quarta-feira, 2 de julho de 2014

ÍDOLOS DO NOSSO SÉCULO



Eis uma palavra que certamente entre nós católicos só ouvimos falar quando os falsos “crentes” nos acusam de idolatria. Mas o que é idolatria?
 Idolatria é cultuar ou adorar um deus falso. Ou então podemos dizer que é tudo que pomos no lugar do Deus verdadeiro que é Javé.
Mas podemos ir mais além, a idolatria é tudo que colocamos acima de Deus e seu poder. Tudo que trocamos e pomos no lugar de Deus é idolatria. Coisas, objetos, pessoas...
Tem muita gente presa aos fundamentalismos e acham que quando falamos em idolatria estamos falando das imagens dos santos e Jesus expostos em nossas igrejas.
   Na verdade desde a reforma, os protestantes tentam nos acusar de idolatria por fazer uso das imagens, mas na verdade o que está por detrás dessas acusações não passa de um pretexto para difamar e fazer cair em descrédito a Igreja e os católicos. É uma espécie de "guerra fria" por onde essas pessoas como no passado não conseguiram derrotar a Igreja Católica, usam de vários pretextos e acusações infundadas, calúnias contra o Santo Padre o Papa para fazer a Igreja cair em descrédito. Hoje sabemos que existe uma corrente de descendentes dessas seitas como uma "teia-de-aranha" onde na verdade muitos católicos ficam presos. Muitos desses  que se dizem "evangélicos pentecostais" que surgem hoje ocorre um fenômeno causado não pela vontade de pregar o Evangelho, mas, sobretudo de busca fácil de enriquecimento ilícito atraídos por uma enorme facilidade de arrecadação de bens e dinheiro são vendedores de promessas de milagres e prosperidade. Comercializam Jesus como um objeto qualquer e vendem a fé em troca de grandes contribuições sem se importar na verdade com a salvação dos seus fiéis. 
Hoje já se sabe que muitos desses líderes se escondem atrás da Sagrada Escritura com propósito de arrecadar e lucrar e lucrar com seus "cristos" e oferecem de tudo, desde a cura do câncer até promessas de emprego, casa e moradia como se Jesus fosse um assistente social. Muitos desses são falsos e estão ligados a outros ramos como a maçonaria, por exemplo.
Quer idolatria maior do que essa?
São escravos do dinheiro e aproveitam do sentimento das pessoas para venderem seus projetos de um Jesus que diferente daquele Jesus que conhecemos no Evangelho promete bens e riquezas, passa longe do Cristo que morreu e ressuscitou por você. 
Então esse Jesus anunciado por eles não é o mesmo Jesus da Bíblia mas o Jesus que o diabo queria transformar um dia lá no deserto, um "Jesus" mesquinho, conquistador um "messias" terreno.
Então de nada adianta nos acusar de idolatria perto do que eles mesmos transformaram a palavra de Deus e os ensinamentos por eles desvirtuados. Essa sim é uma idolatria que pode levar à perdição, muito maior do que venerar uma simples imagem que nós católicos estamos cansados de saber que não são deuses nem tem poder algum senão nos ensinar e remeter à memória de quem elas representam.
Essa idolatria praticada por essas pessoas e esses falsos pastores é muito mais perigosa leva o cristão a cultuar e adorar um falso Cristo e a servir ao anti-cristo. 
O que passa na mente dessas pessoas?
O que se passa na mente dessas pessoas são pensamentos pequenos. São verdadeiros criminosos porque matam a palavra do Salvador. Vendem salvação, milagres, prosperidade, em troca altos dízimos, carros, aviões, vida de luxo e ostentação de riqueza em cima lucrados pela exploração da fé. São agentes do mal, oferecem o veneno gratuito, mas vendem o antídoto com alto preço e esse preço é a condenação eterna de seus seguidores. 
Esses não estão buscando pecadores e sim quem vai sofrer uma lavagem cerebral para darem mais e mais dinheiro para eles.

 A idolatria longe de só isso é muito mais abrangente. Logo, neste século estamos cheios dela. Que são muitas desde a idolatria do culto à própria beleza, até a ideia de fazer do ser humano um semideus.
Quando vemos hoje uma busca forte do ter, do ser, do prazer. A vontade de se expor a todo custo, os caprichos humanos em troca de dinheiro, a pornografia demasiadamente grande nos meios de comunicação. A busca de uma beleza à custa de arriscar a própria vida por uma estética, a sede de ser cada vez mais belo. A busca incessante pelo melhor físico, pelo mais belo. O ser humano se torna cada vez mais escravo de si e das coisas que o mundo oferece a tal ponto delas se esquecerem de Deus.
Até mesmo dentro da religião o homem se sobrepõe ao criador para manipular as pessoas. Se acham superior aos outros, quantos líderes  que manipulam a fé como se Deus fosse uma marionete para ganhar dinheiro, assim começa a espalhar a falsa ideia de que sua crença é melhor que a dos outros e pondo-se superior a qualquer outra crença dizem ser senhores da “razão absoluta” e os “donos da verdade absoluta”.
Assim é a idolatria moderna de nosso tempo, cada um buscando seu “deus” em alguma coisa, na roupa de marca, no carro de marca, no tênis de marca, no futebol, na música, nas novelas etc. Em todo lugar e a toda hora cultuamos e adoramos falsos deuses. E as pessoas acham isso normal. Mas para os falsos “crentes” só as imagens lhes interessam porque interessa a eles perseguirem a fé e a verdadeira religião de Jesus Cristo.
Talvez esse seja o pior idólatra, o idólatra da própria fé. Porque se acha superior aos outros e o dono da única verdade. Quando que na verdade todo progresso da humanidade foi feito primeiro em cima de uma dúvida e de uma pergunta e o sucesso da ciência vem depois das respostas verdadeiras de questionamentos verdadeiros.
Mas o pior o idólatra da fé se torna cego, despreparado e instigado a perseguir o que para ele não lhe convier com a sua “verdade absoluta” a esses idólatras chamamos de radicais ou fundamentalistas. Na verdade são pessoas psicologicamente doentes que precisam de tratamento.
Mas... o Século XXI está cheio de idolatrias.
Por exemplo: quantos de nós colocamos o carro, a TV, a loteria, os vícios, o celular do ano, a roupa, o tênis, o sapato de grifes. O que me expõe às pessoas? O que tira a minha integridade? – São falsos deuses que eu cultuo no meu dia a dia e nem percebo. Só lembro que o Deus verdadeiro existe na hora de uma desgraça. Do contrário estou sempre buscando os “deuses” que satisfaçam meu ego. Deixo de lado o Espírito Santo para dar lugar aos “espíritos de porco”.
A idolatria do nosso tempo está escondida atrás das palavrinhas mágicas, o ter, o prazer... a conquista de prestígio e poder a qualquer custo vem dos pratos  que deuses do dinheiro pode comprar. Somos idólatras modernos.
A idolatria é o culto a tudo que está acima do Deus Vivo. Ela faz parte do mundo, esse prato que satanás mesmo oferece a cada um daqueles que fazem daqui o templo de adoração a seus “deuses” os mais caros e diversos.
É nesse meio que nós cristãos vivemos. Temos que abrir nossos olhos para não acharem que a idolatria está lá fora, porque, ela está também dentro de nossas igrejas em razão de que muitos dizem agir, falar e pensar em nome de Deus, mas na verdade, agem em nome de satanás e o que querem é arrancar dinheiro das pessoas, agem como verdadeiros ladrões. Usam o nome de Deus para ganhar prestígio na sociedade e na política. São pessoas que conhecem bem a Bíblia, mas, não guardam a palavra de Deus.
São líderes religiosos que querem se igualar a Deus. Agindo provocam a guerra em nome de Deus. Também os fanáticos por Deus são idólatras porque o deus deles não é o Deus de Abraão, Isaac e Jacó.
Ainda que entrassem nos templos católicos, Indus, budistas, etc. Ainda que quebremos suas imagens e os acusem de idolatria, é preciso que antes sejam quebradas  dentro dessas pessoas esse falso “deus” que não ama, não respeita e não tolera a outras religiões e outras culturas.
A idolatria moderna é aquela em que satanás já não precisa de nenhum artifício de sedução, ela está voltada toda para o egoísmo, a violência e a luta constante pelo poder.
Então se vestem de padres, pastores, bispos, médicos..., e de tudo o quanto precisar para promover a famosa intolerância religiosa, espalha a falta de amor e perdão; se esquecem da Cruz. Não querem compromisso com um Deus que ama a todos preferem um “deus” parcial que seja manipulado de acordo com suas crenças e suas “igrejas”.
A idolatria é o mundo se colocando no lugar de Deus.
Esse século é o século dos idólatras, dos fanáticos poderosos senhores donos da verdade que não vem de Deus.
Pior que fazer estátuas de santos é empilhar milhões nos cofres e deixar milhões de irmãos passando fome na miséria. É a má distribuição de renda fruto do egoísmo de vindo de um deus chamado “poder”.
Dentro e fora de nossas famílias estão homens e mulheres não sabem dar Deus para seus filhos. Estão casais que deixam Deus do lado de fora.
Não é raro ver tantas pessoas trocando o dia santo pela praia, pelo futebol, pelo show, pelo cinema, são nossos “deuses” modernos. Há muito tempo o primeiro Mandamento da Lei de Deus “amar a Deus em primeiro lugar” não se cumpre.
São a busca por uma falsa beleza, nossos deuses agora são os remédios emagrecedores, as tatuagens, os pírcingues. É a idolatria do próprio corpo.


São os ídolos do século. A que Deus você serve? 
Ou podemos nos considerar como o homem da parábola do Evangelho Lc12, 13-21; que planejou uma vida de riquezas mas o Senhor o chamou a prestar contas na eternidade?
Veja o que acontece com quem adora as riquezas deste mundo: O que Jesus diz? Lc16, 31. O que tem o seu deus a riqueza perde a chance de estar com Deus; quando morrer não lhe restará nada senão o vazio imenso (=abismo) entre a alma e Deus. Isso podemos chamar de " o inferno". E Jesus acrescenta o rico não entra no reino dos céus, (Lc18, 24-25); porque as riquezas, as glórias, o status, tudo isso nos faz a cada dia mais distante do Deus Vivo.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, em breve será respondido.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.