou o mundo em seis dias e no sétimo descansou, e como tal, Deus havia determinado que o Sábado, 7o. dia da semana fosse guardado.
Podemos encontrar a chave de leitura em Gênsis2, 1-2.

Pois bem, ... A Bíblia descreve bem o sétimo dia, como o dia que Deus descansou, após ter criado o mundo. O número sete na Bíblia simbloliza a perfeição, então podemos dizer que: Deus criou todas as coisas perfeitas e depois descansou.


Claro que, entendendo a cultura daquele povo, no judaísmo o sábado é o "dia do Senhor". E isso deve ser respeitado dentro da cultura judaica.
Após a estruturação de Israel como uma nação independente, foi criado um calendário de contagem dos dias e meses mas não como o nosso. O povo hebreu que era nômade, muitos não tinham a escrita. Esse povo fixou-se em Canaã, a terra prometida, conforme havia determinado por Deus.

O calendário antigo não era como o nosso calendário cristão atual. Possuia uma análise matemática diferente da nossa para contar os dias e meses.
Os povos dos antigos povos não tinha a tecnologia que hoje temos,  eles usavam da astrologia, como as fases da lua para dividir os dias e as estações. Não possuiam relógio, contador, calculadora, computador etc. Então não podiam definir com muita certeza a contagem do tempo.

Assim sendo, a Bíblia usa o termo "dia", mas, que na verdade pode significar um espaço menor ou ainda maior de tempo como: anos, milênios ou meses em que as coisas aconteceram.

É bom lembrar que:
Os 06 primeiros capítulos da Bíblia são considerados inspirados, mas, são fictícios, isto é, possuem uma linguagem simbólica. Ou em outras palavras, é uma estória. 
Não se pode deterninadamente afirmar que as coisas aconteceram da forma como está escrito.

Quando lemos os primeiros capítulos de Gênesis, (=origem ou início), temos que ir além da descrição que o texto propõe para entender que:

Deus criou tudo perfeito, dando o livre arbítrio (escolher entre o certo e o errado), ao homem; este, escolheu o doce fruto o sabor do pecado, (a maçã). Experimentando a própria maldição, (a morte); deixando de respeitar o Criador, ele, o homem, passou a se condirerar como um Deus, sendo astuto, provocando violência e a morte na terra, (simbolizado por Abel e Caim); tudo isto porque o mal entrou no coração do mundo pela audácia de satanás,( simbolizado pela serpente), pelo qual espalhou ódio, a inveja e todo tipo de pecado.

O pecado original é o primeiro pecado da humanidade, isto significa a desobediência de Adão e Eva.  

Mas não significa que tudo aconteceu como diretamente está escrito, tudo sequenciado e certinho. Não! quem pensa assim está cometendo um equívoco.

Pois, muitas histórias bíblicas eram contadas de pai para filho. Já que o povo hebreu não possuia a escrita. Até os textos do Antigo Testamento foram escritos muitos anos depois da estruturação de Israel como a Nação do "Povo de Deus".
 
A ciência já comprovou através de vários estudos que a criação do mundo se deu em bilhões e bilhões de anos. Como explica  Darvin na sua Teoria da Evolução. Os fósseis, os estudos científicos, as pesquisas arqueológicas nos provaram essa idéia de "tempo da criação". Mas nem mesmo Darvin  e a ciência sabe determinar como tudo começou e quanto tempo levou a criação do mundo...


Em várias culturas, os povos tem a sua maneira própria de contar como o mundo começou. 


Talvez o ser humano continue procurando e necessite de obter  respostas até hoje. Assim, como imaginar a criação? Foi assim que o escritor sagrado, pode de certa forma, e na melhor forma para o seu tempo representar a ação da existência de um Deus que tudo criou.


Talvez procurasse respostas sobre o desconhecido. Por isso os 06 primeiros capítulos de Gênesis embora sejam inspirados, não podem ser tomados ao pé da letra como que de fato aconteceu. Como se na verdade os dias fossem mesmo 7 como o nosso de 24hs para a criação do mundo, tempo e espaço. Além do que hoje sabemos que há uma enorme diferença de fuso horário entre vários países.
 
Na verdade o nome Adão=primeiro homem; e Eva=primeira mulher; quem são na verdade? não sabemos... Mesmo os judeus não referem Adão e Eva como patriarcas diretamente e sim a ABRAÃO. Porque sabem que Abraão realmente existiu, antes dele tudo é meio duvidoso, fabuloso por assim dizer.   

A partir de Abraão o povo de Deus começou; iniciou-se o povo escolhido por Deus. (Cf. Gen 12, 1-7) e uma nação na qual, Jesus Cristo, o Filho de Deus nasceria.  

Então partindo de que a Sagrada Escritura é um livro que usa muita linguagem simbólica, dentro da realidade daquele povo, o povo de Israel, através de Moisés,determinou que o sábado seria guardado como o dia do Senhor. Também como memorial por causa da Páscoa Antiga. (Êx12, 1-11)

É claro que muitas leis e normas no Novo Testamento tidas como Lei de Deus, na verdade foram criadas por Moisés, Aarão e os patriarcas. Eles tinham uma maneira muito peculiar de criar leis "em nome de Deus".

Porque se Moisés disesse que muitas as leis criadas seriam apenas dele, talvez não fossem tão respeitadas. Como podemos comprovar? - a lei de Talião: "Olho por olho dente por dente" - ou seja - pagar com a mesma moeda o crime que alguém cometer. Se matar devia ser morto... (não é lei de Deus) e Jesus condenou essa lei. (Mt5,38-39) - Jesus substitui essa lei pela Lei do amor. "Oferecer a outra face", significa não praticar a violência como resposta a outra violência, não ceder às provocações. Mas é preciso amar os nossos inimigos e mostra-lhes o caminho da salvação. Deus jamais mandaria pagar o mal com o mal. Também como explicar as guerras narradas na Bíblia, onde se fala,  que "o Senhor ordenou" fazer guerra outros povos, se o próprio Mandamento de Deus proíbe matar?... a resposta está quando: vemos até hoje pessoas que usam o nome de Deus para fazer guerras, terrorismo, etc. No passado também foi assim e a Bíblia descreve a situação de um povo em determinado tempo da História. Mas a ideia do autor sagrado, não é fazer uma contradição, e sim, mostrar que Deus age na nossa  vida e e respeita o curso da história tal como ele é. A mão de Deus está sempre presente, seu amor é fiel.       


Com exceção do Decálogo, ou dos Dez Mandamentos e a celebração da Páscoa, muitas outras leis foram instituídas por Moisés, pelos sumos sacerdotes, os patriarcas, etc. Tem valor?, claro que sim, mas nem todas podiam ser observadas.

Muitas dessas leis eram pesadas demais, até para o povo judeu, e os seus líderes não as cumpriam mas obrigavam o povo a cumprir.


Jesus censurou os fariseus porque eles cuidavam de cumprir a Lei mas não tinham misericóridia, eram orgulhosos, gananciosos e pretensiosos  Vamos ler: Mc11, 37-52.


A LEI DE GUARDAR O SÁBADO


Segundo a Lei judaica no sábado não podia fazer nada a não ser orar e descansar.


As comidas eram preparadas antes, não podiam colher frutos e moer grãos, nem sacrificar animais, nem trabalhar. Se alguém desrespeitasse a lei seria castigado.


O judeu neste dia dedicaria à Oração e ao descanso, como havia determinado por Deus. (Êxodo20, 8-9).

Mas então, porque os cristãos estão divididos entre guardar o sábado e guardar o domingo?

Porque ainda não entenderam o Jesus veio fazer.

Quando Jesus, o Filho de Deus veio a esse mundo, Ele veio não trazer uma nova lei, mas aperfeiçoar as que já existiam.

Havia uma coisa que Jesus mais criticava nos fariseus, sabe o quê?
Que eles procuravam fazer cumprir a Lei de Moisés com rigor, tal como é, mas esqueciam de que a maior Lei é o amor. E isto eles não praticavam. Faziam tudo certinho: jejuavam, davam esmolas, guardavam o sábado, sabiam as leis do Templo de cor, mas não praticavam a caridade. Não tinham amor. Viviam da superficialidade. Jesus os chama de hipócritas, sepulcros caiados.
Vamos ler: Mt5, 17.20.43 / Mt6,1-4.

Tanto que mataram Jesus por inveja.
Porque Jesus os havia censurado muitas vezes. (Mt11, 53-54). Assim agem aqueles que querem criticar os católicos por guardar o domingo e não o sábado. Quem guarda o sábado está errado? - Não! // mas, quem guarda o domingo está errado? - Não! - depende de qual seita, religião ou profissão religiosa pertence // Mas se você é católico deve guardar o domingo como determina a Igreja. Mas o sábado ou o domingo deve ser santificado ao Senhor. Importa que, de acordo com sua religião, seja ele um dia em que é dedicado ao Senhor. Um dia dedicado à Oração, à reflexão, à escuta da Palavra e sobretudo para nós católicos, a celebração da Eucaristia.       

A primeira lição de Jesus foi que: devemos amar uns aos outros, a segunda nos considerar como irmãos e a chamar a Deus de Pai. Jesus é nosso irmão.
A terceira é não colocar a Lei acima da caridade fraterna. Quem ama cumpre todas as leis e muito mais. Diante do teu próximo esta Jesus!


Por isso Jesus veio como nosso irmão e nosso Salvador.

A quarta e mais importante! - Jesus veio trazer uma NOVA ALIANÇA no seu Sangue. A Lei de Moisés foi aperfeiçoada por Jesus.

Como?
Um fato! o Novo Testamento nos explica, vamos ler: Mt 12, 1-8.

Os fariseus foram perguntar a Jesus por que seus discípulos arrancavam espigas para comer no sábado, já que a lei de Moisés devia ser respeitada pois eles também eram judeus.

O Senhor Jesus, sabendo toda Lei e toda a Escritura e da intenção de seus corações, lhes deu uma lição:
"De que adianta cumprir a Lei se eles não tinham amor uns para com os outros?" E Jesus cita a Escritura: "Quero misericórdia e não sacrifício". 

São Paulo nos diz que amar e praticar a caridade é fazer cumprir todas as leis. (Rm13, 8.10)  

Ora, Deus não está preocupado em nos castigar pelo descumprimento da Lei, se nosso coração, nosso agir ficar só na Lei.

Sem amor, sem caridade, sem perdão ou misericórdia a Lei é somente tinta em um papel. Deus está interessado na dignidade do ser humano.
Por isso Jesus concluiu que: nem eles, os sacerdotes observavam bem o sábado, como pois queriam censurar os discípulos e o próprio Senhor do sábado? (Cf. V. 5); Jesus é o Senhor do sábado.


O Filho de Deus, Senhor do sábado estava ali presente. Mas eles não entederam. Deus nos cobrará, primeiro, pelas boas obras; (Mt25, 34-45); que deixamos de realizar e pela nossa falta de amor. Deus não quer que sacrifiquemos, mas que façamos cumprir a Lei do amor. Havendo amor haverá justiça, havendo justiça, haverá dignidade ao homem.
E Jesus é claro quando deu-nos o Mandamento do Amor. (Cf . Jo15, 9-17). 

Por isso, e pelas razões as quais já explicamos no início, a Igreja, entende-se que depois com a NOVA ALIANÇA ou NOVO TESTAMENTO, de Jesus. O dia o Senhor deveria ser o domingo. Isto é dia em que Deus concluiu a obra da salvação, ressuscitando Jesus. O maior dia em que celebramos a Páscoa de Jesus e a Eucaristia. Por isso o sábado foi abolido como um dia sagrado a ser guardado e determinado o domingo.
Pois através de Jesus as coisas antigas se passaram, é por Jesus e pelo Espírito Santo que somos nascidos de novo. E como somos cristãos não seguimos a Lei Mosaica e sim, a Jesus.

O Evangelho fala desta separação, quando menciona que, na morte de Jesus véu do Santuário, foi rasgado ao meio. (Cf. Lc23, 45). Isto significa que foi criada uma Nova Aliança, pelo sangue de Jesus, estava separado o ANTIGO TESTAMENTO do  NOVO TESTAMENTO, embora os dois se completem, a nós cabe seguir o que Jesus determinou até que Ele venha. E seu mandamento maior é o Amor, antes de cumprir toda a Lei.

Mas, ... como alguns ainda insistem em ler a Bíblia só pedaços que interessam para alfinetar alguém, sem entender o significado das coisas... são hipócritas.


Só que, para nós católicos, o dia do Senhor, é o domingo. Neste dia devemos ir à missa. Isto é, ouvir a Palavra de Deus e celebrar a Eucaristia. Orar e viver a palavra de Deus.  Visitar os doentes, fazer nossas obras de caridade, depois sim, praticar o lazer e o descanso.

Todo domingo é dia santo e dever ser guardado. Como pede o Mandamento da Igreja: "Guardar os domingos e dias santos-de-guarda em que estabelecer a santa Madre Igreja".

Além disso existem outros dias marcados como dia de guarda. São dos "dias-santos-de-guarda", que possuem o mesmo preceito do domingo. São eles: Domingo de Páscoa, Corpus Christi, Natal, Dia 1o. de Janeiro (solenidade de N. Sra. Mãe de Deus), 08 de dezembro (Imaculada Conceição).
A Igreja entende que o dia de domingo por ser o dia da Páscoa do Senhor é o dia mais importante. Também não é contra às outras denominações que observem o sábado, porém, devemos entender que para nós cristãos, povo da Nova Aliança não temos que ficar presos a preceitos da antiga Aliança, uma vez que pelo Sangue de Jesus, pela sua Nova Instituição a sua Igreja, sob o governo de Pedro, foi inaugurado um Novo Testamento.



Já no passado no início da Igreja, surgiram questões importantes, como aconteceu entre os primeiros cristãos sobre a circuncisão.(At15, 4-10);  Os novos cristãos, os gentios, precisavam ou não passar pela circuncisão?... Era a pergunta dos fareiseus.
Os Apóstolos reuniram-se em concílio, como a Igreja o faz até hoje para decidirem. Assim São Paulo em nome de todos os bispos declarou que:
O que os tornava membros da Igreja, ou seja, cristãos de verdade, não era a circuncisão, mas, a fé e o Espírito Santo derramado sobre eles, e assim não haveria mais distinção entre os judeus e os gentios. A Igreja é um só corpo.
Esse concílio foi conhecido como "Concílio de Jerusalém". Depois deste muitos vieram: O de Trento, de Nicéia, de Constantinopla, etc.
O mais importante e mais recente, até hoje é o Concílio Vaticano II. 
Assim na Igreja  Católica Apostólica Romana, o santo Padre em nome de Cristo determinou, (o que já era de costume desde o início do cristianismo), que se observasse o domingo como o dia do Senhor.

Portanto, se alguém perguntar, ou até mesmo criticar você católico, porque não guarda o sábado. Não tenha receio em afirmar que nós cristãos católicos seguimos a Lei de Cristo e da Igreja. Não que Moisés esteja errado, mas porque Jesus Cristo é superior a Moisés. (Heb3, 1-6). Ele é o dono da Casa e Senhor da Igreja.

Portanto, ninguém vos critique por causa da comida ou bebida. Ou espécies de festas ou de luas novas ou de sábados. Tudo isso não é mais que a sombra do que devia vir. A realidade é Cristo!
(Col.2, 16-17) 


                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.