segunda-feira, 2 de junho de 2014

INVEJA E FOFOCA, PECADOS QUE DESUNEM A FAMÍLIA E A SOCIEDADE!




            Certamente já ouvimos falar nessas duas palavrinhas que parecem ser tão simples, mas, trazem muitas complicações para a família e a sociedade em que vivemos.
            A inveja e a fofoca podem parecer inofensivas ao primeiro ponto de vista, mas não é assim, pois, embora façam parte do nosso cotidiano elas representam 90% dos casos de crimes, brigas entre famílias, entre amigos e até mesmo no trabalho, lazer e escolas.
            Existem pessoas que carregam dentro de si um descontentamento pessoal, um vazio de si mesmas ou ainda um imenso desejo de subir na vida à custa de meios inescrupulosos. E quais são esses meios? Fazem isso pela inveja e pela fofoca. Sempre querendo para si a qualquer custo aquilo que é do outro, a roupa, o carro, o emprego, o marido, a esposa, o trabalho, o sucesso profissional, etc. E fazem isso de maneira muitas vezes buscando meios para tirar do caminho tudo que lhe impeça de chegar a sua meta.
            Mas, o que é uma pessoa invejosa?
            Uma pessoa invejosa é uma pessoa que não está satisfeita com si próprio, nem com o mundo ao seu redor, ou ainda carrega em si uma insatisfação de si mesma porque não consegue se contentar com o que ganha e o que tem. Esse é o mal que todos podemos passar, mas que nunca podemos por em prática porque onde há inveja há maldição. Uma pessoa invejosa quer sempre algo mais, quer sempre ser superior as demais pessoas, quer sempre aparecer diante de uma falsa idéia de que os outros ao seu redor vão sempre lhe admirar pelo seu status ou pela beleza, ou ainda pela condição social. Para isso é necessário um consumismo desenfreado e uma busca intensa de sempre ter cada vez mais. Nunca se dão por realizadas ou satisfeitas. Então passam a olhar as coisas ao seu redor como se o seu “mundinho” só funcionasse “se” ali todos convergissem para ela própria. Como se ela fosse a “Terra” e os outros fossem “Luas” que girassem em seu contorno.
            Então a inveja é um câncer que cada dia mais ganha força nesse mundo moderno e de propagandas e consumismo. Ela está também aliada a outro mal maior, a fofoca. Pois muitas vezes a inveja para dar certo precisa de uma boa fofoca. O que é a fofoca? É falar mal dos outros, é a intriga, ou,no ditado popular: a “conversa fiada” dando conta do que se passa ao seu redor, promove a desunião e da desunião vem as brigas, as mortes e os diversos crimes que hoje vemos nos Jornais e noticiários de TVs.
            É bom lembrar que inveja e fofoca além de serem pecados capitais, elas já se tornaram pecados sociais graves
            Para os cristãos de modo geral, não é difícil perceber como esses dois pecados estragam as relações sociais dentro das Igrejas e nas famílias. Mas também devemos levar em conta de que a inveja causou muitos estragos na antiguidade, aliadas ao orgulho próprio, ou em nome de uma instituição já produziram guerras e também foi por inveja que começou o pecado neste mundo. Primeiro satanás por inveja introduziu o pecado no mundo fazendo Adão e Eva pecarem; depois resultou na condenação e morte de Jesus Cristo.
            Por inveja muitas pessoas se destroem e destroem as famílias e a sociedade em que vive e participa. E por inveja também se condenam à morte eterna, porque o invejoso esquece até de que é criatura e muitas vezes tentam a Deus querendo, como um dia fez satanás, ser superior a Deus. Então, a inveja é uma sementinha plantada por satanás desde o início das eras.
            Por outro lado, se não resguardarmos nossa língua mesmo não sendo invejosos, mas se promovermos a intriga e nos guiarmos pela fofoca estão promovendo a desunião e a discórdia neste mundo.
            O bom cristão é aquele que usa de sua língua primeiramente para louvar o Senhor e depois para levar a palavra de Deus. O cristão deve sempre fazer um exame de consciência antes de sair por aí “falando pelos cotovelos”.
            Jesus deixa claro que seremos julgados pelas boas e más obras, pesará muito mais em nossa balança a maneira que vivermos e praticarmos as boas obras. Por outro lado, pesará em nossa condenação tudo que fizermos de mal ao nosso semelhante. Isso inclui viver uma vida de laços estreitos com as coisas deste mundo. O bom cristão nunca é invejoso, ela não tem lugar no coração da pessoa cristã, porque unido a pessoa de Jesus vive e pratica a realidade evangélica que na qual nos propõe sermos desapegados de tudo neste mundo se quisermos ser apegados a Jesus Cristo e sua palavra.

            Para ser cristão, em primeiro lugar, não podemos abraçar à inveja e nem dar lugar ao orgulho, a fofoca e ao oportunismo.
            Pois a inveja é uma semente plantada por satanás, e o oportunismo, isto é, aproveitar-se dela para ganhar sucesso e realizações, é o adubo para que o mal cresça ainda mais neste mundo.
            Nossas realizações e sucessos, na vida pessoal, social ou familiar devem ser frutos de nossos esforços como pessoas e nunca à custa de outros meios, como a corrupção e a falta de ética e moral.  A inveja e a fofoca produzem grandes males: inimizade, violência, separação entre casais, dificuldade em conviver na sociedade e diversos crimes.
            Se lermos a Sagrada Escritura, encontramos várias passagens onde a inveja causou grandes estragos na vida das pessoas. Mas nela também, encontramos a chave para evitá-la. O Livro do Eclesiástico nos ensina que a melhor maneira de evitar tais pecados em nossa vida é:

a)     Buscar sempre o Senhor e sua justiça. Por mais que seja difícil compreender a justiça de Deus age no tempo certo. Isto significa que Deus deve ocupar o primeiro lugar em nossa vida, pois quando estamos cheios de Deus nosso coração não abre espaço para o pecado e se pecamos logo podemos voltar atrás e buscar a reconciliação. Aquele que busca a justiça de Deus está sempre do lado da verdade e de sua boca só sai palavras agradáveis. Age com sabedoria, pratica a sã doutrina, não tem medo de confessar que errou e põe prudência naquilo que fala. (Ecle4, 23-30)  
b)     Obter o domínio próprio. Isto é, firmar no caminho do Senhor, não andar por qualquer caminho. Isso implica falar sempre a verdade, mesmo que sofra alguma conseqüência. Ser uma pessoa pacífica, e mais, saber ouvir aqueles que nos querem bem a fim de que evitemos as armadilhas deste mundo. Uma pessoa prudente é uma pessoa que evita falar o que não deve e em sua boca só existe a verdade. (Ecle5, 11-18) Uma boa palavra multiplica a amizade. (Ecle6, 5) – É tão bom quando ouvimos das pessoas palavras que edificam. Ao contrário uma pessoa que faz intrigas o tempo inteiro além de obter muitos inimigos cai em descrédito perante a sociedade. E quando tenta dizer a verdade, ninguém acredita.
c)      Não tenha orgulho das coisas materiais. (Ecle11, 4-5) Isto é, tudo que temos nesse mundo não é para nos engrandecer, mas é para servir. Tudo é de Deus, nada levamos deste mundo, nem mesmo nossas roupas ainda que sejam as mais elegantes nada levamos. Não podemos ser apegados aos bens deste mundo porque nada aqui nos pertence de verdade. Tudo é de Deus. Simbolizado pelas vestes, o autor do Livro Eclesiástico nos dá uma mensagem que atualizada nos dias de hoje engloba todos os nossos bens. Porque o grande problema das pessoas é quando a semente da inveja nasce justamente do desejo de ser igual ao outro ou, querer ser o melhor diante da sociedade construindo em si mesma uma falsa idéia de beleza e poder. Lembre-se que os mais poderosos da terra nada lhe restaram, suas roupas chiques, poder, bens materiais nada disso valeram diante da morte.
d)     A inveja leva à avareza. O avarento é uma pessoa que ajunta tudo para si não reparte nada, não se contenta com o que tem. O invejoso é uma pessoa má, sua alma é pobre, concentrada no seu “mundinho” de mesquinhez, ele não se abre para os outros, mas quer ver em si mesmo a imagem falsa daquilo que ela própria não consegue ser.  (Ecle14, 3-10).
e)     A inveja leva aos diversos crimes . Quantos que por inveja se matam e morrem por querer aquilo que não é seu. Muitos crimes são praticados por inveja. Uma pessoa invejosa é capaz de fazer tudo para satisfazer o seu bel prazer, mesmo que isso vá lhe custar tirar a vida de alguém, ou até mesmo prejudicar o seu semelhante em alguma situação para alcançar o espaço desejado na sociedade, ou então para ser visto com uma falsa imagem de “o melhor” para todos. O invejoso não procura agradar por gentileza e educação, mas para parecer ser bom. O invejoso também costuma agir com máscaras de “ovelhas” mas, na verdade é um lobo voraz que quer devorar tudo ao seu redor para sempre se mostrar o tal, o capaz, o melhor.

Como é fácil perceber numa pessoa invejosa a sede de se mostrar como um holofote no escuro. Às vezes percebemos o cheiro da inveja numa pessoa de longe, é o chamado puxa-saquismo. Não é preciso fazer nada, basta perceber que o invejoso está sempre querendo parecer igual a quem do lado ou ao chefe. E tem um enorme medo de perder sua posição de ser o melhor, por isso está sempre disposto a atacar pelas costas, ou até quando a máscara cai e ele se esconde nas “saias da hipocrisia”.
É bem verdade quando Jesus disse aos fariseus: “Vocês são sepulcros caiados!” – na verdade por fora, os túmulos belos e ornamentados, mas por dentro estão cheios de podridão de cadáveres. Assim é o invejoso, possui uma linda fachada, mas seu interior está podre e cheio de más intenções e hipocrisias. 
Hoje mais do que então, a inveja associada a sede de ter cada vez mais é um câncer que vai corroendo as pessoas. A sede de ter sempre o melhor para si, o carro do ano, o celular do ano, jóias, roupas de marca, enfim, esse consumismo desenfreado que passa a sociedade está cada vez mais propagando a inveja e a avareza. Cristãos que não se encontram em lugar algum, por que pela sede do consumismo esquecem-se das palavras de Jesus que diz: “Não ajunteis tesouros para vós aqui, onde a traça e a ferrugem consomem, mas, ajuntai antes para vós tesouros no céu, pois onde está o vosso tesouro lá estará o vosso coração!” (Mt6, 19-21)
E também fazer com nossos olhos enxerguem a verdadeira luz, a luz de Jesus Cristo que nos convida a abrir não só os olhos, mas, também o nosso coração diante de tantas situações de pecado que somos obrigados a enfrentar. E para isso é preciso estar sempre atento as palavras do Mestre Jesus quando nos propõe a viver uma vida coerente com os valores do seu reino. Pois ninguém pode servir a Deus e ao dinheiro diz Jesus. Corremos o risco de amar mais as riquezas do que a Deus. (Mt6, 24)                     
     
Por outro lado o cristão verdadeiro é aquele que possui um coração feliz e alegre, ela está aberta às boas coisas e em seu rosto se nota a suavidade de servir o Senhor. Este se desapega dos bens materiais porque tem no Senhor Jesus sua única fonte de vida e sua palavra é seu sustento. Não vive para o mundo porque assim como Cristo não pertence a esse mundo. Deseja os bens não para se engrandecer nem para mostrar uma aparência, mas o necessário para sua vida e sua subsistência. Não gosta de intrigas e fofocas, pois, sua boca está cheia de boas palavras e sua alma está feliz e nele não há espaço para a inveja e a fofoca. Pois de sua boca sai palavras santas e construtivas. (Ecle13, 32 – 14, 1).

O cristão é aquele que sempre está vigilante, como um alicerce bem construído onde nada pode derrubar, ele se forma na base do Evangelho e solidifica na pedra angular que é Jesus.
O coração do cristão não tem espaço para a inveja porque ele reflete a luz de Jesus Ressuscitado.
O cristão verdadeiro só deseja uma coisa, assim como o desejo do salmista, habitar por todo sempre no santuário do Senhor e contemplar sua beleza. Por isso não se apega a nada que vá impedi-lo de chegar a essa meta.



      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.