segunda-feira, 5 de setembro de 2011

NATIVIDADE DE NOSSA SENHORA

Celebraremos no dia 08 de setembro, a Natividade de Nossa Senhora, ou seja o seu nascimento, e consequentemente seu aniversário. Como bons brasileiros, gostamos de celebrar  o aniversário das pessoas queridas. Desse prazer e satisfação nascem também a alegria e a determinação de celebrar muito bem Nossa Senhora,por oportunidade de seu natalício. É do fato de Nossa Senhora ser tão querida, tão amada, tão bem celebrada e honrada pelos católicos brasileiros que nasce e se realiza esta festa.


MARIA NA FAMÍLIA HUMANA

Não temos conhecimento do dia, do mês ou do ano do nascimento de Maria. Sabemos que seus pais foram Joaquim e Ana, aliás celebrados no calendário litúrgico no dia 26 de julho. Maria teria nascido em Jerusalém. O que comprova a afirmação é que em Jerusalém há uma igreja dedicada a Santa Ana, mãe da Virgem Maria, construída sobre aquela que teria sido a casa de Joaquim e Ana. Ali naquela igreja, há referências feitas por meio de pinturas, a respeito do nascimento de Maria. Sabemos também, pelo Evangelho de São João, cap. 19, 25, que a Virgem Maria tinha uma irmã, também chamada de Maria, mulher de Cléofas.


Conforme uma tradição muito antiga, Maria teria sido apresentada no Templo de Jerusalém em idade muito tenra. Há livros hapócrifos que falam que a menina foi apresentada ao Templo com apenas três anos, ali deixada para ser educada e depois para servir o Senhor, nos serviços do Templo. Quanto à apresentação de Maria no Templo, é verdadeira a notícia, pois a Igreja Católica a celebra no dia 21 de novembro. Nada mais sabemos com segurança sobre a infância e a adolescência de Nossa Senhora.


Vamos encontrar depois a Virgem Maria, lá em Nazaré, quando foi visitada pelo Anjo Gabriel e lhe foi anunciada a gravidez milagrosa. Aqui há um fato interrogador, cuja resposta eu nunca consegui obter: como é que Maria encontrava-se em Nazaré, morando em uma casinha-gruta, que aliás se pode visitar até hoje? // Não consta que seus pais estivessem ali com ela. Teriam eles morrido em Jerusalém e Maria teria se transferido para Nazaré? É bom lembrar que Nazaré fica a mais de 100 Km de Jerusalém. Uma distância considerável para aqueles tempos, quando os percursos eram feitos a pé.


MARIA NOS PLANOS DIVINOS


Se acerca da história humana da Virgem de Nazaré não temos muitos dados e informações, no que concerne aos planos divinos para a salvação da humanidade temos muitas informações valiosíssimas que engrandecem a nossa história. 


Desde antes da criação do mundo, e nela, o do ser humano, o Criador  já previa que o homem, criado à sua imagem e semelhança, iria prevaricar, pecar, perder o paraíso do coração, iria gerar uma humanidade carregada de todos os males que nós, hoje, bem conhecemos. Desde esse conhecimento, o Criador se propôs a salvar a humanidade e reconduzi-la ao caminho de volta ao paraíso perdido. Esta salvação, por decisão do Pai, deveria ser realizada pelo seu Filho Eterno, que Ele enviaria para a humanidade e que deveria assumir uma natureza humana igual a dos seres humanos, menos no pecado.


Para isso havia a necessidade da colaboração de uma mulher. Esta seria pré-destinada. Escolhida antes da criação da humanidade para ser a Mãe do Verbo Eterno que se tornaria homem. Eis um privilégio grandioso que a coloca dentro da própria realização a salvação da humanidade, como colaboradora decisiva na obra da redenção. Essa pré-destinação incluía por decisão do Pai Celeste, toda preparação de uma pessoa, a fim de ser a Mãe mais perfeita no espírito, na mente e no corpo, tornada digna de acolher em seu ventre o Verbo Eterno, formando-lhe o corpo humano.


A IMACULADA  


Tal preparação iniciou-se no dom da Imaculada Conceição, isto é quando ela concebeu em seu ventre de sua mãe Ana, Deus, pelos méritos futuros de seu Filho, pela ação do Espírito Santo a preservou do pecado original com todas suas nefastas consequências. Eis um privilégio magnífico! Só ela e seu Filho Jesus tiveram a isenção das fragilidades do pecado das origens da humanidade. Ela, para ser preparada para sua maternidade divina, Ele para ser o Filho de Deus Encarnado.


A preservação do pecado original consiste na não contaminação espiritual e psicológica causadas pelas consequências do pecado, ou seja a preservação do orgulho, do egoísmo, da inveja, das vaidades, da preguiça, das sensualidades de toda sorte e de toda espécie de tendências negativas, experimentadas por todo ser humano.


A CHEIA DE GRAÇA

A preparação da vida da Virgem para sua maternidade prosseguiu com a "plenitude das graças divinas".
Aquela beleza interior, admirada pelo próprio Arcanjo Gabriel, quando ao vê-la exclamou: "Ave, cheia de graça!" 
Deus Pai não só a preservou do mal, como plenificou com uma superabundância de graças. Essas graças comunicadas pelo Espírito Santo embelezaram a Virgem de modo singular, no espírito e no psíquico, afim de que fosse suficientemente bela para ser a Mãe do Verbo que nela seria encarnado. E essa plenitude graças do Espírito Santo continuou em toda a sua vida apara que pusesse colaborar decisivamente no processo do plano de salvação do Pai. Por essas graças o Espírito Divino a iluminou por toda a sua vida a fim de que ela pudesse compreender toda a grandeza do mistério da Encarnação e da Salvação. À medida que os acontecimentos  da Encarnação se sucediam: a sua gravidez milagrosa, o problema da relação com seu noivo José, a longa e difícil viagem até Belém, ao ter que se abrigar numa gruta, ao dar a luz em virgindade, a visita dos pastores e dos magos, a fuga para o Egito,a volta para Nazaré, os trinta anos de vida oculta de seu Filho,a c compreensão da pregação dos milagres, de  toda atuação de Jesus, sua paixão morte, ressurreição e ascensão de Jesus, as maravilhas de Pentecostes ocorridas com ela os Apóstolos e discípulos, enfim em todos esses acontecimentos o Espírito Santo lhe dava total assistência, afim de que ela compreendesse os mistérios, e no que lhe cabia, ela lhes desse toda aceitação e colaboração.


A VIRGINDADE


Outra maravilha que embeleza a vida e a biografia de Maria é a sua virgindade milagrosa no parto. Como os raios de sol perpassam por um vidro límpido de cristal, sem quebrá-lo ou deteriorá-lo, assim o Sol divino, Jesus nasceu, saiu do corpo de sua Mãe, sem "romper" ou embaçar a sua virgindade física. Trata-se de um milagre divino, recompensa para aquela que soube dizer sim a maternidade divina e a todas as suas consequências.


 A ESPOSA MÃE


A exemplar vida e missão de ser a mãe do Filho de Deus e esposa virgem de José engrandecem a biografia dessa mulher privilegiada. Ela soube ser esposa participativa, amorosa, fiel e santa. 
Soube também educar o eu filho Jesus nos maiores valores familiares e religiosos. Vemo-la por exemplo, levando seu filho ao Templo, o menino Jesus, em peregrinação à Jerusalém, pela primeira vez, uma longa caminhada de 110 Km, a pé, a fim de fazê-lo participar daquela festa nacional, de mostrar-lhe o Templo de Javé Deus, onde Ele foi apresentado ao Senhor como primogênito, para que ali o seu filho Jesus realizasse a cerimônia de declaração de maturidade religiosa responsável, pela qual Ele se comprometia a participar da sua religião por própria iniciativa e responsabilidade, (uma espécie de crisma).


A ANIVERSARIANTE   

Essa mulher tão especial e privilegiada não é nada menos que nossa Mãe adotiva, quando Jesus na Cruz, prestes a morrer olhou para a sua Mãe e lhe disse: "mulher eis aí o teu filho" e para João que ali nos representava disse: "Filho eis aí tua mãe!"
Maria compreendeu muito bem que Jesus não estava nos estava dando a ela como filhos e filhas, para que ela cuidasse de nós, naquela vida de salvação, que Ele estava gerando como "em dores de parto" uma nova humanidade na Cruz. 
E ela jamais esqueceu dessa missão. Em todas as suas aparições ela se dirige a todos os seus filhos (as) chamando-os a conversão e à santidade na Igreja do seu filho Jesus.


Como filhos muito agradecidos, que sentem tão amados e protegidos, queremos celebrar seu aniversário, ainda que não sabemos ao certo a data certa. Mas elegemos no calendário litúrgico um dia reservado para celebrar a natividade de Nossa mãezinha. Eis um dia apropriado para lhe oferecer cinquenta rosas, as cinquentas ave-Marias, do Santo Terço. Palavras do Arcanjo, na saudação da anunciação: "Ave cheia de graça, o Senhor é contigo, bendita és tu entre todas as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre, Jesus!"     



Texto de: Pe. Alírio J. Pedrini, scj. - Revista, Brasil Cristão - ed. 09/2011            

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.