quarta-feira, 15 de maio de 2013

PARA UM RELACIONAMENTO MAIS HUMANO E FRATERNO

Se soubermos olhar com profundidade e com fé nossas relações humanas, veremos que nelas o desígnio de Deus acontece. Não por mero acaso que nos encontramos com tal e tal pessoa, que trabalhamos juntos com tais colegas, que moramos ou vivemos com tais coirmãs e coirmãos. Deus conta com isso e Ele tem algo a ver com todos nossos relacionamentos interpessoais.
Um relacionamento humano mais fraterno acontece quando tomamos conta, entre outras, as seguintes ponderações: 

1. AMAR

É uma lei divina, dentro da razão humana, tão certa como a gravidade: para vivermos plenamente, precisamos aprender a usar as coisas e amar as pessoas, e não amar as coisas e usar as pessoas. Jesus nos ensinou como devemos amar. O amor é o maior tesouro que Deus plantou em nós para que vivêssemos melhor, compreendêssemos sua Lei, seus Mandamentos. Por isso que Jesus , o Filho de Deus disse: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei!" - mas o amor depende de uma coisa: de servir, de se entregar, de doar sem receber nada em troca, de disponibilidade, de atenção, de vínculo fraterno. Muita gente quer ser amado, mas não quer amar. Quantos que pensam que o amor está presente no nos momentos felizes?... estão enganados, porque a maior prova de amor que recebemos veio de Jesus no alto da Cruz, quando  nos perdoou e orando disse: "Pai perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem!"  -  Amor sem perdão é como um caminhão sem motor. 

2. SABER DAR IMPORTÂNCIA AOS OUTROS

Deve-se dar importância aos outros como pessoa e não objeto. Deve-se considerá-la em sua "amabilidade". Eu dou importância ao outro, eu amo o outro porque há nele um bem absoluto, objetivo: é uma pessoa amável pelo fato de ter sido criado e ser chamado por Deus, o que sobrepuja tudo o que fizer. Posso até não concordar com sua ação; o que ele faz pode ofuscar sua bondade objetiva; posso, então, rejeitar seu comportamento, mas isso não me dá o direito de rejeitá-lo como pessoa. A pessoa deve ser amada pelo que é, não pelo que faz e, inversamente, podemos rejeitá-lo por aquilo que faz, mas nunca por aquilo que é. 

3. JULGAR

Talvez se devesse inserir uma palavra sobre a diferença entre julgar uma pessoa e uma ação.Se vejo alguém roubando o dinheiro de outra pessoa, posso julgar que essa ação é moralmente errada, mas não posso julgar a pessoa. Isso é tarefa única e exclusivamente de Deus. ("Não julgueis, não sereis julgados!" disse Jesus). Não cabe a mim ou a você julgar a pessoa, ou seja, julgar a responsabilidade humana. Entretanto, se não pudéssemos julgar uma ação como certa ou errada, isso seria o fim da moralidade objetiva.
Não podemos concordar com a idéia de que não existem coisas certas ou erradas, que tudo depende da maneira de como encaramos as coisas. Mas julgar a responsabilidade do outro é brincar de Deus.

4. SER COMPREENDIDO E AMADO

É uma outra lei tão certa como a lei da gravidade: aquele que é compreendido e amado crescerá como pessoa; aquele que é rejeitado morrerá sozinho em sua cela de confinamento solitário.
Para compreender as pessoas deve-se tentar escutar o que elas estão dizendo, o que elas talvez nunca venham a dizer. O quem mais falta no mundo hoje é amor. Paixão tem de sobra, paixão não só pelo parceiro(a), mas pelo dinheiro, pelo poder, pelo ter... O amor deve ser doação quem ama está sempre disponível para estender a mão, o amor é doação total até o esgotamento das forças; lembre-se que só podemos amar se formos capazes de compreender, mesmo sem ser compreendido, como disse São Francisco de Assis. Tornamos instrumentos de Deus na arte de amar, pois o amor cura muitas feridas, o amor salva, conduz e reconduz. Não podemos nos esquecer que Jesus nos amor ao extremo que doou sua vida por nós.   

5. SEMEAR

Semear é plantar com fé, com amor e esperança, sem a menor presunção de colher frutos das sementes plantadas. Fomos enviados por Jesus para plantar e não para colher. Hoje colhemos os frutos  de sementes que os outros plantaram e amanhã os outros colherão os frutos e sementes que nós plantamos. A boa semente que plantamos no coração das pessoas não deve ser outra senão os valores do Evangelho, e cabe a cada um fazer ou não com que ela cresça, floresça e dê frutos. Não cabe a nós fazermos mudar as pessoas, cada um(a) possui suas chances de conversão, isto é, de mudança de vida. Deus oferece meios pelos quais a pessoa, "se quiser", pode mudar sua vida para melhor. Lembre-se os santos(as) foram homens normais, porém, se tornaram nossos modelos, porque um dia se converteram. Não nasceram santos, mas fizeram com que a semente do Evangelho crescesse neles e dessem frutos.   
6. GENEROSO EM ELOGIAR

Saber elogiar (sem puxa saquismo)  é uma arte e uma qualidade. É preciso elogiar quem verdadeiramente merece, não por interesses particulares. Quem merece ser elogiado é aquele que verdadeiramente desempenhou bem seu papel e teve méritos para ser elogiado. Mas, ao mesmo tempo, também devemos ter cautela ao criticar. A crítica só tem valor se for construtiva, se servir realmente para ajudar o outro a melhorar, por isso a crítica não pode nunca ser negativa, isto é, servir para humilhar e rebaixar o outro. O mesmo ser critério utilizamos para o elogio. O elogio só tem sentido se a pessoa que o receber tiver algum mérito, é desumano e vergonhoso fazer um elogio para provocar ciúmes nos outros ou obter favores escusos.  

7. MANTER-SE CALMO E PACIENTE

Manter-se sereno, é cultivar uma personalidade agradável. É suportar um ao outro com amor e respeito. É ter tempo para os outros, sem demonstrar enfado ou  cansaço.





O diálogo é uma comunicação que tem por finalidade o descobrimento de uma verdade importante para o crescimento pessoal e a vida dos indivíduos que dialogam. Ninguém consegue nada com brigas e discussão. Uma boa conversa pode resolver muita coisa, evitar desgastes emocionais.   












    1. Orientações Gerais

Conviver é viver com. Consiste em partilhar a vida, as atividades com os outros. São encontros para conviver, para buscar juntos um objetivo, e onde se partilha a vida, as experiências e se busca uma projeção futura. É um momento extraordinário de vida, principalmente se tratando de viver os próprios princípios evangélicos essenciais: a partilha dos bens materiais e espirituais, o respeito e a ajuda mútuos, a alegria, a disponibilidade e a caridade.

2. Utilidade da Convivência

Em todo grupo humano constituído, existe a necessidade de conviver, melhor ainda, aprender a conviver. Isso supõe um processo. Geralmente usa-se a convivência para grupos de jovens que já tiveram algum conhecimento, embora superficial, ou para grupos que iniciam uma caminhada juntos.  O conhecimento nesse caso, é fundamental co mo ponto de partida.

Todos temos uma necessidade de agrupar-nos, de estar com, de estar em relação com... 
Observa-se que os meios de comunicação social e a sociedade atualmente procuram formar o homem egoísta.
São muita as utilidades prestadas pelas convivências bem planejadas e motivadas: são momentos de evangelização; ensinam o relacionamento; preparam para a convivência na vida; integram as pessoas; aumentam o conhecimento mútuo e avaliam os relacionamentos grupais.
Além disso, as convivências são formativas: ajudam a reflexão e a interiorização pessoal, e representam uma rejeição viva à sociedade egoísta.

3. Exigências de uma boa convivência:

  1. Nunca jogar com os sentimentos dos outros. Não causar vergonha a ninguém muito menos diante de outras pessoas.
  2. Não queira mortificar os outros com ocorrências., subtilezas e genialidades, embora acredite ser superior na inteligência, cultura, dinheiro, posses, poder, beleza, aptidões... Quem for humilhado jamais esquecerá. "Quem bate esquece logo, quem apanha nunca esquece".
  3. Procura sempre agir com justiça, melhor ainda, com cordialidade. Assim evitará ressentimentos e hostilidades. Uma maneira ótima de servir o próximo é amando-o.
  4. Não se deixe levar por nervosismos, impaciências e egoísmos. Conduzem irremediavelmente para insatisfação e o descrédito.
  5. Jamais corte as asas da ilusão e da esperança para os seus colaboradores; a esperança, a ilusão alegram o coração do homem e o impulsionam até outras realidades e espaços às vezes insuspeitos.
  6. Seja respeitoso com os outros. Seja correto ao falar. Procure nunca falsear a verdade ou disfarça-la. Jamais prejudique alguém com palavras ou por escrito.
  7. Saiba acolher com um sorriso. Às vezes é difícil sorrir. Porém, oferecer um sorriso para alguém num determinado momento pode trazer satisfações interiores e recompensas inesperadas.
  8. Seja uma pessoa emocionalmente estável. Não passe de gritos às conversas; da alegria incontrolada para a depressão e as lágrimas.
  9. Interessar-se por quem anda ao nosso lado triste., acabrunhado, preocupado, mas com o maior respeito por sua intimidade. Saber-se acompanhado nos momentos difíceis de uma maneira incondicional é o melhor remédio e a demonstração de autêntica amizade. É uma das grandes conquistas humanas.
  10. Se queres triunfar diante dos outros, saiba escutar, tenha paciência, fale ponderadamente e saiba "colocar-se no sapato do outro".  
VAMOS PENSAR...

O PERIGOSO PODER DAS PALAVRAS

Podemos com nossas palavras tanto construir como destruir as pessoas não só com armas físicas, como facas, revólveres, etc. Mas podemos com nossas palavras, com o que dizemos tanto construir como destruir o próximo. Isto porque nossas palavras possuem forças positivas quanto negativas. 
Jesus Cristo já dizia, (quando censurado pelos fariseus porque seus discípulos não cumpriam os rituais judaicos de purificação), que o que torna impuro o homem não é o que vem de fora mas o que sai de dentro do coração, pois a boca fala do que o coração está cheio. É verdade! devemos usar nossas palavras para construir o ser humano. Não para magoar, destruir a esperança e fazer com que os corações fiquem ainda mais fechados.

O escritor e neurocientista Eduardo Aquino, que escreve sua coluna no Jornal "Super Notícias"assim  escreveu:


"Saiu de nossas bocas, não mais nos pertencem. As palavras tem vida própria e são, por enquanto, a única forma de nos traduzir e aos outros também. Somos emaranhados de pensamentos, sentimentos e desejos.Desde cedo educados para agradar a quem nos rodeia, sermos educados, subservientes, e, no fundo, dizer o que achamos que o outro quer ouvir, expressar o que julgamos que o outro desejaria    que sentíssemos, e, por fim, fazermos algo que o outro quer que façamos.Sempre preocupados em agradar aos outros, viver em função de todos, por exemplo. Mas como lidar com os impulsos em que explodimos e falamos de uma só vez e de forma agressiva e fulminante, todas as insatisfações?  É aí que constatamos. Palavras doem, machucam, criam sentimentos muitas vezes irreversíveis, como ódios, mágoas, raivas que por aquele segundo impensado, por duas ou três palavras, detonam toda uma vida.
Assim, casamentos são desfeitos, há brigas entre irmãos e inimizades de amigos fraternos. Como dizem nossos avós: 'palavra tem poder'! E como! Na boca de um líder como foi Hitler, desencadeou uma guerra terrível, que exterminou seis milhões de judeus e convenceu uma nação, como a Alemanha, de que eles eram superiores e arianos, semideuses. Na boca de Gandhi, tornou-se uma arma de paz que derrotou sem um tiro sequer o maior império colonialista já existente, a Grã Bretanha. Poder fantástico de construir ou destruir o mundo.    
Mas, sejamos mais práticos e pensemos no nosso dia a dia.:Estamos prontos para entender as palavras que usamos? Será que as compreendemos?E mais, será que temos a não de que, mesmo que elas saiam de nós com a melhor das intenções, como um ótimo significado, quando as pessoas escutam, elas podem interpretá-las de forma absolutamente distorcidas?
E aí realmente vira conversa de louco, fala-se "A" o outro entende "X" e a partir de então desistam da conversa. Se houver bebida ou droga, pior ainda.Num tempo de absoluta falta de intimidade, em que redes sociais devastam a vida de todos, principalmente dos famosos, qualquer mortal pode usar da palavra para ofender alguém, seu ex-ídolo, seu desafeto. Qualquer ex-namorado pode disseminar as fotos íntimas e disparar palavras de "baixo-calão" e condenar seu ex-amor a execração pública.
E como estamos críticos, impiedosos, imaturos! É só alguém se destacar em qualquer área, que chovem palavras mortíferas. Me impressiona o aumento do radicalismo, da intolerância. Sonho com o dia em que não precisamos mais falar, demonstrar sentimentos e desejos. Afinal, a mente é o resultante de uma energia eletromagnética, de origem eletroquímica cerebral. Um dia, tal energia será captável, transmissível. Neste dia, fim das mentiras, das traições, do fingimento, se as energias não forem compatíveis cada um para ao seu lado.


Eduardo Aquino
eduardoaquino@yahoo.com.br
Super Notícias-ed. 15/07/12
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.